FACULDADE SANTA TEREZINHA/ DISCIPLINAS/ENF/2016.2/4o... · FACULDADE SANTA TEREZINHA - CEST COORDENAÇÃO…

  • Published on
    21-Oct-2018

  • View
    214

  • Download
    0

Embed Size (px)

Transcript

<ul><li><p>FACULDADE SANTA TEREZINHA - CEST COORDENAO DO CURSO DE ENFERMAGEM </p><p>PLANO DE ENSINO </p><p>CEST: MISSO E VISO </p><p>Misso </p><p>Promover educao superior de excelncia, formando profissionais competentes e ticos, cidados comprometidos </p><p>com o desenvolvimento da sociedade e com o segmento das pessoas com deficincia, conscientes de sua funo </p><p>transformadora. </p><p>Viso Ser referncia regional em educao superior, reconhecida pela excelncia de sua atuao e compromisso social. </p><p>DADOS DA DISCIPLINA </p><p>CDIGO NOME CH GLOBAL PERODO HORRIO </p><p>0050 Farmacologia 100 h </p><p>Teoria: 80h Prtica: 20n </p><p>4 </p><p>Teoria: Quarta-feira, 09h20min s 12h40min </p><p>Prtica: Quinta-feira: 09h20min s 11h50min </p><p>PROFESSOR(A) </p><p>Prof. Me. Enio Fernandes Arago Soares </p><p>EMENTA </p><p>Introduo Farmacologia. Atuao das substncias no organismo. Medicamentos de ao local. Farmacocintica. Farmacodinmica. </p><p>OBJETIVOS </p><p>GERAL: Reconhecer os principais frmacos utilizados atualmente em correlao s diversas patologias que acometem os sistemas do corpo humano. </p><p>ESPECFICOS: Correlacionar a Farmacologia com as outras disciplinas do curso e as profisses Biomdicas. Caracterizar as diversas drogas que so utilizadas no combate s doenas. Entender os diversos efeitos das drogas e suas dosagens. Conhecer os principais mecanismos de ao das drogas no organismo humano. Distinguir as diversas formas e formulaes das drogas. </p><p>CONTEDO PROGRAMTICO </p><p>UNIDADE I - Introduo, farmacocintica e farmacodinmica (25h) 1.1 Princpios gerais de Farmacologia 1.2 Vias de administrao 1.3 Absoro, Distribuio, Biotransformao e Excreo 1.4 Princpios e mecanismo de ao das drogas 1.5 Definir ndice teraputico, reaes adversas, tolerncia, alergia e idiossincrasia 1.6 Mecanismo de ao e Interaes farmacolgicas </p><p>UNIDADE II - Farmacologia do sistema nervoso autnomo, farmacologia respiratria, farmacologia digestria e antidiabticos e farmacologia da dor e da inflamao (25h) 2.1 Conceitos gerais 2.2 Colinrgicos, Bloqueadores colinrgicos, Adrenrgicos, Bloqueadores adrenrgicos e Bloqueadores neuromusculares 2.3 Drogas broncodilatadoras, antitussgenas e mucolticas 2.4 Drogas anticidas, antiemticas, laxantes, antidiarricas, digestivas e antifisticas 2.5 Insulinoterapia e hipoglicemiantes orais 2.6 Antiinflamatrias no esterides (AINES) analgsicos-antipirticos 2.7 Corticoterides </p></li><li><p>FACULDADE SANTA TEREZINHA - CEST COORDENAO DO CURSO DE ENFERMAGEM </p><p>PLANO DE ENSINO </p><p>PROCEDIMENTOS DIDTICOS PREVISTOS </p><p>Aulas expositivas dialogadas dos assuntos tericos, utilizando data show, quadro e lousa interativa. Resoluo de exerccios e preparao trabalhos/ resenhas, em sala de aula e domiciliar. Aulas prticas em laboratrio. Uso de simuladores da ao dos frmacos. </p><p>TRABALHOS DISCENTES EFETIVOS TDEs </p><p>1 TDE: Terapia gnica e suas aplicaes 2 TDE: Pesquisa bibliogrfica sobre o tratamento farmacolgico utilizado no abuso de drogas (desenvolvida em dupla). 3 TDE: Principais medicamentos utilizados para combater a cefaleia, vendidos com e sem prescrio mdica. 4 TDE: Resumo do artigo cientfico: Automedicao: desvelando o descuidado de si dos profissionais de enfermagem. </p><p>RECURSOS DIDTICOS </p><p>Quadro branco e acessrios, lousa interativa e data show. </p><p>SISTEMA DE AVALIAO </p><p>UNIDADE III - Frmacos que atuam no sistema nervoso central, frmacos cardiovasculares e drogas que afetam os rins (25h) 3.1 Anestsicos gerais, alcois e agentes sedativos-hipnticos 3.2 Frmacos antiepilticos, antiparkinsonianos 3.5 Drogas utilizadas na doena mental e analgsicos e antagonistas opiides 3.6 Frmacos que afetam o sistema de renina-angiotensina e cininas plasmticas 3.7 Antiarrtmicos frmacos utilizados no tratamento da isquemia e agentes