FGV Š Administraçªo Š Prova Objetiva Š 03/dezembro/ ?· subordinada substantiva que funciona como…

  • Published on
    09-Nov-2018

  • View
    212

  • Download
    0

Embed Size (px)

Transcript

<ul><li><p>1CPV fgv06dezobjadm</p><p>FGV Administrao Prova Objetiva 03/dezembro/2006</p><p>CPV O cursinho que mais aprova na GV</p><p>LNGUA PORTUGUESA</p><p>16. Assinale a alternativa em que a flexo dos compostos estejade acordo com a norma culta.</p><p>a) Lees-de-chcara, prontos-socorros, quartas-feiras,guardas-noturnos.</p><p>b) Lees-de-chcaras, pronto-socorros, quartas-feira,guarda-noturnos.</p><p>c) Lees-de-chcara, pronto-socorros, quartas-feiras,guardas-noturno.</p><p>d) Lees-de-chcaras, prontos-socorros, quartas-feiras,guardas-noturnos.</p><p>e) Lees-de-chcara, pronto-socorros, quarta-feiras,guardas-noturno.</p><p>Resoluo:Lees-de-chcara em substantivos compostos unidos porpreposio, somente o primeiro elemento sofre flexo;prontos-socorros substantivo composto pela justaposiode adjetivo (pronto) e substantivo (socorro), assim, pelas regrasde flexo, ambos os elementos so pluralizados, j que sovariveis;quartas-feiras substantivo composto formado por numeral(quarta) e substantivo (feira), assim, os dois elementos sofremflexo de nmero;guardas-noturnos o primeiro elemento da composio substantivo sinnimo de segurana. Portanto, sofre flexo, assimcomo o adjetivo noturno (tambm uma palavra varivel).</p><p>Alternativa A</p><p>17. Assinale a alternativa em que os verbos prever, intervir,propor e manter esto corretamente conjugados.</p><p>a) Previu / interviu / propuser / mantesse.b) Prevesse / intervisse / proposse / mantesse.c) Previu / interveio / propusesse / mantera.d) Preveu / intervim / propuser / mantivesse.e) Previsse / intervier / propusesse / mantinha.</p><p>Resoluo: Os verbos prever, intervir, propor e manterseguem o modelo de conjugao das formas simples ver, vir,pr e ter, respectivamente. A nica alternativa em que aconjugao desses verbos est correta, no tempo e modo verbalem que se apresentam, a E (previsse: pretrito imperfeito dosubjuntivo; intervier: futuro do subjuntivo; propusesse:pretrito imperfeito do subjuntivo e mantinha: pretritoimperfeito do indicativo). Alternativa E</p><p>18. Assinale a alternativa correta quanto concordncia verbal.</p><p>a) Agora, trata-se de casos mais srios, mais difceis deresolver.</p><p>b) Vo haver tumultos na praa.c) No se discute mais as causas da eroso dessas terras.d) falta de medicamentos modernos, tratara-se com</p><p>remdios caseiros os ferimentos provocados pelo mato.e) Devem fazer dois anos que eles se mudaram daqui.</p><p>Resoluo: O verbo transitivo indireto tratar encontra-seconjugado na terceira pessoa do singular, tendo encltica apartcula se, aqui ndice de indeterminao do sujeito. As demaisalternativas contm erros porque: na B, o verbo haver estsendo empregado no sentido de existir, devendo a locuo verbalser impessoal (vai haver); na C e na D, os verbos encontram-se na voz passiva, sendo necessrio concord-los em nmero(no se discutem e trataram-se) com os respectivos sujeitos;na E, o verbo fazer indica tempo transcorrido, devendo alocuo verbal ser conjugada na terceira pessoa do singular (devefazer). Alternativa A</p><p>19. Assinale a alternativa em que a (as), com ou sem o sinal decrase, est utilizado corretamente.</p><p>a) Chegou ao trabalho a tempo, s 8 horas da noite.b) Teve mpetos de atirar-se ele, para afog-lo.c) Devido a morte do tio, foi obrigado a vestir-se de preto</p><p>durante um longo tempo.d) Faremos homenagem pessoas dignas da nossa</p><p>sociedade.e) O curso ser ministrado no perodo de 11 30 de janeiro.