Empreendedorismo sebrae

  • Published on
    19-Jun-2015

  • View
    1.500

  • Download
    3

Embed Size (px)

Transcript

<ul><li> 1. MDULO ATITUDES EMPREENDEDORAS E TIPOS DE EMPREENDEDORISMO Professor Mauri Berton </li></ul><p> 2. O mundo do trabalho vem se modificando com uma velocidade cada vez mais alucinante. O que era uma prtica comum h 10 anos, hoje considerado como atitude arcaica, obsoleta. Na dcada de 80 do sculo passado, as pessoas tinham como ideal ter uma profisso (de preferncia de nvel superior), trabalhar numa empresa conceituada, com carteira assinada e todas as protees. Hoje, essa configurao mudou e o perfil de quem est no mercado de trabalho daquelas pessoas inquietas, que mudam de ocupao e de empregador e que tm como foco a sua prpria carreira e no a empresa. Essa mudana de foco tambm apresenta o empreendedorismo como ponta de lana de uma mudana de cultura empresarial e de vida. Fonte: Sebrae 3. As mudanas no mundo do trabalho e o perfil do trabalhador para fazer frente a essas mudanas; O seu papel na conduo da sua vida pessoal e profissional; O planejamento da sua carreira e a adoo de prticas empreendedoras no que diz respeito sua situao de trabalho. 4. - Mdulo: Atitudes Empreendedoras e Tipos de Empreendedorismo 5. Ao final da disciplina, o participante ter desenvolvido as seguintes competncias de natureza: 6. Cognitiva: Compreender a importncia da sua histria pessoal para o desenvolvimento do seu projeto de vida e carreira. Compreender o mercado de trabalho e o mundo do trabalho para o desenvolvimento do seu projeto de vida e carreira. Identificar os tipos de empreendedorismo e suas caractersticas. Estabelecer relaes e possibilidades entre sonho, desejo e sucesso, reconhecendo-se como um cidado de direitos. Identificar oportunidades no seu cotidiano, relacionando-as ao seu plano de vida e carreira e ao seu plano de negcio. 7. Atitudinal: Perceber a importncia de ser o agente de mudana da sua vida. Predispor-se a se adaptar s situaes que o mundo do trabalho oferece. Reconhecer a importncia do desenvolvimento de atitudes empreendedoras para o seu projeto de vida e carreira. Perceber a importncia da sustentabilidade para a gerao e desenvolvimento de negcios. Refletir sobre o seu potencial empreendedor para o aproveitamento de oportunidades de vida, carreira e negcio. 8. Operacional: Desenvolver estratgias de busca de solues para uma situao problema do seu cotidiano. Utilizar de forma estratgica as atitudes empreendedoras em diferentes situaes da sua vida pessoal e profissional. Desenvolver um plano de vida e carreira e negcio. 9. Todos Cantando Juntos Ok 10. O Sol Jota Quest Ei, dor Eu no te escuto mais Voc no me leva a nada Ei, medo Eu no te escuto mais Voc no me leva a nada E se quiser saber Pra onde eu vou Pra onde tenha Sol pra l que eu vou E se quiser saber Pra onde eu vou Pra onde tenha Sol pra l que eu vou Ei, dor Eu no te escuto mais Voc no me leva a nada Ei, medo! Eu no te escuto mais Voc no me leva a nada E se quiser saber Pra onde eu vou Pra onde tenha Sol pra l que eu vou pra l que eu vou E se quiser saber Pra onde eu vou Pra onde tenha Sol pra l que eu vou Yeah! Han! Caminho do Sol, eh! L lararar! Caminho do Sol, eh! E se quiser saber Pra onde eu vou Pra onde tenha Sol pra l que eu vou E se quiser saber Pra onde eu vou Pra onde tenha Sol pra l que eu vou pra l que eu vou L lararar, lararar pra l pra l que eu vou L lararar, lararar Aonde eu vou? Aonde tenha Sol pra l que eu vou L lararar, lararar pra l pra l que eu vou L lararar, lararar pra l que eu vou pra l que eu vou L lararar, lararar http://letras.mus.br/jota-quest/305576/ 11. Qual a mensagem que pode ser retirada desta letra? 