A aprendizagem informal suportada pelas redes sociais: um ... ?· blogs, fóruns, redes socias, entre…

  • Published on
    10-Nov-2018

  • View
    212

  • Download
    0

Embed Size (px)

Transcript

<ul><li><p>A aprendizagem informal suportada pelas redes </p><p>sociais: um contributo para a formao do aluno? </p><p>Bruno Gonalves1 </p><p>1Instituto da Educao </p><p>Universidade do Minho </p><p>Campus de Gualtar 4710-057 Braga </p><p>Telemvel: (+351) 916528899 </p><p>E-mail: bmfgoncalves@hotmail.com </p><p>Vitor Gonalves2 </p><p>2Escola Superior de Educao </p><p>Instituto Politcnico de Bragana </p><p>Campus de Santa Apolnia 5300-253 Bragana </p><p>Telemvel: (+351) 273330649 </p><p>E-mail: vg@ipb.pt </p><p>Resumo. Genericamente os ambientes de aprendizagem em contexto educativo </p><p>tm sido um tema controverso nas diversas comunidades educativas. Por um </p><p>lado, verifica-se a desvalorizao da novidade destes ambientes, e por outro, </p><p>reala-se a importncia que os mesmos tm, no dia-a-dia, dos alunos e </p><p>professores e, em suma, das Instituies Educativas. No presente artigo </p><p>abordar-se-, particularmente, a aprendizagem informal, muitas vezes fruto dos </p><p>diversos processos de socializao e sem ter, necessariamente, uma </p><p>intencionalidade explcita, tal como acontece por vezes nas redes sociais. </p><p>Partindo deste pressuposto, pretende-se avaliar de que modo os ambientes de </p><p>aprendizagem informais suportados pelas redes sociais, podem contribuir para o </p><p>desenvolvimento do aluno e aferir tambm a viabilidade do uso das redes </p><p>sociais como suporte aprendizagem informal. </p><p>Palavras-chave: Ambientes de aprendizagem, aprendizagem informal, redes </p><p>sociais. </p><p>1 Introduo </p><p>Na sociedade atual, as diversas Tecnologias de Informao e Comunicao (TIC) </p><p>assumem um papel preponderante, quer ao nvel pessoal e profissional, quer ao nvel </p><p>educativo, pelo que no devemos menosprezar as suas potencialidades para o </p><p>desenvolvimento da formao, dos conhecimentos e das competncias de cada </p><p>Formacin virtual inclusiva y de calidad para el siglo XXI</p><p>- 437 -</p></li><li><p>individuo. Assistimos ao aparecimento de uma panplia de espaos que tm vindo a </p><p>ser aproveitados para aprendizagem (ou que parecem disponibilizar a oportunidade de </p><p>aprendizagem). </p><p>Nas ltimas duas dcadas tem-se assistido a uma transformao (embora lenta, mas </p><p>gradual) do papel do professor, verificando-se, que o professor deixa de ser o </p><p>transmissor de conhecimentos dando oportunidade aos alunos de serem os sujeitos da </p><p>sua prpria aprendizagem [1]. Neste contexto, no s os ambientes de aprendizagem </p><p>baseados em tecnologias tm vindo a adaptar-se a esta mudana, como tambm outros </p><p>ambientes digitais tm vindo a assumir particular importncia no suporte a processos </p><p>menos formais de aprendizagem, independentemente da sua natureza e finalidade. </p><p>Esta mudana parece evidenciar que os processos de aprendizagem tm extravasado </p><p>as fronteiras das instituies educativas, pelo que urge perceber a influncia de tais </p><p>ambientes capazes de contribuir para a aprendizagem. Referimo-nos concretamente s </p><p>redes sociais enquanto tecnologia capaz de fornecer o suporte de comunicao e </p><p>socializao entre pares, ou at mesmo, os meios para promover e suportar a </p><p>aprendizagem em determinados pblicos mais adultos. </p><p>O presente estudo de caso foi desenvolvido com suporte reviso da literatura </p><p>enquadrada no mbito da anlise documental, uma vez que se pretende analisar </p><p>mudanas sociais e histricas, bem como eventuais mudanas a nvel escolar. A </p><p>reviso de literatura teve como finalidades principais: tomar conhecimento sobre os </p><p>trabalhos existentes e disponveis na rea; conhecer os contedos, as questes cruciais </p><p>e as lacunas existentes; e promover uma viso sobre as bases e os rumos das </p><p>investigaes [2]. </p><p>Pragmaticamente, o presente estudo