ABIMO em Revista - 4ª edição

  • Published on
    14-Mar-2016

  • View
    222

  • Download
    4

Embed Size (px)

DESCRIPTION

A ABIMO em Revista uma publicao da ABIMO - Associao Brasileira da Indstria de Artigos e Equipamentos Mdicos, Odontolgicos, Hospitalares e de Laboratrios, direcionada a associados, fornecedores, rgos governamentais e profissionais da rea.

Transcript

<ul><li><p>3Jornalista Responsvel: Deborah Rezende </p><p>(MTB 46691)</p><p>Redao: Deborah Rezende, Luana Tucci, Cssio Ribeiro </p><p>e Marcela Marques </p><p>Reviso: Cssio Ribeiro, Gislaine Cristina e Luiz Alves</p><p>PRODUO E PUBLICIDADE:</p><p>www.publimededitora.com.brcomercial@publimededitora.com.br</p><p>11. 3966.2000</p><p>Edio e Arte: Lilian Carmonalia@liacarmona.com.br</p><p>ABIMOAv. Paulista, 1.313 - 8 andar</p><p>sala 806 - 01311-923 So Paulo - SP</p><p>Tel.: 11.3285.0155www.ABIMO.org.br</p><p>SUMRIOEXPEDIENTE</p><p>Mais Mdicos Tendncias</p><p>Polticas Pblicas</p><p>Balana Comercial Aes BHD</p><p>Prmio Inova Sade</p><p>10 12</p><p>20</p><p>24 28</p><p>34</p><p>ABIMOGESTO 2011-2015</p><p>Franco Maria Giuseppe Pallamolla </p><p>(Presidente Lifemed)Paulo Henrique Fraccaro (Presidente Executivo)</p><p>Luiz Calistro Balestrassi(Vice-Presidente Neurotec)</p><p>Paulo Akio Takaoka (Diretor Financeiro Newmed)</p><p>SINAEMO GESTO 2011-2015</p><p>Ruy Salvari Baumer (Presidente Baumer)</p><p>Paulo Henrique Fraccaro (Vice-Presidente) </p><p>Milton Rubens Salles (Tesoureiro Intermed)</p><p>Conselho Editorial:Paulo Henrique Fraccaro (Presidente Executivo)</p><p>Knud Sorensen (Vice-Presidente do setor odontolgico)</p><p>Mrcio Bsio (Diretor Institucional)</p><p>Paula Portugal (Gerente de Marketing e Exportao)</p><p>Contedo/Edio de textos:</p><p>A ABIMO em Revista uma publicao da ABIMO - Associao Brasileira da Indstria de Artigos e Equipamentos Mdicos, Odontolgicos, Hospitalares </p><p>e de Laboratrios, direcionada a associados, fornecedores, rgos </p><p>governamentais e profissionais da rea. A reproduo total ou parcial deste contedo expressamente proibida </p><p>sem prvia autorizao.</p><p>Artigo Franco PallamollaArtigo Ruy Baumer</p><p>ABIMO dia-a-diaArtigo Roberto Lima</p><p>Eventos - Projeto BHDCompras - ABIMO e EBSERH</p><p>Pirataria na OdontologiaCIOSP 2014</p><p>Painel de Associados CIOSP</p><p>040506162240424448</p><p>Compliance</p><p>18</p></li><li><p>4Est cada vez mais claro que o setor da sade brasileiro espera, com ansiedade, por inovaes que permitam melhorias nos sistemas e maior acesso populao. Mas por que essa inovao demora tanto a aparecer? Os empecilhos para inovar no so exclusividade do setor da sade e nem do Brasil. Outros segmentos e outras naes, desenvolvidas ou no, encontram problemas e batalham para contorn-los dia aps dia. Mas, quando falamos em inovao na sade, temos alguns pontos que merecem destaque, como mencionou recentemente Domingo Braile, presidente do conselho da Braile Biomdica, referncia da tecnologia mdica no Brasil, dizendo que quando falamos da rea da sade estamos falando da mquina mais complexa que existe, que o corpo humano. Esse um campo de atuao que realmente precisa de cuidados especiais, afinal tudo precisa ser fundamentado no cuidado com a vida. Mas inovar no necessariamente representa criar algo nunca antes visto. Inovar pode ser reformular um processo para garantir mais agilidade ou encontrar solues tecnolgicas para aproximar mdico e paciente, reduzindo o tempo de anlise e o diagnstico de casos especficos. H, tambm, de se considerar o papel da Anvisa dentro dos projetos de inovao. A regulamentao da anuncia de patentes enfrenta processos burocrticos, nem sempre justificveis do ponto de vista das responsabilidades da agncia, que so empecilhos inovao.</p><p>A Anvisa tem de ser mais gil. No podemos ter processos to morosos. Isto uma das coisas que causa o dficit da balana comercial, pois se no competimos com os pases inovadores, os importados entram e ganham dos nacionais.