Boletim de Conjuntura Econômica

  • Published on
    06-Mar-2016

  • View
    212

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Boletim de Conjuntura Econmica

Transcript

<ul><li><p>WBOLETIM DE CONJUNTURA ECONMICA FLUMINENSE </p><p>Julho de 2012 - Ano IV - n 5 - Ms de referncia: maio</p><p>3 anos</p></li><li><p>O Boletim de Conjuntura Econmica Fluminense uma publicao mensal da CAPE - Coordenadoria de Acompanha-mento Conjuntural e Pesquisas Econmi-cas da Fundao Ceperj.</p><p>Fundao Centro Estadual de Estatsticas, Pesquisas e Formao de Servidores Pblicos do Rio de Janeiro - CEPERJCentro de Estatsticas, Estudos e Pesquisas - CEEPSite: www.ceperj.rj.gov.brE-mail: ceep@ceperj.rj.gov.brTel.: 21 2334-7320 / 7314</p></li><li><p>Apresentao 02</p><p>Desempenho por setor 03</p><p>Indstria 04</p><p>Comrcio 05</p><p>Emprego 06</p><p>Arrecadao ICMS 07</p><p>Sumrio</p></li><li><p>Boletim de Conjuntura Econmica Fluminense</p><p>ExpedienteFundao Centro Estadual de Estatsticas,Pesquisas e Formao de Servidores Pblicosdo Rio de Janeiro - CEPERJ</p><p>PresidenteJorge Guilherme de Mello Barreto</p><p>Centro de Estatsticas, Estudos e Pesquisas - CEEP</p><p>Diretor Epitcio Brunet</p><p>Coordenadoria de Acompanhamento Conjunturale Pesquisas Econmicas - CAPE</p><p>Equipe Tcnica ResponsvelArmando de Souza FilhoRodrigo Santos MartinsSerfita Azeredo vila</p><p>Assessoria de ComunicaoEloisa Leandro</p><p>ColaboraoThas Farias</p><p>Projeto grfico e DiagramaoPaloma Oliveira</p><p>ImpressoGrfica Ceperj</p><p>Tiragem500 exemplares</p><p>APRESENTAO</p><p>O Boletim de Conjuntura Econmica Fluminense, elaborado pelo Centro de Estatsticas, Estudos e Pesquisas CEEP, tem por objetivo acompanhar mensalmente a economia do estado do Rio de Janeiro, bem como fornecer subsdios aos gestores pblicos para tomada de decises.</p><p>Os indicadores aqui apresentados refletem, de fato, um acompanhamento da economia fluminense dentro das limitaes impostas pela indisponibilidade de algumas informaes relevantes.</p><p>Os dados analisados referem-se s Indstrias Extrativa, de Transformao, de Construo Civil e ao Comrcio - que contribuem para o clculo da taxa de variao do Produto Interno Bruto (PIB) - e so complementados com os do Mercado do Trabalho, do Comrcio Exterior, alm da arrecadao do Imposto sobre Circulao de Mercadorias e Servios (ICMS). Os setores examinados, em termos de PIB e de emprego, representam 60% da economia do Estado.</p><p> Para a elaborao deste documento foram utilizadas </p><p>pesquisas do IBGE (Pesquisa Industrial Mensal Produo Fsica, Pesquisa Mensal de Comrcio, Pesquisa Mensal de Emprego); do Ministrio do Trabalho e Emprego (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados); do Ministrio da Fazenda; da Secretaria de Comrcio Exterior SECEX; da Secretaria de Estado de Fazenda (Arrecadao Mensal de ICMS); do Sindicato Nacional da Indstria do Cimento SNIC; e da Federao das Indstrias do Rio de Janeiro FIRJAN.