anti-hipertensivos 3.8 Agentes diurticos 3.9 Antidiurticos </p><p>UNIDADE IV - Agentes antimicrobianos e tpicos especiais (25h) 4.1 Sulfonamidas, cotrimoxazol e quinolonas 4.2 Antibiticos beta-lactmicos, antibiticos de amplo espectros e aminoglicosdios 4.3 Frmacos contra tuberculose, hansenase e antifngicos 4.4 Antivirais, antimalricos, antiprotozorios e anti-helmnticos 4.5 Toxicologia </p><p>A avaliao tem carter processual e diagnstico, objetivando o acompanhamento do desempenho do aluno no decorrer da disciplina, para tanto, devem ser considerados aspectos qualitativos como a participao ativa nas aulas e atividades acadmicas, o relacionamento aluno-professor e aluno-aluno, a cooperao, a competncia fundamentada na segurana dos conhecimentos adquiridos, a autonomia para aprofundar os conhecimentos, a pontualidade, o cumprimento de prazos na entrega de trabalhos, dentre outros. </p><p>Cotidianamente, a cada aula, a avaliao ocorrer com base em procedimentos como: discusso de temas relacionados aos contedos; exerccios escritos; produo textual; estudos dirigidos. </p><p>Alm dos aspectos qualitativos, sero observados os critrios objetivos regimentais: frequncia mnima de 75% da carga horria da disciplina e trs notas parciais (uma por ms, a cada 1/3 do contedo trabalhado, cumulativamente ou no) que sero compostas da seguinte forma: </p><p>- avaliaes escritas individuais com peso de 100% quando admitirem, em seu contedo, questes referentes ao texto acadmico; </p><p>- avaliaes escritas individuais na proporo mnima de 70%, quando associadas a atividades acadmicas individuais, cuja proporo ser de at 30% para a composio da nota. </p><p>Esto previstas como atividades acadmicas: - leitura, interpretao e resumo de um artigo cientfico, que compor a nota da 2 avaliao, na proporo de 30%. - leitura e interpretao de um texto acadmico, que sero resgatadas em prova, sob a forma de questes. Outras atividades acadmicas se faro necessrias como: - estudo de caso/ resoluo de exerccios; Para avaliao das prticas podero ser admitidos: - relatrio parcial das atividades prticas; - portflio da prtica e/ou outros instrumentos que se fizerem necessrios. </p></li><li><p>FACULDADE SANTA TEREZINHA - CEST COORDENAO DO CURSO DE ENFERMAGEM </p><p>PLANO DE ENSINO </p><p>ARTIGO CIENTFICO E TEXTO PARA ATIVIDADES ACADMICAS </p><p>- Artigo cientfico: .Referncia: SECOLI, Silvia Regina Interaes Medicamentosas: Fundamentos Para a Prtica Clnica da Enfermagem. Rev. Esc. Enf. USP, v. 35, n. 1, p. 28-34, mar. 2001. . Atividade: Resumo do tipo descritivo - Texto acadmico: . Referncia: SCHVARTSMAN, S. Intoxicaes exgenas. In: Silva, P. (Org). Farmacologia. 5. ed. Rio de Janeiro: Guanabara-Koogan, 1998. p. 1202-1208 . Atividade: leitura e interpretao, cujo conhecimento ser requisitado em prova por meio de questes </p><p>BIBLIOGRAFIA </p><p>BSICA PAGE, C. P. et al. Farmacologia integrada. 2. ed. So Paulo: Manole, 2004. RANG, H. P.; DALE, M. M. Farmacologia. 7. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2012. SILVA, P. Farmacologia. 8. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2010. </p><p>COMPLEMENTAR GOODAMAN, G. As bases farmacolgicas da teraputica. 9. ed. Rio de Janeiro: McGraw Hill, 1996. HARVEY, R. A.; CHAMPE, C. P. Farmacologia ilustrada. 4. ed. Porto Alegre: Artmed, 2010. JACOB, L. S. Farmacologia. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1998. STERN, A. Farmacologia: testes preparatrios. 9. ed. So Paulo: Manole, 1999. KATZUNG, B. G. Farmacologia bsica e clnica. 6. ed. Porto Alegre: Artmed, 1998. </p><p>Prof. Me. Enio Fernandes Arago Soares </p><p>Em caso de prticas em laboratrio, para avaliao das habilidades especficas e o desempenho do discente, individualmente, dever ser adotada, ainda, uma prova prtica com base em roteiro prprio e adequado situao. </p><p>Em consonncia s normas institucionais, no obtendo mdia para aprovao a partir das trs notas parciais, o discente poder fazer prova substitutiva e, se necessrio, prova final. </p></li></ul>

Recommended

View more >