2011-2012 Qualidade do Ar 2011-2012 Qualidade do Ar

  • Published on
    07-Jan-2017

  • View
    230

  • Download
    7

Embed Size (px)

Transcript

<ul><li><p>Relatrio da Rede MonitorAr-Rio</p><p>2011-2012</p><p>Qualidade do Arna Cidade do Rio de JaneiroRelatrio da Rede MonitorAr-Rio</p><p>2011-2012</p><p>Qualidade do Arna Cidade do Rio de Janeiro</p></li><li><p>Relatrio da Rede MonitorAr-Rio</p><p>2011-2012</p><p>Qualidade do Arna Cidade do Rio de Janeiro</p></li><li><p>54</p><p>QUALIDADE DO AR NA CIDADE DO RIO DE JANEIRO </p><p>RELATRIO DA REDE MONITORAR-RIO </p><p>2011-2012</p><p>Eduardo PaesPrefeito da Cidade do Rio de Janeiro</p><p>Carlos Alberto MunizSecretrio Municipal de Meio Ambiente</p><p>Altamirando Fernandes Subsecretrio Municipal de Meio Ambiente</p><p>Coordenadoria de Monitoramento AmbientalMagda Carneiro Felippe Valverde [Coordenadora]</p><p>Gerncia de Monitoramento do ArBruno Bscaro Frana [Gerente (a partir de mar/2013)]Marcos Borges Pereira [Gerente (mai/2010 a mar/2013)]</p><p>Organizao do RelatrioMarilene Agrizzi Nacaratti [Arquiteta]</p><p>Textos e InformaesBruno Bscaro Frana [Engenheiro Qumico]Eduardo Monteiro Martins [Qumico]Gabriela Lerer [Biloga]Josiane Loyola [Qumica]Marcos Borges Pereira [Engenheiro Civil]Marilene Agrizzi Nacaratti [Arquiteta]Patricia Waldheim [Meteorologista]Roberta Ramos Gomes [Engenheira Qumica]Rodrigo Mello [Meteorologista]Silvia Patrcia de Arajo [Meteorologista]Wanea Lcia Bedran [Engenheira Civil]</p><p>Design Grfico e FotografiasAngela Meurer [Designer]</p><p>Reviso de TextoRachel Valena</p><p>AgradecimentosPETROBRASINFOPER - Informtica e Comunicao</p><p>Apresentao </p><p>Introduo </p><p>1 Poluio atmosfrica 1.1. Conceitos bsicos </p><p>1.2. Principais poluentes atmosfricos </p><p>1.3. Resultados do monitoramento e ndice de Qualidade do Ar </p><p>2 Caracterizao da cidade e da Regio Metropolitana </p><p>2.1. Dinmica populacional </p><p>2.2. Territrio e densidade populacional </p><p>2.3. Dinmica econmica </p><p>2.4. Ambiente Natural </p><p>3 Contribuies das atividades urbanas para a poluio atmosfrica </p><p>3.1. Fontes fixas perfil da cidade e da Regio Metropolitana </p><p>3.2. Fontes mveis 3.2.1. Perfil do sistema virio </p><p> 3.2.2. Diviso modal de transportes coletivos</p><p> 3.2.3. Frota e motorizao </p><p> 3.2.4. Combustveis utilizados </p><p> 3.2.5. Movimento de navios e aeronaves </p><p> 3.2.6. Balano de fontes mveis </p><p>4 Caracterizao Meteorolgica 4.1. Temperatura </p><p>4.2. Umidade relativa do ar </p><p>4.3. Precipitao </p><p>4.4. Direo e velocidade dos ventos </p><p>4.5. Radiao solar </p><p>pgina</p><p>5</p><p>9</p><p>13</p><p>23</p><p>33</p><p>51</p><p>pgina</p><p>61</p><p>117</p><p>158</p><p>164</p><p>172</p><p>5 Caracterizao da rede de estaes do Programa MonitorAr-Rio </p><p>5.1. Histrico </p><p>5.2. Funcionamento da rede e estrutura do sistema de transmisso de dados </p><p>5.3. Localizao das estaes de monitoramento da qualidade do ar </p><p>5.4. Descrio da rea de estudo do entorno e classificao das estaes da rede MonitorAr-Rio </p><p>6 Resultados do monitoramento 6.1. Estao Centro </p><p>6.2. Estao Copacabana </p><p>6.3. Estao So Cristvo </p><p>6.4. Estao Tijuca </p><p>6.5. Estao Iraj </p><p>6.6. Estao Bangu </p><p>6.7. Estao Campo Grande </p><p>6.8. Estao Pedra de Guaratiba </p><p>6.9. Consideraes finais </p><p>Glossrio </p><p>ndices [tabelas, quadros, figuras e grficos] </p><p>Referncias bibliogrficas </p></li><li><p>76</p><p>O crescimento da economia acelera as atividades industriais e, pela cultura dominante, provoca o aumento do nmero de veculos circulando nas ruas. Esse cenrio converge para a elevao das emisses de poluentes atmosfricos afetando a sade e a qualidade de vida da populao.</p><p>Acompanhar os impactos ambientais no municpio, causados pelos investimentos em infraes-trutura para receber os grandes eventos que se aproximam, um dos objetivos da Secretaria Municipal de Meio Ambiente. Nesse sentido, so monitoradas, entre outros fatores ambien-tais, as concentraes dos poluentes atmosfricos atravs de sua rede de monitoramento da qualidade do ar.