</p><p>Vamos falar de inovao</p><p>FRANCO PALLAMOLLA presidente da ABIMO - Associao Brasileira da Indstria de Artigos e Equipamentos Mdicos Odontolgicos, Hospitalares </p><p>e de Laboratrios.</p></li><li><p>5So vrios os pontos a serem debatidos quando falamos a respeito de inovao e, para isso, preciso abrir espao para uma comunicao bastante ampla e eficiente com todos os envolvidos nestes processos. Ou seja, precisamos ouvir as universidades, os empresrios, os profissionais da sade, os prestadores de servio e principalmente o governo. Muitas vezes encontramos dificuldade de dilogo ou, ainda, uma dificuldade em saber o que os centros de pesquisa esto fazendo, o que est sendo desenvolvido pelas universidades, quais as necessidades e prioridades do sistema de sade e, at mesmo, o que as empresas precisam para serem eficientes em inovao. A inovao deve ser um meio de fomento indstria e economia como um todo. Pases inovadores em diferentes segmentos se destacam na economia mundial e garantem melhor posio neste mercado. E justamente por isso que a inovao deve ser tratada como uma prioridade no mbito da poltica econmica pblica. Para que universidades e empresas se entendam no que diz respeito inovao, h a necessidade de uma atuao forte e decisiva do governo sobre aspectos que fortaleam o desenvolvimento e ofeream oportunidades a ambos os lados. Apesar de o governo e suas entidades trabalharem planos de incentivo, desonerao de impostos e menos entraves burocrticos, as empresas ainda carecem de maiores recursos e de definies por parte do prprio governo para otimizar seus processos produtivos. O debate sobre inovao se estende, tambm, aos papis da universidade e da indstria neste cenrio. A parceria entre academia e indstria deve sim existir, ou, melhor dizendo, ambos os lados devem coexistir e trabalhar juntos para inovar.</p><p>RUY BAUMER presidente do SINAEMO - Sindicato da Indstria de Artigos e Equipamentos Odontolgicos, Mdicos e Hospitalares do </p><p>Estado de So Paulo.</p><p>A Trplice Hlice na inovao</p></li><li><p>6MINISTRIO DA FAzENDA RECEBE ABIMO</p><p>O secretrio de Poltica Econmica do Ministrio da Fazenda, Mrcio Holland recebeu, no dia 6 de novembro, o presidente executivo, Paulo Fraccaro; o diretor institucional, Mrcio Bsio; o senador Waldemir Moka; os deputados federais Newton Lima e Henrique Fontana e a senadora Ana Amlia para uma reunio que discutiu pontos prticos da implementao da isonomia tributria para equipamentos para a sade.</p><p>AUDINCIA PBLICA DISCUTEIMPACTOS DA ISONOMIA</p><p>O presidente executivo da ABIMO, Paulo Fraccaro e o diretor institucional, Mrcio Bsio, participaram no dia 5 de novembro de uma audincia pblica, realizada pela Comisso de Assuntos Sociais (CAS) para discutir o tema os impactos da isonomia tributria na aquisio de produtos para a sade. A audincia foi requerida pela senadora Ana Amlia (PP-RS) aps reunir-se, no incio de junho, com os representantes da ABIMO.</p><p>Na mesa de discusso, alm de Fraccaro, estava o diretor do Departamento do Complexo Industrial e Inovao em Sade da Secretaria de Cincia, Tecnologia e Insumos Estratgicos do Ministrio da Sade, Eduardo Jorge Valadares Oliveira; o assessor tcnico da Subsecretaria de Tributao e Contencioso da Secretaria da Receita Federal, Alexandre Guilherme de Andrade e o representante da Confederao das Santas Casas de Misericrdia, Hospitais e Entidades Filantrpicas (CMB), Gonalo de Abreu Barbosa.</p><p>Crdito: ABIMO</p><p>NOVEMBRO</p><p>DIA-A-DIA</p><p>Crdito: ABIMO</p></li><li><p>7CAF DA MANH SOBRE PEC</p><p>Crdito: ABIMO</p><p>Crdito: ABIMO</p><p>AMPLIAO DO PROJETO AMBIENTRONIC</p><p>No dia 11 de novembro, ocorreu em Braslia uma reunio para discutir a ampliao de recursos para o Projeto Ambientronic, coordenado pelo Centro de Tecnologia Renato Archer CTI Campinas que visa adaptar os equipamentos eletroeletrnicos e eletro mdicos s Diretivas Europeias Ross e Weee.</p><p>AUDINCIA COM O SECRETRIO EXECUTIVO DO MINISTRIO DA FAzENDA</p><p>No dia 12 de novembro, a ABIMO, representada pelo seu presidente-executivo, Paulo Fraccaro e pelo diretor institucional, Mrcio Bsio, debateram o tema Imunidade Tributria com o com Diogo Henrique Oliveira, secretrio executivo do Ministrio da Fazenda.