Diálogo de Segurança

  • Published on
    06-Nov-2015

  • View
    28

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Apresentao sobre Dilogo de Segurana

Transcript

  • Os Dilogos de Segurana (DS) so oportunidades para que se implante a cultura de segurana nas diversas reas da PPGv, desenvolvendo nas pessoas o hbito da conversa sobre assuntos relativos a sade e segurana do trabalho.Os DS so reunies rpidas de aproximadamente 5 a 10 minutos realizadas quinzenalmente no local de trabalho para discutir assuntos relativos aos riscos e preveno dos mesmos, bem como discutir acidentes e incidentes ocorridos.OBJETIVO:COMO FEITO:QUEM FAZ:Os Coordenadores so os responsveis por realizarem os DS nos diversos locais de trabalho, de acordo com sua rea de atuao. A Higiene e Segurana do Trabalho d assessoria aos Coordenadores elaborando e atualizando este Manual e nas demais dvidas dos mesmos.

  • MANUAL DE DILOGOS DE SEGURANAEste Manual foi preparado para fornecer material aos Coordenadores de modo que os mesmos possam conduzir os DS.

    Possui textos referentes a assuntos relativos a Sade e Segurana nos diversos locais de trabalho, que podem servir de base para o estabelecimento de discusses e/ou sugestes de melhorias.

    Mensalmente o Coordenador deve encaminhar para o HST as listas com assinatura dos participantes dos DS realizados, para fins da elaborao do respectivo controle estatstico.

    Os textos contidos neste manual falam dos assuntos de Sade e Segurana de uma forma genrica. muito importante que, ao realizar o DS, sejam adaptados aos locais de trabalho, com a citao de exemplos prticos, falando sobre a observao dos procedimentos e acidentes ocorridos que possam relacionar-se com o assunto em questo.

  • SUMRIO:1. FERRAMENTAS CORTANTES06 2. RUDO.073. TRABALHOS PRXIMOS EMPILHADEIRAS...094. LEVANTAMENTO E TRANSPORTE MANUAL DE PESOS.105. RISCOS DE PARTES ENERGIZADAS DE MQUINAS116. RISCOS DE PARTES MVEIS DE MQUINAS127. PROTEO RESPIRATRIA...148. OPERAO DE TALHAS.159. PRODUTOS QUMICOS....1610. PREVENO DE INCNDIOS...1811. COMBATE A INCNDIOS......19

  • SUMRIO:12. PLANO DE ABANDONO ...2113. FONTES RADIATIVAS...2314. TRABALHO EM LABORATRIO.2415. LOCK-OUT / TAG-OUT..2616. OPERAO DE VECULOS (REBOCADOR / EMPILHADEIRA)..2717. INSTALAES ELTRICAS..2918. FERRAMENTAS MANUAIS ..3019. PRIMEIROS SOCORROS3220. INFLAMVEIS.3321. LIMPEZA E ORGANIZAO.....34

  • 1. FERRAMENTAS CORTANTES:Como ferramentas cortantes podemos citar: faces, facas quentes, tesouras e at chaves de fenda.RISCOS:Cortes, queimaduras, etc.PROCEDIMENTOS SEGUROS: Segurar a ferramenta firmemente pelo cabo. No deixar faces / facas quentes sobre o painel da mquina. Colocar as ferramentas em local devido e seguro aps o uso. Quando cortar materiais prximo ao corpo, manter o sentido de corte afastando do corpo. No cortar materiais quando estes estiverem em movimento.

  • 2. RUDO:Rudo um som desagradvel. ocasionado pelas mquinas, transportadores, empilhadeiras, rebocadores, etc. O rudo absorvido pelos ouvidos e por via ssea, sendo processado pelo sistema nervoso e levado at o crebro.MALES DO RUDO: Surdez. Distrbios nervosos. Insnia. Zumbidos nos ouvidos. Impotncia.

    PREVENO DO RUDO:Para prevenirmos as consequncias do rudo, devemos usar os protetores auriculares.

  • PROTETORES AURICULARES:No basta usar o protetor auricular, devemos us-lo adequadamente.

    Para a colocao do protetor auricular tipo plug, devemos puxar a orelha levemente para trs, abrindo levemente a boca, de forma que o ar existente no conduto do ouvido saia, introduzindo o protetor auricular.

    Os protetores auriculares tipo plug de silicone (no descartveis) devem ser lavados periodicamente usando-se preferencialmente gua morna e sabo neutro.

    Sempre que o protetor auricular descartvel estiver sujo, ou o protetor de silicone no estiver em condies de uso, devem ser substitudos por outros.2. RUDO:

  • 3. TRABALHOS PRXIMOS EMPILHADEIRAS:Ao trabalhar em reas onde exista a circulao de empilhadeiras necessrio muita ateno.

    No usar atalhos nem improvisar caminhos.

    Ao passar em cruzamentos ou locais escuros com pouca visibilidade, procurar escutar o barulho do motor da empilhadeira aproximando-se ou a buzina da mesma.

    Ao atravessar corredores e vias de circulao, olhar para os dois lados.

    No sair diretamente de trs de veculos estacionados, olhar para os dois lados antes de locomover-se.

  • 4. LEVANTAMENTO E TRANSPORTE MANUAL DE PESOS:Ao levantar e transportar pesos, devem ser tomados alguns cuidados:

    Dimensionar a carga, no levantar sozinho se o peso exceder sua capacidade.No transportar volumes que encubram sua viso.Analisar a carga procurando salincias, cantos vivos e outras partes cortantes.Manter os ps firmes no cho, prximo a carga, abaixando-se.Erguer a carga dobrando os joelhos e mantendo as costas eretas.Manter a carga prxima ao corpo, fazendo fora com as pernas e os braos.Segurar os objetos com firmeza, protegendo as mos de batidas contra paredes, cantos vivos, batentes de portas, etc.Ao movimentar volumes em dois ou mais colaboradores, planejar antes os movimentos a serem feitos.Ao transportar peas compridas como escadas, tubos, etc., manter a parte da frente mais elevada.