</p><p>Este relatrio contempla os dados de monitoramento do ar coletados nos anos 2011 e 2012, e alm de avaliar as concentraes dos principais poluentes atmosfricos, procura identificar as possveis causas para os nveis de poluio nos locais monitorados. Para a elaborao do relatrio foram consideradas as principais caractersticas e fontes de emisso no entorno das estaes de monitoramento, a dinmica populacional e econmica do municpio, bem como as caractersticas naturais e climatolgicas que exercem alguma influncia na disperso da poluio atmosfrica.</p><p>Esforos esto sendo feitos visando reduzir as fontes de poluio como, por exemplo, a implantao de uma vasta malha cicloviria e as mudanas no sistema pblico de transportes atravs da construo dos BRTs e da implantao dos BRSs. Portanto, este relatrio consiste em uma importante fonte de informao sobre os impactos causados ao meio ambiente, que servir para subsidiar decises futuras sobre planejamento ambiental na instalao de novas indstrias, na modernizao do transporte pblico e nas aes de controle ambiental.</p><p>Carlos Alberto MunizSecretrio de Meio Ambiente</p><p>APRESENTAO</p></li><li><p>98</p><p>Este trabalho constitui-se no primeiro relatrio da rede automtica de monitoramento da qualidade do ar MonitorAr-Rio, operada pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente SMAC, composta por oito estaes fixas que monitoram os principais poluentes definidos pela legislao brasileira. Alm dos resultados das medies referentes aos anos de 2011 e 2012, inclui conceitos bsicos sobre a poluio atmosfrica e seu monitoramento, assim como aspectos fsico-territoriais, demogrficos, econmicos e da dinmica urbana na cidade do Rio de Janeiro que colaboram para o entendimento da qualidade do ar. Apresenta, tambm, o estudo da rea de entorno das estaes. A estrutura do relatrio foi definida de modo a contemplar a reunio de informaes consideradas essenciais para o atendimento das necessidades da gesto municipal.</p><p>Este trabalho constitui-se no primeiro relatrio da rede automtica de monitoramento da qualidade do ar MonitorAr-Rio, operada pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente SMAC, composta por oito estaes fixas que monitoram os principais poluentes definidos pela legislao brasileira. Alm dos resultados das medies referentes aos anos de 2011 e 2012, inclui conceitos bsicos sobre a poluio atmosfrica e seu monitoramento, assim como aspectos fsico-territoriais, demogrficos, econmicos e da dinmica urbana na cidade do Rio de Janeiro que colaboram para o entendimento da qualidade do ar. Apresenta, tambm, o estudo da rea de entorno das estaes. A estrutura do relatrio foi definida de modo a contemplar a reunio de informaes consideradas essenciais para o atendimento das necessidades da gesto municipal.</p></li><li><p>1110</p><p>A Secretaria Municipal de Meio Ambiente SMAC tem como principal misso promover a poltica ambiental da cidade do Rio de Janeiro por meio da implantao de aes referenciadas no conceito de desenvolvimento sustentvel. Em outras palavras, visa garantia do uso adequado dos recursos naturais e pleno funcionamento das funes urbanas.</p><p>Diante dessa perspectiva, um dos mais signifi-cativos avanos no que se refere ao conheci-mento da qualidade do ar na cidade foi dado por ocasio do convnio firmado entre a Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro e a PETROBRAS que contemplou a criao do Programa Moni-torAr-Rio em 2008. Os objetivos definidos para o programa foram monitorar a qualidade do ar na cidade, informar os resultados populao, conscientizar todos sobre a questo da poluio atmosfrica, subsidiar aes e incentivar polticas pblicas. </p><p>Dessa forma, o primeiro relatrio da rede Moni-torAr-Rio, como parte desse processo, tem como alvo central proporcionar a viso geral dos resultados das medies realizadas no perodo compreendido entre 2011 e 2012 e sua partici-pao na situao global da qualidade do ar na cidade do Rio de Janeiro, por meio da apresen-tao de tendncias iniciais do comportamento dos poluentes analisados.