Duvidas sobre Remédios para emagrecer

  • Published on
    03-Apr-2018

  • View
    216

  • Download
    0

Embed Size (px)

Transcript

<ul><li><p>7/29/2019 Duvidas sobre Remdios para emagrecer</p><p> 1/16</p><p>TUDO SOBRE REMDIOSPARA EMAGRECER</p><p>WWW.MEGACURSOS.COM.BR</p></li><li><p>7/29/2019 Duvidas sobre Remdios para emagrecer</p><p> 2/16</p><p>USAR OU NO REMDIOS?</p><p>O emprego de medicamentos para tratamento da obesidade foi durante muitos anos duramente criticado pela imensamaioria da classe mdica, inclusive e principalmente pelos endocrinologistas, existindo um grande preconceito contraos mdicos que receitavam qualquer tipo de medicamento para a obesidade. Hoje este quadro tem evoludo, havendouma maior aceitao pela classe mdica da necessidade de algumas vezes se lanar mo de tal recurso. Ainda hoje, noentanto, ainda h dois tipos de conduta opostas, a meu ver radicais, aqueles que nunca receitam medicamentos e aquelesque os receitam em todos os casos . A meu ver ambas as posies esto erradas, pois hoje aceitvel, a prescrio demedicamentos para os paciente obesos com IMC acima de 30, ou em pacientes na qual a obesidade to patolgica queo benefcio supera as contra-indicaes dos mesmos. J existe, inclusive aqueles que preconizam o tratamento do obeso</p><p>mrbido a vida toda com algum tipo de medicamento. Esta nova posio, afirma que a obesidade uma doena grave,e deve ser tratada como tal. Se outras patologias crnicas tais como o Diabetes, Hipertenso, Cardiopatias, etc, sotratadas com medicamentos (e muitos com graves efeitos colaterais, e nem por isto deixam de ser prescritos), porqueno tratar a obesidade com remdios? Na minha experincia de 26 anos com anorexgenos por exemplo, foram RA-RSSIMOS os casos de efeitos colaterais graves, apenas os habituais, tais como boca seca, leve taquicardia, etc. Sabe-mos que os medicamentos existentes ainda no so os ideais, e necessrio que a medicina aprofunde as pesquisas paradescobrir medicamentos mais eficazes, e deixar-mos de tratar os obesos como glutes irresponsveis e culpados eternosde seu prprio infortnio.</p><p>AS PRINCIPAIS INDICAES PARA O USO DE ANOREXIGENOS SO:</p><p>1) Presena de hbitos alimentares claramente patolgicos, tais com bulemia, hiperfagia, e compulso alimentar.</p><p>2) Incapacidade de ingerir dietas hipocalricas para que haja uma reduo do peso.3) Obesidades mrbidas, com risco para o paciente4) Paciente com IMC acima de 30 Kg/m25) Paciente com IMC acima de 25 Kg/m2 com associao com alguma doena como o Diabetes, dislipidemias e hiper-tenso arterial6) Tratamentos ineficazes com dieta, exerccios ...etc.</p><p>FRMACOS QUE PROMOVEM A PERDA DE PESO</p><p>Os frmacos mais empregados para a perda de peso so os "supressores de apetite", que promovem perdas de pesoreduzindo o apetite e aumentando a sensao de plenitude. Estes medicamentos reduzem o apetite por aumento da sero-tonina ou das catecolaminas, substancias cerebrais (neurotansmissores) que afetam o estado emocional e o apetite. Em</p><p>1999, o FDA dos EUA aprovou o frmaco orlistat (Xenical) para tratamento da obesidade. O orlistat atua reduzindo emaproximadamente um tero a capacidade de absorver gordura dos alimentos. O FDA tambm aprovou outros frmacosmais disponveis para a perda de peso, e para utilizar durante curto tempo, o que supe umas poucas semanas ou meses.A sibutramina e o orlistat so os dois nicos frmacos aprovados para uso durante longos perodos em pacientes signifi-cativamente obesos, ainda que sua segurana e eficcia no tenham sido demonstradas em uso superior a um ano. Asnormas mdicas limitam a publicidade ou promoo de um determinado frmaco, mas no limitam a capacidade de ummdico para prescrever este frmacos em enfermidades distintas das indicadas, ou administrar em doses diferentes oudurante perodos de tempo distintos dos estabelecidos. O uso de mais de uma medicao para perda de peso de cada vez(tratamento medicamentoso combinado) um exemplo de contra-indicao. Outro exemplo de contra-indicao aindicao de um frmaco de perda de peso diferente da sibutramina ou orlistat durante um perodo superior ao conside-rado curto, como "mais de poucas semanas".