</p><p>Resoluo: A alternativa A a nica que apresenta a utilizaodo sinal indicativo de crase em conformidade com a gramticanormativa obrigatria em locues adverbiais de ncleofeminino, como em indicao pontual de horas.Na alternativa B, no h fator que condicione o uso de crase.Na C, em funo da regncia nominal, a utilizao de sinalindicativo de crase em funo do vocbulo devido obrigatria.Na D, no h ocorrncia de crase quando no houver concordnciaem nmero.Por fim, na E, em indicao de datas, vale observar que o primeironumeral que indica o perodo de durao do curso foi introduzidoapenas pela preposio de, logo, em funo do paralelismosinttico, o segundo deve obedecer mesma regra.</p><p>Alternativa A</p></li><li><p>fgv - 03/12/2006 CPV o cursinho que mais aprova na GV</p><p>CPV fgv06dezobjadm</p><p>2</p><p>20. Assinale a alternativa em que os verbos impregnar, optar,suar e estrear preenchem corretamente as lacunas dasfrases abaixo.</p><p>Esse tipo de tinta __________________ de cheiro acre aroupa da loja.O coronel sempre __________________ pelo praa demaior destreza para dirigir a viatura.Nos dias de calor, ele __________________ demais; porisso, o ar-condicionado do carro.O cantor __________________ no teatro da Barra ontem, noite. Um sucesso!</p><p>a) Impreguina, opta, sua, estreiou.b) Impregna, opta, soa, estreiou.c) Impregna, opta, sua, estreou.d) Impreguina, opita, soa, estreiou.e) Impregna, opita, sua, estreiou.</p><p>Resoluo: Impregnar e optar: esses verbos, na fala, sofrem</p><p>incluso de vogais entre as consoantes. Entretanto, tais sonsvoclicos no so representados graficamente por meio deletras.</p><p> Suar: equivalente a transpirar, no raras vezes confudidocom soar, que significa emitir ou produzir som(Minidicionrio Aurlio, Nova Fronteira, 2001). Talparonmia gera dificuldade de conjugao.</p><p> Estrear: a confuso entre as formas gerada pela reiteraodo uso do substantivo estria, grafado com i, assim comoentre o substantivo benefcio e o adjetivo beneficente.</p><p>Alternativa C</p><p>Leia os sete versos abaixo e responda s questes a elespertinentes.</p><p>(1) Metafsica? Que metafsica tm aquelas rvores?(2) A de serem verdes e copadas e de terem ramos(3) E a de dar fruto na sua hora, o que no nos faz pensar,(4) A ns, que no sabemos dar por elas.(5) Mas que melhor metafsica que a delas,(6) Que a de no saber por que vivem(7) Nem que o no sabem?</p><p>Alberto Caeiro</p><p>21. Assinale a alternativa INCORRETA a respeito dessaestrofe.</p><p>a) Ela rejeita valores presentes na poesia simbolista.b) Ela critica o fato de autores buscarem metafsica nas</p><p>coisas do mundo.c) Ela vazada em linguagem objetiva.d) Seu autor heternimo de Fernando Pessoa, criado</p><p>apenas para redigir esse poema.e) Ela busca opor metafsica o no pensar.</p><p>Resoluo: Alberto Caeiro foi autor de trs livros, antes de seufalecimento, aos 23 anos: O Guardador de Rebanhos; O PastorAmoroso; Poemas Inconjuntos publicado pelos amigosaps a sua morte. Nenhum dos heternimos de Pessoa, em ltimainstncia, foi criado apenas para redigir esse poema. A poticapessoana desenvolvida por mltiplas vozes, isto , vises demundo, que visam a compor o mosaico polifnico e flagrante doser na modernidade. Alternativa D</p><p>22. Nos quatro ltimos versos, h vrias ocorrncias dapalavra que. Sobre essa palavra, pode-se dizer:</p><p>a) No quinto verso, tem-se um pronome definido e umaconjuno comparativa.</p><p>b) No stimo verso, tem-se um pronome relativo.c) No quarto verso, tem-se um pronome relativo.d) No sexto verso, tem-se uma conjuno comparativa e</p><p>um pronome interrogativo.e) No sexto verso, tem-se uma conjuno integrante e um</p><p>advrbio.</p><p>Resoluo:Nas demais alternativas:a) A primeira referncia classifica-se como um pronome</p><p>interrogativo, no como pronome definido, sej l oque isso significa...</p><p>b) No stimo verso, o que conjuno integrante da oraosubordinada substantiva que funciona como objeto diretodo verbo saber (verso 6).</p><p>d e e) a primeira ocorrncia , na verdade, um pronome relativo,remetendo-se ao antecedente metafsica, do 5o verso.</p><p>Alternativa C</p><p>Leia o texto seguinte e responda s questes de 23 a 29.