pretendeu encontrar resposta seguinte </p><p>questo: Os ambientes de aprendizagem informal suportados pelas redes sociais </p><p>podem contribuir para o desenvolvimento do aluno? </p><p>2 Ambientes de aprendizagem formais, no formais e informais </p><p>O conceito de ambiente de aprendizagem tem vindo a atualizar-se. No obstante, </p><p>em sentido lato, podemos assumir que um ambiente de aprendizagem um lugar </p><p>previamente organizado para promover oportunidades de aprendizagem e que se </p><p>constitui de forma nica na medida em que socialmente construdo por alunos e </p><p>professores a partir das interaes que estabelecem entre si e com as demais fontes </p><p>materiais e simblicas do ambiente [3]. </p><p>A expanso da web para uma segunda gerao de comunidades e servios (wikis, </p><p>blogs, fruns, redes socias, entre outras pginas web dinmicas que constituem a web </p><p>2.0) tem conduzido proliferao de diversos ambientes de aprendizagem, suportando </p><p>ambientes formais, no-formais e informais (embora alguns autores considerem as </p><p>duas ltimas muito prximas na sua aceo). </p><p>Um ambiente de educao formal corresponde educao convencional, ou seja, </p><p>aquela que estruturada, organizada e planeada intencionalmente para um </p><p>determinado pblico-alvo com vista a adquirir um conjunto de competncias. </p><p>Formacin virtual inclusiva y de calidad para el siglo XXI</p><p>- 438 -</p></li><li><p>Normalmente ocorre no mbito de escolas ou outras instituies formais, sendo o </p><p>processo planeado e orientado pelo professor. </p><p>Um ambiente de educao no-formal corresponde a um conjunto de atividades </p><p>que possuem carcter de intencionalidade, mas pouco estruturadas e sistematizadas, </p><p>onde ocorrem relaes pedaggicas, mas que no esto formalizadas. Normalmente </p><p>ocorre noutras instituies ou ambientes no regulamentados, podendo o processo ser </p><p>estimulado por um professor ou acontecer fruto da interao do grupo. </p><p>Um ambiente de educao informal corresponde a outras modalidades no </p><p>enquadrveis na educao formal e no formal, que podero enquadrar-se em </p><p>contextos de vida social, poltica, econmica e social (incluindo as relaes familiares </p><p>e outras), que produzem efeitos educativos sem evidenciarem exemplos claramente </p><p>intencionais e institucionalizados. Normalmente ocorre em ambientes no oficiais e </p><p>casuais ou ambientes no regulamentados, sendo o processo despertado pela interao </p><p>dos participantes (excluem-se obviamente os casos de utilizao, devidamente </p><p>planeada e supervisionada, dessas tecnologias em contexto de sala de aula). </p><p>3 Aprendizagem informal </p><p>No futuro, devido ao ritmo e dinmica dos processos sociais, a formao dos </p><p>indivduos tem de se assumir como processos de construo, cuja prossecuo </p><p>ultrapassa, necessariamente, os limites dos sistemas formais de ensino [4]. </p><p>Por conseguinte, poder afirmar-se que a formao de indivduos pode ocorrer </p><p>cada vez mais com suporte a ambientes de carter informal [5]. A aprendizagem </p><p>informal consiste numa aprendizagem sem controlo nem direo, realizada com os </p><p>outros e de forma autnoma, que representa cerca de 80% da aprendizagem realizada </p><p>nas demais organizaes [6]. Corresponde a um processo de aquisio de </p><p>conhecimento do quotidiano, onde o indivduo no possui conscincia, mas no </p><p>entanto, pode melhorar os seus conhecimentos e aptides [7]. Apesar de o indivduo </p><p>no possuir conscincia de que est a apreender conhecimento, quase 90% das </p><p>pessoas encontra-se envolvida num contexto de aprendizagem informal que lhes </p><p>ocupa em mdia 15 horas por semana [8]. </p><p>Em geral, a educao informal no organizada, nem sistematizada, nem sequer </p><p>muitas vezes, intencional, mas parece constituir a maior fatia da aprendizagem total </p><p>durante a vida de uma pessoa mesmo para aquelas que so altamente escolarizadas. </p><p>A aprendizagem informal pode ser caracterizada pelos seguintes