Cadernos de Excelência - Sociedade

  • Published on
    26-Oct-2015

  • View
    13

  • Download
    1

Embed Size (px)

Transcript

<ul><li><p>CADERNOS DE EXCELNCIA </p><p>SOCIEDADE</p></li><li><p>2 | Cadernos de Excelncia FNQ | Sociedade</p><p>MISSO</p><p>Disseminar os fundamentos da excelncia em gesto para o aumento de competitividade das organizaes e do Brasil. </p><p>VISO</p><p>Ser um dos principais centros mundiais de estudo, debate e irradiao de conhecimento sobre excelncia em gesto. </p><p>Fundao Nacional da Qualidade</p><p>Cadernos de Excelncia: Sociedade / Fundao Nacional da Qualidade. So Paulo: Fundao Nacional da Qualidade, 2008. (Srie Cadernos de Excelncia, n. 4.)</p><p>Inclui bibliografiaISBN 978-85-60362-50-9</p><p>1. Critrios de Excelncia. 2. Fundao Nacional da Qualidade. 3. Gesto da Qualidade Total. 4. Excelncia empresarial. 5. Sociedade.</p><p> CDD 658.562</p><p>SRIE CADERNOS DE EXCELNCIA</p><p>RESPONSABILIDADE</p><p>Marcelo Marinho Aidar Superintendente de Premiao e Aplicaes do MEG</p><p>REDAO</p><p>COORDENAO GERALPaulo Sergio Duarte de Almeida Valladares</p><p>EQUIPECaio Mrcio Becker SoaresCarlos Amadeu SchauffCesarino Carvalho JniorFrancisco Paulo UrasJoaquim Emanuel SantiniJorge Emanuel Reis CajazeiraMauro Sergio Sguerra PaganottiOdair Mesquita QuintellaRicardo MottaRodolfo CardosoRonaldo Darwich Camilo</p><p>REVISO ORTOGRFICA E GRAMATICALFernando PachiOdair Mesquita Quintella</p><p>AGRADECIMENTOS</p><p>A equipe de redao agradece a Jairo Barreto dos Santos pelas crticas e sugestes ao Caderno Liderana.</p><p>COLABORAO</p><p>C. Adriano SilvaCarla Marina SorianoChristiane Rodrigues</p><p>PROJETO E PRODUO GRFICA</p><p>Inah de Paula Comunicaes</p><p> DIREITOS RESERVADOS</p><p>Proibida a reproduo total ou parcial desta publicao sem o prvio consentimento, por escrito, da FNQ.</p><p>Publicado por</p></li><li><p>Sociedade | Cadernos de Excelncia FNQ | 3</p><p>APRESENTAO</p><p> Introduo ao Modelo de Excelncia da Gesto (MEG) </p><p> Liderana</p><p> Estratgias e Planos</p><p> Clientes</p><p> Sociedade</p><p> Informaes e Conhecimento</p><p> Pessoas</p><p> Processos</p><p> Resultados</p><p> Auto-avaliao e Gesto de Melhorias</p><p>Escritos em linguagem acessvel, os Cadernos de Excelncia descrevem como os requisitos dos Critrios de Excelncia podem ser implementados a partir de solues prticas, sem carter prescritivo. Como ilustraes, so apresentados exemplos de empresas finalistas ou vencedoras do PNQ, revelando o quanto podem ser proativas, refinadas ou ino-vadoras as abordagens adotadas. No caso da sua utilizao por organizaes pblicas, alguns conceitos como cliente, mercado e concorrncia precisam ser adaptados.</p><p>Espera-se que o leitor seja estimulado a consultar os Cadernos sempre que necessrio e que se beneficie com os exemplos apresentados. A srie est disponvel tambm em meio eletrnico www.fnq.org.br. </p><p>Equipe de Redao</p><p>Este Caderno compe a srie Cadernos de Excelncia, que tem por finalidade divulgar o Modelo de Excelncia da Gesto (MEG) da FNQ Fundao Nacional da Qualidade. Destina-se a esclarecer as dvidas de seus usurios sobre o Modelo e a satisfazer aqueles que desejam aprofundar seus conhecimentos sobre seu contedo. uma va-liosa ferramenta para quem pretende aperfeioar-se como membro da Banca Examinadora do Prmio Nacional da Qualidade (PNQ), aprimorar a gesto de sua organizao ou preparar uma candidatura ao PNQ.</p><p>O Modelo de Excelncia da Gesto (MEG) est apresentado na publicao Critrios de Excelncia, editada, anu-almente, pela FNQ. Para uma leitura mais eficaz dos Cadernos desta srie, recomenda-se que seja efetuada em conjunto com os Critrios de Excelncia.