12. O que esta msica tem a ver com vocs? Com a vida de vocs? 13. Pela letra a dor e o medo continuam l, mas algo mudou: a forma de ver estas duas coisas. Assim podem ser as coisas na nossa vida, podemos ter uma nova atitude frente a cada uma delas. 14. No preciso esperar algo mudar. Cada um pode comear a mudar a sua realidade e a realidade do seu entorno. 15. A forma de enfrentar as situaes e as atitudes que tomamos ir fazer toda a diferena, mas para isso necessrio ter uma razo, um propsito e saber aonde se quer chegar com determinada atitude. 16. Diviso de Equipes 17. Grito de Celebrao - Definir o nome da equipe, criar um grito de celebrao coreografado para utilizar na abertura das apresentaes da equipe. Usar sempre que forem Apresentar Algo 3 minutos 18. Atividade/Pesquisar Empreendedorismo social Conceito e como trabalhar a reduo de desigualdades, a incluso social/produtiva, a gerao de renda e a responsabilidade Social. Empreendedorismo Individual Conceito e tipos de Negcio Empreendedorismo Individual Legislao: O que o candidato a empreendedor individual precisa saber. Empreendedorismo coletivo: Conceito, cultura empreendedora, tipos de negcios e governana. Sustentabilidade: como ser um negcio sustentvel e quais os seus benefcios. 19. Apresentar as Pesquisas em forma de Seminrio 20. Prximo Encontro Trazer 4 tipo diferente de biscoito, uma garrafa de 2 litros limpa para gua. 21. O foco deste encontro relatar os primeiros experimentos dos participantes em relao s atitudes empreendedoras e refletir sobre suas potencialidades. O propsito deste encontro propiciar condies para que o participante desenvolva competncias nas dimenses de natureza: 22. O QUE E COMO FUNCIONA UM GRUPO DE FOCO 23. MESA REDONDA DISCUSSO SOBRE O GRUPO DE FOCO 24. RLA~O INTERPESSOAL Relaes interpessoais so as formas que utilizamos para nos relacionar/comunicar com as pessoas nos diferentes ambientes que frequentamos, tanto presencial quanto virtualmente 25. A propsito: como so suas relaes nas redes sociais, qual a imagem que esto passando, o seu perfil remete a qu? Qual a ideia que se pode fazer ao analisar seu perfil? Suas postagens? Suas fotos? Suas expresses, comentrios? Quem anda curtindo suas publicaes? 26. Qual o sentimento que esta atividade proporcionou? 27. E quais os aprendizados? 28. FAA UMA LISTA COM TODAS AS SUAS CARACTERISTICAS PESSOAIS 29. ESSE CARRO SOU EU Pessoas so seres incomparveis, porm para esta atividade, voc dever imaginar que um carro 30. Que carro poderia traduzir todas as suas caractersticas pessoais? Aquelas que voc acabou de listar 31. Retomem as equipes que j foram montadas. 32. Todos os participantes devero ler as suas caractersticas e que carro escolheu para representa-las 33. Qual o carro que melhor representa a equipe, esta representao poder, inclusive, ser um novo modelo de carro. 34. A EQUIPE DEVE DESENHAR O CARRO APENAS COM AS CARACTERISTICAS ESCOLHIDAS EX: MOTIVAO=MOTOR 35. MESA REDONDA Qual o sentimento ao realizar a atividade? 36. Como foi realizada a atividade? 37. Em algum momento foi necessrio mudar a estratgia para realizao da atividade? 38. Algum em algum momento tomou a frente da equipe para organizar a realizao da atividade dentro do tempo e padro estabelecidos? 39. O modelo apresentado contempla as caractersticas de todos os integrantes? Ou pelo menos aquela sublinhadas como mais importantes? 40. Como a equipe avalia o seu comprometimento? 41. Persistncia: Age diante de um obstculo. Age repetidamente ou muda de estratgia a fim de enfrentar um desafio ou superar um obstculo. Assume responsabilidade pessoal pelo desempenho necessrio ao atingimento de metas e objetivos. 