Conteúdo elaborado pelo Prof. Alexandre Barbosa – www.latinoamericano.jor.br www.latinoamericano.jor.br Bibliografia KUNSCH, Margarida Maria Krohling.

  • Published on
    18-Apr-2015

  • View
    103

  • Download
    1

Embed Size (px)

Transcript

  • Slide 1
  • Contedo elaborado pelo Prof. Alexandre Barbosa www.latinoamericano.jor.br www.latinoamericano.jor.br Bibliografia KUNSCH, Margarida Maria Krohling. Planejamento de relaes pblicas na comunicao integrada. So Paulo: Summus, 2003. SOUSA, Jorge Pedro. Teorias da Notcia e do Jornalismo. Chapec: Argos, 2002. p. 39-45 AULA 2 Comunicao Organizacional
  • Slide 2
  • Contedo elaborado pelo Prof. Alexandre Barbosa www.latinoamericano.jor.br www.latinoamericano.jor.br Identificao dos processos de comunicao Harold Lasswell (1948) QUEM ? DISSE O QUE ? EM QUAL CANAL? PARA QUEM? COM QUAIS INTENES OU COM QUE EFEITOS ? PARADIGMA FUNCIONALISTA
  • Slide 3
  • Contedo elaborado pelo Prof. Alexandre Barbosa www.latinoamericano.jor.br www.latinoamericano.jor.br COMUNICAO: os filtros As organizaes no devem ter a iluso de que todos os seus atos comunicativos causam os efeitos positivos desejados ou so automaticamente respondidos e aceitos da forma como foram intencionados (...)
  • Slide 4
  • Contedo elaborado pelo Prof. Alexandre Barbosa www.latinoamericano.jor.br www.latinoamericano.jor.br preciso levar em conta os aspectos relacionais, os contextos, os condicionamentos externos e internos e a complexidade do processo comunicativo. O paradigma funcionalista predominou na comunicao organizacional nas dcadas de 60 a 80.
  • Slide 5
  • Contedo elaborado pelo Prof. Alexandre Barbosa www.latinoamericano.jor.br www.latinoamericano.jor.br O paradigma funcionalista parte da premissa que o comportamento comunicativo pode ser medido e padronizado. Preocupa-se com as estruturas formais e informais de comunicao e com as prticas em funo dos resultados. Deixa de lado os contextos sociais, econmicos, tecnolgicos e organizacionais. (KUNSCH)
  • Slide 6
  • Contedo elaborado pelo Prof. Alexandre Barbosa www.latinoamericano.jor.br www.latinoamericano.jor.br COMUNICAO: os filtros Teoria do Gatekeeper Exemplo clssico de teoria que privilegia a ao pessoal. Por essa teoria, s viram notcia aqueles acontecimentos que passam por um porto (gate). E quem decide isso uma espcie de porteiro ou selecionador (o gatekeeper) (PENA: 2005)
  • Slide 7
  • Contedo elaborado pelo Prof. Alexandre Barbosa www.latinoamericano.jor.br www.latinoamericano.jor.br GATEKEEPER O gatekeeper seria o responsvel por dar continuidade ao tratamento do fato, transformando-o em notcia, ou por ret-lo numa escolha pessoal, subjetiva e arbitrria. Isso serve, isso no serve.
  • Slide 8
  • Contedo elaborado pelo Prof. Alexandre Barbosa www.latinoamericano.jor.br www.latinoamericano.jor.br GATEKEEPER PRINCIPAL TERICO David Manning White (1950). White estudou o fluxo de notcias dentro das empresas jornalsticas para identificar os pontos em que estavam as cancelas. White batizou seu pesquisado de Mr. Gates e anotou os motivos que o levaram a rejeitar ou no as notcias.
  • Slide 9
  • Contedo elaborado pelo Prof. Alexandre Barbosa www.latinoamericano.jor.br www.latinoamericano.jor.br GATEKEEPER De cada 10 despachos, 9 foram rejeitados. A maioria das explicaes para a recusa eram falta de espao. A concluso foi que as decises de Mr. Gates foram subjetivas e arbitrrias, dependentes de juzos de valor, baseados no conjunto de experincias, atitudes e expectativas do gatekeeper.
  • Slide 10
  • Contedo elaborado pelo Prof. Alexandre Barbosa www.latinoamericano.jor.br www.latinoamericano.jor.br GATEKEEPER Para Jorge Pedro Sousa (2002), as notcias tm sempre a marca da ao pessoal de quem as produz, embora temperada por outras foras conformadoras. Ou seja, as notcias so fruto da interao entre a ao pessoal e as demais aes (social, organizacional, ideolgica, do meio fsico-tecnolgico e histrica).
  • Slide 11
  • Contedo elaborado pelo Prof. Alexandre Barbosa www.latinoamericano.jor.br www.latinoamericano.jor.br GATEKEEPER O responsvel pela comunicao organizacional, alm de ser um gatekeeper, tambm deve identificar onde esto os outros porteiros das informaes, tanto oficiais quanto informais. A rdio peo se desenvolve a partir destes porteiros/filtros.
  • Slide 12
  • Contedo elaborado pelo Prof. Alexandre Barbosa www.latinoamericano.jor.br www.latinoamericano.jor.br COMUNICAO AS CULTURAS ORGANIZACIONAIS Para compreender a complexidade do ato comunicativo preciso estudar: as barreiras, os nveis de anlise, as redes, os fluxos, os meios e as diversas modalidades comunicacionais existentes. (KUNSCH)
  • Slide 13
  • Contedo elaborado pelo Prof. Alexandre Barbosa www.latinoamericano.jor.br www.latinoamericano.jor.br COMUNICAO e AS CULTURAS ORGANIZACIONAIS De que forma a comunicao entre a empresa e os funcionrios pode acontecer em cada um dos cenrios empresariais?

Recommended

View more >