A INDISCIPLINA NAS SÉRIES INICIAIS DO ENSINO ?· 2017-12-20 · aula nas séries iniciais do Ensino…

  • Published on
    18-Jan-2019

  • View
    212

  • Download
    0

Embed Size (px)

Transcript

www.conedu.com.br

A INDISCIPLINA NAS SRIES INICIAIS DO ENSINO

FUNDAMENTAL: UM ENTENDIMENTO REFLEXIVO DO

PROBLEMA

Autor: Davison Jansen Marques Batista

Co-autor (1) Cssia de Sousa Silva Nunes; Co-autor (2) Naedja Maria Assis Lucena de

Morais; Co-autor (3) Slvio Csar Lopes da Silva

FAR-Faculdade Anchieta do Recife davison.jansen93@gmail.com; FAR-Faculdade Anchieta do Recife

cassia_cia@hotmail.com; FAR-Faculdade Anchieta do Recife- naedjaalm@gmail.com; UFRN- PPGEDBolsista

CAPES sclop3@yahoo.es

RESUMO

O presente artigo surge de uma reflexo acerca do tema indisciplina na sala de aula. Ao longo de nossa

atuao e das observaes que fomos fazendo nesses ltimos anos, temos constado o aumento nos

casos, bem como o relato de professores sobre suas salas de aula e a indisciplina como um problema

constante. Tais observaes instigaram-nos revisar a autores e textos, buscando entender o assunto, ao

passo que refletir sobre suas causas, manifestaes e aes no cotidiano da escola e da sala de aula.

Constata-se neste, que por mais que o professor atente a essa questo, ele sozinho no dar conta de

um problema complexo e singular, que se manifesta nas diversas formas, desde a ausncia da

educao no seio familiar, ao excesso da mesma. Nesse nterim, a participao e envolvimento da

famlia de suma importncia, pois como parceira da escola ele se torna co participe do processo

ensino aprendizagem do aluno. Desta forma, a partir das reflexes aqui apresentadas, nosso propsito

trazer mais uma contribuio sobre o tema e ampliar ainda mais a forma de lidar com o mesmo.

Assim, baseado em um estudo bibliogrfico, destacaremos algumas sugestes ao longo do texto que

contribuiro significativamente a prtica do professor.

Palavras- chave: Indisciplina, professor, aluno, famlia.

INTRODUO

A indisciplina1 escolar tem sido pauta de inmeros debates entre os professores e os

estudiosos da temtica, tendo em vista que a mesma se apresenta nos diversos nveis da

educao da bsica ao superior. Porm, na educao bsica que a mesma se acentua,

uma vez que muitas questes esto atreladas a esta, desde a ausncia dos pais, no

1 Taille (1996), d uma dica interessante sobre como entender a indisciplina, ao afirmar-nos que: a indisciplina

em sala de aula no se deve essencialmente as falhas psicopedaggicas dos alunos, pois est em jogo o

lugar que a escola ocupa hoje na sociedade, o lugar que a criana e o jovem ocupam, o lugar que a moral

ocupa. Dessa forma, resta escola uma soluo: lembrar e fazer lembrar em alto e bom tom, a seus alunos

e sociedade como um todo, que sua finalidade principal a preparao para o exerccio da cidadania. E,

por ser cidado necessrio um conjunto mnimo de normas de relaes interpessoais. IN: AQUINO, J.G

(Orgs). Indisciplina na escola: alternativas tericas e prticas. So Paulo: Summus, 1996.

www.conedu.com.br

acompanhamento da vida escolar dos seus filhos, ao modelo de escola vigente, que

responde as necessidades da sociedade contempornea, mas esquece dos anseios dos

alunos. Este um dos problemas mais preocupantes que os professores enfrentam hoje, e que

h muito tempo busca solues. Muitos so os fatores que levam os alunos a se comportarem

de maneira inadequada e insatisfatria, trazendo graves prejuzos para o seu processo

cognitivo para todos os que fazem a comunidade escolar.

O interesse pela temtica surge a partir de nosso contato com a realidade da sala de

aula nas sries iniciais do Ensino Fundamental a partir do momento em que observamos os

desdobramentos dos professores entre o contedo, a (in) disciplina e o processo ensino

aprendizagem do aluno. Tais questes dificultam o desenvolvimento das atividades propostas.

Da, sentimos a necessidade de entender melhor esse processo, refletindo sobre o mesmo a luz

daquilo que os autores sinalizam.

preciso destacar que a indisciplina no algo normal ou inerente sala de aula, uma

vez que ela surge a partir de diversos fatores como o modelo de e Scola, a desmotivao do

aluno, a ausncia da famlia no acompanhamento do desempenho escolar dos filhos, a falta

de recursos didticos e infra-estrutura da escola, alm da formao dos professores. Tais

questes desembocam nas prticas desenvolvidas e nas aes tomadas ao longo do processo,

com o intuito de sanar o problema.

preciso destacar que as razes pelas quais a indisciplina ocorre esto direta ou

indiretamente distribudas igualmente escola, os familiares, a ausncia de limites, as

desigualdades sociais, o aluno o professor. (Alves, 2006, p.17)

Assim, ao longo deste estudo, a partir de um levantamento bibliogrfico, destacam-se

alguns autores tais como, Aquino (1996), Vasconcelos (2003), Tiba (2005), Queiroz (2010)

dentre outros. Cabe ressaltar que enquanto fenmeno, a indisciplina pode ser observada a

partir de diferente contextos e aportes tericos. O estudo aqui sinalizado, revela-nos que a

temtica indisciplina nunca se esgota, uma vez que de acordo com os tempos, a mesma se

renova e revela novos desafios para os educadores.

