Especial marinho

  • View
    981

  • Download
    0

Embed Size (px)

Transcript

  • 1. Escriba A VOZ DO78934617 - ID 55*438357*8 ESPECIAL MARINHO - DEZEMBRO 2010 Jornalista Responsvel: Jaric Braga 1 Escriba A VOZ DO ESPECIAL Mrio Srgio - MARINHO DEZEMBRO 2010 - Jornalista Responsvel: Jaric Braga Um grande lder no fabricado com os galardes que podem ostentar eventualmente. Um grande lder conhecido pelos seus atos e por suas conquistas.

2. 2 Escriba A VOZ DO78934617 - ID 55*438357*8 ESPECIAL MARINHO - DEZEMBRO 2010 Jornalista Responsvel: Jaric Braga A palavra do Irmo Benedito Marques Ballouk Filho "Nos ltimos dez anos, o Irmo Mrio Srgio Nunes da Costa - afiano a vocs para aqueles que acreditam na minha sinceridade de esprito - repito, o Irmo Mrio Sergio o homem certo e porquenodizer,meusIrmosmuitomelhor.doqueeupelaqualidade,pelodesprendimentoque o Irmo Mrio Srgio tem pela Maonaria. Eu peo a todos os Irmos paulistanos que colaborem muito com a campanha do nosso Irmo Mario Srgio para que possamos legar a todo o Estado de So Paulo uma grande gesto. No a vaidade que nos enobrece. No so as medalhas que nos envaidecem em hiptese alguma. Nem o cargo que vai nos colocar na condio de melhor ou pior amigo um do outro. Muito pelo contrrio. O Irmo Mrio Srgio um Irmo que ele tem absoluta conscincia da responsabilidade dessa nova gesto do Grande Oriente de So Paulo. Ele conhece, e ele no conhece porque ouviu falar, ele no conhece porque ficou acompanhado o Gro-Mestre esperando o Gro-Mestre morrer para assumir o cargo dele. No! Ele acompanhou a gesto desse Gro-Mestre e se a minha gesto, se vocs analisarem essa gesto como produtiva e positiva em 100%, muito obrigado. E acreditem: com certeza que 80% foram frutos do trabalho do Irmo Mrio Srgio. E digo isso porque enquanto eu estava em todo o estado de So Paulo levando as mensagens de nossa ges- to, eu tinha algum na casa de mquinas cuidando de toda a administrao do Gro-Mestre. Foi esse o seu trabalho, a sua dedicao, a sua competncia, a sua eficincia. Eu me orgulhava quando chegava a uma Loja e um Irmo parabenizava o nosso trabalho e dizia: "Mas eu nem conheo o Irmo Marinho!" E eu respondia: "Que bom! Mas sabe o trabalho queelefez!" A nossa Maonaria do Grande Oriente do Brasil est hoje representada aqui pelo nosso Sobe- rano Gro-Mestre Geral Marcos Jos da Silva. Ns vamos nos juntar a ele com toda a felicidade da maior Maonaria daAmrica Latina, a Maonaria do Grande Oriente de So Paulo." "Eu me orgulhava quando chegava em uma loja e um Ir- mo parabenizava o nosso trabalho e dizia: "Mas eu nem conheo o Irmo Marinho!" E eu respondia: "Que bom! Mas sabe o trabalho que ele faz!" A nossa Maonaria do Grande Oriente do Brasil est hoje representada aqui pelo nosso Soberano Gro-Mestre Geral Marcos Jos da Silva. Ns vamos nos juntar a ele com toda a felicidade da maior Maonaria da Amrica Latina, a Maonaria do Grande Oriente de So Paulo." Foi essa gesto, sequenciando a gesto do Irmo Claudio Roque, que fez com que nos tomssemos a responsabilidade de reinsero da Maonaria na poltica para que voltssemos a influir positivamen- te nos destinos de nossa Ptria 3. Escriba A VOZ DO78934617 - ID 55*438357*8 ESPECIAL MARINHO - DEZEMBRO 2010 Jornalista Responsvel: Jaric Braga 3 A palavra do Irmo Marinho Com a presena de mais de 900 convidados entre irmos, autoridades