CLIPPING FAPEAM - 20.08.2013

  • Published on
    04-Mar-2016

  • View
    213

  • Download
    1

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Clipping de notcias selecionadas com assuntos sobre CT&I no Estado do Amazonas.

Transcript

<ul><li><p>Veculo: Site UEA Editoria: Pag: Assunto:UEA apresenta trabalho sobre resultados de aes de extenso no </p><p>AmazonasCita a FAPEAM: Release da assessoria </p><p>Release de outra instituio</p><p>Matria articulada pela assessoria </p><p>Iniciativa do prprio veculo de comunicao</p><p>Contedo:- Positivo </p><p>- Negativo</p><p>Pesquisa financiada pela FAPEAM Publicado no site da FAPEAM: </p><p>Programa: Data: 20/08/2013</p><p>UEA apresenta trabalho sobre resultados de aes de extenso no Amazonas 19/08/2013 16:50 </p><p>A UEA, por meio da Pr-Reitoria de Extenso e Assuntos Comunitrios (Proex) e apoio da Fundao de Amparo Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) e Secretaria de Estado de Educao (Seduc), apresentar os resultados finais do trabalho A Extenso Universitria na Universidade do Estado do Amazonas: Um Panorama no perodo de 2011 a 2013.</p><p>A apresentao acontecer no dia 23 de agosto de 2013 e ser feita pela representante da Proex, professora Joelma Monteiro de Carvalho nica representante da Regional Norte no Curso de Especializao em Extenso Universitria, promovido pelo Frum de Pr-Reitores das Universidades Federais, Estaduais e Comunitrias.</p><p>A ao realizada em parceria com a Fundao de Amparo Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig), Universidade Federal de So Joo Del Rei (UFSJ), Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e Pontifcia Universidade Catlica de Minas Gerais (PUC-Minas), que disponibilizou vagas para todo o territrio nacional, atravs de edital.</p><p>A pesquisa contou com as orientaes da professora Edite Cunha da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), uma das Universidades do Brasil que apresenta excelentes conceitos no Sistema Nacional de Avaliao da Educao do Ensino Superior (Sinaes).</p><p>Todos os aportes tericos constituram momentos de aprendizagem, mas um dos que mais </p><p>Sim</p><p>No</p><p>Sim No</p></li><li><p>marcaram foram as aulas do professor Michel Jean Marie Tiollent, um dos grandes nomes da pesquisao no Brasil, afirmou a professora e pesquisadora Joelma Carvalho.</p><p>Resumo do trabalho</p><p>O trabalho traa um panorama da extenso universitria da UEA em processo de institucionalizao, visando avaliar a participao dos Centros de Estudos Superiores do interior do Amazonas, sede de Parintins e de Tabatinga, nos programas e projetos de extenso. Um dos objetivos verificar a atuao dos docentes e discentes nos projetos e programas.</p><p>http://www3.uea.edu.br/noticia.php?notId=27769</p></li><li><p>Veculo: Site Ecoem Editoria: Pag: Assunto:FCecon desenvolve estudo sobre cncer de peleCita a FAPEAM: Release da assessoria </p><p>Release de outra instituio</p><p>Matria articulada pela assessoria </p><p>Iniciativa do prprio veculo de comunicao</p><p>Contedo:- Positivo </p><p>- Negativo</p><p>Pesquisa financiada pela FAPEAM Publicado no site da FAPEAM: </p><p>Programa: Data: 20/08/2013</p><p>FCecon desenvolve estudo sobre cncer de peleNotcias 19 agosto 2013 Manaus - Com o intuito de contribuir para melhoria do tratamento e preveno do cncer de pele foi desenvolvido o projeto intitulado Taxa de infeco secundria no Carcinoma Basocelular Ulcerado: infeco rara ou negligenciada?. A pesquisa foi realizada pela estudante de medicina da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Larissa Eva dos Santos Lob, sob orientao da professora doutora em Doenas Infecciosas e Parasitrias, Ktia Luz Torres.O trabalho descreve a frequncia de infeco secundria e suas caractersticas clnicas na superfcie de leses ulceradas oriundas de Carcinoma Basocelular Ulcerado.De acordo com o Instituto Nacional de Cncer (Inca) o carcinoma basocelular o cncer no melanoma mais frequente, responsvel por 70% dos diagnsticos. O tipo no melanoma o de maior incidncia e mais baixa mortalidade.O trabalho foi apresentado na 2 Jornada Cientfica FCecon que marcou o encerramento da segunda edio do Paic 2012-2013 e o incio da terceira edio 2013-2014.Larissa Lobo foi bolsista do Programa de Apoio Iniciao Cientfica (Paic), uma iniciativa do Governo do Estado via Fundao de Amparo Pesquisa do Estado do Amazonas (FAPEAM).