</p><p>TRATAMENTO COM SOMENTE UM MEDICAMENTO</p><p>Existem alguns medicamentos de perda de peso disponveis para o tratamento da obesidade. Em geral, estes medica-mentos so eficazes, e conduzem a uma perda de peso de 2 a 10 kg mais que o esperado com o tratamento no farmaco-lgico da obesidade. Cada pessoa responde de um modo diferente aos medicamentos de perda de peso, e alguns expe-rimentam mais perda de peso que outros. Alguns pacientes obesos que utilizam a medicao perdem mais de 10% deseu peso corporal inicial - uma quantidade de perda de peso que pode reduzir os fatores de risco da obesidade, como asenfermidades relacionadas a ela, em especial hipertenso e diabetes. A mxima perda de peso que se costuma conse-guir, acontece, em geral, aos 6 meses do incio do tratamento. O peso tende ento a manter-se e inclusive aumentar emmais tempo de tratamento. Os estudos realizados sugerem que se um paciente no perde com uma medicao pelo me-nos 2 kg em quatro semanas, esta medicao no capaz de ajudar o paciente a alcanar uma perda de peso significati-va. Se tem estudado a utilizao de antidepressivos como medicamento supressor do apetite, apesar de se considerar umuso fora do protocolo. Estudos tem mostrado que os pacientes com essa medicao perdem uma quantidade moderadade peso at uns 6 meses. Entretanto, a maioria dos estudos tem mostrado que os pacientes que perdem peso enquantotomam antidepressivos tendem a recuper-lo enquanto ainda esto em tratamento farmacolgico.</p></li><li><p>7/29/2019 Duvidas sobre Remdios para emagrecer</p><p> 3/16</p><p>BENEFICIOS POTENCIAIS DO TRATAMENTO FARMACOLGICO</p><p>A curto prazo, a perda de peso em indivduos obeso pode reduzir certos riscos para a sade. Os estudos relativos aosefeitos da medicao de perda de peso sobre os riscos para a sade relacionados com a obesidade tem demonstrado quealguns agentes diminuem a curto prazo a presso arterial, o colesterol, e os triglicerdios no sangue, assim como tam-bm diminuem a resistncia a insulina.</p><p>RISCOS POTENCIAI S E CONSIDERAES A RESPEITO DO TRATAMENTO FARMACOLGICO</p><p>Quando consideramos o tratamento da obesidade mediante tratamento medicamentoso de longa durao, devemos con-siderar as seguintes reas de interesse e riscos potenciais:</p><p>1) Possibilidade de superdosagem ou dependnciaEm geral, toda prescrio de medicamentos para tratar a obesidade, exceto o orlistat, se refere a frmacos controlados oque indica que o mdico deve emitir uma notificao de receita B ("receita azul") para a compra do medicamento nafarmcia. Ainda que no seja freqente a superdosagem ou a dependncia das medicaes supressoras do apetite do tipono-anfetamina, os mdicos devem ter cuidado ao prescrever estes frmacos a pacientes com historia de lcool ou ou-tros abusos de drogas. O uso de anfetaminas contra-indicado a estes pacientes.</p><p>2) Desenvolvimento de tolernciaMuitos estudos de frmacos para perda de peso mostram que h uma tendncia a aumentar o peso do paciente aos 4 a 6meses, quando ainda se encontram em tratamento. Apesar de que alguns pacientes e mdicos supe que isto demonstra</p><p>tolerncia medicao, o aumento de peso pode supor que o medicamento tenha alcanado seu limite de eficcia. Base-ando-se nos estudos de que dispomos, no est claro se o ganho de peso ao longo do tratamento se deve tolerncia dofrmaco.