profanas, cunhadas, o Crculo Militar de So Paulo, ficou completamente lotado para receber os Irmos Mrio Sergio (Marinho) e Benedito Marques Ballouk, que apresentaram naquela oportunidade sua candidatura para o cargo de Eminente Gro- Mestre do Grande Oriente de So Paulo e Adjunto. Quando da fala do Irmo Mrio Sergio todos aplaudiram de p, apesar de dizer ser difcil centrar o raciocnio em um momento de emoo como aquele. "AgradeoafaladonossoIrmoBalloukquefaloucomocoraoesendoumoradoremritotem uma viso poltica em comum e a fala dele hoje muito me tocou. No tenho dvidas que hoje uma noite importante para mim e para a Maonaria de So Paulo. um jantar de cunho poltico e ma- nico,mastambmummomentoincomumedifcildeconseguirmosconfraternizar.Temosmomen- tos parecidos com esse, mas especficos. Em nossas oficinas muito difcil organizar e trazer para junto de ns tantos maons formadores de opinio de todo o nosso estado e nesta noite, como um presentepessoal,umformadordeopiniodetodoonossoBrasil,edigoissoporquetemosentrens o mandatrio maior, o Soberano Irmo e GrandeAmigo Marcos Jos da Silva, que se faz acompa- nhar de sua senhora nossa cunhada Ligia e de nosso antecessor, o Sapientssimo Gro-Mestre Geral Adjunto Irmo Claudio Roque Buono Ferreira. E nesse momento importante peo permisso a todos os presentes para solicitar a presena de ambos aqui ao nosso lado para coroar o lanamento de nossa campanha. Foi a partir da gesto do Irmo Claudio Roque Buono, com a viso de profissionalizao da gesto, que ns, Ballouk principalmente e eu, pudemos desenvolver devagar esse projeto no s da administrao em si, mas o projeto da Maonaria de So Paulo com a sociedade civil organizada. Idealizar projetos que esto no meio de sua implantao e que, se formos agraciados com os votos dos Irmos e houver xito no nosso pleito, iremos continuar implantando para honra e glria da Maonaria do Grande Oriente de So Paulo. A Maonaria uma entidade filosfica que tem entre seus membros uma inclinao comum e indispensvel: ela totalmente voluntaria. Os Irmos no atenderam a nenhuma convocao. Esto aqui porque so gentis, carinhosos e esto aqui porque gostam e desejaram estar entre ns. Peo que semantenhamcomessaunioenospeloMarinhooupeloBallouk,mantenhamassimpelanossa organizao,pelanossaSublimeOrdem. Vivemos em um Pas que j foi doTerceiro Mundo e que tem tantas carncias sociais. Sabemos que a sociedade organizada dentro da Maonaria um balastre, a verdadeira arca da aliana da moralidadedeefeitosmorais. Temos esse compromisso e no podemos decepcionar aqueles que esperam o nosso empenho nas causas sociais. Estamos nesse momento implantando esses programas. No temos que resgatar todo o passado porque ele l estar sempre como sempre foi, mas podemos construir um futuro em queaFamliaManicatenhaumaparticipaoefetivanasociedadecivilepolticacomosconceitos da Maonaria, com os conceitos que aprendemos, desenvolvemos trazemos da nossa formao e enriquecemoscomafilosofiadenossaSublimeOrdem. Nesse momento de emoo agradeo a todos esse voto de confiana de amizade e de prestigio minha amada Jaques DeMolay, a minha famlia, a todos os nossos Irmos, a todos os amigos e a Deus." Hoje vou repetir o que falei h quatro anos passados. Tenho a certeza que o Ballouk soube fazer com que o Adjunto que ser o nosso futuro Gro-Mestre estivesse totalmente prepa- rado para esse momento 4. 