Clipping Otilia

  • Published on
    14-Dec-2015

  • View
    216

  • Download
    1

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Clipping Otilia

Transcript

  • Clipping

    e outras histrias

    D O NA

    O t l i a

  • sexta-feira,23deabrilde2010- Teatro/CRTICA

    .............................................MontagemimperdvelnoSesc,

    LionelFischer

    ApsseapresentarnoFestivalde TeatrodeCuritibadesdeano,"DonaOtiliaeoutrashistrias",deautoriadeVeraKaran(1959-2003),vemcumprindoexcelentetemporadanoEspaoSesc.Enadamaisjusto,dadaaexcelnciadostextos(exceofeitaaumdeles,beminferioraosoutros),dadireo,daperformancedosatoresedotrabalhodareduzidaequipetcnica.

    Compostodetrstextoscurtos-"DonaOtilialamentamuito","A floristaeovisitante"e"Dlicena,porfavor?-intercaladospelomonlogodeumaatriz("Serqueocontrriioavidadaatriz")que,emseucamarim,tececonsideraessobreavidaeoteatro,"DonaOtiliaeoutrashistrias"chegacenacomdireodeGilbertoGrawronskieelencoformadoporGuidaVianna,GilbertoGawronski,SvioMolleLetciaIsnard.

    Em"DonaOtilialamentamuito"tudogiraemtornodeumcasalqueestcomemorando10anosdecasamento.Semsaberqueomaridodecidiradeix-la,amulherpreparaumjantarsurpresa,paraoqualconvidoualgunsamigoscomuns.Epormaisqueohomemtentecontaranovidade,estasvemtonapertodofinal,poisOtiliapraticamentenoodeixafalar.Emesmoquandoinformadadodesejodomaridodeirembora,noadmitequeeleofaanaquelemomento,oqueconstituiria,segundoela,umaimperdoveldescortesiaparacomosconvidados.Ofinal,totalmenteinesperadoehilrio,meabstenhoderevelar,poisnoseriajustoparacomosespectadoresqueaindanoassistiramoespetculo.Sejacomofor,trata-sedeumapequenajiadramatrgica,repletadeirresistvelhumorcrtico.

    Osegundotexto,"A floristaeovisitante",otalqueconsiderobeminferioraosoutros.Masnoporquesejainteiramentedesprovidodequalidades,jquepromoveoencontrodeduaspersonalidadesbastantecuriosas,que"ameaam"todootempochegaremaumentendimentoquetalvezpudesseconferirumnovorumossuasvidas.Ocorre,porm,queotextomuitolongo,eemfunodestedetalheseupotencialemmuitoseminimiza.

    Joterceiro,assimcomooinicial,absolutamentemaravilhoso.Umhomemchegaaumteatroequandosedirigesuapoltrona,vnelaabolsadeumasenhora.Eento,extremamenteeducado,perguntaaelaseolugar"estocupado".bvioqueno,poisumabolsa,aomenosemprincpio,noassisteaumespetculo. Trata-se,apenas,deumamaneiragentildesugerirqueaqueleassentoodele,estandoimplcitaaretirada,peladamaemquesto,dasuabolsa.Masacomeaumadiscussoque,crescendopoucoapouco,atingeasraiasdomaiscompletoabsurdo.Semdvida,umaobra-primadehumor,calcadonaintolernciaenaincapacidadedospersonagensdesefazerementender,graasintempestivaedesvairadasenhora.

    Quantoaosmonlogosdaatriz,bemrealizadosporLetciaIsnard,estesexplicitam,sempredeformabemhumoradaecrtica,umasriededvidaseinquietaesquefazempartedaansiedadediriadetodososprofissionaisquesededicamaoteatro,cabendoregistrarqueLetcia,logonoinciodoespetculo,realiza,displicentemente,proezascorporaisque-vejo-meobrigadoaconfessar-quaseprovocamemmimumcolapsototal,frutodebrutalinveja.

    Noquedizrespeitoaoespetculo,GilbertoGawronskiimpecenaumadinmicadespojadaesimples,sabiamenteisentadedesnecessriasfirulasformaisetotalmentevoltadaparaasrelaesestabelecidasentreospersonagens.Eestessointerpretadosdeformairrepreensvelportodooelenco. A comearporGuidaVianna.