</p><p>Os Cadernos de Excelncia so publicados na forma de fascculos, de modo a tornar a leitura mais agradvel e a facilitar seu manuseio. A srie est organizada em dez volumes:</p></li><li><p>4 | Cadernos de Excelncia FNQ | Sociedade</p><p>SUMRIO</p><p>APRESENTAO ....................................................................................................................3</p><p>INTRODUO ........................................................................................................................5</p><p>O CRITRIO SOCIEDADE ...................................................................................................6</p><p>Responsabilidade socioambiental ........................................................................................6</p><p>Desenvolvimento social .....................................................................................................14</p><p>BIBLIOGRAFIA......................................................................................................................18</p><p>SOCIEDADE</p></li><li><p>Sociedade | Cadernos de Excelncia FNQ | 5</p><p>INTRODUO</p><p>Toda organizao deve orientar sua atuao com base em seu relacionamento tico e transparente com todas as partes interessadas, visando ao desenvolvi-mento sustentvel. Nesse sentido, deve preservar os recursos ambientais e culturais para geraes futuras, respeitando a diversidade e promovendo a reduo das desigualdades sociais. O exerccio da cidadania pressupe o apoio a aes de interesse social, podendo incluir a educao e a assistncia comunitria, a promo-o da cultura, do esporte e do lazer, e a participao no desenvolvimento nacional, regional ou setorial. A liderana na cidadania implica influenciar outras orga-nizaes, pblicas ou privadas, a se tornarem parceiras nestes propsitos e, tambm, estimular as pessoas de sua prpria fora de trabalho a se engajarem em ativi-dades sociais.</p><p>A organizao que pretende implementar uma cul-tura da excelncia deve estar preparada para atuar proativamente no que se refere ao atendimento das necessidades da sociedade. Para essa organizao, no suficiente atender aos requisitos legais e regulamen-tares; necessrio procurar super-los, com a convico de que ao longo do tempo os requisitos sero cada vez mais exigentes, em funo dos nveis crescentes de conscientizao da sociedade.</p><p>H indicaes de que as organizaes tm evolu-do muito nos processos internos de produo e de apoio, a partir do uso de novas tecnologias. Esses processos trazem resultados financeiros. Tambm h evoluo significativa no Critrio Pessoas. Entretanto, muitas aes ainda so necessrias para que as empresas brasileiras atinjam um grau de excelncia compatvel com os requisitos do mundo moderno, a exemplo da responsabilidade socioambiental.Jos Manuel de Aguiar Martins Diretor-geral do SenaiFonte: FNQ: Classe Mundial, 2005.</p></li><li><p>6 | Cadernos de Excelncia FNQ | Sociedade</p><p>O CRITRIO SOCIEDADE</p><p>A estruturao do Critrio Sociedade est baseada principalmente no fundamento Responsabi-lidade Social, que pressupe o reconhecimento da comunidade e da sociedade como partes interessadas da organizao. O valor da organizao depende de sua credibilidade perante a sociedade e de seu reconhecimento pblico. Por esta razo, o zelo com a imagem perante a sociedade elemento fundamental para o sucesso e a perenidade da organizao. Outro fun-damento relacionado com o Critrio Sociedade o Pensamento Sistmico, pela importncia do entendimento das relaes de interdependncia existentes entre a organizao e o ambien-te externo. O fundamento Liderana e Constncia de Propsitos tambm orienta a estruturao deste Critrio, pela importncia do papel da Direo na incorporao da cultura necessria ao desenvolvimento sustentvel.</p><p>Desenvolvimento sustentvel: desenvolvimento que satisfaz as necessidades pre-sentes sem comprometer a capacidade das futuras geraes de satisfazerem suas prprias necessidades.Gro Harlem Brundtland, 1987, presidente da Comisso Mundial de Meio Ambiente.</p><p>O Critrio Sociedade contempla dois temas: Responsabilidade socioambiental e Desen-volvimento social.