Afundação Roberto Marinho

  • View
    5.514

  • Download
    3

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Saiba mais em http://listap2.blogspot.com/ ou http://it.youtube.com/user/viniciusit

Transcript

Afundao Roberto MarinhoA srie Denncia da Editora Tch!, com Afundao Roberto Marinho, de Romro C. Machado, oferece, no s ao pblico tradicionalmente leitor, mas tambm ao julgamento de toda a sociedade brasileira, talvez o ttulo mais polmico das ltimas dcadas. Num empreendimento editorial de enorme ousadia, um notvel trabalho de investigao jornalstica. Primeiro volume da Trilogia Global, este livro um empreendimento corajoso que aborda tema considerado por muitos mtico e inenarrvel. De indiscutvel credibilidade, quer pela fartura documental, quer pela privilegiada autoridade do autor (Romro foi auditor da Rede Globo, contro-ller da Fundao e assessor da Vice-presidncia de Operaes da Rede), a obra enfoca a luta pelo poder, dentro e fora da empresa, e as mais inimaginveis ilicitudes, desde a falsificao de concorrncia at a obteno ilegal de verbas, passando por transaes em dlares no registradas (caixa-dois), compra de notas frias para prestao de contas com o MEC, e "operaes" envolvendo Jos Bonifcio de Oliveira Sobrinho, o Boni, Vice-presidente das Organizaes Globo e responsvel pela vitria de Escrito nas Estrelas, msica interpretada porTet Espndola, no Festival dos Festivais. O jri tinha escolhido Mira ira. Como um jurado no podia saber do voto do companheiro, foi fcil para Boni falsificar o resultado. Na mais poderosa indstria televisiva do pas, o poder fabrica outra espcie de indstria: a poltica do abuso. Incontveis personagens todos com seu honrado nome de batismo declarado envolvem-se em falcatruas que a argcia e a honestidade quase suicida do autor auscul-taram. De forma impiedosa e transparente, este inacreditvel reino da safadeza acaba, finalmente, de ser retratado com fidelidade. Afundao Roberto Marinho um dos livros mais denunciadores que a bibliografia brasileira j registrou.

O AutorRomro da Costa Machado nasceu a 11.09.48. Reside no Rio de Janeiro e foi aprovado para Agente Fiscal de Tributos entre os setenta primeiros lugares entre milhares de participantes. Foi auditor nas seguintes empresas: Auditor, Coopers IkLybrand, Boucinhas-Campos e Claro, Grupo Portland/Lone Star (Cimento Mau) e, por ltimo, Rede Globo (holding). E controller: Grupo Portland/Lone Star e Fundao Roberto Marinho. Alm disso, foi Assessor Especial do Vice-presidente da Rede Globo, Jos Bonifcio de Oliveira Sobrinho, o Boni.

ResumoA imagem da Rede Globo no espelho televisivo recebida nos lares brasileiros com um fervor admirativo que quase no comporta crticas, e uma fidelidade de um pblico responsvel por altssimos ndices de audincia que torna o que seria um simples lazer num autntico costume nacional. Esta imagem, aparentemente irretocvel, agora posta prova de forma indita em Afundao Roberto Marinho, ameaa desfazer-se, ou melhor, adquirir seus verdadeiros contornos, sua face mais real, a que o vdeo incapaz de captar. Em seu primeiro volume, a Trilogia Global, de Romro C. Machado, investe impiedosamente contra um mundo que a televiso mais mascara do que revela. Aqui temos a devassa da Fundao, com os desmandos e estratagemas internos cujo nico objetivo acobertar a fabricao de fortunas pessoais e aes polticas que certamente envergonhariam Maquiavel. Mais do que acender o rastilho da explosiva Trilogia, este livro de abertura oferece s mais variadas faixas de leitores e a todos os profissionais de Comunicao um exemplo notvel de coragem pessoal e honestidade de ofcio. O autor, auditor durante anos na poderosa Rede e mais tarde controller na Fundao Roberto Marinho, "olhos e ouvidos do dono", alm de assessor de Jos Bonifcio de Oliveira Sobrinho, o Boni, v-se justamente pela extenso de suas funes, frente a frente com as mais inimaginveis falcatruas. Acusar? Incriminar? Ou simplesmente registrar os infindveis buracos negros do universo dos corruptos cada vez mais em expanso? Dvidas quase intransponveis, cujos obstculos morais, econmicos, sobretudo de autopreservao (principalmente fsica) geralmente direcionam para uma desistncia culposa ou, na maioria das vezes, para uma negociao indigna de interesses mtuos. Sem fazer vistas grossas ou sem aliar-se s quadrilhas de importantes executivos (todos com seu "santo nomezinho" devidamente apontado), o perigo iminente, certo. Romro corre todos os riscos, menos o de relapso em sua atividade; expe-se sanha mafiosa, menos covarde cumplicidade de quem irresponsavelmente preferiria lavar as mos. Mos ousadas, astutas, que to logo desligaram-se do imenso mar de lama Global, escreveram um dos livros mais denunciadores que a bibliografia brasileira j registrou.