    Protagonizandoaprimeiraealtimahistria,aatrizdemonstraumavezmaisseuenormetalento,aquivoltadoparaacomdia-masGuidaumaatrizcapazdetransitar,comomesmobrilho,portodososgneros.Eseumritoreside,entreoutrascoisas,emsuacapacidadedearticularcomperfeitaclarezaotexto,emsuanotvelnooderitmoenaintelignciadesuasescolhas. Trata-sedeumaprofissionalexemplar,semdvidaumadasmelhoresintrpretesdopas.

    SvioMoll,parceirodeGuidanaprimeirahistria,convenceplenamentenapeledocoitadoque,assoladopelaavalanchedepalavrasdaesposaeporseubizarroraciocnio,snofinal,comojfoidito,consegueverbalizarseudesejo.Eomesmosednoltimoquadro,sendoqueaquioatortemmaioresoportunidadesdetrabalhar,namedidacerta,oprogressivodescontroledopersonagem.GilbertoGawronskieLetciaIsnardtambmexibemtimodesempenhonasegundahistria,aindaquelutando-aomenosemminhaopinio-contraaexcessivaduraodotexto.

    Comrelaoequipetcnica,creioqueacenografiaefigurinos(simpleseeficientes)tenhamficadoacargodogrupo,cabendodestacaraexcelenteluzde TomsRibaseaapropriadatrilhasonoracriadapelodiretor.

    DONA OTILIA EOUTRASHISTRIAS- TextosdeVeraKaran.DireodeGilbertoGawronski.ComGuidaVianna,GilbertoGawronski,SvioMolleLetciaIsnard.EspaoSesc.Quintaasbado,21h.Domingo,19h30.

    PostadoporLionelFischers07:33

    "DonaOtiliaeoutrashistrias"

  • 43Sbado,27 de maro de 2010 CULTURAJornal de Braslia

    FESTIVAL DE CURITIBA

    ANDREW LLOYD WEBBER

    Musicais do compositorbritnico no saem de cartaz

    O palco das mulheresDIVULGAO

    A pea protagonizada pela atriz carioca Guida Vianna, juntamente com Alcemar Vieira

    Comdia estreanterecuperaversatilidade dostextos de escritoragacha

    Tiago Padilha, enviadoespecial a Curitibacultura@jornaldebrasilia.com.br

    Grandes personagens femini-nas passaram pelo 19 Festivalde Teatro de Curitiba, que

    termina amanh. A maioria delas jfazia sucesso nos palcos antes dechegar capital paranaense, comoLady Macbeth, Dulcinea del Toboso a eterna musa de Dom Quixote ea Clarice Lispector encarnada porBeth Goulart. A novata do grupo dnome ao espetculo estreanteDonaOtlia e Outras Histrias, protago-nizado pela carioca Guida Vianna.

    A pea rene textos curtos daescritora gacha Vera Karam(1959-2003), falecida aos 43 anos. "Elamorreu muito nova. Quisemos ho-menage-la no ano em que com-pletaria 50 anos e aproveitamos avisibilidade do Festival de Cu-ritiba", revela o diretor GilbertoGawronski. "Fui muito amigo de-la, fizemos parte do mesmo grupode teatro em Porto Alegre".

    Na pea, trs histria so cos-turadas por trechos do inacabadoSer o Contrrio a Vida da Atriz?, querevela as angstias de uma mulhernos batidores do teatro. "Os textos daVera tm sempre um humor muitomordaz, sarcstico", avalia Gawrons-ki. "Ela faz uma leitura quase patticada possibilidade do amor".

    Em cena, o diretor, que tambmatua, optou por intercalar os textos

    de Vera. "Quisemos mostrar a ha-bilidade dela em gneros diferentes",explica Gawronski. "As histriaspossuem trs estilos distintos: uma de um teatro dramtico; outra umacomdia quase rasgada; e tem umacom traos do teatro do absurdo".

    O diretor montou o espetculoaps ser convidado pelo festival."Tivemos s trs semanas paraensaiar", lembra. O "aperto" re-criado na cena de abertura, em quecada ator inclusive Gawronski representa a si mesmo, faz umabrincadeira.

