FLVIO TVORA PINHO. Espiritistas, amai-vos, eis o primeiro ensinamento; instrui- vos, eis o segundo. O Esprito da Verdade. O Evangelho Segundo O Espiritismo.

  • Published on
    18-Apr-2015

  • View
    103

  • Download
    1

Transcript

  • Slide 1
  • FLVIO TVORA PINHO
  • Slide 2
  • Espiritistas, amai-vos, eis o primeiro ensinamento; instrui- vos, eis o segundo. O Esprito da Verdade. O Evangelho Segundo O Espiritismo -
  • Slide 3
  • Estudem, comparem, aprofundem-se, ns lhes dizemos sem cessar; o conhecimento da verdade tem este preo. L.M. O Esprito da Verdade.
  • Slide 4
  • As dvidas sobre o esprito tm por causa principal a ignorncia sobre a verdadeira natureza do esprito. L.M. Cap. I Item 1
  • Slide 5
  • A matria apenas uma modalidade de energia esparsa no Universo Emmanuel Cap. xxv - pg. 139
  • Slide 6
  • L.E. - Resumo da Doutrina dos Espritos Item VI
  • Slide 7
  • GRAVIDADE Os espritos so atrelados aos planetas pela gravidade. Roteiro pg. 31
  • Slide 8
  • O ESPRITO MATRIA
  • Slide 9
  • O ESPRITO uma flama, um claro, uma centelha etrea, uma fagulha. L. E. Item 88
  • Slide 10
  • O ESPRITO LUZ
  • Slide 11
  • A LUZ: ENERGIA RADIANTE ONDA ELETROMAGNTICA QUALQUER RADIAO ELETROMAGNTICA SITUADA ENTRE AS FAIXAS INFRAVERMELHA E ULTRAVIOLETA. JAMES CLERK MAXWELL
  • Slide 12
  • A luz:
  • Slide 13
  • A LUZ energia e matria (E=mc 2 ). Albert Einstein Energia tem peso, fruto da ao da gravidade sobre a massa. Michio Kaku
  • Slide 14
  • CONCEITO DE ESPRITO A luz energia e matria A matria uma modalidade de energia O ESPRITO LUZ, ENERGIA E MATRIA
  • Slide 15
  • Perisprito O perisprito tem estrutura eletromagntica Evoluo em dois mundos Cap. II - pgs. 25 e 29 O perisprito um envoltrio semimaterial formado pelo fluido universal de cada globo
  • Slide 16
  • Perisprito corpo organizado, molde fundamental do corpo fsico. Roteiro - pg. 31 o principio da vida orgnica. L. E. - item 257
  • Slide 17
  • O perisprito tem peso especfico; ele sofre a ao da gravidade do orbe com que se afina. Roteiro pg. 31 e 33 Perisprito
  • Slide 18
  • Todos os seres vivos so moldados, controlados e orientados por campos eletrodinmicos; estes determinam a forma geral dos rgos dos seres vivos, sem embargo da validade das leis da gentica. Dr. Harold Saxton Burr
  • Slide 19
  • EMANCIPAO DA ALMA Ocorre sempre que os liames orgnicos se afrouxam L.E. Item 401
  • Slide 20
  • EMANCIPAO DA ALMA a CAUSA dos fenmenos medinicos e, tambm, de alguns fenmenos paranormais
  • Slide 21
  • FENMENO MEDINICO Sempre h um esprito comunicante ou operador L.E. e L.M.
  • Slide 22
  • Mdium Mdium Toda pessoa que sente num grau qualquer a influncia dos espritos , por isso mesmo, mdium. Todos, POUCO MAIS OU MENOS, so mdiuns. L.M. Cap. XIV Item 159
  • Slide 23
  • Slide 24
  • RESSALVA Na prtica, a qualificao de mdium se aplica somente queles cuja FACULDADE MEDIANMICA CLARAMENTE CARACTERIZADA. L.M. Cap. XIV Item 159
  • Slide 25
  • Slide 26
  • Slide 27
  • MDIUNS FACULTATIVOS So os que tm conscincia de seu poder e que produzem fenmenos espritas pelo ato de sua VONTADE. L.M. Cap. XIV Item 160
  • Slide 28
  • PESSOAS ELTRICAS. Tiram delas mesmas o fluido necessrio produo do fenmeno e podem agir sem o concurso de espritos estranhos. NO SO MDIUNS, no sentido ligado a esta palavra. L. M. - Cap. IV - Item 74 Parag. 20
  • Slide 29
  • SONAMBULISMO SONAMBULISMO Tem relao direta com a emancipao da alma. H duas ordens de fenmenos: -Age sob a influncia do prprio esprito, - instrumento de inteligncia estranha, ou L.M. Cap. XIV Item 172
  • Slide 30
  • Slide 31
  • SONAMBULISMO CATACTERSTICA DO MDIUM O mdium, ao contrrio do sonmbulo, o instrumento de uma inteligncia estranha; ele passivo, e o que ele diz no provm dele Cap. XIV - Item 172
  • Slide 32
  • RESUMO sobre o Sonambulismo O sonmbulo exprime seu prprio pensamento. O mdium exprime o pensamento de outro. L.M. Cap. XIV - Item 172 O sonmbulo pode ser um mdium ou um paranormal
  • Slide 33
