DDS DIÁLOGO DIÁRIO DE SEGURANÇA Parte 15 ?· lixo por dia. Infelizmente as alternativas que se dispõe…

  • View
    213

  • Download
    0

Embed Size (px)

Transcript

  • Coleo MONTICUCO Fascculo N 57

    Engenharia de Segurana e Meio Ambiente do Trabalho

    ___________________________________________________________________________

    1

    DDS

    DILOGO DIRIO DE SEGURANA

    Parte 15

  • Coleo MONTICUCO Fascculo N 57

    Engenharia de Segurana e Meio Ambiente do Trabalho

    ___________________________________________________________________________

    2

    COLABORADORES DA DIVULGAO HLIO MARCOS DA SILVA

    Iniciou sua carreira em 1987 como auxiliar de escritrio em um Tabelionato;

    1994 Formou-se em Tcnico em Segurana do Trabalho e 1998 Tcnico em Meio Ambiente;

    Em 1995 2001 Coordenador do Departamento de Segurana do Trabalho da Construtora InPar, organizando e implantando todos os procedimentos voltados para rea de preveno;

    2006 Bacharel em Cincias Jurdicas pela Universidade Metropolitana de Santos;

    Professor do Senac unidade Jabaquara e Escola Rocha Marmo entre os anos de 2001 2004;

    Em 2002 Scio Diretor da HM Consultoria em Segurana do Trabalho Ltda, empresa voltada exclusivamente para o setor da Industria da Construo Civil onde atualmente presta servios em grandes construtoras do Pas, atingindo em mdia 45 canteiros de obras de diversos segmentos e em especial Shopping Centers;

    Em 2011 Fundou a empresa HR Treinamentos especializada em treinamentos de segurana e em especial trabalho em altura;

    Em 2012 HM Documental voltada para a rea de preveno de passivos trabalhista;

    Atualmente dirigi a HM Consultoria e faz parceria com algumas instituies de qualificaes de empresas.

    DEOGLEDES MONTICUCO

    Iniciou aos 14 anos como Mensageiro. 1974 - Engenheiro Civil e 1975 - Engenheiro de Segurana do Trabalho. Obras de construes: Hidreltrica; Linha de Transmisso de 805 Km na selva

    amaznica; Siderrgica; Petroqumica; Edifcios Residenciais e Comerciais; Hospitais; Shopping; Pontes; Viadutos; Dragagens de Rios; Minerao e Saneamento.

    Atuou tambm na Indstria Automobilstica, no Comrcio e na FUNDACENTRO. Coordenador de Cursos e Docente Engenharia de Segurana do Trabalho e

    Tcnico de Segurana do Trabalho. Coordenador da alterao da NR-18, 1994 e 1995, no sistema tripartite. Projetos de melhoria das condies de trabalho na Indstria da Construo. Estgios no exterior; Publicaes e Artigos Tcnicos na rea de Engenharia de

    Segurana do Trabalho na Indstria da Construo. Atualmente 66 anos Aposentado por Invalidez Dedica famlia e a

    escrever os fascculos para registrar os conhecimentos de Engenharia de Segurana do Trabalho na Indstria da Construo, bem como divulg-los.

  • Coleo MONTICUCO Fascculo N 57

    Engenharia de Segurana e Meio Ambiente do Trabalho

    ___________________________________________________________________________

    3

    CONSIDERAES

    1- Este FASCCULO foi elaborado em parceria com a empresa HM Consultoria Ltda.

    2- Endereo: Rua dos Buritis, 90 Sala 40 Bairro: Jabaquara CEP 04321-000 So Paulo SP Telefones: (13) 3304.1588 (11) 98143-2614 e 7806-1985 Site: www.hmseg.com.br E-mail: helio@hmseg.com.br Contato: Hlio Marcos da Silva

    3- Sntese dos servios prestados pela HM Consultoria Ltda.

    Inspees Fotogrficas em Canteiros de obras;

    Criao de Procedimentos de Segurana do Trabalho para o setor da construo civil;

    Locao de Tcnicos em Segurana do Trabalho;

    Treinamentos;

    Apoio a fiscalizaes;

    http://www.hmseg.com.br/mailto:helio@hmseg.com.br

  • Coleo MONTICUCO Fascculo N 57

    Engenharia de Segurana e Meio Ambiente do Trabalho

    ___________________________________________________________________________

    4

    Dilogo Dirio de Segurana - DDS

    O que ?

    um programa destinado a criar, desenvolver e manter atitudes

    prevencionistas na Empresa, atravs da conscientizao de todos

    os empregados.

    Onde?

    Tem corno foco principal a realizao de conversaes de

    segurana nas reas operacionais, possibilitando melhor integrao

    e o estabelecimento de um canal de comunicao gil, transparente

    e sincero entre Chefias e Subordinados.

