DDS DIÁLOGO DIÁRIO DE SEGURANÇA Parte 3 ?· 05 a 10 minutos, com leitura de temas aqui apresentados…

  • Published on
    17-Nov-2018

  • View
    212

  • Download
    0

Transcript

  • Coleo MONTICUCO Fascculo N 45

    Engenharia de Segurana e Meio Ambiente do Trabalho

    ___________________________________________________________________________

    1

    DDS

    DILOGO DIRIO DE SEGURANA

    Parte 3

  • Coleo MONTICUCO Fascculo N 45

    Engenharia de Segurana e Meio Ambiente do Trabalho

    ___________________________________________________________________________

    2

    AUTOR HLIO MARCOS DA SILVA

    Iniciou sua carreira em 1987 como auxiliar de escritrio em um Tabelionato;

    1994 Formou-se em Tcnico em Segurana do Trabalho e 1998 Tcnico em Meio Ambiente;

    Em 1995 2001 Coordenador do Departamento de Segurana do Trabalho da Construtora InPar, organizando e implantando todos os procedimentos voltados para rea de preveno;

    2006 Bacharel em Cincias Jurdicas pela Universidade Metropolitana de Santos;

    Professor do Senac unidade Jabaquara e Escola Rocha Marmo entre os anos de 2001 2004;

    Em 2002 Scio Diretor da HM Consultoria em Segurana do Trabalho Ltda, empresa voltada exclusivamente para o setor da Industria da Construo Civil onde atualmente presta servios em grandes construtoras do Pas, atingindo em mdia 45 canteiros de obras de diversos segmentos e em especial Shopping Centers;

    Em 2011 Fundou a empresa HR Treinamentos especializada em treinamentos de segurana e em especial trabalho em altura;

    Em 2012 HM Documental voltada para a rea de preveno de passivos trabalhista;

    Atualmente dirigi a HM Consultoria e faz parceria com algumas instituies de qualificaes de empresas.

    CO-AUTOR DEOGLEDES MONTICUCO

    Iniciou aos 14 anos como Mensageiro. 1974 - Engenheiro Civil e 1975 - Engenheiro de Segurana do Trabalho. Obras de construes: Hidreltrica; Linha de Transmisso de 805 Km na selva

    amaznica; Siderrgica; Petroqumica; Edifcios Residenciais e Comerciais; Hospitais; Shopping; Pontes; Viadutos; Dragagens de Rios; Minerao e Saneamento.

    Atuou tambm na Indstria Automobilstica, no Comrcio e na FUNDACENTRO. Coordenador de Cursos e Docente Engenharia de Segurana do Trabalho e

    Tcnico de Segurana do Trabalho. Coordenador da alterao da NR-18, 1994 e 1995, no sistema tripartite. Projetos de melhoria das condies de trabalho na Indstria da Construo. Estgios no exterior; Publicaes e Artigos Tcnicos na rea de Engenharia de

    Segurana do Trabalho na Indstria da Construo. Atualmente 66 anos Aposentado por Invalidez Dedica famlia e a

    escrever os fascculos para registrar os conhecimentos de Engenharia de Segurana do Trabalho na Indstria da Construo, bem como divulg-los.

  • Coleo MONTICUCO Fascculo N 45

    Engenharia de Segurana e Meio Ambiente do Trabalho

    ___________________________________________________________________________

    3

    CONSIDERAES

    1- Este FASCCULO foi elaborado em parceria com a empresa HM Consultoria Ltda.

    2- Endereo: Rua dos Buritis, 90 Sala 40 Bairro: Jabaquara CEP 04321-000 So Paulo SP Telefones: (13) 3304.1588 (11) 98143-2614 e 7806-1985 Site: www.hmseg.com.br E-mail: helio@hmseg.com.br Contato: Hlio Marcos da Silva

    3- Sntese dos servios prestados pela HM Consultoria Ltda.