</p><p>Sobre o PaicEsse programa consiste em apoiar, com recursos financeiros e bolsas institucionais, estudantes de graduao interessados no desenvolvimento de pesquisa em instituies pblicas e privadas do Amazonas.Fonte: Agncia FAPEAM</p><p>http://ecoem.ufam.edu.br/fcecon-desenvolve-estudo-sobre-cancer-de-pele/</p><p>Sim</p><p>No</p><p>Sim No</p></li><li><p>Veculo: Site Rede Amaznica Editoria: Pag: Assunto:Farinha da casca de pupunha gera macarro caseiro rico em fibrasCita a FAPEAM: Release da assessoria </p><p>Release de outra instituio</p><p>Matria articulada pela assessoria </p><p>Iniciativa do prprio veculo de comunicao</p><p>Contedo:- Positivo </p><p>- Negativo</p><p>Pesquisa financiada pela FAPEAM Publicado no site da FAPEAM: </p><p>Programa: Data: 20/08/2013</p><p>Farinha da casca de pupunha gera macarro caseiro rico em fibrasO produto no concentra aditivos, conservantes, altamente nutritivo, rico em fibras e fonte de vitaminapor CINCIAemPAUTA, por Rosilene Correaradar10@redeamazonica.com.br</p><p>Cascas, sementes e peles so resduos que geralmente vo parar no lixo por serem considerados inutilizveis para consumo. Mas que tal provar um macarro caseiro base de farinha da casca de pupunha? O produto, saborosssimo, no concentra aditivos, conservantes, altamente nutritivo, rico em fibras e vitamina A.</p><p>A pesquisa desenvolvida pelo estudante de gastronomia Bruno Leito recebe apoio da Fundao de Amparo Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Cientfico e Tecnolgico (CNPq).</p><p>A massa caseira tambm uma boa fonte de lipdios e carboidratos e resultado de um projeto de reaproveitamento de resduos realizado pelo estudante, por meio do Programa Institucional de Bolsas de Iniciao Cientfica (Pibic) do Instituto Nacional de Pesquisas da Amaznia (Inpa).</p><p>Assista ao vdeo:</p><p>Videorreportagem: Felipe Augusto</p><p>Muitas pessoas desconhecem o valor nutritivo desses resduos e jogam fora uma ampla fonte de </p><p>Sim</p><p>No</p><p>Sim No</p></li><li><p>alimento de grande valor nutricional. O consumo da pupunha na regio diverso, do fruto so aproveitados a polpa, a semente, o leo e a casca. O resultado obtido um macarro sem aditivos, sem conservantes e mais saboroso do que o macarro comum, afirma.</p><p>Por ser um produto artesanal, a massa no pode ser conservada por muito tempo. E, apesar de ter em sua elaborao 10% de farinha da casca de pupunha para cada 100g de farinha de trigo, o produto no adquire o gosto do fruto como explica o acadmico.</p><p>Esse macarro tem restries no que se refere conservao. Por se tratar de uma massa caseira ele no pode ser conservado por muito tempo depois de pronto. A validade dele de uma semana ou no mximo dez dias, alm disso, a massa no adquire o gosto da pupunha e altamente rica em fibras., explicou Leito.</p><p>O estudo intitulado Utilizao da farinha da casca da pupunha (Bactris gasipaes Kunth) no preparo de macarro caseiro foi coordenado pelos pesquisadores Francisca Souza e Jaime Aguiar da Coordenao de Sociedade, Ambiente e Sade (CSAS) do Inpa. A perspectiva dos pesquisadores que o produto desperte o interesse da indstria alimentcia e seja disponibilizado para a populao, em escala industrial.