</p><p>Fundao Ceperj @fundacaoceperj</p></li><li><p>Julho de 2012 - Ano IV - Nmero 4</p><p>As medidas adotadas pelo governo para estimular as vendas e a produo surtiram efeito. No ms de maio de 2012, em relao abril do mesmo ano, a indstria de transformao cresceu 1,1% beneficiada principalmente pelo aumento na produo do setor automobilstico (15,5%), fato confirmado pelas estatsticas da Firjan, cujas Vendas Reais da indstria </p><p>1cresceram 10,6%. O comrcio varejista, que teve crescimento perto de zero, apresentou como destaques negativos as vendas de mveis e de automveis. O emprego formal, seguindo essa tendncia, contratou no ms de abril 5,6% a menos do que no ms de maro.</p><p>2 3</p><p>DESEMPENHO POR SETOR (em julho de 2012)</p><p>As medidas adotadas pelo governo para estimular as vendas e a produo aumentaram a fabricao e a comercializao de veculos</p></li><li><p>Boletim de Conjuntura Econmica Fluminense</p><p>Desempenho mensal da Economia Fluminense Maio de 2012</p><p>2.1- Indstria Extrativa, de Transformao e da Construo Civil </p><p>2Em maio, a produo industrial do Rio de Janeiro, medida </p><p>pela Pesquisa Industrial Mensal do IBGE, com ajuste sazonal, registrou aumento de 1,1% em relao a abril. Na comparao com igual ms do ano anterior (maio de 2011) observou-se uma reduo de 5,1% na Indstria Geral, um desempenho negativo de 6,4% na Indstria de Transformao e um acrscimo de 1,3 % na Extrativa (petrleo/gs).</p><p>Ainda comparando com maio de 2011, o principal impacto negativo veio de veculos automotores (-26,4%), influenciado, principalmente, pela menor fabricao de caminhes e automveis. Vale tambm citar os recuos de alimentos (-16,7%), de bebidas (-13,19) e de metalurgia bsica (-6,3%), influenciados, principalmente, pela queda na produo de caf torrado e modo, produtos embutidos ou de salamaria e preparaes e conservas de peixes, no primeiro ramo, e de </p><p>folhas de flandres, vergalhes de aos ao carbono e ligas de alumnio em formas brutas, no ltimo.</p><p>Por sua vez, os indicadores da FIRJAN mostraram, ainda neste ms de maio em relao a abril de 2012, aumento de 10,6% nas vendas reais e de 6,8% nas horas trabalhadas. Quanto utilizao da capacidade instalada, o resultado de maio de 2012 foi de 81,9%, portanto superior ao registrado no ms anterior (80,8%).</p><p>Em relao indstria da construo civil, medida indiretamente atravs do consumo de cimento, em maro de 2012, ltimo dado disponvel, registrou-se acrscimo de 21,1% em relao ao ms anterior e de 12,8% no acumulado de janeiro a maro de 2012. Com relao a maro de 2011 ocorreu um crescimento de 24,3%.</p></li><li><p>Julho de 2012 - Ano IV - Nmero 4</p><p>2.2 - Comrcio Varejista e do Exterior</p><p>De acordo com a Pesquisa Mensal de Comrcio do IBGE, o comrcio varejista do estado do Rio de Janeiro apresentou, em maio de 2012, resultado negativo na comparao com o ms anterior (sries ajustadas sazonalmente), assinalando variao de -0,5 % no volume de vendas, parecido com o do Pas que foi de -0,8. Nas demais comparaes, obtidas das sries sem ajustes, o comrcio varejista fluminense obteve, em termos de volume de vendas, um acrscimo da ordem de 2,2 % sobre o ms de maio de 2011 e de 3,1% no acumulado.</p><p>Das atividades pesquisadas pelo IBGE, extradas das sries sem ajustamento, duas obtiveram quedas no volume de vendas no ms de maio; Supermercados (-1,5%) e Equipamentos de informtica e comunicao (-10,3%). As demais atividades apresentaram crescimento nas vendas, a saber: Tecidos, vesturio e calados (33,6%); Mveis e eletrodomsticos (8,2%). Livros e papelaria (8,3%); Artigos Farmacuticos (7,3%); Outros artigos de uso pessoal (1,0 %); Combustveis e lubrificantes (0,4 %).