aspetos: Just-in-</p><p>time, contextual, individualizada, pessoal, repartida e de mbito limitado [9]. </p><p>Just-in-time devido ao facto que ocorre quando o indivduo coloca em prtica os </p><p>conhecimentos e as capacidades adquiridas. Contextual porque ocorre dentro de um </p><p>determinado contexto, onde , posteriormente posto em prtica. Individualizada </p><p>porque a aprendizagem informal diz respeito s necessidades especficas de cada </p><p>aluno. Pessoal devido ao facto que a aprendizagem informal no ocorre apenas em </p><p>grupo, acontecendo muitas vezes de forma isolada. Repartida, porque os diversos </p><p>contedos so apreendidos de forma intercalada com perodos de prtica, de modo a </p><p>que os mesmos sejam guardados mais facilmente na memria. Por ltimo, tambm </p><p>Formacin virtual inclusiva y de calidad para el siglo XXI</p><p>- 439 -</p></li><li><p>de mbito limitado, devido ao facto de incidir sobre temas especficos, e no cursos </p><p>extensos, como acontece muitas vezes na aprendizagem formal. </p><p>De referir ainda que, no trabalho, o tempo despendido em aprendizagem forma </p><p>maior do que na aprendizagem informal [6]. Ou seja, despende-se mais tempo no </p><p>ensino, nos cursos de formao, nas conferncias, entre outros, do que na colaborao </p><p>entre os colegas, no acompanhamento, etc. Paralelamente, verifica-se que os </p><p>resultados obtidos na aprendizagem informal parecem ser maiores. A mesma autora </p><p>sustenta que existe um impacto de 87% da aprendizagem informal no trabalho </p><p>desenvolvido, sendo apenas de 13% no que respeita aprendizagem formal. </p><p>Atualmente, no existe disponibilidade temporal para se formar indivduos, de </p><p>acordo com os modelos tradicionais de formao, sendo portanto necessrio que a </p><p>mesma ocorra no local de trabalho [10]. Por conseguinte, a soluo aponta para a </p><p>aprendizagem informal. </p><p>4 Facebook: ferramenta de suporte aprendizagem informal </p><p>As redes sociais podem ser consideradas como um conjunto de ns interligados. </p><p>Correspondem a estruturas abertas, capazes de se expandir de forma ilimitada, </p><p>integrando novos ns. Face ao crescimento exponencial das redes sociais, tais como: </p><p>Facebook, Twitter, Instagram, Google+, MySpace, Badoo ou Linkedin, temos vindo a </p><p>assistir ao seu uso em contexto acadmico e profissional, para alm do entretenimento. </p><p>A realizao de aprendizagem informal pode ocorrer atravs de diversas </p><p>tecnologias, entre as quais se destacam [11]: pesquisar informao na internet, enviar </p><p>e receber emails, comunicar atravs de mensagens instantneas (ou mesmo atravs de </p><p>chat) que podem servir para expor uma determinada dvida ou problema pontual, </p><p>ouvir um podcast, participar em grupos de discusso online, fruns, redes sociais e </p><p>comunidades virtuais. </p><p>A rede social Facebook consiste num espao que permite a interao entre amigos, </p><p>a negociao e a partilha de recursos multimdia de carter social, entre os quais se </p><p>destacam as mensagens, fotos, vdeos, links ou ligaes e a discusso em grupo por </p><p>meio de assinatura de pginas especializadas em temas especficos [12]. Pode ser </p><p>utilizada como um recurso/instrumento pedaggico importante para promover uma </p><p>maior participao, interao e colaborao no processo educativo, para alm de </p><p>impulsionar a construo partilhada, crtica e reflexiva de informao e conhecimento </p><p>distribudos em prol da inteligncia coletiva [13]. </p><p>Existem diversas vantagens no uso educativo da rede social Facebook, entre as </p><p>quais se destacam as seguintes: a facilidade de conversao, a ajuda na diminuio das </p><p>relaes hierrquicas de poder entre o professor e os alunos, a melhoria do nvel de </p><p>relacionamento, o suporte interao entre os alunos, e a possibilidade da substituio </p><p>dos sistemas de gesto de aprendizagem formais, tais como o Moodle e o BlackBoard, </p><p>principalmente quando a sua utilizao diminuta e limitada disponibilizao de </p><p>documentos educativos [14]. </p><p>Outras vantagens prendem-se com a aprendizagem composta por um currculo </p><p>flexvel, a transgresso do tempo e espao formal e novas formas de tratamento do </p><p>Formacin virtual inclusiva y de calidad para el siglo XXI</p><p>- 440 -</p></li><li><p>conhecimento no mbito escolar [15] modelo por escola expandida. O uso do </p><p>Facebook como plataforma educativa justifica-se tambm pelas seguintes tendncias: </p><p>noo do conhecimento como um desenvolvimento individual e coletiva, </p><p>aprendizagem colaborativa, a autoria e coautoria, a partilha, a integrao das </p><p>tecnologias, a comunicao e aprendizagem interativas e a possibilidade de </p><p>transgresso do currculo escolar tradicional [14]. </p><p>Interessa tambm referir que a aquisio de competncias no mbito da </p><p>aprendizagem informal pode ser desenvolvida em ambientes tais como o Facebook, ao </p><p>ser utilizado como espao de aprendizagem em diferentes contextos de formao, por </p><p>facilitar a convergncia e a partilha de diferentes recursos multimdia, mas tambm </p><p>pelo crescente nmero de alunos e professores que o usam (independentemente de </p><p>nem sempre ser com o objetivo nico ou claramente educacional). </p><p>Alguns exemplos da sua aplicao podem ser constatados em diversos artigos, </p><p>entre os quais se destacam: Redes Sociais Online e Educao: Contributo do </p><p>Facebook no Contexto das Comunidades Virtuais de Aprendentes [16]; 100 </p><p>maneiras de usar o Facebook em sala de aula [17]; Utilizao das redes sociais na </p><p>educao: guia para o uso do Facebook em uma instituio de ensino superior [18]. </p><p>6 Enquadramento metodolgico </p><p>O enquadramento metodolgico incidiu sobre um estudo de caso no curso de </p><p>Especializao Tecnolgica em Secretariado e Assessoria Administrativa da Escola </p><p>Superior de Educao do Instituto Politcnico de Bragana. </p><p>Tendo em considerao que todo o estudo possui um fio condutor que guia o seu </p><p>caminho, esta investigao possui tambm uma linha de orientao, que serve de base </p><p>ao respetivo estudo, que se traduz na seguinte questo de investigao: Os ambientes </p><p>de aprendizagem informal suportados pelas redes sociais podem contribuir para o </p><p>desenvolvimento do aluno? </p><p>Com base na reviso da literatura, foi possvel recolher dados a partir de diversos </p><p>tipos de documentos. Com vista a observar a utilizao das redes sociais, no mbito da </p><p>unidade curricular de Empreendedorismo e Gesto de Projetos, foi selecionada a rede </p><p>Facebook por ser a rede mais utilizada pelos alunos. </p><p>O estudo de caso incidiu sobre um grupo de 41 alunos do referido curso, uma vez </p><p>que 9 foram eliminados por abandonarem a turma devido a processos de creditao ou </p><p>excesso do nmero de faltas. </p><p>Aparentemente, o grupo de alunos (16 do sexo masculino e 25 do sexo feminino) </p><p>bastante homogneo no que diz respeito a competncias TIC, nomeadamente em </p><p>utilizao de redes sociais. </p><p>Os instrumentos de recolha de dados basearam-se num questionrio inicial sobre as </p><p>caractersticas e prticas individuais; grelha de observao para aferir a interao com </p><p>a rede social Facebook, em geral, e com os grupos Facebook criados para o efeito no </p><p>mbito da unidade curricular, em particular. </p><p>Formacin virtual inclusiva y de calidad para el siglo XXI</p><p>- 441 -</p></li><li><p>7 Apresentao de resultados </p><p>Fruto da observao dos indicadores inerentes utilizao efetuada ao nvel da </p><p>rede social, iremos passar apresentao dos resultados obtidos mais relevantes, onde </p><p>procuraremos dar resposta questo de investigao mencionada. </p><p>Foram criados cinco grupos e uma pgina Facebook (contendo as indicaes gerais </p><p>sobre os desafios) aos quais todos os alunos e professor foram agregados (note-se que </p><p>o professor teve apenas o papel de observador). </p><p>Podemos afirmar que 97,5% (40 alunos) consultaram ou visualizaram todas a </p><p>linhas de publicao