    Quando?

    Diariamente, antes do incio da jornada de trabalho, com durao de

    05 a 10 minutos, com leitura de temas aqui apresentados ou outros

    relativos a Segurana e Medicina do Trabalho.

    Quem?

    A responsabilidade pela execuo da DDS do Lder/Supervisor,

    registrando diariamente o tema da DDS com as assinaturas da

    equipe no impresso padro.

    Como?

    Em reunies com o grupo de trabalho, escolhendo um dos temas e

    fazendo a leitura em alta voz, procurando ser objetivo na

    explanao, ou conversando sobre outro tema especfico.

  • Coleo MONTICUCO Fascculo N 57

    Engenharia de Segurana e Meio Ambiente do Trabalho

    ___________________________________________________________________________

    5

    MODELO DE REGISTRO DO DDS

    Logo da empresa DDS DILOGO DIRIO E SEGURANA

    Data:______ /________/________ Local:

    Nome do Encarregado:

    Nome do Mestre

    EMPRESA ou CONTRATADA:

    1 OPO:

    ASSUNTO: (Preencher)

    COMENTRIOS: (Preencher)

    2 OPO:

    ASSUNTO: (Preencher)

    COMENTRIOS: (Vide documento anexo)

    Nome Funo Visto

    Responsvel pelo DDS

    Nome:

    Funo:

    Visto/assinatura:

  • Coleo MONTICUCO Fascculo N 57

    Engenharia de Segurana e Meio Ambiente do Trabalho

    ___________________________________________________________________________

    6

    JOGUE O LIXO NO LIXO

    O nosso canteiro de obras tem alguns tambores que foram

    especialmente colocados para se depositar lixo. A separao de lixo

    deve ser feita por cada um de ns, para podermos garantir

    ambientes limpos, sadios e higinicos (afinal de contas estamos

    falando de qualidade de nossa vida no trabalho). O seu apoio

    fundamental para podermos garantir a limpeza da rea. No jogue o

    lixo em qualquer lugar pois h um tambor adequado. Mantenha sua

    rea de trabalho limpa. Jogue o lixo no lugar certo. Faa a sua

    parte!

  • Coleo MONTICUCO Fascculo N 57

    Engenharia de Segurana e Meio Ambiente do Trabalho

    ___________________________________________________________________________

    7

    ONDE EST O EXTINTOR?

    No obstrua e oriente seu colegas para no obstruir o acesso aos

    extintores de incndio.

    Mantenha sempre livre os caminhos que chegam at ele.

    Procure se lembrar do local mais prximo onde existe um extintor

    de incndio.

    Quando voc tiver que usar um extintor de incndio comunique

    imediatamente o fato para o Tcnico de Segurana.

  • Coleo MONTICUCO Fascculo N 57

    Engenharia de Segurana e Meio Ambiente do Trabalho

    ___________________________________________________________________________

    8

    VOC EST PROTEGENDO O SEU OLHO

    O TEMPO TODO?

    culos de segurana de uso obrigatrio nos servios com

    projeo de fagulhas/fragmentos, no importando o nome da sua

    profisso.

    No retire a proteo lateral do culos pois ela existe para

    garantir a sua proteo.

    Se voc utiliza culos com lentes corretivas bom saber que

    existe no almoxarifado um culos de proteo que se sobrepe

    ao culos com lente corretiva (para proteger o seu culos e seus

    olhos).

  • Coleo MONTICUCO Fascculo N 57

    Engenharia de Segurana e Meio Ambiente do Trabalho

    ___________________________________________________________________________

    9

    COMUNIQUE IMEDIATAMENTE OS

    RISCOS DE ACIDENTE

    Quando voc perceber algum risco de acidente no seu local de

    trabalho avise imediatamente o seu encarregado para que sejam

    feitas as devidas correes, antes que algum se machuque.

  • Coleo MONTICUCO Fascculo N 57

    Engenharia de Segurana e Meio Ambiente do Trabalho

    ___________________________________________________________________________

    10

    MEIO AMBIENTE

    EFEITO DAS QUEIMADAS EM NOSSO

    MUNDO

    Muitas pessoas no sabem e no acreditam que as queimadas de

    matas, canaviais e florestas so muito perigosas para a vida do

    nosso planeta. O primeiro efeito que as queimadas provocam so as

    doenas respiratrias, como bronquite e asma, atacando pessoas de

    todas as idades, ricos ou pobres. Outros dos efeitos que as

    queimadas provocam o que se chama de EFEITO ESTUFA. Em

    condies normais o nosso planeta tem uma cobertura de gases que

    retm o calor recebido do sol mantendo o nosso mundo aquecido, ou

    seja, existe uma estufa em equilbrio. As queimadas indiscriminadas

    aju