</p><p>Com relao comparao Maio 12/ Maio 11 (srie sem ajuste), quase todas as atividades do varejo pesquisadas apresentaram taxa de variao positiva no volume de vendas, conforme os registros a seguir: Combustveis (+16,1%); Artigos farmacuticos (+6,2 %); Livros e jornais (3,2%); Tecido e vesturio (+2,9%); Hipermercados e supermercados (+1,2%); Mveis e eletrodomsticos (+1,0%). As variaes negativas ocorreram com Outros artigos de uso pessoal e domstico </p><p>(-1,5%) e Equipamentos de informtica e comunicao (-11,2 %). As atividades de Veculos e motos e de Material de Construo, que esto contempladas nas estatsticas do Comrcio Varejista ampliado, registraram as seguintes taxas (-6,3 %) e (+12,8%), respectivamente.</p><p>Quanto ao comrcio exterior, a balana comercial do estado do Rio de Janeiro apresentou um saldo positivo, em maio de 2012, de US$ 450,3 milhes. Contriburam para este supervit as exportaes de leo bruto de petrleo pela Petrobras, que representaram 64% das exportaes fluminenses.</p><p>4 5</p><p>Fonte: IBGE, PIM-PF,. Elaborao: Fundao Ceperj - CEEP</p><p>Grfico 2ndice de volume da Indstria</p><p>Estado do Rio de Janeiro - Maio 2011 - Maio 2012</p><p>Ind. Extrativa</p><p>Ind. Geral</p><p>Ind. Transformao</p><p>Setor de vesturio cresceu 1,9%, em relao ao ano passado</p></li><li><p>Boletim de Conjuntura Econmica Fluminense</p><p>2.3 - EmpregoEm maio de 2012, segundo dados do CAGED (Cadastro </p><p>Geral de Empregados e Desempregados), verificou-se um aumento de 0,28% no nvel de empregos em relao ao estoque de trabalhadores assalariados, no estado do Rio de Janeiro. Foram acrescentados 12.030 postos de trabalho. Tal </p><p>acrscimo deveu-se principalmente ao saldo positivo nos empregos do setor de Servios (+6.276 postos) e Construo Civil (+2.271). Comparando-se o acumulado de janeiro a maio de 2012 com o mesmo perodo do ano anterior, houve queda de 14,9% no saldo de empregos formais.</p><p>Fonte: IBGE, Pesquisa Mensal do Comrcio</p><p>Grfico 3ndice de Volume do Comrcio Varejista</p><p>Brasil e Estado do Rio de Janeiro - Mai 11/ Mai 12</p><p>Brasil</p><p>Rio de Janeiro</p></li><li><p>Julho de 2012 - Ano IV - Nmero 4</p><p>Pesquisa Mensal de Emprego (PME)</p><p>Ao se analisar o emprego no ms de maio, medido pela Pesquisa Mensal de Emprego - PME, observa-se que a taxa de desocupao na Regio Metropolitana do Rio de Fevereiro foi de 5,2%, ficando abaixo da mdia nacional (5,8%). As demais regies metropolitanas da Regio Sudeste apresentaram as seguintes taxas de desemprego: Regio Metropolitana de Belo Horizonte, 5,1% e Regio Metropolitana de So Paulo, 6,2%, conforme pode se observar no Grfico 4.</p><p>Na Regio Metropolitana do Rio de Janeiro a taxa de desocupao em maio de 2012 (5,2%) foi inferior a de abril de 2012 (5,6%) e a de maio de 2011 (5,4%). A populao ocupada, com aproximadamente 5.470 mil pessoas, se manteve estvel no ms e cresceu 2,9% em relao a maio de 2011. Por sua vez, o rendimento mdio real da populao ocupada foi estimado em R$ 1.789,70 no ms de maio de 2012, permanecendo estvel em relao ao ms anterior e aumentando 0,4 % na comparao com maio do ano anterior.