</p><p>9 REDE TEMTICA 2013DEFESA COMERCIAL</p><p>Em 26 de novembro de 2013, representantes de Sindicatos e Associaes reuniram-se na FIESP, em So Paulo, para discutir aes voltadas ao tema Estratgias de Defesa Comercial.</p><p>REUNIO NO INMETRO TRATA CERTIFICAO ELETROMDICA</p><p>O gerente de estratgia regulatria da ABIMO, Joffre Moraes e representantes do Inmetro e da Abimed estiveram no ltimo dia 28 de novembro na sede do Inmetro para tratar do tema certificao eletromdica em conjunto com laboratrios.</p><p>222 REUNIO DO CONSELHO ESTADUAL DE SADE</p><p>No dia 29 de novembro, conselheiros dos diversos segmentos integrantes do Conselho Estadual de Sade reuniram-se na Secretaria Estadual de Sade para a 222 reunio ordinria do Conselho Estadual de Sade.</p><p>Ainda no dia 6 de novembro, Paulo Fraccaro e Mrcio Bsio participaram de um caf da manh, seguido de debate, sobre a Proposta de Emenda Constitucional (PEC n 301/2013), que veda a instituio de impostos pela Unio, Estados e Municpios, a respeito de medicamentos de uso humano e os insumos utilizados em sua produo e comercializao.</p></li><li><p>8Crdito: ABIMO</p><p>DIA-A-DIA</p><p>EVENTO DISCUTE COMPLIANCE</p><p>O presidente executivo da ABIMO, Paulo Fraccaro, participou no dia 12 de fevereiro da Latin America Compliance Conference, evento que reuniu lderes da indstria de dispositivos mdicos e de associaes para analisar os principais desafios de Compliance e discutir abordagens para sua gesto e cumprimento prtico.</p><p>ABIMO E AGDI FIRMAM CONVNIO PARA ESTUDO DA SADE NO TECNOVA/RS</p><p>A ABIMO e a Agncia Gacha de Desenvolvimento e Promoo do Investimento (AGDI) firmaram um termo de conhecimento do convnio para Estudo de Prospeco Tecnolgica do Setor de Sade Avanada e Medicamentos.</p><p>O convnio firmado entre as entidades busca identificar as capacidades tecnolgicas do setor e as linhas de atuao dos institutos de ensino e pesquisa, propondo o direcionamento tecnolgico futuro.</p><p>PIRATARIA NA MIRA DAS ENTIDADES</p><p>O vice-presidente do setor odontolgico da ABIMO, Knud Sorensen, participou de uma reunio com o coordenador do Comit da Cadeia Produtiva da Sade (Comsaude), Ruy Baumer, e com o presidente da Associao Paulista de Cirurgies-Dentistas (APCD), Adriano Albano Forghieri no dia 18 de dezembro. </p><p>No encontro, os representantes da indstria de sade fizeram um balano do ano, analisaram as perspectivas do setor para 2014 e discutiram meios para combater a pirataria no setor odontolgico.</p><p>DEzEMBRO JANEIRO</p><p>FEVEREIRO</p><p>INT APRESENTA NA ABIMO OPORTUNIDADES DE INOVAO </p><p>A coordenadora da Rede Sibratec de Produtos para a Sade, Ida Caminha, tecnologista da rea de Ensaios em Materiais e Produtos do Instituto Nacional de Tecnologia (INT/MCTI), juntamente com Wladimir Maia, analista de Cincia e Tecnologia da Coordenao de Negcios do INT, realizaram, no dia 21 de janeiro, uma palestra na sede da ABIMO, em So Paulo. A apresentao, intitulada O INT e o Programa EMBRAPII - janela de oportunidades para a inovao tecnolgica na Bioindstria integra a parceria do Instituto com a associao, que congrega nacionalmente empresas do Complexo Industrial da Sade.</p></li><li><p>9ABIMO PARTICIPA DE REUNIO NO CROSP </p><p>O vice-presidente do setor odontolgico da ABIMO, Knud Sorensen, esteve presente na sede do Conselho Regional de Odontologia de So Paulo (CROSP), no ltimo dia 19 de fevereiro, para uma reunio entre o presidente do Conselho, Cludio Miyake, os responsveis tcnicos das lojas de produtos odontolgicos e os membros da diretoria de entidades de classe para discutir a venda indiscriminada de materiais ortodnticos a leigos, o que tem facilitado o exerccio ilegal da Odontologia. Na ocasio, o CROSP apresentou a Operao Sorriso Colorido, conjunto de aes que visa coibir essas atividades criminosas.