20ª EDIÇÃO (Fevereiro 2012)

  • Published on
    31-Mar-2016

  • View
    216

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

A gua tambm colocada dentro do clice conten- do o vinho, apenas uma gota, no momento do ofertrio (antes da Consagrao), para simbolizar a unio da nossa humanidade com a Divindade de Jesus. No final da Missa igualmente usada para purificar o clice e a mbula (clice com tampa onde estavam as Hstias), quando o sa- cerdote bebe este pouco de gua contendo partculas do Po Eucarstico, a fim de que nenhuma se perca. Padre Edinho 2012FEVEREIRO 900 CPIAS VOL. 20

Transcript

  • VOL. 20 2012 FEVEREIRO 900 CPIAS

    (17) 3552-3853 WWW.MARTIRLOURENCO.COM.BR

    Folia entando caminhar no

    caminho de Deus, ca-

    minho esse que es-

    treito, s vezes pedregoso, ngreme,

    mas ao mesmo tempo seguro e eficaz.

    Nesta caminhada da vida ouvimos, ve-

    mos, sentimos e vivemos situaes

    agradveis, mas tambm complicadas.

    Neste percurso que fazemos, percebe-

    mos pessoas que no querem nada

    com nada, pessoas descompromissa-

    das, volveis, superficiais, que no tm

    responsabilidade com nada, nem nin-

    gum.

    Pessoas que parecem fortes, robustas,

    donas da verdade, sabe tudo, mas na

    verdade so fracas, medrosas e sem

    personalidade.

    Vem a minha mente o Carnaval que se

    aproxima, a maior festa popular do

    mundo em que vrias pessoas espe-

    ram o ano todo para viver de folia,

    no tendo compromisso com nada,

    nem com ningum, fazendo o que que-

    rem, fazendo do outro um objeto de

    prazer.

    Falar de renncia, penitncia, sofri-

    mento, calvrio, cruz, mudana e com-

    promisso para uma pessoa que s en-

    xerga e vive festa, baguna, oba-oba,

    bebidas, orgias e outras coisas do g-

    nero chover no molhado, dar mur-

    ros em ponta de faca.

    Ns, acredito eu, que temos um pouco

    mais de conscincia na f, sabemos

    que o melhor Deus, Ele o sentido

    maior para a nossa vida, mas para u-

    ma pessoa sem base, princpios, valo-

    res humanos e cristos, Deus no sim-

    boliza nada.

    Quantas pessoas vivem da folia, infe-

    lizmente, no s no carnaval, mas o

    ano todo, talvez a vida toda. Folia que

    : pular, brincar, danar, ir pra l e pra

    c sem um objetivo, e quantas agem

    dessa forma, pulando de galho em ga-

    lho, brincam com tudo e com todos,

    danam conforme a msica toca, seja

    ela qual for, andam em caminhos sem

    rumo, sem meta e se perdem por vias

    e vielas sem sada.

    Seja um cristo comprometido com a

    vida, com a f, com as pessoas, no

    viva de folia, podemos at danar, nos

    divertir, mas que isso no seja essn-

    cia e sim apenas momento.

    Padre Edinho

    T

    Galetas: O que isso?

    Galhetas so duas jarrinhas de vidro que ficam so-

    bre o altar. Numa vai a gua e na outra o vinho ainda no

    consagrado.

    A gua usada na celebrao deve ser pura e na-

    tural. Serve para purificar as mos do Sacerdote aps o

    ofertrio, e dos Ministros antes e depois a distribuio da

    Eucaristia. No momento da purificao o sacerdote pro-

    fere em voz baixa estas palavras: Lavai-me Senhor das

    minhas culpas e purificai-me dos meus pecados

    A gua tambm colocada dentro do clice conten-

    do o vinho, apenas uma gota, no momento do ofertrio

    (antes da Consagrao), para simbolizar a unio da nossa

    humanidade com a Divindade de Jesus. No final da Missa

    igualmente usada para purificar o clice e a mbula

    (clice com tampa onde estavam as Hstias), quando o sa-

    cerdote bebe este pouco de gua contendo partculas do

    Po Eucarstico, a fim de que nenhuma se perca.

  • O Mrtir 2 Parquia So Loureno Fevereiro de 2012

    Conhea mais... Devido a tantas

    igrejas que surgem

    todos os dias, em meio

    a tantas denominaes religiosas, ter-

    mos e nomes, s vezes, nos confundi-

    mos e faz-se importante saber para

    no se perder.

    O cristianismo, com cerca de 1,8 mi-

    lhes de adeptos, classificado em

    linhas gerais dessa forma:

    Catlico Apostlico Romano(oficial,

    criada por Jesus Cristo). As prximas

    s usam o mesmo termo, mas no so

    a mesma coisa: Igreja Catlica Brasi-

    leira, Catlica Carismtica (que no

    a RCC), Catlica Apostlica Crist, Ca-

    tlica das Santas Misses e Comuni-

    dade Catlica de East Boston.

    Portanto, se voc ouvir falar de Igreja

    Catlica ou do padre da Igreja Catli-

    ca, procure se informar, essas outras

    no tm ligao com o Papa/Roma:

    Catlicos Ortodoxos: No tm o Pa-

    pa como lder, mas tm comunho

    com os romanos nos ritos, celebraes

    e documentos.

    Catlicos de Ritos Orientais: tm li-

    gao com Roma, mas, ao contrrio

    do nosso rito latino, esses tm outros

    ritos na celebrao litrgica, como os

    ritos Meoquita e Maronita dentre ou-

    tros.

