Cia providência

  • Published on
    25-Jul-2015

  • View
    1.147

  • Download
    0

Embed Size (px)

Transcript

1. Reunio com InvestidoresINI - SP - Junho de 2010 2. Agenda 1) A Companhia 2) Setorial 3) Destaques 4) Resultados 1T10 5) Perspectivas 3.

  • VISO
  • Sermos mundialmente reconhecidos como o melhor fornecedor de notecidos

Fundamentos

  • MISSO
  • Atender, ampliar e consolidar o mercado de notecidos com sustentabilidade e mxima gerao de valor.
  • VALORES
  • Melhoria continua em nossos processos, atividades e relacionamentos
  • Antecipao e agilidade no relacionamento com clientes
  • Disciplina no cumprimento das normas de conduta e procedimentos de trabalho
  • Busca contnua pela liderana em inovao tecnolgica aplicada ao negcio
  • PRINCPIOS
  • tica
  • Desenvolvimento humano permanente
  • Transparncia
  • Integridade
  • Respeito aosstakeholders
  • Cultura da excelncia
  • Meritocracia

4.

  • 27,5% das aes da Cia Providncia, so negociadas no mercado;
  • A Cia tem como Market Maker, o BTG Pactual;
  • Debntures emitidas e classificadas na categoria A pela agncia de Rating Standard & Poors.

Estrutura Societria Composio Acionria 5.

  • Em maro de 2010:
  • Total Colaboradores: 677
  • Pouso Alegre: 62 funcionrios; So Jos dos Pinhais: 615
  • 15%dos colaboradores na rea administrativa e 85% na rea operacional

Estrutura Organizacional 6. Estrutura Fsica - Brasil KAMI 10 Pouso Alegre MG KAMI 1 a 9 So Jos dos Pinhais - PR

  • Pouso Alegre - MG
  • 1 linha de produo 10 mil ton/ano
  • 25 mil m2 de rea construda em terreno de 75 mil m 2
  • So Jos dos Pinhais - PR
  • 9 linhas de produo 70 mil ton/ano
  • 72 mil m 2de rea construda em terreno de 189 mil m 2

7. Estrutura Fsica - EUA

  • Statesville Carolina do Norte - EUA
  • 1 linha de produo 20 mil ton/ano
  • 34mil m 2de rea construda em terreno de 640 mil m 2
  • Previso de incio: 1 semestre de 2011.

Mar/2010 Mai/2010 Jun/2010 8. Agenda 1) A Companhia 2) Setorial 3) Destaques 4) Resultados 1T10 5) Perspectivas 9.

  • Criado quando as tecnologias do papel, tecido e plstico foram combinadas para produzir novos tecidos e produtos com os atributos dos tecidos a custos significativamente mais baixos
  • Polipropileno a principal matria-prima

O Notecido KAMI 7 Notecido Plstico Tecido Papel 10.

  • Em novembro de 2009, a Providncia retomou o projeto de internacionalizao, com a instalao de uma nova planta nos EUA, com capacidade instalada de 20 mil toneladas/ano. A entrada em operao da linha de produo est prevista para o primeiro semestre de 2011.

Mercado de Atuao

  • Fabricante #1 de notecidos na Amrica Latina
  • Market sharede 51% no Brasil
  • Market sharede 35% na Amrica Latina, exceto Brasil

Notecidos PrincipaisUsos

  • Fraldas
  • Absorventes femininos
  • Mveis e colches
  • Produtos mdicos descartveis

Principais Clientes 11. Mixde Produtos 03/2010 (% da Receita Bruta de Notecidos) Segmentao de Mercado Descartveis Mdicos* Higiene /Bens de Consumo* Durveis Margem Operacional Cresci-mento Esperado Tamanho do Mercado Dois dgitos Dois dgitos Um dgito Alta Mdia Baixa Pequeno Grande Mdio Produto de Valor Agregado

  • A Providncia est focada em produtos de alto valor agregado e elevado potencial de crescimento (higiene e descartveis mdicos)

Foco em Notecidos:Indstria de Bens de Consumo * Tambm exportados para Estados Unidos e Amrica Latina 12. Market Share &Mercado de Fraldas Market Share Brasil (1T10 em toneladas) Market Share Amrica do Sul,excluindo Brasil (1T10, em toneladas) Evoluo da Penetrao de Fraldas Infantis no Brasil 13. Agenda 1) A Companhia 2) Setorial 3) Destaques 4) Resultados 1T10 5) Perspectivas 14. DESTAQUES

  • Durante o trimestre findo em 31 de maro e abril de 2010, houve arestituio de crditos tributrios de IPI dos exerccios de 2006, 2007 e 2008 , no montante deR$ 16,1 milhes .
  • A Companhia recebeuR$ 15,9 milhesreferente a primeira parcela do financiamento, garantidos pelo agente alemo Euler Hermes Kreditversicherungs AG, os quais sero destinados ao financiamento da mquina a ser instalada nos Estados Unidos. A taxa de juros contratada deLIBOR + 1,5% ao anocompagamentos semestraise oprincipal tem dois anos de carncia e 8 anos para pagamento , com amortizaes semestrais.
  • A Companhia totalizoudvida lquida de R$ 170,5 milhesno 1T10, umareduo de 32,7%quando comparado com o mesmo perodo do ano anterior. Isto se deve principalmente pela gerao operacional de caixa e administrao do passivo.
  • OCPV foi impactado pelo aumentode nossa principal matria prima,polipropileno ,que subiu cerca de 18,5% no mercado mundial . Esse aumento no preo do polipropileno decorrente da restriotemporria da oferta do seu principal insumo, propeno, e do atraso na entrada em operao de novas plantas petroqumicas na sia.