42. Comprometimento: Faz um sacrifcio pessoal ou despende um esforo extraordinrio para completar uma tarefa. Colabora com os empregados ou se coloca no lugar deles, se necessrio, para terminar um trabalho. Esmera-se em manter os clientes satisfeitos e coloca em primeiro lugar a boa vontade a longo prazo, acima do lucro a curto prazo. 43. Independncia e autoconfiana: Busca autonomia em relao a normas e controles de outros. Mantm seu ponto de vista, mesmo diante da oposio ou de resultados inicialmente desanimadores. Expressa confiana na sua prpria capacidade de complementar uma tarefa difcil ou de enfrentar um desafio 44. Estabelecimento de metas: Estabelece metas e objetivos que so desafiantes e que tm significado pessoal. Define metas de longo prazo, claras e especficas. Estabelece objetivos de curto prazo, mensurveis. 45. FEEDBACK DO GRUPO 46. O QUE J MUDOU EM VOC DESDE O PRIMEIRO ENCONTRO? 47. O QUE VOC ESTA FAZENDO PARA CHEGAR LA? 48. VALE A PENA RECLAMAR DA VIDA E DIZER QIE DEUS NO AJUDA? 49. Consrcio: Consrcio empresarial a unio de vrias empresas com a finalidade de realizar um empreendimento ou efetuar negociaes geralmente maiores do que a capacidade individual de cada participante. Exemplo: Cia Docas de Santos, TV Brasil, Consrcio Social da Juventude. 50. Redes de empresas: so formadas por grupos de organizaes com interesses comuns que se unem para a melhoria da competitividade de um determinado setor ou segmento. Exemplo: redes de farmcias, redes de supermercados. 51. Cooperativa: uma sociedade, de no mnimo 20 pessoas fsicas, que se unem voluntariamente para satisfazer necessidades, aspiraes e interesses econmicos, por intermdio de uma empresa de propriedade coletiva, sem fins lucrativos e democraticamente gerida, com o objetivo de prestar servios aos seus scios. Exemplo: cooperativas de crdito, cooperativas agropecurias, cooperativa de trabalho, cooperativa de consumo. 52. Associao: uma sociedade civil sem fins lucrativos, uma forma de organizao permanente e democrtica, por meio da qual um grupo de pessoas ou de entidades, buscam realizar determinados interesses comuns, sejam eles econmicos, sociais, filantrpicos, cientficos, polticos ou culturais. Exemplos: associaes filantrpicas, associaes culturais desportivas e sociais, associaes de classe, associaes de produtores e associaes de consumidores. 53. Empresas de participao comunitria: surgiram como uma forma de alavancar a economia e sua renda gerada e revertida para a prpria comunidade, que investe e tem seu retorno. Exemplo: o Oeste Catarinense possui vrios exemplos: Caibi investimento em fbrica de conservas, So Miguel do Oeste investimento em fbrica de biscoitos, Abelardo Luz investimento em indstria de sacarias. Cite outros exemplos da sua cidade/regio/estado. 54. Destino correto dos resduos slidos. Parceria com cooperativas de recicladores e doao de resduos reciclveis. Aquisio de produtos locais. Uso inteligente de equipamentos e aparelhos, desligando-os da tomada quando fora de operao. Substituio de CDs e DVDs por pen-drive. 55. ATITUDE EMPREENDEDORA: MOSTRE SUA CARA! Nara Liane vila Prieto Silveira ...Muda que quando a gente muda o mundo muda com a gente A gente muda o mundo na mudana da mente E quando a mente muda a gente anda pra frente... Gabriel O Pensador. Todos os dias acontecem diversas situaes em nossas vidas e sempre temos a possibilidade de ser ator ou plateia, dependendo da posio que tomamos frente aos fatos que vivenciamos. Quando assumimos a situao e nos posicionamos, certamente estamos optando por sermos atores, mostrando nossa cara, colocando nossa marca, sem deixar passar em branco ou atribuindo ao senhor destino o leme de nossas vidas. As atitudes que tomamos ao assumir o rumo que desejamos para as nossas vidas vo autografando nossa trajetria. As atitudes tomadas pelas pessoas aderem a sua imagem de tal forma que comum se falar que uma pessoa decidida, comprometida, responsvel, amorosa, educada, entre outras tantas definies. Podemos falar sobre as mais diversas naturezas de atitudes, mas em funo do tema proposto, falaremos sobre as atitudes empreendedoras. 