FRONTEIRAS PERDIÇÃO

  • Published on
    04-Aug-2015

  • View
    41

  • Download
    4

Embed Size (px)

Transcript

Universidade Federal da Paraba Centro de Cincias Exatas e da Natureza Programa de Ps-Graduao em Geografia

A AO COLONIZADORA PRODUZINDO O ESPAO:de aldeias indgenas Alagoa da Perdio (1766-1816)

EMMANUEL CONSERVA DE ARRUDA

Joo Pessoa, outubro, 2007

Universidade Federal da Paraba Centro de Cincias Exatas e da Natureza Programa de Ps-Graduao em Geografia

A AO COLONIZADORA PRODUZINDO O ESPAO:de aldeias indgenas Alagoa da Perdio (1766-1816)

Emmanuel Conserva de Arruda Orientadora: Ariane Norma de Menezes S

DISSERTAO apresentada ao Programa de Ps-Graduao em Geografia da Universidade Federal da Paraba, como requisito parcial para obteno do grau de Mestre em Geografia.

Joo Pessoa PB 2007

Emmanuel Conserva de Arruda A ao colonizadora produzindo o espao: de aldeias indgenas Alagoa da Perdio (1766-1816).Dissertao apresentada pelo mestrando Emmanuel Conserva de Arruda ao Corpo Docente do Programa de Ps-Graduao em Geografia do CCEN-UFPB, como requisito parcial para obteno do ttulo de Mestre em Geografia.

Avaliado em _____________________________ com mdia___________________

Banca Examinadora da DISSERTAO DE MESTRADO:

_______________________________________________________________

Belarmino Mariano Neto (UEPB)

_______________________________________________________________

Maria de Ftima Ferreira Rodrigues (PPGG);

_______________________________________________________________

Ariane Norma de Menezes S (UFPB)Orientadora

UFPB/2007

Ao meu pai (in memoriam) e a minha me, Cornlio Conserva e Maria Arruda, e meus irmos Renato, Nilton, Fbio e Fabola, dedico esse trabalho. So para mim exemplo, fora e alegria.

AGRADECIMENTOS

sempre muito difcil agradecer, pelo temor de parecer exagerado para uns ou faltoso para outros. Mas no posso deixar de dar reconhecimento, agradecendo aqueles, que de forma direta ou indireta, contriburam para realizao deste trabalho. Afinal, o conhecimento uma construo coletiva. Ariane S, mais que professora, uma amiga que tenta nos conduzir com extrema pacincia e competncia nos difceis e mal remunerados percursos da vida acadmica. Pela sua confiana, compreenso, disponibilidade e apoio nesta pesquisa e alm dela. Aos professores do mestrado. Todos foram muito importantes para minha incurso na geografia, com idias e indicaes bibliogrficas que serviram de base terica e metodolgica para o trabalho. Especialmente aos Doutores: Raimundo Barroso Cordeiro Jnior; Carlos Augusto de Amorim Cardoso e as Doutoras Doralice Styro Maia; Ariane Norma de Menezes S e Maria de Ftima Ferreira Rodrigues. Snia, secretria da coordenao do Programa de Ps-Graduao em Geografia da Universidade Federal da Paraba, que alm de descomplicar a burocracia, sempre nos recebe com ateno e carinho. Aos meus colegas mestrandos, que se tornaram importantes pilares de apoio nos momentos de desnimo e com os quais dividi as dificuldades e alegrias que so proporcionados por uma ps-graduao. Em especial, aos colegas Luciano, Anderson e Benedito, alm de colegas nos tornamos amigos. Sem eles no teria histrias engraadas para lembrarmos. Ao LEPAN (Laboratrio de Ensino e Pesquisa em Anlise Espacial) do Departamento de Geocincias/UFPB, especialmente ao professor Richarde Marques, que me orientou na confeco dos mapas. Aos integrantes do grupo de estudo sobre a Paraba Imperial. Base para esta e outras tantas pesquisas. No incio, ramos s alguns alunos e muitas perguntas. Hoje, somos grandes amigos em busca de respostas. A histria fortaleceu nossa amizade. A Fabrcio Morais, Mayrinne Meira e Maximiano Machado que mesmo com o afastamento que este perodo fora, nunca deixaram de demonstrar amizade e preocupao. Ao colega de graduao em histria e tambm mestre em geografia, Carmelo Filho, por est sempre disponvel para me ajudar a compreender os novos conceitos que a geografia me trouxe. Elainy Camelo, por suportar com pacincia e carinho as variaes de humor que um trabalho de ps-graduao nos proporciona.

