54 newsletter fevereiro 2014

  • Published on
    14-Apr-2017

  • View
    157

  • Download
    2

Embed Size (px)

Transcript

<ul><li><p>Eventos de negcios com o Canad em fevereiro</p><p>O ano comeou com agenda cheia para Terra </p><p>Roxa e com novos e importantes contatos </p><p>estabelecidos. Dando sequncia s atividades de </p><p>fomento de negcios e parcerias com o Canad, a </p><p>Terra Roxa alinhavou mais um elo nesta corrente, </p><p>trazendo a Cmara de Comrcio Brasil-Canad no </p><p>contexto dos trabalhos iniciados ano passado.</p><p>Com o apoio da Cmara e tambm do Consulado </p><p>Canadense no Brasil, e a parceria com o Sebrae, o </p><p>Norte do Paran ir receber, nos prximos dias 25 </p><p>e 26 de fevereiro, uma comitiva de representantes </p><p>com interesses setoriais especficos, incluindo </p><p>infraestrutura, logstica, educao, agronegcio, entre outros. </p><p>Sero realizadas reunies nas tardes de 25 e 26, nas sedes da ACIL e ACIM, e tambm o I Encontro de </p><p>Negcios Internacionais Doing Business in Canad, a partir das 19 horas, nos dois dias, em Londrina e </p><p>Maring, respectivamente.</p><p>A Cmara de Comrcio um novo elo que conseguimos trazer para esse circuito j bem alinhado entre </p><p>Brasil e Canad. Desta forma, a sinergia aumenta e as aes ficam mais concretas e direcionadas, comenta </p><p>o diretor-executivo da Terra Roxa, Alexandre Farina. Segundo ele, a parceria com a Cmara possibilita </p><p>inserir o Norte do Paran no roteiro das comitivas do Canad para o Brasil em 2014 e nos prximos anos. </p><p>Estamos em negociao para receber uma comitiva do agronegcio em maio, adianta.</p><p>Ano passado, o Norte do Paran recebeu, atravs de iniciativa do Sebrae, a visita do Consul Stphane </p><p>Larue, que conheceu o potencial econmico da regio, e em seguida foram recepcionados empresrios </p><p>da regio de Manitoba, que vieram em busca de parcerias nas reas de agricultura de preciso, mquinas </p><p>e implementos agrcolas, armazenagem e manuseio de gros, educao, medicina e transportes. Em </p><p>setembro, uma comitiva do Norte do Paran esteve naquela regio, fortalecendo os contatos.</p><p>Empresrios paquistaneses chegam regio em maro</p><p>Est confirmada a visita de uma comitiva de 25 empresrios paquistaneses ao Brasil. A comitiva incluiu </p><p>o Norte do Paran no roteiro, aps aproximao feita pela Terra Roxa junto ao Ministrio das Relaes </p><p>Exteriores, em Braslia. </p><p>Fevereiro de 2014</p><p>1</p></li><li><p>2</p><p>Na passagem da comitiva pela regio entre os </p><p>dias 27 e 28 de maro - sero realizadas rodadas de </p><p>negcios com empresrios locais. Os paquistaneses </p><p>buscam parceiros para importao e exportao em </p><p>setores variados, passando pelo txtil, agronegcio, </p><p>indstria de alimentos e metalomecnico.</p><p>Um fato interessante para ns, nesta atividade, a </p><p>nossa aproximao com o Ministrio das Relaes </p><p>Exteriores, que conhecendo melhor nosso trabalho, </p><p>abre maiores possibilidades de direcionarem </p><p>delegaes internacionais para nossa regio, sendo </p><p>assim uma alternativa ao circuito So Paulo-Rio de </p><p>Janeiro, comenta Alexandre Farina. </p><p>Os empresrios so da regio de Faisalabad, </p><p>que conta com uma populao estimada de 3,5 </p><p>milhes de habitantes, sendo a terceira maior </p><p>cidade daquele pas. considerada o maior centro </p><p>industrial, tambm conhecida como a Manchester </p><p>do Paquisto. Segundo estudo de 2009 da PriceWaterCoopers, a taxa mdia de crescimento prevista para </p><p>a cidade at 2025 de 5,7%/a.a.</p><p>O grupo tem o objetivo de prospectar mercados para exportao de produtos paquistaneses (txteis, </p><p>mrmore e granito, artigos plsticos e artesanato), e tem interesse de importar produtos brasileiros </p><p>(algodo, maquinrio, caldeiras, leo de soja, equipamentos para gerao de proteo de energia, carne </p><p>halal - autorizadas de acordo com a lei islmica -, papel e celulose, ferro e ao, cosmticos, acar e </p><p>confeitos).</p><p>Ferrovia Norte-Sul ser alvo de mais um encontro</p><p>A data ainda no est definida, mas em breve a Terra </p><p>Roxa pretende realizar reunio com lideranas polticas </p><p>da regio, incluindo autoridades das esferas estadual, </p><p>municipal e federal, para concluir a estratgia de </p><p>articulao em prol do trajeto da ferrovia Norte-Sul.</p><p>Em dezembro passado, foram realizadas reunies em </p><p>Londrina e Maring, com presena de representantes </p><p>da sociedade civil organizada, lideranas polticas, </p><p>empresariais e do agronegcio de toda a regio para </p><p>discutir o assunto.</p></li><li><p>3</p><p>Estas aes foram motivadas pelo anncio oficial do traado da ferrovia, excluindo o Norte do Paran. De </p><p>acordo com o novo traado, de Panorama (SP) a rodovia dever seguir at Maracaj, no Mato Grosso do </p><p>Sul, e depois volta ao Paran por Guara, Cascavel e Guarapuava. O anncio foi feito aps articulao de </p><p>representantes do Oeste do Paran e Mato Grosso do Sul.</p><p>A nova ferrovia, conforme projeta o Governo Federal, servir para estimular as transaes comerciais no </p><p>mercado interno. A Norte-Sul ter bitola de 1,60m e os comboios podero trafegar com velocidade de at </p><p>70 km/h. No atual modelo, operado por concesso pela Amrica Latina Logstica (ALL) no Paran, a bitola </p><p> de um metro e a velocidade de apenas 20 km/h.</p><p>Terra Roxa recepciona comitiva coreana</p><p>No final de dezembro, a Terra Roxa foi contatada para atender a demanda de uma comitiva de empresrios </p><p>coreanos, que visitou Londrina, Maring, Apucarana e Rolndia. Na pauta, constaram os setores de painis </p><p>fotovoltaicos, tratamento de resduos, entre outros setores de tecnologia.</p><p>MisoSer um agente independente para atrair novos investimentos e promover negcios, integrando e desenvolvendo os setores econmicos da regio Norte do Paran.</p><p>www.terraroxa.org.br</p></li></ul>