dos restantes alunos, sendo que 82,9% (34 alunos) participaram </p><p>ativamente na publicao de comentrios em todas as publicaes realizadas, </p><p>aportando contributos significativos para o seu prprio projeto de grupo ou, at </p><p>mesmo, para o projeto de outros grupos. </p><p> No que diz respeito utilizao de outras ferramentas para alm dos comentrios, </p><p>destacam-se a insero de fotos e ligaes Web. Embora numa escala menor, a </p><p>publicao de ficheiros e a criao de eventos foi usada para marcaes de reunies </p><p>de grupo e promover a execuo do projeto e as perguntas ou sondagens para aferir a </p><p>adeso dos colegas implementao de ideias de projeto ou para avaliar a sua opinio </p><p>acerca de determinadas tarefas e materiais do grupo. </p><p>Entre outras ligaes, destaca-se ainda a publicao de inquritos do Google Docs </p><p>para recolher opinies diversas sobre os projetos. </p><p>Tal como referido no estudo previamente apresentando, que mostrou um impacto </p><p>de 87% da aprendizagem informal no trabalho desenvolvido [6], podemos afirmar que </p><p>o impacto da aprendizagem informal no trabalho desenvolvido ao nvel educativo </p><p>ultrapassou os 75,6% (31 alunos), valor corroborado pelos processos de auto e </p><p>heteroavaliao da unidade curricular. </p><p>O elevado impacto que a aprendizagem informal tem ao nvel educativo, pressupe </p><p>um contributo considervel no desenvolvimento do aluno. O aparecimento dos </p><p>ambientes de aprendizagem online diversificados, que permitem a comunicao, a </p><p>interao e a colaborao entre os alunos, bem como a aprendizagem informal que lhe </p><p>est associada, permitiram que o desenvolvimento do aluno se processasse de forma </p><p>diferente, tendo como base, no s a autonomia do prprio, mas tambm o esprito </p><p>colaborativo que pode estar associado aprendizagem informal. </p><p>O desenvolvimento ocorre de acordo com o ritmo de trabalho e disponibilidade que </p><p>cada aluno possui, desenvolvendo-se como e quando assim o entender. Consideramos </p><p>que a rede social e as ferramentas utilizadas tiveram um impacto bastante considervel </p><p>no desenvolvimento do aluno, pois permitiram que o mesmo seja autnomo, no s na </p><p>procura constante do conhecimento, mas sobretudo na forma como este seleciona a </p><p>respetiva informao. </p><p>Interessa ainda referir que o desenvolvimento do aluno com suporte </p><p>aprendizagem informal, no pode ocorrer apenas de forma autnoma, ou seja no </p><p>dever ocorrer de forma individual (sozinho), mas tambm com auxlio de </p><p>comunidades que tenham os mesmos objetivos e os mesmos interesses, para que desta </p><p>forma possam orientar o indivduo na seleo e aquisio de conhecimento. </p><p>As redes sociais tm um enorme impacto sobre o que fazemos, como aprendemos e </p><p>como adquirimos novos conhecimentos [19]. portanto crucial que o aluno </p><p>Formacin virtual inclusiva y de calidad para el siglo XXI</p><p>- 442 -</p></li><li><p>acompanhe esta mudana, de modo a poder tirar proveito das redes sociais, no s no </p><p>que diz respeito ao entretenimento, mas sobretudo no que concerne ao uso das </p><p>mesmas como suporte aprendizagem (informal). </p><p>Tendo em considerao este pressuposto, considera-se que pode ser vivel a </p><p>utilizao das redes sociais como suporte a este tipo de aprendizagem, permitindo um </p><p>maior contributo educativo no desenvolvimento do aluno. O contributo educativo das </p><p>redes sociais na aprendizagem informal do aluno foi notoriamente visvel, cada vez </p><p>que este interage com as diversas aplicaes e ferramentas que esto associadas s </p><p>respetivas redes. </p><p>Salienta-se tambm a interao do aluno com outros indivduos, cujo objetivo </p><p>primordial se prende com a partilha de informaes, experincias, recursos, etc, de </p><p>modo a que o aluno possa obter, no s conhecimentos face a uma determinada </p><p>temtica, mas tambm adquirir competncias que lhe permita dar resposta aos desafios </p><p>e pro

Recommended

View more >