</p><p>O marco referencial adotado para o desenvolvi-mento do relatrio foi contemplar a reunio de algumas informaes consideradas essenciais ao entendimento da qualidade do ar na cidade do Rio de Janeiro e, em especial, alcanar todos aqueles que atuam no desenvolvimento de polti-cas que colaborem direta ou indiretamente para a reduo das emisses de poluio atmosfrica.</p><p>Para tanto, a estrutura do documento foi conce-bida no s para abordar os resultados quantita-tivos do monitoramento da qualidade do ar, mas tambm para introduzir informaes e conceitos referentes aos diversos fatores que exercem influncia no comportamento dos poluentes atmosfricos. </p><p>Assim, o captulo 1 reflete essa inteno, ao apre-sentar os conceitos bsicos acerca da poluio atmosfrica e destacar dois aspectos considera-dos essenciais para o entendimento da questo da qualidade do ar. O primeiro deles ocupa-se da definio de critrios para o monitoramento e dos fatores fsico-ambientais que podero influir nos nveis de concentrao de poluentes. Nessa abordagem, apresentado ainda o processo de formao dos principais poluentes monitorados e seus efeitos sobre a sade humana e o ambiente. O outro aspecto chave desse captulo constitui-se num breve enfoque das normas legais que instituem padres de concentrao existentes na legislao brasileira. Por ltimo, so comentadas as motivaes que levaram adoo do IQA ndice de qualidade do ar, para o processo de divulgao da qualidade do ar entre os diversos segmentos envolvidos. </p><p>A compreenso da qualidade ambiental no meio urbano como resultado da interao de aspectos ecolgicos, econmicos, sociais e culturais conduz necessidade de observao das caractersticas gerais da cidade do Rio de Janeiro e sua Regio Metropolitana. A resposta a essa demanda foi, de forma sinttica, objeto do captulo 2. Inicialmente, a dimenso e o grau de importncia dessas unidades territoriais so abordados pela dinmica populacional baseada nos dados do Censo Demogrfico de 2010 do </p><p>INTRODUO</p></li><li><p>1312</p><p>Instituto Brasileiro de Geografia e Estatstica (IBGE). Os dados utilizados expressam as tendncias de crescimento populacional, a participao percentual na populao brasileira e a estrutura etria da populao, que, em outros termos, demonstram que a populao da cidade e da Regio Metropolitana apresenta-se com ritmo lento de crescimento, tem expressiva participao percentual no total da populao nacional e, claramente, j alcanou a ampliao da esperana de vida. Em seguida, so apresentadas as principais caractersticas do territrio, assim como a distribuio e principais pontos de concentrao populacional sobre o mesmo. A dinmica econmica expressa pelo volume da participao da cidade e da Regio Metropolitana no PIB nacional e pela notvel concentrao de atividades no setor de servios da regio, que assegura, na segunda dcada do novo milnio, a posio de segundo maior polo de riqueza do pas. O ltimo item apresenta sinteticamente as caractersticas dos estoques de recursos naturais contidos na cidade e a importncia de aes para sua manuteno.</p><p>A abordagem das contribuies de emisses atmosfricas resultantes das atividades urbanas foi incorporada no terceiro bloco de informaes do relatrio. A aproximao da escala e do nvel de importncia do conjunto de fontes fixas existentes no Municpio do Rio de Janeiro e na Regio Metropolitana feita pela descrio do grande polo nacional de servios e negcios insta-lado e pela identificao dos rgos licenciadores dessas atividades. O perfil das fontes mveis posteriormente construdo por meio das carac-</p><p>tersticas do sistema virio e da diviso modal de transportes coletivos, aspectos que ressal-tam a opo pela matriz rodoviria dos trans-portes, estabelecida no decorrer