</p><p>Os meninos deitaram-se e pegaram no sono. Sinh Vitriapediu o binga ao companheiro e acendeu o cachimbo. Fabianopreparou um cigarro. Por enquanto estavam sossegados. Obebedouro indeciso tornara-se realidade. Voltaram a cochicharprojetos, as fumaas do cigarro e do cachimbo misturaram-se.Fabiano insistiu nos seus conhecimentos topogrficos, falouno cavalo de fbrica. Ia morrer na certa, um animal to bom. Setivesse vindo com eles, transportaria a bagagem. Algum tempocomeria folhas secas, mas alm dos montes encontrariaalimento verde. Infelizmente pertencia ao fazendeiro - edefinhava, sem ter quem lhe desse a rao. Ia morrer o amigo,lazarento e com esparaves, num canto de cerca, vendo osurubus chegarem banzeiros, saltando, os bicos ameaando-lhe os olhos. A lembrana das aves medonhas, que ameaavamcom os bicos pontudos os olhos de criaturas vivas, horrorizouFabiano. Se elas tivessem pacincia, comeriam tranqilamentea carnia. No tinham pacincia, aquelas pestes vorazes quevoavam l em cima, fazendo curvas. Pestes.</p></li><li><p>CPV o cursinho que mais aprova na GV Fgv - 03/12/2006</p><p>CPV fgv06dezobjadm</p><p>3</p><p>23. Assinale a alternativa correta quanto ao autor e obra deque foi extrado o fragmento acima.</p><p>a) Joo Guimares Rosa Sagarana.b) Raquel de Queirs O Quinze.c) Euclides da Cunha Os Sertes.d) Franklin Tvora O Cabeleira.e) Graciliano Ramos Vidas Secas.</p><p>Resoluo: Trata-se de um excerto de Vidas Secas, no qual achegada das aves de arribao anuncia o retorno da estiagem. Asaves devoram o gado, que comea a morrer, e secam a gua, queajudaria a garantir a sobrevivncia dos retirantes.As referncias a Fabiano e Sinha Vitria (na grafia segundo aprosdia nordestina, e no Sinh, como escrito erroneamentena prova) so ndices explcitos da filiao do texto ao romancemodernista e neo-regionalista Vidas Secas, de Graciliano Ramos.</p><p>24. A respeito da obra (no apenas desse fragmento) da qualfoi retirado o excerto, pode-se afirmar que:</p><p>a) Fabiano cr que estava sendo roubado pelo patro, oque no era verdade.</p><p>b) Fabiano, em sua rudeza, v coisas inexistentes, masnunca se embebeda.</p><p>c) O soldado amarelo a personagem que ajuda Fabianoa encontrar seu caminho.</p><p>d) Baleia, antes de morrer, imagina acordar num mundocheio de pres.</p><p>e) As aves de arribao anunciam a aproximao daschuvas.</p><p>Resoluo: No captulo nono, Baleia, a cachorra hidrfobaser sacrificada. Quando Fabiano acerta-lhe o primeiro tiro,atingindo-lhe as pernas, a cachorra se refugia num canto doquintal, espojando-se contra gravetos e folhas secas. Enquantoagoniza, delira, imaginando-se num mundo grande, cheio de presgordos, enormes, com um Fabiano gordo, onde todos saciariama fome. Alternativa D</p><p>25. Assinale a alternativa INCORRETA a respeito da obra daqual foi retirado o fragmento de texto.</p><p>a) Explora um drama social e geogrfico.b) Apresenta forte sentimentalismo, especialmente nas</p><p>relaes de Fabiano com o povo.c) Reduz personagens condio animal.d) Apresenta linguagem sinttica, concisa.e) Retrata quadros da vida do serto nordestino.</p><p>Resoluo: As parcas relaes de Fabiano se estabelecem coma prpria famlia e, de modo precrio, com o que vagamentenomeia como governo (e que compreende, na verdade, o governocomo instituio poltica representado metonimicamente pelosoldado amarelo e pelo cobrador de impostos e peloslatifundirios, configurados no poder e esclarecimento de SeuToms da bolandeira). Alternativa B</p><p>26. O discurso indireto livre est presente nesse fragmentode texto. Um exemplo dele est na alternativa:</p><p>a) Os meninos deitaram-se e pegaram no sono.b) Voltaram a cochichar projetos, as fumaas do cigarro e</p><p>do cachimbo misturaram-se.c) A lembrana das aves medonhas, que ameaavam com</p><p>os bicos pontudos os olhos de criaturas vivas,horrorizou Fabiano.</p><p>d) Fabiano insistiu nos seus conhecimentos topogrficos,falou no cavalo de fbrica.</p><p>e) No tinham pacincia, aquelas pestes vorazes quevoavam l em cima, fazendo curvas.