</p><p>3) Recusa em considerar que a obesidade uma enfermidade crnicaPode-se crer que a obesidade seja conseqncia de uma falta de vontade, de ser fraco, ou de se haver "escolhido" umdeterminado estilo de vida, com sobre alimentao e falta de exerccios. A crena de que cada um escolhe ser obeso seJunta duvida dos pacientes e dos profissionais de sade sobre se aceitar o uso a longo prazo de uma medicao supres-sora de apetite como tratamento da obesidade. Entretanto, mais apropriado considerar a obesidade como uma enfer-midade crnica do que como um estilo de vida escolhido. Outras enfermidades crnicas, como a hipertenso ou diabe-tes, se tratam mediante tratamento medicamentoso de longa durao, inclusive ainda que essas enfermidades podemmelhorar com mudanas no estilo de vida tais como dieta e exerccio. Ainda que este enfoque possa afetar mdicos epacientes, o ponto de vista social sobre a obesidade no impediria os pacientes de buscar tratamento mdico para evitar</p><p>os riscos para a sade que podem causar enfermidades graves inclusive a morte. Os frmacos supressores de apetite noso "balas mgicas" ou tiros certeiros. No podem substituir o controle da dieta e a atividade fsica. O principal papel damedicao parece ser ajudar a uma pessoa a persistir em um plano de exerccios e dieta para perder peso e manter aperda.</p><p>4) Efeitos colateraisComo a medicao de perda de peso se utiliza para tratar uma enfermidade que afeta a milhes de pessoas, a maioriadas quais esto basicamente sadias, importante considerar seus efeitos secundrios. A maioria deles so muito leves, enormalmente melhoram ao continuar do tratamento. Raramente se tem descrito efeitos graves e inclusive fatais. Osfrmacos que afetam os nveis de catecolaminas (como dietilpropiona (anfepramona) e mazindol), podem causar sin-tomas de insnia, nervosismo e euforia (sensao de bem-estar). A serotonina atua nos sistema catecolaminas e seroto-nina. Os primeiros efeitos colaterais conhecidos relacionados com a sibutramina so aumentos da presso e freqnciacardaca, que normalmente so de fraca intensidade, mas que em alguns pacientes podem ser significativos. As pessoascom hipertenso pouco controlada, doenas cardacas, irregularidades de pulso ou histria de palpitao no devemtomar sibutramina, e todos os pacientes que tomem a medicao devem ter sua presso verificada periodicamente. Al-guns efeitos colaterais do orlistat so emisso de gases com evacuao (gases molhados), necessidade urgente de ira aobanheiro, fezes oleosas ou gordurosas, aumento do nmero de movimentos intestinais e incontinncia fecal. Estes efei-tos colaterais so geralmente temporrios, mas muitos deles podem piorar com o consumo de alimentos ricos em gordu-ras. Como o orlistat reduz a absoro de algumas vitaminas, os enfermos devem tomar um multivitamnico pelo menosduas horas antes ou depois de tomar o orlistat. A hipertenso pulmonar primria uma enfermidade rara, mas potenci-almente letal, que afeta os vasos sangneos dos pulmes e que leva morte em um perodo de 4 anos 45% de suasvtimas. A dietilpropiona e talvez a sibutramina possam causar esta doena.</p><p>PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE OS FRMACOS PARA PERDER PESO</p><p>O remdio pode substituir o exerccio para perder peso?No. O uso de medicamentos para o tratamento da obesidade deve ser combinado com atividade fsica e controle dadieta para perder peso e manter esta perda por longo tempo.</p></li><li><p>7/29/2019 Duvidas sobre Remdios para emagrecer</p><p> 4/16</p></li><li><p>7/29/2019 Duvidas sobre Remdios para emagrecer</p><p> 5/16</p><p>Classe Substncia Mecanismo de Ao Dose Efeitos ColateraisNome Co-mercial</p><p>FenproporexDiminui a ingesto alimentarpor mecanismo noradrenrgi-co</p><p>20 - 50 mg/dia Boca seca, insnia, ta-quicardia, ansiedade</p><p>Desobesi-M</p><p>Catecolaminergicos</p><p>Anfepramona(Dietilpropiona)</p><p>Diminui a ingesto alimentarpor mecanismo noradrenrgi-</p><p>co</p><p>40 -120 mg/dia Boca seca, insnia, ta-quicardia, ansiedade</p><p>Dualid S,Hipofagin S,Inibex S,</p><p>Moderine</p><p>Mazindol</p><p>Diminui a ingesto alimentarpor mecanismo noradrenrgi-co e dopaminrgico. No derivado da feniletilaminacomo os trs anteriores.