    Inspees Fotogrficas em Canteiros de obras;

    Criao de Procedimentos de Segurana do Trabalho para o setor da construo civil;

    Locao de Tcnicos em Segurana do Trabalho;

    Treinamentos;

    Apoio a fiscalizaes;

    http://www.hmseg.com.br/mailto:helio@hmseg.com.br

  • Coleo MONTICUCO Fascculo N 45

    Engenharia de Segurana e Meio Ambiente do Trabalho

    ___________________________________________________________________________

    4

    Dilogo Dirio de Segurana - DDS

    O que ?

    um programa destinado a criar, desenvolver e manter atitudes

    prevencionistas na Empresa, atravs da conscientizao de todos

    os empregados.

    Onde?

    Tem corno foco principal a realizao de conversaes de

    segurana nas reas operacionais, possibilitando melhor integrao

    e o estabelecimento de um canal de comunicao gil, transparente

    e sincero entre Chefias e Subordinados.

    Quando?

    Diariamente, antes do incio da jornada de trabalho, com durao de

    05 a 10 minutos, com leitura de temas aqui apresentados ou outros

    relativos a Segurana e Medicina do Trabalho.

    Quem?

    A responsabilidade pela execuo da DDS do Lder/Supervisor,

    registrando diariamente o tema da DDS com as assinaturas da

    equipe no impresso padro.

    Como?

    Em reunies com o grupo de trabalho, escolhendo um dos temas e

    fazendo a leitura em alta voz, procurando ser objetivo na

    explanao, ou conversando sobre outro tema especfico.

  • Coleo MONTICUCO Fascculo N 45

    Engenharia de Segurana e Meio Ambiente do Trabalho

    ___________________________________________________________________________

    5

    MODELO DE REGISTRO DO DDS

    Logo da empresa DDS DILOGO DIRIO E SEGURANA

    Data:______ /________/________ Local:

    Nome do Encarregado:

    Nome do Mestre

    EMPRESA ou CONTRATADA:

    1 OPO:

    ASSUNTO: (Preencher)

    COMENTRIOS: (Preencher)

    2 OPO:

    ASSUNTO: (Preencher)

    COMENTRIOS: (Vide documento anexo)

    Nome Funo Visto

    Responsvel pelo DDS

    Nome:

    Funo:

    Visto/assinatura:

  • Coleo MONTICUCO Fascculo N 45

    Engenharia de Segurana e Meio Ambiente do Trabalho

    ___________________________________________________________________________

    6

    ESCADAS

  • Coleo MONTICUCO Fascculo N 45

    Engenharia de Segurana e Meio Ambiente do Trabalho

    ___________________________________________________________________________

    7

    ESCADAS

    (CONTINUAO)

    Os pontos bsicos de preveno de acidentes com escadas esto relacionados nos pontos a seguir:

    Prenda a escada no solo e na parte superior;

    Jamais use mesas, caixas, tijolos, ou qualquer outro tipo de apoio que permita que a escada se movimente e consequentemente, que o seu usurio caia;

    Nunca se posicione acima da penltima travessa de uma escada; neste caso use um andaime;

    Suba e desa uma escada sempre de frente para ela;

  • Coleo MONTICUCO Fascculo N 45

    Engenharia de Segurana e Meio Ambiente do Trabalho

    ___________________________________________________________________________

    8

    ESCADAS

    (CONTINUAO)

    No use escadas com as mos ocupadas com sacos, ferramentas, cabos, materiais, etc.; use uma sacola porta - ferramentas, ou ento amarre o material com uma corada e puxe-os depois de subir;

    No apoie as escadas de mo contra vidraas, superfcies recentemente pintadas, portas, janelas ou locais de trnsito de pessoas ou equipamentos.

    Quando apoiar uma escada de mo, procure mant-la afastada da parede ou apoio aproximadamente de sua altura, por exemplo, se a escada tiver 3,00 metros de altura, deixe-a afastada 75 cm na base.

