AVALIAÇÃO DE EMPRESAS DE MANUTENÇÃO AERONÁ ?· AVALIAÇÃO DE EMPRESAS DE MANUTENÇÃO AERONÁUTICA…

  • Published on
    10-Nov-2018

  • View
    212

  • Download
    0

Embed Size (px)

Transcript

  • 2009 Brazilian Symposium on Aerospace Eng. & Applications 3rd CTA-DLR Workshop on Data Analysis & Flight Control Copyright 2009 by AAB September 14-16, 2009, S. J. Campos, SP, Brazil

    AVALIAO DE EMPRESAS DE MANUTENO AERONUTICA

    Marcio Cardoso Machado, marciocmachado@uol.com.br Parque de Material Aeronutico de So Paulo Ligia Maria Soto Urbina, ligia@ita.br Instituto Tecnolgico da Aeronutica ITA Donizeti de Andrade, donizeti@ita.br Instituto Tecnolgico da Aeronutica ITA Richard Rigobert Lucht, richard@ita.br Instituto Tecnolgico da Aeronutica ITA

    Este artigo tem o objetivo de trazer para o cenrio acadmico brasileiro uma anlise preliminar sobre a capacitao gerencial das empresas brasileiras de manuteno de material aeronutico no que se refere sua organizao e capacitao dos recursos humanos. Conforme levantamento bibliogrfico inicial verificou-se uma oportunidade de aprofundar o entendimento deste setor. Desta forma, foi realizada uma pesquisa exploratria inicial comparando algumas iniciativas de empresas americanas e europias com aquelas realizadas pelas empresas nacionais. Keywords: Gesto, Manuteno , Organizao

    1. INTRODUO

    No Brasil existem cerca de quatrocentas empresas de manuteno homologadas pela Agncia Nacional de Aviao

    Civil (ANAC) que esto distribudas por todo o territrio nacional, com predominncia nas regies Sul e Sudeste. Essas empresas tm a responsabilidade de fazer retornar ao servio todo material aeronutico que necessite de reparo ou manuteno. Segundo dados do Centro de Investigao e Preveno de Acidentes Aeronuticos - CENIPA (2007) cerca de 20% dos acidentes envolvendo aeronaves civis tem como um fator contribuinte a manuteno de materiais aeronuticos. Em levantamento feito pelo Quinto Servio Regional de Aviao Civil (SERAC 5) foram apresentadas as principais no-conformidades dos sistemas de manuteno aeronutica no Brasil que vo desde o controle de manuais de manuteno at a falta de rastreabilidade dos materiais utilizados. Estas informaes reforam o pressuposto da necessidade de um entendimento maior sobre as atividades de manuteno executadas por empresas do setor aeronutico nacional.

    Este artigo tem o objetivo de trazer para o cenrio acadmico brasileiro uma anlise preliminar sobre a capacitao gerencial das empresas brasileiras de manuteno de material aeronutico no que se refere sua organizao e capacitao dos recursos humanos. Conforme levantamento bibliogrfico inicial verificou-se uma oportunidade de aprofundar o entendimento deste setor. Desta forma, foi realizada uma pesquisa exploratria inicial comparando algumas iniciativas de empresas americanas e europias com aquelas realizadas pelas empresas nacionais.

    2. ORGANIZAES DE MANUTENO AERONUTICA

    Conforme explica Da Costa (2008), no Brasil, o Regulamento Brasileiro de Homologao Aeronutica - RBHA 145