</p><p>1 - 3 mg/diaBoca seca, insnia, ta-quicardia, ansiedade</p><p>Absten, Das-ten, Fagolipo</p><p>SerotoninrgicosSibutramina</p><p>Inibio da recaptao daserotonina e da noradrenalina,central e perifericamente,diminuindo a ingesta e aumen-tando o gasto calrico</p><p>10 - 20 mg/dia</p><p>Boca seca, constipao,taquicardia, sudorese,eventualmente aumentoda presso arterial</p><p>Reductil,Plenty</p><p>Inibidor da absorointestinal de gorduras</p><p>Orlistat</p><p>Atua no lmen intestinal ini-bindo a lipase pancretica que uma enzima necessria paraa absoro de triglicerdeos</p><p>No mximo 120</p><p>mg, em 3 toma-das dirias,antes das refei-es.</p><p>Esteatorria (diarriagordurosa), incontinnciafecal, interfere na absor-o das vitaminas A, D,E e K, necessitando desuplementao.</p><p>Xenical</p><p>OBESIDADE</p><p>Como se desenvolve ou se adquire?Nas diversas etapas do seu desenvolvimento, o organismo humano o resultado de diferentes interaes entre o seupatrimnio gentico (herdado de seus pais e familiares), o ambiente scio econmico, cultural e educativo e o seu ambi-ente individual e familiar. Assim, uma determinada pessoa apresenta diversas caractersticas peculiares que a distin-guem, especialmente em sua sade e nutrio. A obesidade o resultado de diversas dessas interaes, nas quais cha-mam a ateno os aspectos genticos, ambientais e comportamentais. Assim, filhos com ambos os pais obesos apresen-tam alto risco de obesidade, bem como determinadas mudanas sociais estimulam o aumento de peso em todo um grupode pessoas. Recentemente, vem se acrescentando uma srie de conhecimentos cientficos referentes aos diversos meca-nismos pelos quais se ganha peso, demonstrando cada vez mais que essa situao se associa, na maioria das vezes, comdiversos fatores. Independente da importncia dessas diversas causas, o ganho de peso est sempre associado a umaumento da ingesta alimentar e a uma reduo do gasto energtico correspondente a essa ingesta. O aumento da ingestapode ser decorrente da quantidade de alimentos ingeridos ou de modificaes de sua qualidade, resultando numa ingestacalrica total aumentada. O gasto energtico, por sua vez, pode estar associado a caractersticas genticas ou ser depen-dente de uma srie de fatores clnicos e endcrinos, incluindo doenas nas quais a obesidade decorrente de distrbioshormonais.</p><p>O que se sente?</p><p>O excesso de gordura corporal no provoca sinais e sintomas diretos, salvo quando atinge valores extremos. Indepen-dente da severidade, o paciente apresenta importantes limitaes estticas, acentuadas pelo padro atual de beleza, queexige um peso corporal at menor do que o aceitvel como normal. Pacientes obesos apresentam limitaes de movi-mento, tendem a ser contaminados com fungos e outras infeces de pele em suas dobras de gordura, com diversascomplicaes, podendo ser algumas vezes graves. Alm disso, sobrecarregam sua coluna e membros inferiores, apre-sentando a longo prazo degeneraes (artroses) de articulaes da coluna, quadril, joelhos e tornozelos, alm de doenavaricosa superficial e profunda (varizes) com lceras de repetio e erisipela. A obesidade fator de risco para umasrie de doenas ou distrbios que podem ser:</p><p>Doenas DistrbiosHipertenso arterial Distrbios lipdicosDoenas cardiovasculares HipercolesterolemiaDoenas crebro-vasculares Diminuio de HDL ("colesterol bom")</p><p>Diabetes Mellitus tipo II Aumento da insulinaCncer Intolerncia glicoseOsteoartrite Distrbios menstruais/InfertilidadeColedocolitase Apnia do sono</p></li><li><p>7/29/2019 Duvidas sobre Remdios para emagrecer</p><p> 6/16</p><p>Assim, pacientes obesos apresentam severo risco para uma srie de doenas e distrbios, o que faz com que tenhamuma diminuio muito importante da sua expectativa de vida, principalmente quando so portadores de obesidade mr-bida (ver a seguir).</p><p>Como o mdico faz o diagnstico?A forma mais amplamente recomendada para avaliao do peso corporal em adultos o IMC (ndice de massa corpo-ral), recomendado inclusive pe...</p></li></ul>