4 Escriba A VOZ DO78934617 - ID 55*438357*8 ESPECIAL MARINHO - DEZEMBRO 2010 Jornalista Responsvel: Jaric Braga Toda continuidade vem sempre com um gs especial e isso o nosso Irmos Marinho tem, e muito. preciso saber o que o nosso Irmo Marinho quer dar de continuao 5. Escriba A VOZ DO78934617 - ID 55*438357*8 ESPECIAL MARINHO - DEZEMBRO 2010 Jornalista Responsvel: Jaric Braga 5 Aplaudindo as nossas cunhadas e um voto impossvelOCrculoMilitardoEstadodeSoPaulofoipalcopara o lanamento da candidatura dos Irmos Mrio Sergio e BeneditoBalloukparaomaisaltodamaonarianoEstado de So Paulo. Na oportunidade, o Gro-Mestre Geral do Grande Ori- ente do Brasil Irmo Marcus Jos da Silva estava prestigiandooevento. - Temos a alegria no corao por ver o trabalho desses Irmos,umtrabalhopordemaissatisfatrioeengrandecedor para o Grande Oriente do Brasil. Isso nos d o prazer e no s a obrigao de, em nome do Grande Oriente do Brasil, apoiar essa chapa. O Gro-Mestre Geral garante que existe outro motivo para esse apoio. -OIrmoMrioSrgiomeconfidenciouasuainteno de cada vez mais incrementar a fraternidade feminina nos estados. E peo a todos os presentes que essas valorosas cunhadas, na pessoa da cunhada Rosinha, sejam aplaudi- dasportudoqueelasfizeramefazemnanossaInstituio. Se no fosse essas mulheres, nenhum de ns estaria aqui hoje, comemorando o lanamento da candidatura dos Ir- mos Mrio Srgio e Ballouk, uma candidatura que tenho certeza trar frutos e trabalhos magnficos no s para o Grande Oriente de So Paulo como tambm e principal- mente para o Grande Oriente do Brasil. Peo, em nome do Marinho e do Bullock, que todos os Maons fiquem de p eaplaudamtodasasnossascunhadas.Issoomnimoque podemos fazer pelo tanto que elas mximo que elas fazem por todos ns. O Gro-Mestre Geral no deixou de registrar que todos os Irmos sabem que o Gro-Mestrado Geral no podesemanifestaremnenhumaparticipaopoltica. - Infelizmente isso eu no posso fazer, mas se eu pudes- se o meu voto seria do Marinho e do Ballouk. O no-voto de um Gro-Mestre Geral pode valer tanto quanto o trabalho filantrpico de nossas cunhadas: valer mais que ouro. Nessa administrao de con- tinuidade uma luz fica mais afastada para que a outra luz brilhe plenamente e possa sair vitoriosa e passar a tocha para outro 6. 6 Escriba A VOZ DO78934617 - ID 55*438357*8 ESPECIAL MARINHO - DEZEMBRO 2010 Jornalista Responsvel: Jaric Braga Um dupla garantia de continuidadeO Irmo Cludio Roque Bueno no poderia estar au- sente no lanamento da can- didatura para o Gro- Mestrado dos Irmos Mrio Sergio e Benedito Marques Ballouk do Grande Oriente do Brasil em So Paulo. - H quatro anos a dupla Ballouk e Mrio Srgio re- presenta para mim mais que uma esperana. Os dois so a certeza absoluta de uma evoluo do Gro-Mestrado que havamos feito, ns trs juntos - declarou o Irmo Roque. Eprosseguiu: - Hoje vou repetir o que faleihquatroanospassados. Tenho a certeza que o Ballouksoubefazercomque o Adjunto que ser o nosso futuro Gro-Mestre estives- setotalmentepreparadopara esse momento.Adupla M- rio Srgio Nunes da Costa e BeneditoMarquesBallouk uma garantia da continuida- de e da evoluo do Grande Oriente de So Paulo. Como membro do Gran- de Oriente de So Paulo, te- nhoahonradedizeraquiem pblico que meu voto de ambos porque acredito no que juntos podero fazer de bem para a nossa Ordem - afirmou Irmo Cludio