Eco marinho

  • View
    6.499

  • Download
    6

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Descrio do talassociclo

Transcript

  • 1. O AMBIENTE MARINHO Disciplina :Ecologia Bsica Prof. MsC. Paulo Cesar de Souza Grillo

2.

  • gua dos oceanos pode ser dividida em zonas distintas com perfil ambiental e formas de vida exclusivas e caractersticas.
  • A zonao ocorre tanto no sentido horizontal como no vertical, em funo da capacidade de penetrao da luz no mar.

3.

  • Zonao horizontal
  • Na zonao horizontal, que vai da costa para o mar aberto, a distribuio da fauna e da flora depende essencialmente da temperatura da gua e da quantidade de alimento disponvel.
  • Quanto mais nos afastamos da costa, menos alimento estar disponvel para a manuteno da vida j que o meio dos oceanos pode ser descrito como um "deserto biolgico".

4.

  • No plano horizontal distinguem-se claramente duas zonas ou provncias marinhas: a nertica e a ocenica

5.

  • Provncia Nertica: a regio mais prxima da costa, a zona com maior quantidade e variedade de vida. Essa faixa do oceano est situada sobre a plataforma continental, entre a linha de mar alta e a profundidade mdia de 200 metros.
  • Esta subdividida em duas regies:
  • Zona Litornea, entre as linhas de mar alta e baixa;
  • Zona Costeira, da linha de mar baixa para fora.
  • A Provncia Ocenica compreende a faixa do oceano situada acima da plancie abissal, onde a profundidade superior a 200 metros.

6.

        • Zonao Vertical
  • A zonao vertical abrange toda a massa de gua marinha separando-a por faixas de profundidade desde a superfcie at o fundo ocenico, relacionadas com as comunidades ecolgicas que a se estabelecem.
  • A zonao vertical determinada pela intensidade da luz solar que recebe, pela presena de nutrientes, assim como pela presso e temperatura da gua.
  • A combinao de diversos fatores, entre os quais a presso e a luminosidade, criam nos mares quatro distintos biomas: litoral, nertico, batial e abissal.

7.

  • Neles h trs tipos de comunidades:
  • O plncton composto por pequenos organismos que vivem carregados pelas correntes, ocupando o bioma nertico.
  • O bentos abrange os seres que vivem fixo ao fundo ocenico, desde o sistema litoral at as fossas abissais.
  • Nos quatro biomas podem ser encontrados representantes do ncton, animais capazes de nadar.

8. 9.

  • H duas formas de estabelecer uma zonao vertical, o que define dois domnios Por cada um deles distribui-se uma comunidade biolgica marinha que lhe caracterstica.
  • O Domnio Bentnico: corresponde ao fundo marinho em toda sua extenso, desde onde respinga a gua da mar alta at a mais profunda fossa submarina.

10.

  • Costuma-se dividir o Domnio Bentnico em sete zonas, agrupadas em dois sistemas: o sistema litoral (situado na plataforma continental) e o sistema profundo (que avana alm do talude).
  • Sistema Litoral :
  • Zona supralitoral - acima da linha de nvel mdio da mar alta, mas influenciada profundamente pelo mar.
  • Zona mediolitoral - entre as linhas de nvel mdio de mares altas e baixas. Fica periodicamente exposta ao ar durante as mars baixas.
  • Zona infralitoral - abaixo da linha de nvel mdio da mar baixa (baixa-mar), at o limite de existncia de algas fotfilas (dependentes de boa luminosidade).

11.

      • Zona circalitoral - limite inferior o limite extremo das algas cifilas (tolerantes a baixa luminosidade). Trata-se de uma rea de transio entre as guas costeiras e as guas profundas, onde a vida comea a escassear.
  • O sistema profundo:
  • comea no limite inferior da zona circalitoral e abriga trs zonas mais claramente reconhecveis e delimitadas pela profundidade:
  • Zona batial - at 2.000 metros. A vida bentnica bastante rara pela dificuldade de fixao nesses terrenos escarpados.
  • Zona abissal - at 6.000 metros. Engloba as extensas plancies abissais, com as fontes hidrotermais e afloramentos frios de metano e todas as suas exticas formas de vida bentnica.

12.

      • Zona hadal - alm de 6.000 metros. o territrio das fossas abissais e das formas de vida adaptadas ao frio, escurido, escassez de recursos alimentares e presses avassaladoras.
  • Domnio Pelgico: relacionado ao mar aberto. A vivem os organismos pelgicos, seres vivos muito diversos, que vivem sem e dependncia de um substrato, arrastados pelas correntes ou capazes de nadar. comunidades planctnica e nectnica.

13.