</p><p>De acordo com Souza, a farinha da casca de pupunha revelou-se um produto com elevado potencial mercadolgico em funo das suas propriedades nutricionais. As avaliaes demonstram boa qualidade nutricional do produto. A farinha da casca da pupunha tambm se mostrou vivel para o enriquecimento de alimentos ou a substituio parcial da farinha de trigo, podendo ser utilizada na panificao, confeitaria, alimentos infantis e produtos dietticos, frisou.</p><p>Entre 2003 e 2012 a Fapeam concedeu 9.608 bolsas de iniciao cientfica para alunos de graduao no Estado do Amazonas. Em 2012 foram concedidas 1.464 bolsas, crescimento superior a 460% no perodo em relao s 260 bolsas concedidas em 2003.</p><p>Matria originalmente publicada no Portal Cincia em Pauta, da Secretaria de Estado de Cincia, Tecnologia e Inovao do Amazonas.</p><p>http://www.redeamazonica.com.br/amazonasfm/noticias/farinha-da-casca-de-pupunha-gera-macarrao-caseiro-rico-em-fibras/</p></li><li><p>Veculo: Site Jornal da Cincia Editoria: Pag: Assunto:28. Inpa e Musa lanam jogo educativo com contedo cientficoCita a FAPEAM: Release da assessoria </p><p>Release de outra instituio</p><p>Matria articulada pela assessoria </p><p>Iniciativa do prprio veculo de comunicao</p><p>Contedo:- Positivo </p><p>- Negativo</p><p>Pesquisa financiada pela FAPEAM Publicado no site da FAPEAM: </p><p>Programa: Data: 20/08/2013</p><p>28. Inpa e Musa lanam jogo educativo com contedo cientficoDe acordo com os organizadores, a ideia do jogo disponibilizar o contedo cientfico reunido ao longo de dcadas pelos pesquisadores do Peld de uma forma divertida para as crianas e jovens aprenderem com mais facilidade e interesse</p><p>O projeto Pesquisa Ecolgica de Longa Durao-Floresta Amaznica (PELD), vinculado ao Instituto Nacional de Pesquisas da Amaznia (Inpa/MCTI), e o Museu da Amaznia (Musa), lanaram na manh desta sexta-feira (16) o Jogo do Cururu no Centro de Visitao do Musa no Jardim Botnico Adolpho Ducke, localizado no bairro Cidade de Deus, zona norte de Manaus (AM).</p><p>O evento contou com a palestra do bolsista do Programa de Capacitao Institucional (PCI) do Inpa, Pedro Ivo, que explicou de maneira ldica sobre as caractersticas dos sapos para os estudantes da Escola Municipal Ivone Maria Barbosa e Silva, localizada prximo ao Musa, na zona norte da capital. "As pessoas em geral no possuem muito contato com os anfbios, mas as crianas esto mais abertas em aprender sobre os sapos, pois so bastante curiosas, principalmente as que moram em reas mais rurais", comentou Ivo.</p><p>Para a professora da escola, Socorro Ferreira, importante que seja repassada a cultura de conservao da natureza para as crianas nas escolas. "Hoje em dia vemos vrias situaes desagradveis que o planeta vem sofrendo, justamente por conta da falta de educao ambiental para as pessoas, por isso as escolas tm que ensinar os estudantes a cuidar do seu prprio futuro", destacou.</p><p>Sim</p><p>No</p><p>Sim No</p></li><li><p>Jogo do Cururu</p><p>O Jogo do Cururu o primeiro produto de uma parceria entre o projeto Pesquisa Ecolgica de Longa Durao - Floresta Amaznica (PELD/Stio 1) e o Musa para a divulgao cientfica, o primeiro jogo virtual produzido pelas instituies.</p><p>A ideia do jogo disponibilizar o contedo cientfico reunido ao longo de dcadas pelos pesquisadores do Peld de uma forma divertida para as crianas e jovens aprenderem com mais facilidade e interesse. "Eu tenho medo de sapo, mais achei super legal o joguinho de adivinhar os sons que eles fazem, no comeo bem difcil saber, mas depois conseguimos acertar", afirmou a estudante Larissa Viana, 10.</p><p>As fotos e os vdeos apresentados no jogo foram cedidos por pesquisadores experientes na rea, como Willian Magnussum e Albertina Lima, ambos do Inpa. O financiamento veio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Cientfico e Tecnolgico (CNPq), da Fundao de Amparo Pesquisado do Estado do Amazonas (Fapeam) e da Universidade do Estado do Amazonas (UEA).