do processo de evoluo urbana da cidade do Rio de Janeiro. Em decorrncia desse fato, julgou-se necessrio visu-alizar as variaes, ocorridas na ltima dcada, de alguns indicadores consagrados do setor de transportes: a dimenso da frota automobils-tica, a taxa de motorizao e os combustveis utilizados no mbito da cidade. Para a ampliao do entendimento das contribuies por fontes mveis na cidade foram tambm apresentados no captulo o movimento de navios e aeronaves e a estimativa de contribuies provenientes de veculos automotores que circulam nas principais vias estruturais da Regio Metropolitana do Rio de Janeiro,realizada pela ento Fundao Esta-dual de Engenharia do Meio Ambiente FEEMA, em 2004.</p><p>A concentrao dos poluentes no ar pode sofrer influncia tanto dos mecanismos de disperso como de sua produo e remoo. De modo geral, a prpria atmosfera dispersa o poluente, misturando-o eficientemente num grande volume de ar. Em paralelo aos processos fsicos, ocorrem diversas reaes qumicas, permitindo que os poluentes primrios emitidos reajam para formar poluentes secundrios. A meteoro-logia, em conjunto com os fenmenos qumicos, responde pela concentrao de um determinado poluente no ar (). A partir dessas consideraes, a caracterizao meteorolgica, no perodo de abrangncia do relatrio, foi exposta no cap-tulo 4 e desenvolvida por meio da comparao </p><p>(1) MARTINS et al., 2000.</p><p>dos dados dos sensores meteorolgicos insta-lados nas estaes com os valores das mdias para os parmetros meteorolgicos contidos nas normais climatolgicas do perodo compreendido entre 1961-1990. As anlises de temperatura, precipitao, ventos, radiao solar e umidade relativa demonstram as condies meteorolgicas em que foram realizadas as medies.</p><p>O captulo 5 voltado exclusivamente para a descrio da rede composta pelas oito estaes fixas automticas localizadas em diferentes bairros da cidade. Dessa forma, contm o histrico com as motivaes e possibilidades que nortearam sua implantao. Aborda os ganhos recentes proporcionados pelo convnio com a PETROBRAS, tais como as caractersticas de funcionamento da atual rede, as atividades de educao ambiental, a participao no Centro de Operaes do Rio (COR-Rio) e a ampliao da rede em direo Zona Oeste da cidade. Integra ainda o captulo 5 a descrio das reas de estudo do entorno, dos processos que interferem na qualidade do ar nos vrios pontos monitora-dos, contendo um conjunto de dados disponveis nos acervos tcnicos da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro relevo e cobertura vegetal, uso do solo, microinventrio de fontes de emisses, caracterizao meteorolgica, reas protegi-das, bens tombados e unidades de conservao existentes na rea, aspectos demogrficos e a classificao das vias estruturais que cortam a rea de estudo do entorno.</p><p>Os resultados das medies realizadas pela rede MonitorAr-Rio so contemplados no captulo 6. </p><p>A apresentao dos dados foi organizada com o fim de proporcionar a visualizao geral da qualidade do ar em cada uma das estaes e por isso agrupa o comportamento de todos os poluentes medidos para cada uma delas. Dessa forma, os grficos com o comportamento dirio, sazonal e anual das medies de monxido de carbono (CO), dixido de enxofre (SO2), oznio (O3), xidos de nitrognio (NOx) e material particulado (MP10) so apresentados de acordo com os nveis de agregao definidos pela Reso-luo CONAMA e com as anlises de tendncias de comportamento dos parmetros no perodo 2011-2012. Destaca-se, ainda, nesse captulo relatos de eventos ocorridos no perodo e sua influncia direta na alterao do comportamento dos poluentes como o desabamento do Edifcio Liberdade, no Centro, perodos de chuva e pero-dos de forte insolao.</p><p>A observao do comportamento dessas medi-es permitiu enunciar as consideraes gerais sobre a cidade, que encerram o relatrio.</p><p>Pretendeu-se por meio dessa estrutura criar um material compreensvel para os d...</p></li></ul>

Recommended

View more >