    A ideia inicial era que o trabalhofosse apresentado apenas em Cu-ritiba. Porm, outros convites vie-ram, e inicia temporadaDona Otliano Rio de Janeiro no dia 8 de abril.No segundo semestre, segue para oFestival de Teatro de Porto Alegre.

    A partir da temporada carioca,a pea vai sofrer mudanas. "EmCuritiba mostramos s um esboo.Toda a primeira cena vai sair, por-que no faz sentido fora do fes-tival", antecipa o diretor. "Tambmvamos dar uma incrementada nofigurino. No festival fizemos com aroupa do corpo".

    Do elenco inicial, vo sair Al-cemar Vieira e Dani Barros, subs-titudos, respectivamente, por SvioMoll e Letcia Isnard.

    Dona Otlia a terceira cola-borao de Gawronski com Guida.Tambm trabalharam juntos emHoje Avental, Amanh Luva, ba-seado na obra de Machado deAssis, e no premiado monlogo AMulher Desiludida Dona Otlia. "Em , a situao dramtica que leva gargalhada, no uma gagdo ator,como ocorre muito nas comdia dehoje em dia", acredita Gawronski.

    O reprter viajou a convite daorganizao do evento.

    Na lista dos homens mais ricosdo mundo em 2009, Andrew LloydWebber figurava na 58. posio, comuma fortuna estimada em US$ 1,2bilho. A bolada vem do trabalhocomo compositor das mais famosasmelodias dos musicais da Broadway.Afinal, no h uma semana do anoem que ao menos um de seus mu-sicais no esteja em cartaz em algumponto do planeta.

    "Seja em uma grande produo ouem uma pequena, amadora ou pro-fissional, sempre h uma cano mi-nha sendo representada", disse. Aos 62anos, completados na segunda-feira,Sir Lloyd Webber (sim, ele cavaleiroda Rainha Elizabeth desde 1992) como um Midas dos musicais.

    Mesmo tendo montagens comoJesus Cristo Superstare O Fantasma daperaem seu currculo, Lloyd Web-

    ber no sossega. No incio do ms, eleacompanhou em Londres a reali-zao de um sonho que perduravafazia 20 anos: a estreia de Love NeverDies, a esperada continuao doFan-tasma. Na verdade, era uma obsessodo compositor que demorou at des-cobrir o vis certeiro, ou seja, trans-ferir a cena para Nova York. Osingressos comearam a se esgotar.Seu toque continua infalvel.

    SAIBA +Antes de Dona Otlia eOutras Histria, o diretore ator Gilberto Gawronskij havia montadoadaptaos de textosliterrios. Uma desuas fontes maisfrequentes o escritor

    gachoCaiofernandoAbreu,inspiraodepeascomo Uma Estria deBorboletas(1991) e DoOutro Lado da Tarde (1998).

    Alm de peas teatrais, a atrizGuida Vianna, nascida em

    1954,jparticipoudenovelas-comoDuasCaraseSenhora do Destino, sries deTV comoDalva e Heriveltoe filmes. Guida venceu oPrmio Shell em 2004,por seu papel na peaNadade Pnico.

    Webber assina O Fantasma da pera, musical mais rentvel da histria

    DIV

    ULG

    A

    O JornalZeroHora

    Porto Alegre-Maro2010

  • JornalOGlobo23demarode2010

  • JornalOGlobo10de Abrilde2010

  • -OEstadaodeS.Paulo-24demarode2010

    OFestivaldeCuritibachega19ediocom374espetculosnamostraparalela,oFringe,eoutros27naprincipal.Mesmocomcancelamentos,soquase400montagensnaprogramaode12diasqueterminanodomingo.EvidentementepossvelacompanharumapartebemreduzidadoFringeemesmodamostraprincipal,umavezque,nestaltima,todasaspeasocupamomesmohorrio,21h,ouseja,ssepodeverumacadanoite.

    EmDonaOtliaeOutrasHistrias,odiretorGilbertoGawrownkibuscaquebraraformadramticadostextosescolhidos,peascurtasdagacha VeraKaram,comperformancesintercaladasentreascenas,quetantopodemgiraremtornodoprocessodecriaodoespetculo,comoemconfissesdosatores. A fragilidade