</p><p>(Assessoria de Comunicao do Inpa)</p><p>http://www.jornaldaciencia.org.br/Detalhe.jsp?id=88810</p></li><li><p>Veculo: Site Cieam Editoria: Pag: Assunto:CBA, chega de pedir licena !Cita a FAPEAM: Release da assessoria </p><p>Release de outra instituio</p><p>Matria articulada pela assessoria </p><p>Iniciativa do prprio veculo de comunicao</p><p>Contedo:- Positivo </p><p>- Negativo</p><p>Pesquisa financiada pela FAPEAM Publicado no site da FAPEAM: </p><p>Programa: Data: 20/08/2013</p><p>CBA, chega de pedir licena !19/08/2013Quando o superintendente da Suframa, Thomaz Nogueira, assumiu a autarquia, em janeiro de 2012, ele pronunciou o mote auspicioso de sua gesto: "O primeiro passo, diante dos mltiplos desafios que temos, ser dialogar com a sociedade j que ela faz parte do desenvolvimento". A frase espalhou euforia e confiana entre os atores e interlocutores do cotidiano do desenvolvimento, onde as entidades costumam se movimentar. E assim tem sido nos momentos de grandes abalos e tomadas de deciso, um dilogo proativo e fecundo, como na elaborao da Nota Tcnica de defesa do modelo ZFM, na discusso das verbas de P&amp;D e outras querelas do dia-a-dia. A eventual discordncia nesse ensaio dialogal e permanente troca de propostas e proposies em pauta faz parte do exerccio saudvel e promissor da Democracia onde ningum de bom senso, se atribui o monoplio da intuio e definio final de qualquer matria. E nesse clima de reciprocidade e discusso que se insere os rumos que precisam ser dados ao CBA, o Centro de Biotecnologia da Amaznia, e seu aguardado e adiado modelo de gesto.</p><p>A quem interessa o CBA? Em debate com os empresrios, o superintendente Thomaz Nogueira anunciou a iminncia de uma soluo para o CBA, ponderando mais uma vez a multiplicidade de rgos e ministrios interessados em apadrinhar a instituio. E que dessa vez a presidente Dilma havia entrado na discusso. Algo muito frequente essa tentativa da paternidade absolutamente equivocada em torno da instituio. Por que seguir esperando por uma definio que depende de um acerto que se arrasta e se protela indefinidamente entre entidades e organismos pblicos que no acompanham o cotidiano, expectativas e demandas de uma Amaznia que tem pressa em formular sadas? Que insano impor solues que recomendam a intocabilidade da floresta e descuidam da inovao em torno do banco gentico para gerar mecanismos de oportunidade e produo de matrizes de novos negcios. O CBA, embrio do polo de bioindstria que pode transformar potencialidades naturais em prosperidade social, interessa s novas geraes, aos jovens </p><p>Sim</p><p>No</p><p>Sim No</p></li><li><p>que vagueiam entre o cio, o trfico e a delinquncia a chamada gerao nem-nem, multides de moas e rapazes, que nem trabalham nem estudam, no beirado amaznico por absoluta ausncia de opes.</p><p>No incio de agosto, as entidades do setor produtivo, CIEAM/FIEAM, promoveram um seminrio sobre Pioneirismo e o Futuro da economia regional. Empresas locais como a Cupuama, Bombons Finos, Oiram, na rea de alimentos com a utilizao de insumos e tecnologia regional, da Pentop, tecnologia da informao e Fucapi, na rea de ensino e inovao tecnolgica, mostraram que necessrio priorizar qualificao tcnica, investir em pesquisa e desenvolvimento, tendo em vista agregar valor indstria existente e imensidade do potencial de negcios na fruticultura, fitoterpicos, cosmticos, agroindstria de alimentos. As empresas padecem suporte de inovao tecnolgica, de infraestrutura de transporte, energia e comunicao, e apontam a dificuldade de acesso ao crdito. Todas elas contaram com apoio da Fapeam e Finepe.</p><p>No debate sobre Bioindstria, onde o CBA foi lembrado e cobrado, com UFAM e CIEAM, o diretor da Embrapa Marcelo Rossi destacou a empresa como instituio geradora de conhecimento e in...</p></li></ul>