A abordagem metodolgica

Nossa pesquisa foi feita a partir do levantamento bibliogrfico dos estudos e

autores que abordam a temtica, para tanto, mesmo sendo um tema atual e presente em

debates nos encontros e congressos educacionais em nosso pais, faz-se necessrio um

recorte, bem como uma seleo dos estudos desenvolvidos.

www.conedu.com.br

Concordamos com Bogdan e Biklen (1994, p.88) quando estes afirmam que Uma

investigao pode contribuir para tirar concluso, que sejam de crucial importncia para a

educao ou para a sociedade, em geral ou seja,temos conscincia que nosso trabalho tende a

contribuir para possveis reflexes acerca da temtica, somando-se as existentes.

A partir de um olhar para a temtica proposta bem como tendo base nossa experincia

e prtica em sala de aula, pensamos em revisar a literatura para aprofundarmos ainda mais o

debate acerca da indisciplina na sala de aula e a dicotomia da participao e ausncia dos pais

no acompanhamento do processo ensino aprendizagem dos filhos. Para tanto, nossa pesquisa

de cunho qualitativo, tendo em vista que faremos um estudo bibliogrfico.

O envolvimento com a realidade, quer seja emprica ou terica, ajudam a esboam

explicaes sobre o contexto ou assunto, bem como esclarecer questes, organizar os dados

alm de apontar sadas que refletem ao entendimento dos mesmos (MINAYO, 2001, p.19).

Assim, como afirmam Lakatos e Marconi (2003), a pesquisa bibliogrfica esta

automaticamente ligada a escolha do assunto, uma vez que este origina-se das experincias

pessoais e profissionais, dos estudos e envolvimentos que o pesquisador tem com o tema a

ser pesquisado. partindo deste pressuposto que optamos por essa abordagem

metodolgica.

Um olhar sobre o tema

O tema indisciplina tem despertado o interesse nos profissionais da educao, uma vez

que a indisciplina vem ocupado um espao cada vez maior no cotidiano escolar,

comprometendo a qualidade do ensino, interferindo nas relaes professor-aluno, aluno-

escola e, por conseguinte no rendimento do mesmo. Vrios so os fatores que causam a

indisciplina na escola, tais como: a falta de limite dos pais, a postura tradicional da escola, a

metodologia inadequada a realidade e ao contexto do aluno, a repetncia, o fracasso escolar,

dentre outros.

Sob essa questo Vasconcelos (2009) ressalta alguns pontos que convergem a

indisciplina, afirmando que:

[...] o aluno (seu desinteresse, sendo comum a hiptese de isso ser decorrncia da

tecnologia a que tem acesso fora da escola); os meios de comunicao (a sua

influncia negativa: violncia, contra valores); a famlia (desestruturao, omisso,

no cumprindo seu papel e transferindo responsabilidades); a escola (falta de apoio

ao professor); o sistema de ensino (no d condies de trabalho); a sociedade (sua

desorganizao, desemprego, crise de valores); e, depois de certo tempo chega-se a

colocar em questo a prpria relao pedaggica. Consideramos, no entanto, que a

www.conedu.com.br

nfase dada aos vrios aspectos no a mesma (a incidncia de queixas sobre a

famlia, por exemplo, muito forte). [...]. (VASCONCELOS, 2009, p.59)

Com a violncia, reflexo de uma sociedade sem limites e sem controle, seu respingo

recai a escola, aumentando consideravelmente a indisciplina e tornando-se uma ameaa ao

fazer pedaggico do professor. O ambiente escolar est cada dia mais inseguro, se observa

todos os dias, na mdia situaes de violncia nas escolas. Educar nessas condies, torna-se

um verdadeiro desafio para os atores desse processo, merecendo que se faam constantes

reflexes e busquem solues que amenizem estes problemas. Sobre isso, Queiroz (2010, p.6)

afirma: apesar dos esforos, os educadores, muitas vezes sem o devido apoio dos pais,

tornam-se completamente impotentes nas vrias faces e artimanhas dos conflitos e

ambiguidades existentes no cotidiano escolar. Da a necessidade do envolvimento da famlia

nesse meio.