</p><p>Crdito: ABIMO</p><p>COMSAUDE ABORDA DESONERAO NA REA DA SADE EM REUNIO </p><p>Crdito: ABIMO</p><p>ABIMO RENE-SE COM DSNVS/ANVISA </p><p>Cumprindo o que foi estipulado no Termo de Cooperao Tcnica firmado junto a Anvisa no ano passado, nos dias 22 e 23 de janeiro, o presidente-executivo da ABIMO, Paulo Fraccaro e o diretor institucional, Mrcio Bsio estiveram em Braslia, na sede da Agncia, para reunirem-se com os diretores Dirceu Barbano, Ivo Bucaresky e Jaime Oliveira. Na pauta estavam as questes regulatrias que so gargalos da indstria de equipamentos para a sade, como o tempo de andamento de processo de anlise de atas, a morosidade nos registros e inspees internacionais.</p><p>O Comit da Sade (Comsaude/BioBrasil) da Federao das Indstrias do Estado de So Paulo (FIESP) promoveu em 17 se fevereiro, na sede da na FIESP, um Seminrio com o tema Desonerao da Cadeia Produtiva da Sade.</p><p>O presidente executivo da ABIMO, Paulo Fraccaro e o coordenador do Comsaude, Ruy Baumer, fizeram parte da mesa. Membros do governo, que apoiam o tema tambm estiveram presentes, como os deputados federais Walter Ihoshi, presidente da Frente Parlamentar para a Desonerao dos </p><p>Medicamentos e Newton Lima, presidente da Frente Parlamentar em Defesa da Indstria Nacional.</p><p>Na ocasio, o deputado federal Francisco Chagas apresentou a PEC 301, de sua autoria, que retira os impostos dos medicamentos de uso humano, bem como sobre os insumos utilizados na produo, exportao e comercializao, desde que produzidos no Brasil ou sem similar nacional.</p></li><li><p>10</p><p>e a indstria nacional de equipamentosMINISTRIO DA SADE DEVE REPASSAR R$ 6 BILHES </p><p>PARA OBRAS E COMPRAS DE EqUIPAMENTOS</p><p>Depois de dividir opinies, o programa Mais Mdicos parece estar entrando em uma fase de estabilizao. Criado no segundo semestre de 2013 para melhorar a qualidade e o acesso da populao brasileira sade, o programa apresenta nmeros interessantes.</p><p>Segundo informaes publicadas pelo Ministrio da Sade, a ao atende 3.241 cidades brasileiras e 32 distritos indgenas beneficiando, diretamente, 33 milhes de pessoas por meio da atuao de 9.425 profissionais da sade.</p><p>Como uma de suas principais metas, o programa visa levar mdicos para cidades est aqum do recomendado por conta da m distribuio de profissionais no pas. Enquanto o sudeste consegue manter a mdia de 2,61 mdicos por mil habitantes, a relao da regio norte no chega a um.</p><p>Alm de levar mdicos s cidades mais carentes de profissionais, o Mais Mdicos tambm prev investimentos em infraestrutura. Em 2014, o Ministrio da Sade promete investir cerca de R$ 15 bilhes em melhorias das estruturas de atendimento no Brasil. Desse montante, R$ 2,8 bi seguiro para obras e compra de equipamentos nas Unidades Bsicas de Sade; R$ 3,2 bi sero destinados s obras e aquisio de equipamentos em hospitais; e R$ 1,4 bi para realizao de melhorias nas Unidades de Pronto Atendimento.</p><p>No ms anterior ao lanamento do programa Mais Mdicos, uma anlise publicada pelo jornal paulista O Estado de S. Paulo afirmou que nos ltimos cinco anos a infraestrutura de sade no Brasil cresceu </p><p>mais do que a oferta de profissionais no pas. Segundo dados divulgados pelo jornal e obtidos via Sistema DataSUS, o total de equipamentos de sade registrados pelo Governo Federal teve alta de 72,3% no perodo, enquanto a quantidade de mdicos prontos para o atendimento cresceu apenas 13,4%. </p><p>Considerando que o setor de equipamentos mdico-hospitalares se recuperou e apresentou, em 2013, crescimento superior ao do ano anterior, com o programa Mais Mdicos e as garantias de investimento em infraestrutura divulgadas pelo Ministrio da Sade, a tendncia que haja maior taxa de desenvolvimento nos prximos meses.</p><p>MAIS MDICOS</p><p>Mais Mdicos</p></li><li><p>11</p><p>Analisando essa demanda que est por vir, em novembro de 2013 membros do governo e das entidades do setor se reuniram em uma audincia pblica para debater a necessidade da desonerao de impostos da indstria de artigos e equipamentos mdicos, odontolgicos, hospitalares e de laboratrios.</p><p>Segundo dados apresentados durante a reunio,...</p></li></ul>