    NO PERMITIDA A PINTURA DE ESCADAS, POIS TAL ATITUDE PODER ENCOBRIR NS, RACHADURAS E DEFEITOS DA MADEIRA. PARA CONSERVAO, PASSAR DUAS DEMOS DE VERNIZ CLARO OU LEO DE LINHAA QUENTE.

  • Coleo MONTICUCO Fascculo N 45

    Engenharia de Segurana e Meio Ambiente do Trabalho

    ___________________________________________________________________________

    9

    ESCAVADEIRA

    Os pontos bsicos de preveno de acidentes com retroescavadeiras esto relacionados a seguir: ESCAVAES: Todos os cuidados devero ser tomados pelo operador e pelo encarregado da frente de servio para prevenir acidentes com:

    Tubos enterrados;

    Rede eltrica enterrada ou area;

    Malhas de aterramento;

    TRANSPORTE DE CAAMBAS E OUTROS EQUIPAMENTOS: Durante o transporte de pessoas e equipamentos na caamba ou p da retroescavadeira, o operador e o encarregado da frente de servio devem atentar para os seguintes pontos:

    As cargas devem ser amarradas e bem distribudas na caamba ou p;

    A descarga deve ser feita em terreno limpo e nivelado;

    No descarregar enquanto houver pessoas numa distncia inferior a 03

    metros da carga;

  • Coleo MONTICUCO Fascculo N 45

    Engenharia de Segurana e Meio Ambiente do Trabalho

    ___________________________________________________________________________

    10

    ESCAVADEIRA (CONTINUAO)

    DESLOCAMENTO E OPERAO DA RETROESCAVADEIRA: Durante o deslocamento, o operador dever observar os seguintes pontos:

    expressamente proibido dar carona na mquina;

    Devem ser respeitados os limites de velocidade, conforme sinalizaes;

    Durante o deslocamento, a p dianteira dever ser conduzida numa altura que no prejudique a viso do operador;

    Durante deslocamentos, a caamba de escavao traseira dever ser totalmente recolhida;

    O operador dever usar os EPIs adequados: culos tipo ampla viso protetor auricular (abafador de rudo), capacete, botina.

    RETROESCAVADEIRAS SOMENTE PODEM SER OPERADAS POR PESSOAS TREINADAS E CREDENCIADAS.

  • Coleo MONTICUCO Fascculo N 45

    Engenharia de Segurana e Meio Ambiente do Trabalho

    ___________________________________________________________________________

    11

    CILINDROS DE GASES

    OS CILINDROS DE GASES DEVERO SER ARMAZENADOS E OPERADOS NA POSIO VERTICAL, PRESOS DE MANEIRA QUE NO CAIAM E PROTEGIDOS CONTRA QUEDA DE MATERIAIS E BORRAS Certifique-se que os cilindros de gases estejam situados em locais limpos, longe de leo, graxa, sem exposio a raios solares e protegidos contra qualquer fonte de calor.

  • Coleo MONTICUCO Fascculo N 45

    Engenharia de Segurana e Meio Ambiente do Trabalho

    ___________________________________________________________________________

    12

    CILINDROS DE GASES (CONTINUAO)

    Os cilindros de gases devem ser armazenados em locais arejados e protegidos com extintores de incndio. Gases combustveis inflamveis, como acetileno e GLP, por exemplo, no devem ser armazenados no mesmo local que os cilindros de oxignio, a menos que entre eles exista uma parede resistente ao fogo. O acetileno que um gs dissolvido no interior do cilindro no deve, em hiptese alguma, ser armazenado ou operado na posio horizontal, pois o gs que est dissolvido por intermdio de acetona, dentro de uma massa porosa, tem a tendncia de escapar pela vlvula, quando o cilindro estiver na horizontal e o acetileno vai passar a ficar comprimido de maneira instvel e gerar uma exploso no cilindro. Ao transportar cilindros, use gaiolas, beros caamba ou carrinho sobre rodas. Nunca faa o iamento de cilindros com estropos. Todo cilindro de gs, cheio ou vazio, dever estar com a sua respectiva tampa de proteo quando no estiver com uma vlvula reguladora conectada. Essa tampa protege a vlvula contra impactos que causariam a rpida liberao de presso, transformando o cilindro num busca p. Verifique frequentemente, com espuma de gua e sabo, se existe vazamento de gs nas unies das mangueiras, maaricos, vlvulas e cilindros.