</p><p>A Responsabilidade socioambiental contm requisitos cuja finalidade orientar a orga-nizao para a importncia de minimizar quaisquer impactos negativos que seus processos, produtos e instalaes possam representar para a sociedade, bem como para a conservao dos recursos e a preservao dos ecossistemas. importante destacar que esses conceitos devem ser considerados durante todo o ciclo de vida do produto, ou seja, desde o projeto at a disposio final. </p><p>O Desenvolvimento social rene os requisitos necessrios para que uma organizao di-recione sua fora de trabalho e parceiros para o fortalecimento da sociedade, por meio de projetos sociais alinhados s necessidades das comunidades. </p><p>RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL</p><p>Este tema enfoca como a organizao contribui para o desenvolvimento sustentvel, por meio da minimizao dos impactos negativos potenciais de seus produtos, processos e insta-laes na sociedade, e pela forma como envolve as partes interessadas nas questes relativas responsabilidade socioambiental. importante destacar que o tema trata dos impactos tanto sociais como ambientais desde o projeto at a disposio final. </p><p>O quadro 1 apresenta as principais inter-relaes com os demais temas dos Critrios de Ex-celncia.</p></li><li><p>Sociedade | Cadernos de Excelncia FNQ | 7</p><p>Quadro 1: Principais inter-relacionamentos.</p><p>Principais temas que influenciam Motivos da influncia</p><p>Tema sob considerao</p><p>Principais temas influenciados Conseqncias da influncia</p><p>Anlise do desempenho da </p><p>organizao</p><p>As concluses da anlise de desem-penho devem ser consideradas para a </p><p>correo de rumos dos processos relati-vos responsabilidade socioambiental</p><p> Respon-sabilidade </p><p>socioambiental</p><p>Governana corporativa e </p><p>liderana</p><p>Os aspectos e impactos sociais e am-bientais identificados podem significar </p><p>riscos empresariais significativos</p><p>Implementao das estratgias</p><p>As metas e iniciativas estabelecidas devem ser desdobradas para os proces-sos relativos sociedade. Informaes relevantes devem ser comunicadas </p><p>sociedade</p><p>Formulao das estratgias</p><p>A anlise das caractersticas estruturais do setor de atuao e a anlise do ma-croambiente e do mercado de atuao </p><p>devem contemplar os aspectos e os impactos socioambientais causados </p><p>pelo setor e pela organizao</p><p>Processos princi-pais do negcio e </p><p>processos de apoio</p><p>Na fase de projeto dos processos, podem ser identificados impactos ambientais e sociais na sociedade</p><p>Desenvolvimento social</p><p>A conscientizao e o envolvimento das pessoas alinhadas na fora de </p><p>trabalho e dos fornecedores apiam a execuo dos projetos sociais ou volta-dos para o desenvolvimento nacional, </p><p>regional ou setorial</p><p>Capacitao e desenvolvimento</p><p>As aes de conscientizao da fora de trabalho nas questes relativas responsabilidade socioambiental </p><p>podem representar necessidades de capacitao e desenvolvimento</p><p>Processos princi-pais do negcio e </p><p>processos de apoio </p><p>As aes de eliminao ou minimiza-o dos impactos sociais e ambientais dos processos e instalaes podem re-presentar requisitos para os processos da organizao. As pendncias e even-tuais sanes podem ser causadas pela falta de conformidade nos processos</p><p>Processos de rela-cionamento com os fornecedores</p><p>A conservao de recursos no renovveis e a minimizao do uso </p><p>de recursos renovveis com vistas ao desenvolvimento sustentvel devem </p><p>envolver o fornecedor, que deve ser conscientizado e envolvido nas </p><p>questes relativas responsabilidade socioambiental</p><p>Resultados relati-vos sociedade</p><p>As prticas voltadas responsabi-lidade socioambiental influenciam </p><p>diretamente os resultados relativos sociedade</p><p>Fonte: FNQ, 2007.