?· numa linguagem acessível. ... o aluno não só reflete sobre o tema como aprende a ... Olhe as…

  • Published on
    11-Feb-2019

  • View
    216

  • Download
    0

Embed Size (px)

Transcript

Livros FTD

.

A melhor

companh

ia na

hora de e

nsinar

e aprend

er.

Lngua P

ortugues

a/

Ingls/Esp

anhol

Ensino Fu

ndamenta

l II e Ensin

o Mdio

19991435

DID

TI

CO

S

DID

TI

CO

S

www.ftd.com.br

EDITORA FTD S.A.Rua Rui Barbosa, 156 Bela Vista01326-010 So Paulo SP

Est na ho

ra de pen

sar no fut

uro de seu

s alunos.

Tenha cer

teza de q

ue eles te

ro mo

todo o

conhecim

ento nece

ssrio pa

ra que o f

uturo seja

exatamen

te como o

s seus ma

is lindos s

onhos.

No dif

cil escolh

er: todas a

s lies qu

e eles

precisam

esto na

s pginas

dos livros

FTD. Eles

instruem,

divertem,

esclarece

m, abrem

horizonte

s

e prepara

m os alun

os de hoje

para ser g

randes

cidados a

manh.

Mais do q

ue ensina

r para a e

scola, voc

e a FTD

fazem que

sto de e

nsinar tam

bm para

a vida.

Boas esco

lhas!

ndice

Ensino Fu

ndamenta

l II

Lngua P

ortugues

a

Dilogo....

................

................

................

................

4

Descobrin

do.a.Gram

tica........

................

...............

8

Ponto.de

.Encontro..

................

................

..............1

0

Entre.Pala

vras.........

................

................

..............1

2

Minigram

tica..........

................

................

.............1

4

Estudos.d

e.Gramt

ica............

................

...............

15

Gramtica

..Teoria.

e.Exercc

ios............

................

16

Ingls

English.in

.Formation

................

................

.............2

6

In.@ction..

................

................

................

..............3

0

Ensino M

dio

Lngua P

ortugues

a

Aprender

.e.Pratica

r.Gramti

ca.............

................

17

Novas.Pal

avras........

................

................

..............1

8

Linguagem

.em.Mov

imento.....

................

..............2

2

Portugus

..Na.Tram

a.do.Text

o..............

.............2

4

Ingls

Compact

.English.B

ook..........

................

................

25

English.in

.Motion...

................

................

...............

32

Espanhol

Nuevo.Ex

pansin...

................

................

...............

36

Interacci

n.en.Espa

ol...........

................

...............

38

4 Consulte.nosso.divulgador 5www.ftd.com.br

Um.convite..leituraA Coleo Dilogo oferece textos que so um verdadeiro convite leitura: grande variedade de gneros e temas numa linguagem acessvel. Ao dialogar com os textos, o aluno no s reflete sobre o tema como aprende a observar os recursos que a lngua oferece e a estrutura que cada gnero exige. Boxes laterais oferecem informaes complementares sobre a obra e sobre temas em questo.

Propicia.ao.aluno.aumentar.seu.repertrioPrope atividades que ampliam o repertrio dos alunos. Assim, h sees que trabalham a intertextualidade, como as sees Dialogando com o cinema ou Dialogando com a imagem, em que o aluno entra em contato com outras linguagens.

Exercita.intensamente.a.redao.A seo Projeto de redao oferece o passo a passo da produo. A proposta foi pensada para ser realizada em etapas, o que facilita o acompanhamento do professor e possibilita que o aluno se aproprie do texto que est escrevendo. H uma ampla alimentao temtica para apoio tanto do aluno como do professor. A avaliao de cada produo feita de modo claro e objetivo.

6o ao 9o ano 6o ao 9o ano

DILOGO

Nossas autorasEliana.Santos.Beltro

Graduao em Letras pela Universidade Federal da Bahia, com especializao em Lingustica textual. Professora de Lngua Portuguesa, Literatura e Redao no Ensino Fundamental e Mdio.

Tereza.GordilhoGraduao em Psicologia pela Universidade Federal da Bahia. Curso de especializao em Psicopedagogia clnica e institucional pelo Instituto Sedes Sapientiae. Psicloga na rea educacional.

A.riqueza.de.recursos.faz.desta.coleo.um.convite.irrecusvelpara.o.estudo.da.Lngua.Portuguesa.

Comparando os textos

Os desafios de uma viagem por regies inspitas no existem s na fico. A notcia a seguir traz infor-maes sobre o alpinista brasileiro Waldemar Niclevicz e o seu desafio: chegar ao Pico de Vinson, localizado na maior montanha da Antrtica.