    - o documento que estabelece requisitos necessrios emisso de Certificados de Homologao de Empresas de Manuteno (CHE) de aeronaves, clulas, motores, hlices, rotores, equipamentos e partes dos referidos conjuntos. Estabelece ainda regras gerais de funcionamento para os detentores de tais certificados, definindo padres, classes, tipos de servio e limitaes para a emisso de cada CHE. A Manuteno subdividida em etapas, como manuteno preventiva, modificaes, reparos ou inspees. As empresas do ramo so classificadas em padres e classes. Seus certificados de homologao so limitados ainda manuteno, modificaes e reparos em um (ou mais de um) particular modelo de aeronave, motor, hlice, rotor, equipamento, acessrio ou instrumento de um particular fabricante, ou de um (ou mais de um) particular tipo de servio especializado de manuteno. Para que isto seja determinado, a empresa deve possuir dados suficientes sobre cada modelo referente ao equipamento no qual pretende efetuar a manuteno. Para que a manuteno ocorra com segurana, deve prover tambm locais adequados, de modo que o trabalho sendo executado seja protegido dos elementos atmosfricos, poeira e calor e os executantes estejam protegidos de condies fsicas e ambientais. Como possvel observar, o documento oficial para certificao de empresa de manuteno aeronutica procura classificar a empresa candidata ao certificado e estabelece regras gerais de funcionamento, porm no cita a necessidade de um sistema de gesto que atenda s especificidades do setor.

  • 2009 Brazilian Symposium on Aerospace Eng. & Applications 3rd CTA-DLR Workshop on Data Analysis & Flight Control Copyright 2009 by AAB September 14-16, 2009, S. J. Campos, SP, Brazil

    2.1. Capacitao dos recursos humanos

    Para que a garantia de qualidade do servio de manuteno aeronutico esteja ao alcance de todas as empresas, inclusive as de pequeno porte, o Brasil introduziu o programa de segurana intitulado GRM - Gerenciamento de Recursos de Manuteno. Este programa foi adaptado do americano MRM - Maintenance Resource Management, e representa uma coletnea de diversos estudos realizados no mundo por diversos psiclogos, tcnicos e especialistas.

    O GRM visa reduzir o erro humano e seus efeitos; aumentar a conscincia situacional individual e do grupo; melhorar a comunicao interna nas empresas; desenvolver habilidades para o trabalho em equipe e principalmente, criar uma cultura de segurana nas Organizaes de Manuteno Aeronutica. Desta forma, todos os departamentos de uma organizao de manuteno devem estar envolvidos.

    Auditorias Internas detectaram problemas diversos nestes departamentos, como problemas de comunicao. Uma pesquisa verificou que existem barreiras que impedem uma comunicao fluente entre mecnicos, ou entre mecnicos e chefes. At mesmo a Boeing (Indstria Aeronutica) verificou que tais fatos aconteciam em seus departamentos e depois que implementou medidas, concluiu que mecnicos tambm poderiam ensinar muito para a melhoria dos trabalhos na empresa. Depois de ouvir os mecnicos e a seus auxiliares, a Boeing implementou uma melhoria nos manuais de servios das suas aeronaves.

    Algumas dificuldades que contribuem para deficincias na comunicao so as trocas de turnos e de equipes e as prprias dificuldades decorrentes da necessidade de utilizar e interpretar no idioma ingls no trabalho, quando os trabalhadores tm outras lnguas nativas.

    Fatores psicolgicos advindos do estresse, da idade dos mecnicos (geralmente avanada), seu estado geral de sade, tabagismo, alcoolismo, medicamentos, alimentao e falta de descanso, devem ser rastreados e controlados de alguma forma. Conclui-se que o acompanhamento psicolgico no deve restringir-se apenas aos pilotos.

    O trabalho de GRM deveria atingir todo o Sistema de Manuteno. Conforme Wiener e Nagel (1988), os elementos desse sistema incluem pelo menos aeronaves, pessoal, treinamento, programas e facilidades. Reason (1997) complementa que falhas no sistema resultam em falhas na manuteno, pois que ambos esto intrinsecamente ligados.

    Dentre os trs tipos humanos de atividade que so universais nas situaes de risco: controle sob condies normais, controle em emergncia e atividades relacionadas com manuteno, a ltima envolve maiores problemas de fatores humanos. Alm disto, nos dois principais elementos da manuteno - desmontar e montar componentes, o ltimo resulta em maiores nmeros de acidentes (REASON, 2003).