</p><p>ELIMINAO OU MINIMIZAO DOS IMPACTOS SOCIAIS E AMBIENTAIS</p><p>Para que consiga minimizar ou mesmo eliminar os impactos negativos (sociais e ambien-tais) decorrentes de suas atividades, a organizao deve, inicialmente identificar quais so os impactos potenciais. Note-se que as prticas utilizadas para essa identificao devem abranger todo o ciclo de vida do produto, desde o projeto, passando pela aquisio das ma-trias-primas, produo, transporte e uso, at a disposio final. importante que entre os impactos ambientais a serem considerados, sejam includos o uso de recursos, agresses ao meio ambiente, rudo etc. Com relao a impactos sociais, estes podem ser relacionados sade humana, qualidade de vida e atividade econmica das populaes impactadas pelas atividades da organizao e outros.</p></li><li><p>8 | Cadernos de Excelncia FNQ | Sociedade</p><p>O tratamento dos impactos identificados, visando a sua eliminao ou minimizao, requer a avaliao da relevncia dos impactos identificados e dos riscos envolvidos, considerando, sempre que pertinente, implicaes legais, compromissos assumidos com partes interessa-das e anseios explcitos e implcitos de partes interessadas e da sociedade como um todo. Metodologias como FMEA, Hazop e outras, voltadas avaliao de riscos, podem ser de grande valia para essa finalidade. Essas avaliaes devem orientar a organizao no estabe-lecimento de metas e mtodos para tratamento dos impactos identificados. </p><p>Para os impactos ambientais, a Dana Albarus Diviso de Cardans utiliza a Planilha de Identificao de Aspectos e Impactos Ambientais. Estas planilhas visam identificar aspectos como resduos slidos, lquidos e emisses gasosas, avaliando os impactos po-tenciais associados a cada um destes quanto sua severidade, abrangncia, freqncia com que o aspecto ambiental gerado e avaliao dos controles operacionais existentes. A magnitude do impacto avaliada por meio da pontuao dos critrios acima descritos (severidade, escala, freqncia e controle). De acordo com a magnitude, os aspectos so tratados e aes so priorizadas por meio da definio de objetivos e metas ambientais junto Alta Administrao. Todos os aspectos significativos recebem tratamento espe-cial por meio de um processo de treinamento e conscientizao ambiental especfico para todas as pessoas que realizam tais tarefas e do estabelecimento de controles ope-racionais, como instrues de trabalhos, pisos impermeveis, tratamento dos resduos gerados (incluindo reciclagem, tratamento de efluentes, co-processamento) e sistemas de exausto com filtro. Dentro da ttica de integrao de sistemas, realiza-se uma ava-liao dos perigos e riscos relacionados sade e segurana por meio da elaborao de FMEAs de segurana. Da mesma forma, todas as atividades so avaliadas por meio de planilhas de perigos e riscos, estabelecendo-se controles operacionais e melhorando os processos para minimizar riscos.Fonte: FNQ: Relatrio da Gesto, Dana Albarus - Diviso de Cardans, 2003.</p><p>A Gerdau Aos Finos Piratini foi a primeira unidade do grupo a avaliar todas as ativida-des relacionadas com os aspectos ambientais de seus produtos, processos e instalaes quanto ao seu impacto potencial nos meios fsico, biolgico e antrpico. Esta avaliao conduzida pela Comisso Interna de Meio Ambiente (CIMA) e pelas reas, que identificam as atividades das clulas operacionais que possuam aspectos ambientais e avaliam seus possveis impactos. Os aspectos ambientais so identificados levando-se em considerao as entradas e sadas associadas s atividades, processos e operaes da usina. Consideram-se, tambm, as situaes normais de operao, as de parada e partida e as potenciais emergncias. A magnitude do impacto que um aspecto pode acarretar dimensionada por meio de pontuao, segundo critrios de escala, severidade, proba-bilidade de ocorrncia e durao. De acordo com a pontuao, os impactos so tratados em planos de ao ambientais especficos para todas as reas da usina.Fonte: FNQ: Relatrio da Gesto, Gerdau Aos Finos Piratini, 2002.</p><p> necessrio o estabelecimento de aes e metas para orientar o tratamento dos impactos sociais e ambientais. O tratamento destes impactos compreende a sua eliminao, mini-mizao ou compensao para os produtos, os processos e as instalaes da organizao, desde o projeto at a disposio final...</p></li></ul>