Sua empreitada tem incio na cidade de Punta Are-nas, no Chile, lugar onde permaneceu por seis dias, es-perando que o vento permitisse o perigoso e incerto voo entre essa cidade e a Antrtica, regio cuja temperatu-ra varia em torno de 10 C a 30 C.

Ser que ele conseguiu seu objetivo? Leia e descubra.

Eram trs horas da madrugada quando Waldemar Niclevicz chegou ao Pico de Vinson e montou o primeiro acampamento. No cu, a presena do sol fazia com que a tempera-tura ambiente estivesse em aproximadamente 15 C. Ao lado do alpinista americano Dave Hann, Niclevicz iniciou a escalada rumo aos 4 897 metros do Pico de Vinson. A paisagem coberta de neve e o silncio aumentavam a sen-sao de isolamento total. O vento e o frio atra-palhavam os alpinistas, que, ao chegarem aos 3 000 metros de altitude, montaram um novo acampamento. O objetivo dos dois era mon-tar o menor nmero de acampamentos pos-svel, j que pretendiam chegar logo ao topo.

Waldemar Niclevicz e Dave Hann termina-ram o terceiro dia de escalada a 3 800 metros de altitude, determinando que aquele seria o ltimo acampamento antes de chegar ao topo. Foi a parte mais perigosa da subida, j que havia muitas gretas grandes rachaduras no gelo e tanto Niclevicz quanto Hann caram em algumas delas. No dia seguinte, partiram para a etapa final, e depois de quatro dias des-de o incio da escalada, Waldemar Niclevicz e Dave Hann atingiram os 4 897 metros de alti-tude do Pico de Vinson. A temperatura estava em 33 C, e Niclevicz se emocionou; acabara de se tornar o primeiro brasileiro a chegar ao topo do Vinson. Aquela no era a montanha mais alta do mundo, nem a mais difcil, mas era a primeira vez que um brasileiro estava l, disse. [...]

Antrtida: uma viagem ao fim do mundo. Estilo Peugeot. Santo Andr: Livre, n. 11, abr. 2002. p. 40-1.

A chegada ao topo

Gor

don

Wilt

sie/

Nat

iona

l Geo

grap

hic/

Get

ty Im

ages

300 Mdulo 7

Olhe as figuras e responda depressa.Mostra:Jogos de todos os cantos

texto instrucional

Quais dos jogos representados na tela voc reconhece?

Brue

gel

Brin

cade

iras

de c

rian

as. 1

560.

Kun

sthi

stor

isch

es M

useu

m, V

ienn

a,

ustr

ia

Professor, o texto instrucional um gnero cuja inteno comunicativa instruir o leitor a realizar uma tarefa, no caso, jogar. Para isso, as informaes so organizadas de modo que se evidencie o material necessrio e as regras do jogo.

Alguns recursos utilizados nos textos instrucionais: verbos no imperativo; vocabulrio preciso e frases curtas;

linguagem impessoal.

Fazem parte do grupo dos textos instrucionais as receitas, as instrues de uso, de montagem, regulamentos, regras de jogo, bulas etc.

Mais de 250 crianas foram pintadas por Bruegel neste painel. Elas brincam com bocados de madeira, de osso, com arcos e tonis. Os brinquedos fabricados especialmente para uso das crianas eram raros no sculo XVI.

6 Consulte.nosso.divulgador 7www.ftd.com.br

Atividades.de.oralidade.e..produo.de.textos.orais

Vrias sees trabalham com a oralidade e com a produo de textos orais a partir de imagens (fotografia, artes, publicidade e filmes). Os textos so avaliados pelos prprios alunos.

O.aluno.observa,.reflete.e..formaliza.os.conceitos.lingusticos

O trabalho com a Gramtica contextualizado: as explicaes e os exerccios partem de textos de tirinhas, foto, anncios que tenham significado para o aluno. Eles propiciam a observao, a reflexo e a formalizao dos conceitos lingusticos trabalhados.

Aprofunda.e.amplia.o.trabalho..com.os.textos

A coleo traz boxes com: informaes sobre os textos e seus autores; sugestes de filmes e livros ligados aos temas estudados; indicao de sites para aprofundamento dos assuntos e dados que ampliam a temtica e as caractersticas dos textos trabalhados.

Capacita.para.o.uso.da.lngua.em.vrias.situaes

Exerccios variados possibilitam a incorporao dos conceitos gramaticais e a capacitao dos alunos para o uso da lngua em