15. Agenda 1) A Companhia 2) Setorial 3) Destaques 4) Resultados 1T10 5) Perspectivas 16. VOLUME DE VENDAS( em milhares de toneladas )

  • Crescimento de 20,3%no volume de notecidos quando comparado com o1T09 , este ltimo ainda influenciado pela crise mundial;
  • Reduo de 4,9 %em comparao ao 4T09.

17. RECEITA LQUIDADIVISO NOTECIDOS(em milhes de Reais)

  • Na comparao com o 1T09, registramos umaumento de R$ 3,3 milhes , equivalente a 3,3%;
  • A Receita Lquida apresentou umareduo de R$ 7,7 milhes , 7,0% em relao ao registrado no 4T09, decorrente da variao cambial e menor volume registrado no 1T10.

18.

  • A reduo em termos absolutos de 5,2% no CPV,comparado com o 4T09, se deve, principalmente, ao menor volume de vendas registrado;
  • Na comparao com o 4T09, houve um aumentono CPV unitrio , devido ao reajuste de nossa principal matria-prima(Polipropileno) , quevariou cerca de15,0% durante o 1 trimestre de 2010,minimizado pelos itens de mo-de-obra direta, manuteno, energia eltrica e outros insumos).

CPV DIVISO DE NOTECIDOS 19. EBITDA (R$ milhes)e Margem EBITDA (%)

  • A reduo de 27,8% no EBITDA e de 9,7 p.p. na margem EBITDA, no 1T10 x 1T09.

20. Lucro Lquido (R$ milhes)e Margem Lquida (%)

  • O lucro lquido no trimestre foi impactado pelo preo da matria-prima, variao cambial sobre exportaes, itens no recorrentes e variao cambial sobre despesas financeiras.

21. CAIXA E APLICAES FINANCEIRAS (em milhes de Reais)

  • O Caixa da Companhia aumentou R$ 17,4 milhes , equivalente a 7,1%, na comparao com o1T09 , principalmente em funo da gerao de caixa operacional;
  • Quando comparado com o 4T09, o caixa manteve-se estvel.

22.

  • ADvida Lquidada Companhiarecuou 32,7% , uma reduo de R$ 82,8 milhes, na comparao com o 1T09, tendo como destaques gerao operacional de caixa, administrao de tributos e variao cambial;
  • Em relao ao4T09advida aumentou 11,3%devido a efeito cambial e captao de recursos para financiamento da mquina nos EUA;
  • 71% do endividamento baseado em moeda local e 29% em moeda estrangeira.

DVIDA LQUIDA (em milhes de Reais) 23. ENDIVIDAMENTO/ CAIXA Dvida Lquida Consolidada 24. Agenda 1) A Companhia 2) Setorial 3) Destaques 4) Resultados 1T10 5) Perspectivas 25.

  • A expectativa para os prximos trimestres de 2010, ser deplena ocupao da capacidade de produo, com pedidos de vendascolocados para tanto;
  • A Companhia est trabalhando narecomposio de seus preos , e por isso temos perspectivas de melhoria em nossas margens operacionais, tendo como fatores de presso externa o preo de matrias-primas e taxa R$/Dlar;
  • O principal projeto de investimento da Companhia neste ano, aplanta nos Estados Unidos, est sendo desenvolvido dentro do cronograma previsto , tanto do ponto de vista operacional, obras em andamento, quanto do financeiro, desembolso do financiamento com seguro Hermes.

PERSPECTIVAS 26.

  • PrimeirodesembolsodoProgramaRecovery Zone Facility Bond (US$ 2,4MMde um total de US$ 9,1MM), comprazo de pagamento de 20 anose taxa de juros varivel baseado na SIFMA (Securities Industry and Financial Markets Association Municipal Swaps Index);
  • Aprovado pelo Conselho de Administrao, a captao do financiamento doBNDES EXIM PSI Exportaopara o limite de at R$ 200 milhes com taxa de juros fixa;
  • Autorizado pela Receita Federal, compra de matria-prima daBraskemcom substituio tributria ( sem IPI ).

PERSPECTIVAS (Cont.) 27. CEO: Hermnio V. S. de Freitas CFO/DRI: Eduardo Feldmann Costa RI: Gizele Rigoni Tel: +55(41) 3381-8673 Fax: +55 (41) 3283-5909 So Jos dos Pinhais PR [email_address] www.providencia.com.br/ri As palavras acredita, antecipa, espera, estima, ir, planeja, pode, poder, pretende, prev, projeta, entre outras palavras com significado semelhante, tm por objetivo identificar estimativas e projees. Estimativas e projees futuras envolvem incertezas, riscos e premissas, pois incluem informaes relativas aos nossos resultados operacionais futuros possveis ou presumidos, estratgia de n