Afundao Roberto MarinhoRomro C. Machado.NDICE

A ttulo de introduo Prefcio Explicao necessria Antes da primeira auditoria A primeira auditoria So Paulo, aqui vou eu A segunda auditoria O primeiro confronto

A Ttulo de IntroduoEste livro o primeiro de uma trilogia, a ser complementada com outros dois; sendo um composto de uma histria seqencial e segmentada, Inside Globo, e outro com histrias isoladas. Atrs do Espelho. Como o Afundao Roberto Marinho est situado no interregno de duas fases de auditoria, deveria conter, por isso mesmo, toda a fase adestrita Fundao Roberto Marinho. Entretanto, por uma questo de clima, o autor optou por reconstituir uma pequena fase pr-auditoria, bem como dar uma pequena seqncia fase ps-auditoria, fazendo com que os incios e fins de cada livro sejam irrelevantes, quer por no ficarem presos ao tempo, quer por no pretenderem encerrar um principio moral e pedaggico. Gostaria de ressalvar que todos os dilogos deste livro so rigorosamente verdadeiros em sua essncia. Entretanto, como nem todos eles foram gravados, e a maioria foi reproduzida de memria e anotada poca, poder ocorrer o uso de sinnimos para algumas palavras ditas, at mesmo uma ligeira distoro, principalmente em virtude da pontuao, do ritmo. Porm, no h qualquer modificao na essncia e contedo dos mesmos. O Autor.

Prefcio**Assunto de responsabilidade de Francisco Eduardo Ribeiro, Responsvel Geral pela Auditoria de todas as empresas das Organizaes Globo.

Foi deixada uma pgina em branco, em sinal de silncio, uma vez que zilhes de razes que conheo, impedem Francisco Eduardo Ribeiro de utilizar este espao para expor os seus motivos e/ou justificar sua posio diante de todos os fatos de que ele ciente. A despeito de eu haver alertado, durante anos, sobre a sua posio de cavalo em A revoluo dos Bichos, e de caixeiro-viajante em A Morte do Caixeiro-Viajante, e que de nada adiantaria ele tentar se superar, trabalhando cada vez mais, pois o futuro seria inexorvel, e nada deteria a decretao do seu ostracismo, e at mesmo a implacvel perseguio, to logo o Dr. Roberto morresse ou delegasse a administrao das empresas a inimigos seus. Ele, Francisco Eduardo, transformou-se em assistente de sua prpria agonia e morte, em vida; amargando a ingratido, mais uma vez, e pagando alto preo por no atentar para o que se desenhava como bvio.

Explicao NecessriaTudo o que compe estes livros foi objeto de relatrios internos e/ou relatos verbais a pessoas tidas como responsveis internos pelos assuntos aqui abordados. A minha promoo a Controller da Fundao no representou o esperado por mim, pois abri mo desta posio ao ver que se tornava intil o meu trabalho e que nada mudaria dentro daquela instituio, e no ser que a fizesse sangrar, indo to fundo quanto achava que devesse ir. Poderia ter envelhecido ou me aposentado na confortvel posio de Controller-Conivente, caso me dispusesse a aceitar coisas como elas estavam. Foram dadas (por mim) aos dirigentes da Fundao todas as oportunidades de recomear e higienizar, a partir de um processo de lavar roupa suja dentro de casa. Neste sentido, foi tentada toda a sorte de comunicao com o Secretrio-Geral da Fundao. Mas a certeza da impunidade fez com que a alta direo da Fundao supusesse a minha acomodao e meu amedrontamento diante de to grandes e graves problemas, sentindo-se seguros pelo cinturo de fidelidade, apostando contra a minha obstinao ou, o mais infantil, contra a minha crena nos meus princpios. 0 mesmo aconteceu com o assunto-objeto dos dois outros livros, que a despeito de relatrios formais, e at mesmo aps um rompimento verbal decretado por mim, foi objeto de descaso, tratado como se destitudo de aplicabilidade de prtica. Assim como na Fundao, onde recomendei o afastamento de todos os diretores, o que era considerado hiptese absurda (consumando^e mais tarde), o mesmo aconteceu em relao ao restante das Organizaes Globo, onde propus a higienizao, eliminando-se contrabando, sonegao, desvios de recursos para o exterior e toda a sorte de falcatruas. Principalmente, a nomanipulao de homens pblicos defensores dos interesses da Globo. Assim como na Fundao, foi tentada toda a sorte de comunicao com as pessoas responsveis dentro das Organizaes Globo, alertadas inclusive, e principalmente, para o fato de que seriam tornados pblicos todos estes assuntos, caso eles no fossem resolvidos internamente. Esgotados todos os recursos de dilogo, aps haver dado cincia, por carta e telegrama da inteno de edio destes livros, a Jos Bonifcio de Oliveira Sobrinho, Boni vice-presidente das "Organizaes Globo"; a Joo Carlos Magaldi, Diretor da "Central Globo de Comunicaes"; a

Francisco Eduardo Ribeiro, Responsvel pela Auditoria de todas as empresas das "Organizaes Globo"; a Nilo Srgio de Almeida, Diretor Administrativo e Financeiro da Editora Globo, e haver mostrado inteno de ceder prioridade de edio destes livros prpria Editora Globo desde que sanadas todas as irregularidades denunciadas; impondo, inclusive, srias e pesadas multas caso no fossem editados tais livros , vi-me obrigado e compelido a tornar pblico todos estes assuntos, atravs da publicao por uma editora ou editoras, que satisfizesse(m) aos meus interesses enquanto autor. No espero nenhum grande movimento em torno da apurao de responsabilidades dos denunciados, at porque estamos no Brasil, um pas de covardes e de corrupo institucionalizada. Ma