RESUMOEste trabalho tem como objetivo analisar a ao colonizadora no serto da Paraba, na rea hoje polarizada pelo atual municpio de Princesa Isabel, a partir do processo de ocupao e funcionalidade desse espao, bem como os agentes envolvidos e a motivao que impulsionaram essa mobilidade, compreendendo a assim a apropriao do espao produzido. Para isso feita uma anlise bibliogrfica para demonstrar como alguns autores paraibanos construram a histria da Paraba seguindo um modelo muito prximo e dando pouca nfase ao processo de colonizao do serto. A escolha do recorte temporal deste trabalho (17661816) corresponde concesso da primeira data de terras ou sesmaria naquele local (novembro de 1766) e o recorte final foi escolhido por ser este o ano (1816) de expedio da ltima carta de sesmaria para Alagoa da Perdio. Dito com outras palavras, nosso principal problema foi avaliar as alteraes ocorridas no espao em estudo. Desta maneira, procuramos demonstrar que a colonizao do serto da Paraba e sua reorganizao espacial foi obra de colonizadores com a participao direta de vrios grupos indgenas que tiveram importante papel nesse processo. Objetivamos destacar as mudanas ocorridas durante a colonizao do serto da Paraba enfatizando os agentes presentes neste processo. Perceberemos neste trabalho que os contatos interculturais entre ndios e colonizadores foram essenciais para promover o processo colonizador e permitir a reorganizao do espao.

Palavras-chave: Paraba (Sculo XVIII); Colonizao; Organizao do Espao.

ABSTRACTThis work has as objective to analyze the colonizadora action in the hinterland of the Paraiba, the area today polarized by the current city of Princesa Isabel, from the process of occupation and functionality of this space, as well as the involved agents and the motivation that had stimulated this mobility, understanding thus the appropriation of the produced space. For this a bibliographical analysis is made to demonstrate as some paraibanos authors had very constructed to the history of the Paraiba following a model next and giving little emphasis to the settling process of the hinterland. The choice of the secular clipping of this work (17661816) corresponds to the concession of the first date of lands or would sesmaria in that place (November of 1766) and the final clipping was chosen by being this the year (1816) of expedition of the last letter of would sesmaria for Alagoa da Perdio. Said with other words, our main problem was to evaluate the occured alterations in the space in study. In this way, we look for to demonstrate that the settling of the hinterland of the Paraiba and its space reorganization were workmanship of colonizadores with the direct participation of some aboriginal groups that had had important paper in this process. We objectify to detach the occured changes during the settling of the hinterland of the Paraiba being emphasized the agents gifts in this process. We will perceive in this work that the intercultural contacts between indians and colonizadores had been essential to promote the process colonizador and to allow the reorganization of the space.

SUMRIO

INTRODUO...................................................................................................10 1. CAPTULO I: Autores e anlise sobre a colonizao do serto ...................19 1.1 Literatura Clssica sobre o tema....................................................................21 1.2 Datas e notas: a contribuio de Irineu Pinto ................................................22 1.3 A Histria inteligvel: a obra de Horcio de Almeida ...................................24 1.4 Irenu Joffily: uma preocupao geogrfica .................................................27 1.5 Trs autores, histrias semelhantes ...............................................................30 2. CAPTULO II: Serto: ndios e colonizadores..............................................33 2.1 Tapuia: no serto j havia gente ....................................................................37 2.2 Terras para o gado: o leitmotiv da colonizao .............................................54 3. CAPTULO III: Alagoa da Perdio: sesmarias e sesmeiros........................64 3.1 Perdio de Histrias e de lendas ..................................................................65 3.2 As Sesmarias .................................................................................................69 3.3 Loureno de Brito Correia: primeiro sesmeiro de Alagoa da Perdio.........71 3.4 As Sesmarias confinantes ..............................................................................78 Consideraes Finais: ..........................................................................................88 4. REFERNCIAS: ............................................................................................91 5.1.Documentao: .......................................................................................91 5.2.Bibliografia: ............................................................................................91 5. ANEXOS .........................................................................................................97

NDICE DE ILUSTRAESFigura 01 - Dana dos Tapuia ................................................................................... 48 Figura 02 - Homem Tapuia ....................................................................................... 48 Figura 03 - Mulher Tapuia ........................................................................................ 48

Mapa 01 - Tribos indgenas da Paraba Sculos XVII e XVIII.............................. 51 Mapa 02 - Primeiros caminhos da ocupao do serto ............................................. 60

Fluxograma 01 Burocracia sesmarial Parahyba 1766 ...................................... 74

Quadro 01 Obras clssica