4ª Edição RaceF1

  • View
    213

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Revista eletronica especializada em frmula 1

Transcript

  • HipteseComo estaria a situao de Massa se ele tivesse sido campeo em 2008

    AcidenteSaiba tudo sobre o grave acidente de Maria de Villota

    TODOS CONTRA

    UM

    RaceF1Emerson Fittipaldi fala sobre a situao do Brasil na Frmula 1

    N 04 | ANO 1 | SETEMBRO 2012

  • 15PERFIL

    26184 RaceF1

    SUMRIO

    ENTREVISTA 30 VITRIAS

  • 4044

    34

    5SETEMBRO 2012 |

    TODOS CONTRA UM

    JACAREPAGU

    40 ANOS

    ACIDENTE

    22

  • impressionante ver como Alonso est conseguindo extrair tudo e ainda mais um pouco de uma Ferrari que, no comeo do ano estava cotada para figurar apenas entre a terceira ou quarta equipe do grid. O espanhol , sem dvida, o piloto mais completo da temporada atual.

    E no apenas o fato dele estar liderando o campeonato conside-rado o mais equilibrado dos ltimos anos da Frmula 1 que o colo-caram numa posio acima dos outros. Ele fez por onde. Num grupo com outros cinco campees mundias, ele se destaca em toda corrida.

    J so 23 corridas consecutivas que o piloto ferrarista termina den-tro da zona de pontuao desde o GP da Europa de 2011 (caso ele pontue na prxima etapa, iguala o recorde de Michael Schumacher).

    E ainda tem mais. Com o primeiro lugar no GP da Alemanha, Alonso passou as lendas do automobilismo Jackie Stewart, Niki Lauda e Nelson Piquet em nmero de vitrias. Na frente dele somente Nigel Mansell (31), Ayrton Senna (41), Alain Prost (51) e Schumacher (91).

    Mas, mesmo com esses nmeros to expressivos, Fernando no est com folga na tabela de classificao. Somente 40 pontos o separam do segundo colocado, Mark Webber, que tem 124. Alm deles, so-mente Sebastian Vettel (122 pontos), Lewis Hamilton (117) e Kimi Raikkonen (116) ainda tem chances de brigar pelo ttulo do Mundial de Pilotos 2012.

    Foram esses nmeros que fizeram Emerson Fittipaldi, ao fim da nossa entrevista exclusiva, eleger Alonso como o mais completo da atual F1. O dolo brasileiro abriu sua histria para a RaceF1 e contou da sua alegria em comemorar 40 anos do primeiro ttulo na principal categoria do automobilismo mundial. Emmo tambm comentou a situao do Brasil na F1, que desde a morte de Senna, no encontrou um novo dolo e falou das jovens promessas, grandes talentos que o pas tem no esporte motor.

    A 4 edio ainda traz um balano do desempenho de Luiz Razia e Felipe Nasr na GP2, uma declarao de Massa dizendo que, daqui para o final, vai fazer de tudo para ajudar o companheiro a conquis-tar o ttulo e uma crnica imaginando como seria a situao do brasi-leiro hoje, caso tivesse sido campeo em 2008. Nesta edio tambm tem toda a histria sobre o grave acidente da piloto Maria de Villota.

    Mrio Victor TavaresEditor

    www.racef1.com.br

    Diretor ExecutivoAlecsandro Gonalves

    Jaderson Santos

    Editor ChefeMrio Victor Tavares

    Direo de Arte e diagramaoFabiano Oliveira

    RevisoEquipe F1team

    RedatoresGeraldo Llis

    Gilberto CaetanoJos Vicktor Tigre

    Paulo FeijRamon Andrade

    Felipe Bueno

    ColaboradoresJulianne Cerasoli

    Jos IncioRafael Ligeiro

    Publicidadecomercial@f1team.com.br

    RedaoRua Bernardino Soares, 70, Sala 303,

    Espinheiro, Recife, Pernambuco,Brasil, CEP 52020-080,

    (81) 3033-2470redacao@f1team.com.br

    6 RaceF1

    CARTA DO EDITOR

  • 8 RaceF1

    F1 IN FOCO

  • Divu

    lga

    o /

    McL

    aren

    9SETEMBRO 2012 |

  • 10 RaceF1

    F1 IN FOCO

  • Divu

    lga

    o /

    Mer

    cede

    s

    11SETEMBRO 2012 |

  • 12 RaceF1

    F1 IN FOCO

  • Divu

    lga

    o /

    Cate

    rham

    13SETEMBRO 2012 |

  • Tarde de domingo em um circuito mundo afora. Com um tempo mais de dois segundos superior ao obtido na melhor volta do pole position, um Piloto larga

    apenas na 14 colocao. Do box da equipe, o diretor-esportivo murmura: No sei como que eu pude confiar um carro para esse moleque. Vai ser outra corrida daquelas que d vontade de empacotar tudo, colocar no caminho e deixa-lo sozinho na pista.

    Luz verde. O moleque, apenas em sua quarta corrida pelo time, solta a embreagem com preciso e as rodas do carro giram sem deslizes. Nem mesmo sinal daquela fumaa que sai prxima aos compostos durante a partida de alguns veculos de competies automobi-lsticas. Ainda na reta principal ultrapassa dois adversrios, com sobriedade, e escapa da con-fuso causada pelo segundo e terceiro no grid, que se engalfinharam pelo caminho. dcimo colocado. Que coisa! O que ele no mostrou nos treinos, tem em sorte!, exalta o diretor.