  • ESTADO ALTERADO DA CONSCINCIA (EAC)
  • Slide 34
  • O EAC qualquer alterao substancial no padro de conscincia considerado como normal. Quando est em um EAC o indivduo sente, de forma clara, uma troca qualitativa no padro do seu funcionamento mental. CHARLES TART
  • Slide 35
  • EAC e a EMANCIPAO DA ALMA Quando enfraquece o vnculo da alma com o corpo, o crebro altera a emisso de suas ondas cerebrais normais para ondas Alfa, Beta, Teta ou Delta
  • Slide 36
  • ELETROENCEFALOGRAMA ELETROENCEFALOGRAMA O EEG mede e registra graficamente os sinais eltricos do crebro como as ondas Alfa, Beta, Teta e Delta. Hans Berger.
  • Slide 37
  • Slide 38
  • Transe, sono, sonho, cochilo, prece, meditao, coma, devaneio, dana rtmica, cnticos, hipnose, fadiga, drogas, desnutrio, jejum, dieta, traumas, obsesso em sexo.
  • Slide 39
  • Onda Alfa Frequncia: 8-13 cps. a onda cerebral mais comum. Ocorre em preces, divagaes, corpo relaxado ou no, olhos abertos ou fechados; consciente, caminhando, meditando, ouvindo msica suave, lendo ou assistindo a uma palestra.
  • Slide 40
  • Onda Beta Frequncia: 13-20 cps. a onda cerebral mais curta e rpida. Caracteriza o indivduo ativo, desperto, olhos abertos, vigilncia prolongada ou aumentada, induzida por intensa concentrao ou por drogas. Usada na monitorizao das funes fsicas.
  • Slide 41
  • Onda Teta Frequncia: 4-8 cps. As ondas Tetas so uniformes. Caracterizada pela sonolncia, sono leve ou estado que antecede o sono (cochilo), estado de inconscincia, alheamento do mundo exterior; a pessoa no consegue se manter consciente.
  • Slide 42
  • Onda Delta Frequncia: 0,5 a 4 cps. Onda cerebral mais longa e lenta. Presente no transe (natural, voluntrio, involuntrio) influenciado por hipnotizador, por orientador de sesso medinica ou por um esprito. Presente no devaneio, regresso induzida por hipnose, atividades de cura e sono profundo (natural, induzido ou hipntico).
  • Slide 43
  • VELOCIDADE DAS ONDAS CEREBRAIS A velocidade do pensamento de uma pessoa inferior velocidade da luz. No vcuo: Vel. luz 299.792,458 km/seg.
  • Slide 44
  • Telepatia/ondas cerebrais Duas pessoas perfeitamente despertas tm, muitas vezes, instantaneamente, o mesmo pensamento. So duas almas simpticas que, reciprocamente, se comunicam e veem seus pensamentos, mesmo quando no dormem. L.E. 421
  • Slide 45
  • Velocidade do pensamento humano Exterioriza-se em ondas curtas, mdias e longas. O pensamento ainda matria. O pensamento fluxo energtico do campo espiritual. Mecanismos da mediunidade Cap. IV pg. 44 e 45
  • Slide 46
  • Velocidade do pensamento do esprito O pensamento anglico se exprime em ondas super-ultra-curtas. Mecanismos da mediunidade PG. 44
  • Slide 47
  • Velocidade do pensamento do esprito Os pensamentos atuam a feio de onda, com velocidade muito superior a da luz. Ao e Reao Cap. 5 pg. 70 O pensamento fora viva e atuante cuja velocidade supera a da luz. Ao e Reao Cap. 4 pg. 56
  • Slide 48
  • Telepatia Transdimensional A velocidade de transmisso do pensamento entre espritos, e entre espritos e almas, se verifica velocidade superior a da luz
  • Slide 49
  • FENMENOS PARANORMAIS No h presena de um esprito. O fenmeno paranormal fruto da VONTADE do prprio sensitivo.
  • Slide 50
  • O que DUPLA VISTA a percepo de fatos materiais, reais; o conhecimento de acontecimentos distantes; detalhes de uma localidade; causas de molstias e coisas reais do mundo espiritual. A Gnese - Cap. XIV item 27
  • Slide 51
  • FENMENO PARANORMAL A causa da DUPLA VISTA a Emancipao da alma L.E. Itens 447 e 455 - L.M. Itens 167 e 172 Obras Pstumas-Item 25
  • Slide 52
  • FENMENO PARANORMAL DUPLA VISTA Ocorre no sono e/ou no estado de viglia. Depende do grau de desenvolvimento, circunstncias e estado moral do indivduo A Gnese - Cap. XIV item 27
  • Slide 53
  • FENMENO PARANORMAL DUPLA VISTA Podemos colocar na categoria de mdiuns videntes todas as pessoas dotadas da segunda vista. L. M. Cap. XIV 167
  • Slide 54
  • DUPLA VISTA funo da VONTADE do indivduo. L. E. Item 449