</p><p> Inclui Dvida Ativa, Multa e Mora.</p><p>2.4 - Arrecadao do ICMS</p><p>O Estado do Rio de Janeiro, dentre os principais estados arrecadadores de ICMS da Regio Sudeste, em maio de 2012, apresentou melhor performance, revelada pelo crescimento real de 7,3% no acumulado do ano, contra 6,0% de Minas Gerais e 1,4% de So Paulo, segundo os ltimos dados divulgados pelo Ministrio da Fazenda .</p><p>A Receita de ICMS de maio de 2012 totalizou R$ 2.029,2 milhes, indicando crescimento real de 1,7% no acumulado do ano e decrscimos de 9,4% na variao mensal (mai-2012/mai-2011) e de 13,7% (mai-2012/abr-2012). No comparativo mensal relativo a igual ms do ano anterior o comrcio revelou boa performance (7,1%), enquanto a Indstria e os servios registraram taxas negativas de 19,9% e 5,3%, respectivamente, segundo dados da Secretaria de Estado de Fazenda.</p><p>A arrecadao de ICMS, nas principais atividades econmicas, em abril de 2012, comparada ao mesmo ms do ano anterior, apresentou o seguinte comportamento: Refino de petrleo revelou decrscimo de 56,7%, com perda de participao de 5,8 pontos percentuais (passou de 11,6% para 5,8%); Eletricidade, gs e outras utilidades, queda de 12,7%, com ganho de 0,2 p.p.; e Informao e Comunicao, crescimento de 9,3%, com ganho de 3,6 p.p.( 13,6% para 17,2%).</p><p>Nos demais setores industriais, merecem destaque o crescimento de Metalurgia (+37,9%) e Informtica, eletrnicos e pticos (+23,0%), alm da queda de Bebidas (-29,1%). No Comrcio varejista, os principais setores apresentaram retrao: hipermercados e supermercados (-5,5%); Tecidos e vesturio (-4,9%); e Artigos farmacuticos (-9,7%).</p><p> Total de pessoas desocupadas dividido pela Populao Economicamente Ativa - PEA (Populao entre 15 e 65 anos que esto trabalhando ou procurando emprego).</p><p>6 7</p><p>1</p><p>2</p><p>Grfico 4Taxa de Desocupao por Regio Metropolitana e Total das reas PME. (%)</p><p>Maio 11 / Maio 12</p><p>Fonte: Pesquisa Mensal de Emprego, IBGE. Elabaorao: Fundao Ceperj - CEEP</p><p>SP</p><p>Total</p><p>RJBH</p></li><li><p>Boletim de Conjuntura Econmica Fluminense</p><p>Grfico 5Taxa de Desocupao por Regio Metropolitana e Total das reas PME. (%)</p><p>Maio 11 / Maio 12</p><p>Fontes: SEF. Elaborao FUNDAO CEPERJ - CEEP</p><p>-</p><p>500 </p><p>1.000 </p><p>1.500 </p><p>2.000 </p><p>2.500 </p><p>3.000 </p><p>mai/11</p><p>jun/11</p><p>jul/11</p><p>ago/11</p><p>set/11</p><p>out/11</p><p>nov/11</p><p>dez/11</p><p>jan/12</p><p>fev/12</p><p>mar/12</p><p>abr/12</p><p>mai/12</p><p>agric com. ind serv outros total</p><p>mai/11</p><p>jun/11</p><p>jul/1</p><p>1</p><p>ago/11</p><p>set/1</p><p>1</p><p>out/1</p><p>1</p><p>nov/11</p><p>dez/11</p><p>jan/12</p><p>fev/12</p><p>mar/12</p><p>abr/12</p><p>mai/12</p></li><li><p>Julho de 2012 - Ano IV - Nmero 4</p><p>Um dos principais impactos negativos foi a indstria de Veculos Automores que teve variao de -29,7% em relao a abril de 2011</p></li><li><p>Av. Carlos Peixoto, 54 - Botafogo - 5 andarCEP: 22290-090 Tel.: 2334-7320 / 7314</p><p>Dvidas, crticas e sugestes:ceep@ceperj.rj.gov.br</p><p>Boletim disponvel em:www.ceperj.rj.gov.br</p></li></ul>