  • Coleo MONTICUCO Fascculo N 45

    Engenharia de Segurana e Meio Ambiente do Trabalho

    ___________________________________________________________________________

    13

    EXTINTOR DE INCNCIO DE

    GUA PRESSURIZADA

    INSTRUA-SE SOBRE OS EQUIPAMENTOS DE COMBATE A INCNDIO EXISTENTES NO SEU LOCAL DE TRABALHO No obstrua e no permita que outras pessoas obstruam o acesso rpido e seguro aos extintores de incndio e hidrantes. Ajude a prevenir incndio: Extintores de incndio que estejam com o lacre rompido devem ser retirados do uso e encaminhado para uma recarga imediatamente. Como usar:

    Leve o extintor de gua Pressurizada prximo do local do fogo (mais ou menos 2,5 metros);

    Retire a trava de segurana, rompendo o lacre;

    Retire o difusor, segurando pela extremidade;

    Ataque rapidamente o fogo, dirigindo o jato para a base do fogo (raiz), com rpidos movimentos circulares do bico da mangueira (difusor).

    Onde usar: Combustveis da CLASSE A (Papel, madeira, tecidos, borracha, fibras).

  • Coleo MONTICUCO Fascculo N 45

    Engenharia de Segurana e Meio Ambiente do Trabalho

    ___________________________________________________________________________

    14

    EXTINTOR DE INCNCIO

    DE P QUMICO SECO PQS

    INSTRUA-SE SOBRE OS EQUIPAMENTOS DE COMBATE A INCNDIO EXISTENTES NO SEU LOCAL DE TRABALHO No obstrua e no permita que outras pessoas obstruam o acesso rpido e seguro aos extintores de incndio e hidrantes. Ajude a prevenir incndio: Extintores de incndio cujos reservatrios de gs propelente (ampola lateral) estejam com o lacre rompido devem ser retirados do uso e encaminhados para uma recarga imediatamente. Como usar:

    Leve o extintor de P QUIMICO SECO prximo ao local do fogo (mais ou menos 2,5 metros);

    Rompa o lacre abrindo a vlvula do reservatrio de gs propelente (ampola lateral). Esta operao injeta dentro do extintor de incndio o gs que ir expulsar o P QUMICO SECO;

    Retire o bico da mangueira e aperte o gatilho;

    Ataque rapidamente o fogo, dirigindo o jato para a base do fogo (raiz), com rpidos movimentos circulares do bico da mangueira (difusor).

    Onde usar: Combustveis da CLASSE B (gasolina, diesel, lcool, etc.); Combustveis da CLASSE C (equipamento eltrico energizado).

  • Coleo MONTICUCO Fascculo N 45

    Engenharia de Segurana e Meio Ambiente do Trabalho

    ___________________________________________________________________________

    15

    EXTINTOR DE INCNCIO

    DE GS CARBNICO CO

    INSTRUA-SE SOBRE OS EQUIPAMENTOS DE COMBATE A INCNDIO EXISTENTES NO SEU LOCAL DE TRABALHO No obstrua e no permita que outras pessoas obstruam o acesso rpido e seguro aos extintores de incndio e hidrantes. Ajude a prevenir incndio: Extintores de incndio que tenham perdido mais de 10% de seu peso, ou que estejam com o lacre rompido devem ser retirados do uso e encaminhado para uma recarga imediatamente. Como usar:

    Leve o extintor de CO2 prximo do local do fogo (mais ou menos 2,5 metros);

    Retire a trava de segurana, rompendo o lacre;

    Retire o difusor, segurando pela empunhadura de borracha;

    Ataque rapidamente o fogo, dirigindo o jato para a base do fogo (raiz), com rpidos movimentos circulares do bico da mangueira (difusor).