  • Slide 55
  • DUPLA VISTA, VISO REMOTA, VISO A DISTNCIA, VIDNCIA, SEGUNDA VISTA e outros: So fenmenos causados pela EMANCIPAO DA ALMA.
  • Slide 56
  • INSTITUTE OF NOETIC SCIENCES CRIADO PELO DR. EDGAR MITCHELL Instituto de Cincia do Pensamento ou do Abstrato
  • Slide 57
  • Notica a parte da lgica que estuda as leis fundamentais do pensamento. Notica como um estado de percepo, a profundidade da verdade no explicada pela inteligncia discursiva. William James
  • Slide 58
  • Principais membros do IONS Hal Puthoff, Russel Targ, Jacobo Grinberg Zylberbaun, Robert Jahn, William Braud, Ingo Swann, Pat Price, Cleve Backster, MacMoneagle, Ken Bell, Amit Goswami
  • Slide 59
  • REENCARNAES Verificam-se tanto neste globo quanto em diferentes mundos. L. E. - Itens 172 e 173 A forma humana, salvo modificaes orgnicas, encontra-se nos habitantes de todos os globos L. M. - Item 56
  • Slide 60
  • REENCARNAES Ao passar de um para outro mundo, o esprito se reveste da matria prpria de cada um e isto, com mais rapidez que o relmpago (com velocidade superior a da luz). ). L.E. Item 187
  • Slide 61
  • REENCARNAES Espritos de outros orbes por aqui passaram e por aqui continuam transitando Gnese - cap. VI - item 19 Os mundos tambm esto submetidos lei do progresso. Todos os globos comearam, como a Terra, por um estado inferior L. E. - item 185
  • Slide 62
  • FORAS FUNDAMENTAIS DO UNIVERSO Gravidade, magnetismo, eletricidade, afinidade, coeso e atrao. Elas (F.F.U.) presidiram s metamorfoses da matria, as leis imutveis e necessrias que regem o mundo A Gnese - Cap. VI - item 10 Atualmente: Eletromagnetismo, Gravidade, Fora Nuclear Forte e Fraca
  • Slide 63
  • FORAS FUNDAMENTAIS DO UNIVERSO Variam indefinidamente segundo as combinaes da matria, atuam segundo as massas e so diversificadas em seus modos de ao, segundo as circunstncias e os meios. A Gnese - Cap. VI - item 10
  • Slide 64
  • VIBRAES
  • Slide 65
  • Ns, estudantes da Verdade, temos a certeza de que toda a organizao universal se baseia em vibraes puras. Missionrios da Luz - Cap. 3 pg. 33 As dimenses vibratrias do Universo so infinitas, como infinitos so os mundos que povoam a imensido. Esferas mltiplas de atividade espiritual interpenetram-se nos diversos setores da existncia. Prefcio de Obreiros da Vida Eterna- pg. 9
  • Slide 66
  • A carne uma vestimenta temporria, organizada segundo a vibrao espiritual. Essa mesma vibrao esclarece todos os enigmas da matria. Emmanuel - Cap. XXVI - p. 143 A cincia terrena, no estudo das vibraes, chegar a conceber a unidade de todas as foras fsicas e psquicas do Universo. Emmanuel - pg. 171
  • Slide 67
  • VIBRAES/SUPERCORDAS As vibraes das Supercordas so a base de tudo o que existe no Universo. O Universo composto por um nmero enorme de cordas vibrantes. Brian Greene The Elegante Universe.
  • Slide 68
  • VIBRAES/SUPERCORDAS A Teoria das Supercordas refora a promessa de uma descrio unificada e completa do Universo fsico, uma Teoria sobre Tudo, a Teoria M. Brian Greene The Elegante Universe.
  • Slide 69
  • A cincia, infatigvel, agora procura a Fora origem simplificadora (Teoria M), da qual cr emanarem todos os compostos, a matria-padro. Emmanuel - pg. 78 Ns (espritos), nos encontramos em outro campo de matria variada, noutros domnios vibratrios do prprio planeta. Obreiros da vida eterna Cap. I - pg. 18
  • Slide 70
  • CARACTERSTICAS E ATITUDES DO ESPIRTA JESUS O SEU MODELO, KARDEC O SEU MESTRE; FLEXVEL EM SUAS CRENAS E IDIAS; DECIDE BASEADO EM FATOS, NUNCA EM OPINIES; NO FAZ JULGAMENTOS APRESSADOS.
  • Slide 71
  • NO ACREDITA EM TUDO QUE OUVE ESFORA-SE PARA SER OBJETIVO FAZ USO DO PENSAMENTO LGICO APIA SUAS IDIAS COM ARGUMENTAES E INFORMAES SEGURAS
  • Slide 72
  • O HOMEM IMPORTANTE POR AQUILO QUE TEM NA SUA MENTE E PELO BOM USO QUE DELA FAZ.
  • Slide 73
  • O UNIVERSO No somos seres humanos passando por uma experincia espiritual Somos seres espirituais passando por uma experincia humana

Recommended

View more >