  • 5. RISCOS DE PARTES ENERGIZADAS DE MQUINAS:As mquinas apresentam muitos riscos de choques eltricos, tais como: fios energizados, caixas de disjuntores, chaves, etc.

    Na ausncia de informaes precisas, todo fio eltrico deve ser considerado energizado.

    Nunca ajeitar provisoriamente material ou uma instalao eltrica, porque isso pode ser perigoso.

    Quando perceber que uma mquina est funcionando mal ou uma instalao eltrica est danificada, avisar o responsvel.

    LEMBRE-SE: VOC NO ELETRICISTA. DEIXE PARA UM PROFISSIONAL HABILITADO RESOLVER OS PROBLEMAS COM INSTALAES ELTRICAS!

  • 6. RISCOS DE PARTES MVEIS DE MQUINAS:As protees e dispositivos de segurana so instalados nas mquinas para evitar acidentes.

    Nunca operar qualquer equipamento sem que as protees estejam no lugar e em bom estado, no caso de falta da proteo ou a mesma ter sido retirada para reparos ou ajustes, comunicar a superviso.

    Quando julgar que alguma mquina esteja apresentando falha de segurana, informar a superviso imediatamente.

    Sempre ter ateno para no deixar as mos expostas nas reas perigosas ou atravs de abertura de proteo.

    Antes de iniciar qualquer trabalho, verificar se todas as protees esto nos devidos lugares, e se no h ningum nas proximidades onde a mquina possa atingi-lo.

  • 6. RISCOS DE PARTES MVEIS DE MQUINAS:Nunca operar um equipamento se nele estiver presa a etiqueta de bloqueio.

    No alterar, ajustar ou remover proteo alguma e se esta interferir com a operao, comunicar a superviso.

    No devem ser usados anis nos dedos para operar mquinas nas quais possa haver contato com partes mveis.

    No usar luvas com mquinas que tenham partes rotativas ou pontos de agarramento.

    Ajustes, troca de ferramentas, manutenes e outras intervenes devem ser feitas EXCLUSIVAMENTE com a mquina parada.

  • 7. PROTEO RESPIRATRIA:Para se ter uma boa proteo das vias respiratrias onde houver riscos de contaminao por produtos qumicos, necessrio o uso de mscaras, observando-se os seguintes procedimentos:

    Usar o filtro especfico, em caso de dvida consultar a Segurana do Trabalho. Para colocar a mscara necessrio ajust-la adequadamente ao rosto. O usurio no deve usar barba, costeletas ou bigode longo, para ter uma perfeita vedao. Verificar se a mscara est em perfeitas condies e os filtros no esto vencidos. Aps a colocao da mscara, verificar a vedao da mesma. As mscaras devem ser guardadas em locais protegidos contra ao dos agentes contaminantes, de preferncia em sacos plsticos e for a do local de trabalho. A higienizao da mscara deve ser feita com gua e sabo neutro, no devendo ser utilizados solventes, pois esses prejudicam os componentes de borracha. No caso de mscaras descartveis, no utiliz-las contra gases e vapores e sim contra poeiras.

  • 8. OPERAO DE TALHAS:Os cabos de ao, correntes, cordas, roldanas e ganchos devem ser inspecionados periodicamente, solicitando-se a troca dos que estiverem danificados.

    Ao levantar cargas, certificar-se do peso mximo da talha.

    No caso do manipulador de fardos, verificar vazamentos na mangueira de ar do mesmo.

    Cabe ao usurio inspecionar o equipamento diariamente antes de iniciar o trabalho e comunicar a superviso qualquer irregularidade encontrada.

  • 9. PRODUTOS QUMICOS:Tomar conhecimento dos riscos e caractersticas dos produtos qumicos que ir trabalhar, tomando todas as precaues necessrias para evitar acidentes.

    Usar sempre os E.P.I.s necessrios para o desenvolvimento das atividades.

    Nunca tentar identificar produtos qumicos pelo odor (cheiro). Observar sempre as rotulagens e sinalizaes, precavendo-se de acordo com os significados das palavras de advertncia:

    ATENO: Substncias que apresentam risco leve.

    CUIDADO: Substncias que apresentam risco mdio.

    ATENO: Substncias que apresentam risco alto.

    INDEPENDENTE DA SUBSTNCIA APRESENTAR RISCO LEVE OU MDIO, TODOS OS CUIDADOS DEVEM SER TOMADOS NO MANUSEIO DE PRODUTOS QUMICOS.

  • 9. PRODUTOS QUMICOS:No armazenamento de produtos qumicos, ficar atento s caractersticas dos mesmos, tomando os cuidados necessrios para no armazenar produtos incompatveis um com o outro.

    Ter pleno conhecimento dos locais onde esto instalados os chuveiros de emergncia e os lava-olhos das reas de trabalho, sabendo como us-los.

    Em caso de vazamento ou derramamento de produtos qumicos, comunicar imediatamente o Antincndio (ramal 2111) em caso de no encontrar ningum no Antincndio, pedir para a Portaria localizar os Bombeiros (ramais 2126 e 2163), tomando as medidas cabveis para conter ou estancar o vazamento.

    Havendo contato com a pele e olhos, lavar imediatamente a parte do corpo atingida com bastante gua corrente. Em todos os cas

Recommended

View more >