    Esto envolvidos em GRM conhecimentos sobre erro, violao, omisso, falhas latentes, gerenciamento de custos e recursos, ateno e vigilncia, fadiga e muitos outros. Por isto o trabalho deve ser contnuo, executado por profissionais e devem estar includos nos sistemas de gesto das empresas que compem este setor.

    O GRM, contudo, no se desenvolveu como se esperava. Atualmente so observadas iniciativas isoladas por parte de empresa de manuteno que precisam cumprir determinados requisitos internacionais.

    2.2. Situao atual do setor de manuteno brasileiro

    Como j mencionado, o documento que estabelece requisitos necessrios emisso de Certificados de

    Homologao de Empresas de Manuteno (CHE) de aeronaves o Regulamento Brasileiro de Homologao Aeronutica - RBHA 145, fora do contexto nacional as empresas do setor aeronutico utilizam, nos EUA, o FAR 145 e, na Europa, o JAR 145. As prescries estabelecidas pelo RBHA 145 revelam a importncia do gerenciamento das organizaes de manuteno. No entanto, aparentemente no Brasil no se atribui importncia ao desenvolvimento de uma cultura organizacional voltada para a segurana. Este tipo de abordagem organizacional tem mais chance de afetar de modo substancial os fatores humanos, aumentando assim a segurana. Contudo, o que se observa nos dias de hoje nas organizaes ligadas aviao uma cultura de conteno de despesas e gastos com o intuito de aumentar ou recuperar de suas margens de lucro (FEDEL, BORGES, SANTOS e SOARES, 2006).

    Isto pode ser considerado um dado alarmante visto que quando se lida com segurana aeronutica, no se est tratando somente do equipamento (aeronave e suas partes). Assim essa postura que focaliza a reduo de custos em detrimento de investimentos em melhorias organizacionais, inclusive treinamento de mo de obra, afeta negativamente as vidas humanas que utilizam os servios oferecidos pelas empresas areas e tambm daquelas que so atingidas nos caso de acidentes.

    Estas informaes coincidem com o significativo aumento dos acidentes areos nos ltimos oito anos representados no grfico da Fig. 1.

  • 2009 Brazilian Symposium on Aerospace Eng. & Applications 3rd CTA-DLR Workshop on Data Analysis & Flight Control Copyright 2009 by AAB September 14-16, 2009, S. J. Campos, SP, Brazil

    Figura 1: Acidentes aeronuticos na aviao civil brasileira

    Fonte: CENIPA (2007)

    A linha vermelha no grfico representa a tendncia observada no aumento do nmero de acidente nos ltimos anos. Diante desses dados torna-se evidente a necessidade de esforos no sentido de conter essa progresso.

    Em 2003, no Seminrio de Segurana de Vo em Manuteno realizado pelo Quinto Servio Regional de Aviao Civil (SERAC 5) foram apresentadas as principais no-conformidades dos sistemas de manuteno aeronutica no Brasil.

    Falta de relao de controle dos Manuais (dos fabricantes) e status de revises desses manuais, o que garante a sua atualizao;

    Uso de cpias ao invs do original do Manual de Manuteno do Componente (CMM), o que no aceito pelas autoridades aeronuticas;

    Falta de Coletnea de Diretrizes de Aeronavegabilidade, que so as instrues corretivas expedidas pelos fabricantes para a execuo de servios em materiais que apresentaram falhas;

    Falta de calibrao em instrumentos e ferramentas de preciso, muito utilizadas para garantir torques e medidas; Recebimento de peas e estocagem. Vrios materiais encontrados em estoque nas empresas estavam sem condies

    de rastreabilidade ou at mesmo no havia um controle de peas neste estoque; Falta de controle de temperatura e umidade do estoque ou da oficina; Equipamentos eletrnicos guardados sem embalagem e descansados diretamente em prateleiras metlicas.

    Estes dados tcnicos de ineficincia do sistema de manuteno aeronutica brasileiro reforam a importncia de se observar mais proximamente as empresas brasileiras de manuteno de material aeronutico.