    Stima volta. O Piloto parte para o ataque sobre um advers-rio osso duro de roer quando o assunto segurar sua posio. Cara difcil, desses que no tem vergonha em fechar a porta e at, se necessrio, jogar o carro contra o de um adversrio. Uma, duas, trs tentativas de ultrapas-sagem e nada. Sem muita pacin-cia, o Piloto enfia o bico do carro por fora do traado ideal num ponto em que no se costuma ver muitas trocas de posies. Espeta uma marcha acima e solta a bota no acelerador. Sem d.

    Por fora, no!, pensa o desesperado cartola, quase puxando os poucos cabelos que restavam-lhe. Por fora, no! Quem esse cretino pensa que :

    Ayrton Senna?!.Pois . O aspirante a Senna ultrapassa o rival

    numa manobra parecida com a que executaria, umas dez voltas depois, sobre outro concorren-te. Pula ao oitavo lugar e logo pede ao pessoal dos boxes: O acerto do carro est bom, mas sinto que d para conseguir mais velocidade, declara. Portanto, vocs podem tirar um pouco de asa traseira na prxima parada.

    Adverso ideia, o chefo espera que o comandado mantenha o ajuste aerodinmico. Para isso, usa uma velha e conhecida ttica. O que voc disse?, berrou com dois dedos prximos a boca em posio de ajuste ao pe-queno microfone acoplado aos fones de ouvido, que, quela altura da corrida, j estavam tortos na cabea do dirigente. O rdio est pssimo e entendi que o carro est bom, portanto, no vamos muda-lo.

    Pelo contrrio, corrige o Piloto. Pode tirar um pouco de asa. por minha conta e risco.

    Sempre confiei em vocConfia em mim, chefe!.

    O silncio se fez por alguns segundos. Se der errado, pelo menos, ganho um pretexto a mais para colocar aquele endinheirado no lugar dele, raciocinou o diretor. Est bom!, gritou via-rdio. Pedido aceito.

    A mudana foi efetuada na parada de box, que ocorreu sem problemas. O Piloto voltou pista e o carro, para surpresa de qualquer um, estava um foguete! Stimo, sexto, quinto, quarto, terceiro Enfim, o piloto recebe a quadriculada em segundo lugar. Trata-se de um excelente resultado para o time, que no subia ao pdio havia mais de 30 provas.

    Muito obrigado pelo carro, chefe! O trabalho de todos foi sensacional! Nem tenho mais o que dizer!, exalta o Piloto, ainda no cockpit, quase aos prantos.

    Ok, menino!, exclama o diretor-esportivo. Tenha certeza de uma coisa: sempre confiei em voc!.

    Divu

    lga

    o/R

    ed B

    ull G

    EPA

    Pict

    ures

    14 RaceF1

    Rafael ligeiRo

  • Getty

    Imag

    es/M

    ark

    Thom

    pson

    A CARREIRA METERICA DE SEBASTIAN VETTELCom apenas 24 anos, Vettel j bicampeo da Frmula 1, um reflexo da carreira vitoriosa desde as categorias de base do automobilismopor Paulo Feij

    O alemo Sebastian Vettel vem tirando o sono dos pilotos da Frmula 1. Reconhecido como o piloto mais jovem a conquistar um ttulo mundial

    e o mais jovem a se tornar bicampeo, Vettel vem roubando a cena na principal categoria do automobilismo mundial. Com milhares de fs pelo mundo, o bicampeo vem sendo conside-rado um dos melhores pilotos da F1, chegando a ser comparado at com o seu compatriota heptacampeo mundial, Michael Schumacher. No entanto, poucas pessoas conhecem a carrei-ra meterica do jovem piloto da Red Bull Racing. Reviramos o ba do automobilismo para saber como surgiu esse fenmeno.

    O inciO da carreiraA carreira do alemo no automobilismo

    comeou em 1995. Com apenas 8 anos de idade, Seb competiu pela primeira vez em um Kart. Mal sabia que aquilo era apenas o incio de uma grande carreira. Trs ano depois, em 1998, Vettel j conquistava o seu primeiro ttulo, sendo campeo do Kartclub Kerpen--Manhein.

    O talento de Sebastian comeou a ser obser-vado pelo mundo nos anos 2000. Em 2001 o alemo conquistou o seu primeiro campeonato importante. Naquele ano, Vettel levantava a taa de campeo do ICA Junior de Kart, uma espcie

    de campeonato alemo de Kart Junior. Dois anos depois, Seb j estava na Frmula BMW, ficando com o vice-campeonato logo em sua temporada de estria, o que lhe rendeu o prmio de melhor roockie.

    Em 2004, em seu segundo ano na Frmula BMW, o jovem piloto j conquistava o ttulo daquela temporada. Por sinal, ele quebrou um recorde da categoria, aps vencer 18 corridas das 20 disputadas. Um ano depois, Vettel j conseguiu um espao na principal categoria do automobilismo mundial. Da por diante, a sua carreira comeou a decolar.

    SETEMBRO 2012 |15

    PERFIL

  • Gepa

    pic

    ture

    s/M

    ark

    Thom

    pson

    Gepa

    pic

    ture

    s/M

    athi

    as K

    niep

    eiss

    Vettel na Frmula 12005

    Depois de passar, com sucesso, pelas categorias de base do automobilismo mundial, Sebastian Vettel teve a sua primeira chance de pilotar um carro de Frmula 1. Frank Williams foi o primeiro a abrir as portas para o alemo prod-gio, em 2005. O britnico trouxe-o para a equipe de Grove para que Seb pudesse conhecer mais sobre um F1. Por conta do seu grande sucesso na F3, Vettel sentou no carro da Williams para realizar um teste. Os seus resultados j comea-vam a surpreender, provando que era a grande promessa do automobilismo.

    2006No ano seguinte, Sebastian ganhou uma

    oportunidade de