    Protestantismo histrico ou tradi-

    cional: surge com Lutero que protesta

    contra a Igreja Catlica. Da a termino-

    logia. Aqui se concentram os lutera-

    nos, anglicanos, metodistas, calvinis-

    tas e presbiterianos tradicionais, entre

    outros.

    Pentecostais: (e no crentes ou Evan-

    glicos, pois todos ns cremos em

    Deus, somos crentes, seguimos evan-

    gelho, somos evanglicos.) Entre estes

    esto: Assembleia de Deus, Batistas,

    Congregao Crist, Presbiteriana Re-

    novada, Brasil para Cristo entre outros.

    Neopentecostais ou os mais recen-

    tes: Quadrangular, Universal do Reino

    de Deus, Bola de Neve, Igreja Interna-

    cional da Graa, Igreja Mundial do Po-

    der de Deus entre outras.

    So considerados movimentos, asso-

    ciaes, filosofias de vida, mas no

    Cristos, pois no seguem o Cristo,

    apenas fala-se dEle. Exemplo: Teste-

    munhas de Jeov, Mrmons, Adventis-

    tas, Espritas, Maons etc.

    O bom cristo deve estar sempre bem

    informado e formado para no se dei-

    xar guiar por qualquer pessoa ou divin-

    dade.

    Nem tudo que reluz ouro, por isso

    seja firme naquilo que voc acredita e

    no troque por nada.

    D

    A Quarta-feira de Cinzas na Igre-

    ja um momento especial porque nos

    introduz precisamente no mistrio qua-

    resmal.

    Uma das frases, no momento da

    imposio das cinzas, serve de lembre-

    te para ns: 'Lembra-te que do p vies-

    tes e ao p, hs de retornar. ' A cinza

    quer demonstrar justamente isso; vie-

    mos do p, viemos da cinza e voltare-

    mos para l, mas, precisamos estar

    com os nossos coraes preparados,

    com a nossa alma preparada para

    Deus.

    A Quarta-feira de Cinzas leva-

    nos a visualizar a Quaresma, exata-

    mente para que busquemos a conver-

    so, busquemos o Senhor. A liturgia do

    tempo quaresmal mostra-nos a doao,

    a orao e o jejum como os princpios

    da Quaresma.

    A prpria Quarta-feira de Cinzas

    nos coloca dentro do mistrio. um

    tempo de muita converso, de muita

    orao, de arrependimento, um tempo

    de voltarmos para Deus.

    H um texto do livro das Crni-

    cas que diz: Se meu povo, sobre o

    qual foi invocado o meu nome, se hu-

    milhar, se procurar minha face para

    orar, se renunciar ao seu mau procedi-

    mento, escutarei do alto dos cus e sa-

    narei sua terra (II Cr 7, 14).

    A Quaresma tempo converso,

    ou seja, mudana de rumo, de atitu-

    des,de vida.

    Pergunto para Deus: Senhor,

    que queres que eu faa? , mesma per-

    gunta de So Francisco diante do cruci-

    fixo. Mas, geralmente, a penitncia

    ofertar algo de que goste muito para

    Deus neste tempo quaresmal. Voc,

    que fuma, por exemplo, deixe de faz-

    lo na Quaresma. Tenha certeza de que

    aps esse tempo quaresmal Deus o

    libertar do vcio do cigarro. Voc, que

    bebe, no beba, permitindo que o pr-

    prio Deus o leve converso pela peni-

    tncia que voc est fazendo. Talvez

    voc precise fazer penitncia da lngua,

    da fofoca. Escolha uma coisa concreta

    e no algo que, de to abstrato, no vai

    lev-lo a nada. Faa penitncia de no-

    vela, voc que as assiste. Tem de ser

    algo que o leve converso.

    O Esprito Santo o levar peni-

    tncia que voc precisa fazer nesta

    Quaresma.

    Padre Roger Luis Comunidade Cano Nova

    Lembra-te que do p viestes e ao p, hs de retornar

    Missa de Cinzas

    Quarta-feira, 22/02

    s 8h e s 20h

  • O Mrtir 3 Parquia So Loureno Fevereiro de 2012

    1. No incio da Celebrao, logo de-

    pois que se faz a persignao, quando

    somente o presidente diz:

    "Em nome do Pai e do Filho e do Esp-

    rito Santo" - Todos respondem: Amm.

    2. Como resposta a Orao, dita

    unicamente pelo presidente e que con-

    clui o Ato Penitencial:

    "Deus todo-poderoso tenha compaixo

    de ns, perdoe os nossos pecados e

    nos conduza a vida eterna" - Todos

    respondem: Amm.

    3. Na concluso da Orao da Cole-

    ta (Orao do Dia), que dita unica-

    mente pelo presidente em suas trs

    possveis formas para a doxologia fi-

    nal:

    "Oremos... Por nosso Senhor Jesus

    Cristo, vosso Filho, que Deus Con-

    vosco, na Unidade do Esprito Santo

    ou Por nosso Senhor Jesus Cristo,

    vosso filho, na unidade do Esprito

    Santo e se dirigida a Jesus: Ele que

    Convosco vive e reina na unidade do

    Esprito Santo. - Todos respondem:

    Amm.

    4. Depois da concluso feita pelo

    presidente Orao dos Fiis:

    "Por Cristo, nosso Senhor" - Todos

    respondem: Amm.

    5. No momento em que o presidente

    conclui a Orao sobre as Oferendas:

    "Por Cristo, nosso Senhor" - Todos

    respondem: Amm.

    6. No final da Orao Eucarstica

    (cnon), que dita pelo presidente e/

    ou os presbteros concelebrastes, mas

    no pelos fiis depois da doxologia

    conclusiva:

    "Por Cristo, com Cristo, em Cristo... -

    Todos respondem: Amm.

    7. Na concluso das Oraes depois