    3. METODOLOGIA

    Esta parte do trabalho descreve brevemente a metodologia utilizada para alcanar o objetivo deste trabalho, que foca

    na realizao de uma anlise preliminar sobre a capacitao gerencial das empresas brasileiras de manuteno de material aeronutico no que se refere sua organizao e capacitao dos recursos humanos. Esta anlise realizada utilizando-se como referncia iniciativas de empresas americanas e europias.

    O projeto de pesquisa um planejamento global e sua abordagem similar entre as diferentes reas do conhecimento. Entretanto, mtodos especficos para coletar e analisar os dados podem ser especificados de acordo com os objetivos da pesquisa, com as caractersticas dos dados que sero coletados ou com a especificidade da disciplina.

  • 2009 Brazilian Symposium on Aerospace Eng. & Applications 3rd CTA-DLR Workshop on Data Analysis & Flight Control Copyright 2009 by AAB September 14-16, 2009, S. J. Campos, SP, Brazil

    A categorizao dos mtodos de pesquisa em quantitativos e qualitativos apresentada nos dados da Tab. 1, no , contudo, absoluta. Isto quer dizer que as duas estratgias no podem ser claramente separadas. Reichardt e Cook (1979) argumentam que um pesquisador pode fazer uso de ambas as estratgias em sua pesquisa, j que alguns mtodos de pesquisa contemplam as duas e que existe uma sobreposio entre elas.

    A tcnica qualitativa de pesquisa, mais do que a quantitativa, possui alto grau de flexibilidade no que se refere utilizao de ferramentas para coleta de dados e para a explorao.

    Tabela 1 Caractersticas dos mtodos de pesquisa quantitativo e qualitativo

    Fonte: Adaptado de Leedy e Ormrod (2001).

    Questo Quantitativa Qualitativa

    Qual o propsito da pesquisa? Explicar e predizer Confirmar e validar Testar a teoria Orientada a resultados

    Descrever e explicar Explorar e interpretar Construir teoria Orientada a processos

    Qual a natureza do processo de pesquisa?

    Variveis conhecidas Diretrizes estabelecidas Projeto esttico Livre de contexto Viso impessoal

    Variveis desconhecidas Diretrizes flexveis Projeto emergente Ligado ao contexto Viso pessoal

    Grandes amostras. Representativos. Pequenas amostras. Informativos. Quais os mtodos para a coleta de dados?

    Instrumentos padronizados Entrevistas e observaes

    Qual a lgica na anlise? Anlise dedutiva Anlise indutiva Como as descobertas so comunicadas?

    Nmeros Estatstica, dados agregados.

    Palavras Narrativas, citaes individuais

    Confrontando as caractersticas citadas nos dados da Tab. 1 e o objetivo apresentado neste artigo, a abordagem

    cientfica tradicional hipottico-dedutiva, que se baseia em hipteses e teorias estabelecidas, no parece ser apropriada. Portanto, mtodos de pesquisas qualitativos sero adotados para alcanar os objetivos propostos no detalhamento da pesquisa.

    Na seleo do mtodo de pesquisa, outro fator considerado foi o tipo de dados que devem ser coletados. Os dados e a metodologia de pesquisa so intrinsecamente interdependentes (LEEDY E ORMROD, 2001). Por esta razo, a metodologia de pesquisa a ser usada para um particular problema de pesquisa deve sempre levar em conta a natureza dos dados que sero coletados. Isto possibilita resolver o problema desta pesquisa, cujas caractersticas dos dados foram, primeiramente, a informao verbal das prticas nas indstrias e as teorias acadmicas relacionadas. Desta forma, a estratgia qualitativa foi mais apropriada do que as estratgias quantitativas. Assim, foi inicialmente utilizado um estudo de campo, pois, proporciona codificar os dados em categorias identificando inter-relaes. Este mtodo envolveu levantamento bibliogrfico; entrevistas; participao em congresso e anlise de exemplos que estimulem a compreenso.

    A coleta de informaes sobre empresas fora do Brasil foram feitas a partir de dados secundrios e participao no Primeiro Simpsio de Gesto e Manuteno Aeronutica, no Texas, em maro de 2009, promovido pelo Professional Aviation...

Recommended

View more >