</p><p>Resoluo: O discurso indireto livre aquele em que no estexplcita a distino entre a fala do narrador e o pensamento dapersonagem. Isso ocorre apenas na alternativa E, que evidenciaparte desse tipo de discurso, iniciado, no texto, em Se elastivessem pacincia.... Alternativa E</p><p>27. O emprego do discurso indireto livre permite, entre outrascoisas:</p><p>a) Apresentar a fala da personagem.b) Evitar a profuso de conectivos.c) Que o narrador indique o que cada um diz, no dilogo.d) Fazer a distino entre a fala do narrador e o pensamento</p><p>da personagem.e) Que o leitor perceba com nitidez o raciocnio da</p><p>personagem.</p><p>Resoluo: O discurso indireto livre um recurso narrativo queevidencia a fala ou o raciocnio da personagem. Justamente porno apresentar verbo dicendi e por trabalhar com as relaes detempo, espao e pessoa do discurso indireto, esse tipo de discursoimpede a distino clara e ntida entre a fala da personagem e ado narrador.Expresses idiomticas e de sentimentos, frases interrogativas eexclamativas permitem que se perceba, at certo ponto, a fala dapersonagem. Por causa disso, entre outras coisas, no se podeargumentar incorreo da alternativa A, pois, de certa forma, nodiscurso indireto livre, apresenta-se a fala da personagem.A alternativa E, entre outras coisas, tambm no pode serconsiderada incorreta, visto que o raciocnio da personagem percebido com nitidez pelo leitor.No bastasse isso, pode-se considerar correta a alternativa B.Cunha e Cintra (Nova Gramtica do Portugus Contemporneo)afirmam que No plano expressivo [o discurso indireto livreevita], por um lado, o acmulo de qus, ocorrente no discursoindireto, e, por outro, os cortes das oposies dialogadas,peculiares ao discurso direto. (p. 642, 3a ed.)</p><p>Alternativa A / B / E</p></li><li><p>fgv - 03/12/2006 CPV o cursinho que mais aprova na GV</p><p>CPV fgv06dezobjadm</p><p>4</p><p>28. Encontra-se aliterao no seguinte trecho do texto:</p><p>a) Voltaram a cochichar projetos...b) ...as fumaas do cigarro e do cachimbo misturaram-se.c) A lembrana das aves medonhas...d) No tinham pacincia...e) ...aquelas pestes vorazes que voavam l em cima,</p><p>fazendo curvas.</p><p>Resoluo: A repetio do som consonantal v em pestesvorazes que voavam evidencia o recurso estilstico chamadoaliterao. No excerto, ele tem funo de aproximar a imagem dovo das aves, descrita no texto, do leitor. Alternativa E</p><p>29. Assinale a alternativa correta sobre a obra da qual foiretirado o fragmento de texto.</p><p>a) H no texto fortes indcios de que as aes ocorrem nofinal do sculo XIX.</p><p>b) A cachorra Baleia elevada condio humana, quaseuma irm das crianas.</p><p>c) Fabiano e seus familiares conversam muito entre si.d) As reflexes de Fabiano so claras, mas faltam-lhe as</p><p>palavras adequadas.e) O objetivo da caminhada de Fabiano era chegar ao Rio</p><p>de Janeiro.</p><p>Resoluo: Para evidenciar a brutalizao dos retirantes, onarrador recorre a uma constante zoomorfizao das personagense a uma freqente antropomorfizao da cachorra. No quartocaptulo, Sinha Vitria d um pontap em Baleia e esta se afastacom sentimentos humilhados. No captulo O Menino MaisVelho, este reconhece na cachorra um afeto que no encontrano pai, na me ou no irmo mais novo. Em Baleia, quandoFabiano se posiciona para disparar o primeiro tiro contra ela,hesita por um momento, lembrando-se de que a cachorra crescerae convivera com a famlia, que era quase como um deles.Enquanto isso, Sinha Vitria espalma as mos contra as orelhasde um dos meninos e prende as do outro menino entre as pernas,a fim de que no ouvissem o tiro.</p><p>Alternativa B</p><p>30. Assinale a alternativa em que, INCORRETAMENTE, usou-se ou deixou-se de usar uma preposio antes do pronomerelativo.</p><p>a) A rua que eu moro no asfaltada.b) Ernesto, de cujos olhos parecia sarem raios de fogo,</p><p>manifestou-se violentamente.c) Soobrou o navio que se dirigia a Barcelona.d) O cachorro a que voc deveria dar isso p...</p></li></ul>