    Onde usar: Combustveis da CLASSE B (gasolina, diesel, lcool, etc.); Combustveis da CLASSE C (equipamento eltrico energizado).

  • Coleo MONTICUCO Fascculo N 45

    Engenharia de Segurana e Meio Ambiente do Trabalho

    ___________________________________________________________________________

    16

    PREVENO E COMBATE A INCNCIO

    INSTRUA-SE SOBRE OS EQUIPAMENTOS DE COMBATE A INCNDIO EXISTENTES NO SEU LOCAL DE TRABALHO No obstrua e no permita que outras pessoas obstruam o acesso rpido e seguro aos extintores de incndio e hidrantes. Ajude a prevenir incndio:

    Comunicando os riscos de incndio existentes no seu local de trabalho;

    Conservando inflamveis em recipientes de metal, longe de fonte de calor;

    Evitando o acmulo ou armazenamento de resduos, trapos, estopas, etc., impregnados de leo, gasolina ou outro produto inflamvel;

    Evitando o derramamento de inflamveis e, quando acontecer, remover imediatamente;

  • Coleo MONTICUCO Fascculo N 45

    Engenharia de Segurana e Meio Ambiente do Trabalho

    ___________________________________________________________________________

    17

    PREVENO E COMBATE A INCNCIO

    (CONTINUAO)

    Instalando linhas de preveno (mangueira de hidrante com esguicho aberto em forma de neblina) e colocando barreiras resistentes ao fogo (lonas anti chama umedecidas) para proteger os produtos inflamveis e os materiais de fcil combusto, antes de iniciar trabalhos de esmerilhamento (lixadeiras), corte com maarico, solda;

    Removendo para um local seguro, os produtos inflamveis e os materiais de fcil combusto, antes de iniciar trabalhos de esmerilhamento (lixadeiras), corte com maarico, solda;

    No permitindo a existncia de instalaes eltricas em mal estado de conservao ou de uso;

    Mantendo um extintor de incndio prximo dos locais onde haver uso de fogo, calor, esmerilhadeiras, solda e corte.

  • Coleo MONTICUCO Fascculo N 45

    Engenharia de Segurana e Meio Ambiente do Trabalho

    ___________________________________________________________________________

    18

    BANCADA PARA ARMAR E DOBRAR FERROS

    Mantenha a bancada afastada da fiao e de qualquer outro posto de trabalho. Mantenha sempre limpo o piso a seu redor. Use:

    culos de segurana.

    Luvas de raspa de couro.

    Avental de raspa.

    Capacete de segurana.

    Botina de couro.

  • Coleo MONTICUCO Fascculo N 45

    Engenharia de Segurana e Meio Ambiente do Trabalho

    ___________________________________________________________________________

    19

    CORTE DE FERRO

    Use tesoura e mquina de cortar com lminas afiadas, para evitar esforo excessivo. Arrume as pontas de ferro. Use:

    culos de segurana.

    Luvas de raspa de couro.

    Avental de raspa.

    Capacete de segurana.

    Botina de couro.

  • Coleo MONTICUCO Fascculo N 45

    Engenharia de Segurana e Meio Ambiente do Trabalho

    ___________________________________________________________________________

    20

    MONTAGEM DE ARMAO EM PILAR DE

    PERIFERIA

    Feche todas as aberturas do piso antes do incio da montagem. Trave a ferragem quando coloc-la antes da forma. Amarre a armao at fazer o travamento. Use:

    culos de segurana.

    Luvas de raspa de couro.

    Capacete de segurana.

    Botina de couro.

  • Coleo MONTICUCO Fascculo N 45

    Engenharia de Segurana e Meio Ambiente do Trabalho

    ___________________________________________________________________________

    21

    MONTAGEM DE ARMAO EM VIGAS E LAJES DE PERIFERIA

    Feche todas as aberturas do piso antes do incio da montagem. Use:

    Cinto de segurana tipo paraquedista.

    culos de segurana.