56. Tomaremos como base as atitudes empreendedoras indicadas pelo Sebrae, as quais esto presentes nos empreendedores de sucesso. Estas atitudes foram definidas na Teoria de McClleland como caractersticas comportamentais dos empreendedores e foram divididas em trs conjuntos: realizao, planejamento e poder. A seguir descrevo as caractersticas e a forma como agem as pessoas que as colocam em prtica. Atente para as aes! 57. CONJUNTO DE REALIZAO Busca de oportunidades e iniciativa: Faz as coisas antes de solicitado, ou antes, de ser forado pelas circunstncias. Age para expandir o negcio a novas reas, produtos ou servios. Aproveita oportunidades fora do comum para comear um negcio, obter financiamentos, equipamentos, terrenos, local de trabalho ou assistncia. 58. Persistncia: Age diante de um obstculo. Age repetidamente ou muda de estratgia a fim de enfrentar um desafio ou superar um obstculo. Assume responsabilidade pessoal pelo desempenho necessrio ao atingimento de metas e objetivos. Correr riscos calculados: Avalia alternativas e calcula riscos deliberadamente. Age para reduzir os riscos ou controlar os resultados. Coloca-se em situaes que implicam desafios ou riscos moderados. 59. Exigncia de qualidade e eficincia: Encontra maneiras de fazer as coisas melhor, mais rpidas, ou mais barato. Age de maneira a fazer coisas que satisfazem ou excedem padres de excelncia. Desenvolve ou utiliza procedimentos para assegurar que o trabalho seja terminado a tempo ou que o trabalho atenda a padres de qualidade, previamente combinados. 60. Comprometimento: Faz um sacrifcio pessoal ou despende um esforo extraordinrio para completar uma tarefa. Colabora com os empregados ou se coloca no lugar deles, se necessrio, para terminar um trabalho. Esmera-se em manter os clientes satisfeitos e coloca em primeiro lugar a boa vontade a longo prazo, acima do lucro a curto prazo. 61. CONJUNTO DE PLANEJAMENTO Busca de informaes: Dedica-se pessoalmente a obter informaes de clientes, fornecedores e concorrentes. Investiga pessoalmente como fabricar um produto ou fornecer um servio. Consulta especialistas para obter assessoria tcnica ou comercial. 62. Estabelecimento de metas: Estabelece metas e objetivos que so desafiantes e que tm significado pessoal. Define metas de longo prazo, claras e especficas. Estabelece objetivos de curto prazo, mensurveis. 63. Planejamento e monitoramento sistemtico: Planeja dividindo tarefas de grande porte em subtarefas com prazos definidos. Constantemente, revisa seus planos, levando em conta os resultados obtidos e mudanas circunstanciais. Mantm registros financeiros e utiliza-os para tomar decises. 64. CONJUNTO DE PODER Independncia e autoconfiana: Busca autonomia em relao a normas e controles de outros. Mantm seu ponto de vista, mesmo diante da oposio ou de resultados inicialmente desanimadores. Expressa confiana na sua prpria capacidade de complementar uma tarefa difcil ou de enfrentar um desafio. 65. Persuaso e rede de contatos: Utiliza estratgias deliberadas para influenciar ou persuadir os outros. Utiliza pessoas chave como agentes para atingir seus prprios objetivos. Age para desenvolver e manter relaes comerciais. Cabe lembrar que estas atitudes no esto presentes apenas no mundo dos negcios, mas em qualquer situao em que p...</p>