O ambiente familiar favorece quando os pais so presentes e participam ativamente

da vida escolar dos filhos, porm, os prejudica quando a ausncia constante, refletindo

diretamente na conduta dos filhos, e muitos deles se tornam violentos, agressivos, decorrncia

dessas ausncias. Em relao a essa questo e pensando sobre a influncia das tecnologias no

processo cognitivo dos alunos, Queiroz (2010, p.31) assinala que (...) o crebro das crianas

e jovens atuais sofre de fuga de ideias, elas tem pensamentos muito rpidos, pois seu crebro

foi e estimulado o tempo todo pela TV, pelo cinema, computador, internet e jogos

eletrnicos. Atentar a essas questes, dar-se conta da influncia das tecnologias ao

mesmo tempo do papel que essa exerce no cotidiano de crianas e adolescentes.

Assim ao observar o cotidiano escolar, destacam-se as diversas reclamaes por parte

dos professores e equipe de apoio em relao aos alunos, tais como: a desordem, brigas, falta

de limites, maus comportamentos, desrespeitos, violncia fsica e emocional, tornam-se uma

constante e dificulta a execuo da disciplina e a conduo das atividades propostas. Segundo

Tiba (1996, p.152) A violncia uma semente colocada na criana pela prpria famlia, que,

encontrando terreno frtil dentro de casa, se tornar uma planta rebelde na escola.

Dessa forma percebe-se que atualmente a maioria das famlias no atentam para a

educao de seus filhos, esquecem de ensinar aos mesmos os valores humanos, necessrios a

convivncia em sociedade. Essas crianas levam para a escola, aquilo que aprendem em casa,

e ao chegaram nesta com sua educao familiar ou falta da mesma, os professores sozinhos

no so capazes de dar conta daquilo que fora enraizados pelo tempo. Como so tratados os

limites e a indisciplina na famlia? Que valores essas crianas

www.conedu.com.br

aprendem em suas casas? E na escola como tratada a questo da indisciplina, as regras de

conduta e os valores humanos? Tudo isso, deve ser bem analisado, para que no futuro os

ambientes na escola se torne mais calorosos, harmoniosos, alm de atraente e convidativo, e

que oferea uma boa aprendizagem a todos os alunos, porque, do contrrio, os alunos

entraro para as estatsticas do fracasso escolar e da violncia na escola.

O professor, a sala de aula e a indisciplina: contextualizando o tema

H muito a indisciplina deixou de ser um assunto espordico e particular no cotidiano

escolar para se tornar um dos maiores obstculos pedaggicos no dia a dia do professor e da

sala de aula. So vrios os fatores que apontam para uma possvel crise nas salas de aula,

professores desmotivados, alunos desinteressados e sem estmulos, ensino deficitrio e

lacunado, violncia fsica e psicolgica, que somam a outros e caracterizam o modelo de

escola e educao vigentes. Esses so fatores que interligados entre si, vem aumentando a

cada ano. Alternativas lanadas para minimizar tal situao so postas em prtica, as quais

objetivam a reduo deste, para tanto necessrio o envolvimento de todos, da comunidade

escolar a sociedade.

medida que a indisciplina aumenta nas escolas, surge juntamente a ela uma grande

preocupao em lidar com as tenses e conflitos gerados por diversos fatores como fora de

padres ditos normais. De acordo com Dobson (2006, p.49): preciso ensinar s crianas

quais os comportamentos so aceitveis e quais so inaceitveis (...). Entende-se o aceitvel

e o inaceitvel aqui, como o adequado, uma vez que o sujeito aprende a adequar-se as

mais diversas situaes e contextos.

Dessa forma, a indisciplina seria talvez o inimigo nmero um do educador, pois no

surpresa que os professores j no sabiam mais o que fazer com a indisciplina dos seus

alunos, nem to pouco como lidar com esse grave problema que vem aumentando a cada dia

na sala de aula. necessrio que a relao professor e aluno sejam de confiana,

reciprocidade, respeito e que exista um dilogo permanente e aberto entre ambos, para que

no haja motivos para atos indisciplinares e estes levem a agresses fsicas e verbais. Da a

necessidade de se ter uma atuao mais prxima e afetiva, pois quando isso no acontecesse,

a atuao docente torna-se inadequada para o ambiente e por conseguinte, o prprio professor

torna-se causa da indisciplina (VICHESSI, 2009).

Portanto, as relaes entre aluno-professor, aluno-aluno e aluno-escola devem

melhorar com atitudes positivas por parte dos profissionais da

www.conedu.com.br

escola envolvidos neste processo, pois se no houver respeito entre ambas s partes a situao

se tornar tensa e com isso, a qualidade de ensino e a aprendizagem ser comprometida.

Queiroz (2010, p.9) afirma que atualmente, sem que notssemos, o ato de educar se tornou

uma tarefa muito rdua para os pais e professores. E podemos complementar afirmando que,

alm de rdua a tarefa de educar rida, uma vez que em meio as diversas dificuldades da

sala de aula encontra-se um professor, que na sua prtica carrega consigo outros

problemas como a pssima condio de trabalho, a baixa remunerao e a escassez de

material e recursos didticos dentre outros.

Os alunos indisciplinados, muitas vezes, no encontram na escola significado para

suas vidas, pois seus contedos esto desvinculados da sua realidade, c...

Recommended

View more >