    Luvas de raspa de couro.

    Capacete de segurana.

    Botina de couro.

  • Coleo MONTICUCO Fascculo N 45

    Engenharia de Segurana e Meio Ambiente do Trabalho

    ___________________________________________________________________________

    22

    MONTAGEM DE FORMAS

    Feche, provisoriamente, todas as aberturas do piso. Trave a forma de pilar, logo aps coloc-la. No ande pelo fundo da viga e nem pelos painis laterais. Alinhe a viga com auxlio de um colega. Pregue as escoras de periferia ao piso e ao fundo da viga. No use o gastalho do pilar como escada. Use andaime ou escada de mo amarrada. Use:

    Cinto de segurana tipo paraquedista, para servios de periferia.

    culos de segurana.

    Luvas de raspa de couro.

    Capacete de segurana.

    Botina de couro.

  • Coleo MONTICUCO Fascculo N 45

    Engenharia de Segurana e Meio Ambiente do Trabalho

    ___________________________________________________________________________

    23

    DESFORMA DE TETO

    Evite a presena de pessoas estranhas. Isolar e sinalizar o local da desforma. Segure, ao retirar escoras metlicas, abaixo de sua regulagem (pea mais grossa) No deixe peas presas sem escoramento. Arrume as peas da desforma. Use:

    Cinto de segurana tipo paraquedista, para servios de periferia.

    culos de segurana.

    Luvas de raspa de couro.

    Capacete de segurana.

    Botina de couro.

  • Coleo MONTICUCO Fascculo N 45

    Engenharia de Segurana e Meio Ambiente do Trabalho

    ___________________________________________________________________________

    24

    DESFORMA DE PERIFERIA

    Amarre as peas antes de retir-las. Use:

    Cinto de segurana tipo paraquedista.

    culos de segurana.

    Luvas de raspa de couro.

    Capacete de segurana.

    Botina de couro.

  • Coleo MONTICUCO Fascculo N 45

    Engenharia de Segurana e Meio Ambiente do Trabalho

    ___________________________________________________________________________

    25

    TRABALHOS DE QUEBRA DE CONCRETO

    Servios de apicoamento e corte de concreto deve usar:

    culos de segurana.

    Luvas de raspa de couro.

    Capacete de segurana.

    Botina de couro.

    Protetor auricular.

  • Coleo MONTICUCO Fascculo N 45

    Engenharia de Segurana e Meio Ambiente do Trabalho

    ___________________________________________________________________________

    26

    TRANSPORTE DE ARMAO E FORMAS

    No elevador:

    Amarre a armao ao transport-la. Na grua:

    Amarre em dois pontos a armao ao transport-la.

  • Coleo MONTICUCO Fascculo N 45

    Engenharia de Segurana e Meio Ambiente do Trabalho

    ___________________________________________________________________________

    27

    TRABALHOS EM CONCRETO E ARGAMASSA

    Use:

    Cinto de segurana tipo paraquedista prximo a periferia.

    culos de segurana.

    Respirador para p e poeira.

    Luvas de raspa de couro.

    Capacete de segurana.

    Botina de couro ou bota de borracha, dependendo do servio.

  • Coleo MONTICUCO Fascculo N 45

    Engenharia de Segurana e Meio Ambiente do Trabalho

    ___________________________________________________________________________

    28

    So Paulo, Maio de 2014.

    Deogledes Monticuco

    deogledes.monticuco@gmail.com

    Fone: (11) 9-8151-3211

    Hlio Marcos da Silva helio@hmseg.com.br Fones: (13) 3304-1588 (11) 98143-2614 e 7806-1985

    PERMITIDA A DIVULGAO, REPRODUO TOTAL E PARCIAL DESDE QUE

    MENCIONADA ESTA PUBLICAO.

    mailto:deogledes.monticuco@gmail.commailto:helio@hmseg.com.br

Recommended

View more >