  • Tomando-se em considerao a fauna, a luminosidade, temperatura e presso,divide-se em seis zonas:
  • Zona epipelgica ou euftica a zona superficial iluminada. Seu limite inferior (geralmente entre 50 e 100 metros) marcado pela zona de compensao ftica, profundidade onde a fotossntese aparente nula (fotossntese = respirao).
  • Zona mesopelgica (profundidade entre 50-100 a 200 metros) ainda ligeiramente iluminada, mas o fitoplncton no pode sobreviver nela por um longo perodo.
  • Zona infrapelgica (profundidade entre 200 e 500-600 metros) que no mais afetada pelas variaes sazonais de temperatura, e tem o seu limite inferior marcado pela isoterma de 10 o C.

14.

  • Zona batipelgica (profundidade entre 500-600 e 2.000 metros) tem o seu inferior determinado pela ocorrncia da isoterma de 4C nas latitudes mdias. Fauna:
  • Zona abissopelgica (profundidade entre 2.000 e 6.000 metros) corresponde s guas ocenicas que se estendem sobre os fundos da grande plancie abissal. Fauna: peixe-pescador, peixe-sapo, peixe-engolidora, peixe-machado, quetognatas, crustceos, misidceos e decpodes.
  • Zona hadopelgica (profundidade superior a 6.000 metros), muito pobre e submetido a grandes presses, situa-se nas fossas abissais. Fauna:

15.

  • Uma forma mais simples de se estabelecer uma zonao vertical no ambiente marinho tomando-se como critrio a quantidade de luz:
  • Zona euftica (at 100 metros de profundidade), que recebe luz em maior intensidade.
  • Zona disftica (entre 100 e 300 metros de profundidade), com luz difusa e aproveitada por poucos produtores.
  • Zona aftica (abaixo de 300 metros de profundidade), sem luz.

16.

  • Principais fatores do ambiente marinho
  • A distribuio de cada espcie pelos diversos habitats,como a prpria sobrevivncia do indivduo, esto determinadas pela existncia de certos elementos do meio ambiente que podem agir diretamente sobre o funcionamento do organismo, e sobre o seu ciclo de vida.
  • Esses elementos receberam o nome defatores ecolgicos.
  • so a luminosidade, a temperatura, a salinidade e a presso.
  • Luminosidade :A presena da luz no oceano no importante apenas por permitir a realizao da fotossntese, tambm veculo para informaes para orientar seu comportamento, indicando a presena de predadores ou presas, os locais para abrigos, os parceiros sexuais, ou a fonte de alimentos .

17.

  • A temperatura :atua diretamente sobre os organismos regulando a velocidade do metabolismo, seguindo a regra de que a cada aumento em 10 o C, a velocidade do metabolismo dobra. O aumento dessa velocidade significa um aumento proporcional nas necessidades energticas do organismo e, conseqentemente, na quantidade de alimento para manter-se vivo.
  • A salinidade : em mar aberto, no muito varivel; possuindo valores aproximados de 35 / 00 , com extremos medidos em 34 e 37 / 00.No Mar Vermelho, o mais salgado dos mares, a salinidade mdia de 40 / 00 .
  • Soeuri-halinasas espcies que suportam variaes na salinidade. Incluem as espcies estuarinas (de gua salobra) ou as capazes de mudar de gua doce para marinha, ou vice-versa, como o salmo.
  • Asesteno-halinasno suportam variaes,vivem em concentraes salinas aproximadamente constantes.

18.

  • Presso hidrosttica : revela-se um fator determinante na distribuio e adaptao morfolgica das espcies, principalmente no fundo ocenico.
  • Esta aumenta de 1 atm a cada 10 metros de profundidade.
  • Assim, um organismo que vive a 4.000 metros de profundidade, est submetido a uma presso de 400 atm; uma presso 400 vezes maior do que a presso atmosfrica ao nvel do mar.
  • Exigindo especiais adaptaes .

19.

  • Densidade
  • A densidade identifica e diferencia as massas de gua que existem nos oceanos.
  • As mais densas afundam, empurrando outras menos densas para a superfcie, em um movimento conhecido como circulao termohalina.
  • Tal dinmica cria um mecanismo de ciclagem dos nutrientes e de renovao da gua do fundo dos oceanos.
  • gua superficial: 150 metros
  • gua superior: 150 e 700 metros
  • gua intermdia: entre 700 e 1500 metros
  • gua profunda: entre 1500 e 3000 metros
  • gua de fundo: abaixo dos 4.000 metros

20.

  • Existe a aproximadamente 1.000 metros de profundidade, em vastas reas dos oceanos, uma camada conhecida como SOFAR.
  • A densidade torna reflexiva s ondas sonoras e faz com que sejam propagadas mais ra