Geomorfologia do Maranhão

  • Published on
    12-Jun-2015

  • View
    3.310

  • Download
    23

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Tericos: AbSaber (1960) RADAM BRASIL (1973), FEITOSA (1983),IBGE, (1984), IBGE (1989); Feitosa e Trovo (2006) e IBGE (2011)

Transcript

  • 1. UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MARANHO CENTRO DE EDUCAO,CINCIAS EXATAS E NATURAIS DEPARTAMENTO DE HISTRIA E GEOGRAFIA CURSO GEOGRAFIA LICENCIATURARELEVO DO MARANHOProf. Dra. Qusia Duarte da Silva

2. Fonte: IBGE, 2011. 3. CLASSIFICAES DO RELEVO MARANHENSE AbSaber, 1960; Barbosa e Pinto, 1973 (Projeto Radam Brasil); Feitosa, 1983; IBGE, 1984; IBGE, 1989; Feitosa e Trovo, 2006; IBGE, 2011. 4. CLASSIFICAO DO RELEVO MARANHENSE: AbSaber, 1960 Golfo Maranhense; Confins interiores do Golfo Maranhense; Baixada Fluviomarinha de Perizes; Colinas tercirias entre Perizes de Cima e Peritor; Relevos residuais que precedem os chapades interiores; Chapades das regies centrais e meridionais do Maranho. 5. CLASSIFICAO DO RELEVO MARANHENSE: Barbosa e Pinto, 1973 (Projeto Radam Brasil) Planalto da bacia sedimentar Piau-Maranho; Pediplano central do Maranho; Planalto setentrional Par-Maranho; Superfcie sublitornea de Bacabal; Superfcie sublitornea de Barreirinhas; Plancie fluviomarinha do Golfo Maranhense; Litoral de Rias e Lenis Maranhenses. 6. CLASSIFICAO DO RELEVO MARANHENSE: Barbosa e Pinto, 1973 (Projeto Radam Brasil) Planalto da bacia sedimentar Piau-Maranho Extremidade setentrional da cuesta de Ibiapaba que apresenta mergulho suave em direo calha do rio Parnaba; Pediplano central do Maranho Prolongamento da superfcie pediplanada que se estende do sul acompanhando o rio Parnaba at o litoral, interligando-se com o reverso erosivo da cuesta de Ibiapaba. As bordas do pediplano apresentam-se dissecados em mesas e grupos de mesas pela eroso dos rios Parnaba, Itapecuru e Munim. Planalto setentrional Par-Maranho Superfcie aplainada fortemente dissecada nas formaes pouco resistentes do Barreiras e Itapecuru e entalhada por rios como o Gurupi. 7. CLASSIFICAO DO RELEVO MARANHENSE: Barbosa e Pinto, 1973 (Projeto Radam Brasil) Superfcie sublitornea de Bacabal Dissecada pelos rios Gurupi, Turiau, Pindar, Mearim e Itapecuru, com colinas suaves que envolve a plancie fluviomarinha do Golfo Maranhense. Faixa de transio entre o golfo e os nveis mais elevados do Pediplano Central do Maranho. Superfcie sublitornea de Barreirinhas Transio entre as formaes litorneas e os nveis elevados do Pediplano Central do Maranho, com dunas fixas bem caracterizadas. Plancie fluviomarinha do Golfo Maranhense rea rebaixada e alagadia com lagoas fluviais, vrzeas inundveis, reas colmatadas e hidrografia divagante e labirntica que acompanha o grande recorte formado pelo afogamento dos esturios dos rios Pindar, Mearim e Itapecuru, tendo ao centro, a Ilha do Maranho. 8. CLASSIFICAO DO RELEVO MARANHENSE: Barbosa e Pinto, 1973 (Projeto Radam Brasil) Litoral de Rias e Lenis Maranhenses Faixa de sedimentos holocnicos associada a ilhas, baas e canais que acompanha a linha de costa de direo geral NW-SE. interrompida pelo Golfo Maranhense sendo o rio Peri a rea de transio dos dois compartimentos; Oeste: predominam as rias com praias vasosas, manguezais, dunas, restingas e pequenas falsias, com drenagem labirntica; Leste: costa baixa, formaes dunares elevadas, restingas, lagoas, ilhas, raros manguezais e amplas desembocaduras, com drenagem paralela e ortogonal. O contraste entre os dois tipos de litoral sugere um relacionamento com as disposies estruturais e movimentao alternadas das bacias de So Lus e Barreirinhas, separadas pela Fossa de Ilha Nova (Golfo Maranhense). 9. CLASSIFICAES DO RELEVO MARANHENSE AbSaber, 1960; Barbosa e Pinto, 1973 (Projeto Radam Brasil); Feitosa, 1983; IBGE, 1984; IBGE, 1989; Feitosa e Trovo, 2006; IBGE, 2011. 10. CLASSIFICAO DO RELEVO MARANHENSE: Feitosa, 1983 Planalto PlancieFonte: Feitosa, 1983 11. CLASSIFICAO DO RELEVO MARANHENSE: Feitosa, 1983Planalto: Corresponde reas com cotas superiores a 200m; Presena na poro centro-sul do Estado - 40%; Principais serras e chapadas: Leste; Sudeste; Central; Sul; Sudoeste; NoroesteFonte: Feitosa, 1983 12. CLASSIFICAO DO RELEVO MARANHENSE: Feitosa, 1983Planalto: Leste: serras do Valentim, Cobra, Mata, Belm, Exu, chapada do Azeito; Sudeste: serra do Itapecuru, da Croeira e chapado do Agreste; Central: serra das Alpercatas, Serra Branca, Negra e da Menina; Sul: serra do Penitente, do Gado Bravo e chapada das Mangabeiras; Sudoeste: serra de Santana da Cinta; Oeste: serra da Desordem, do Tiracambu e do Gurupi; Noroeste: serra da Pirainha. OBS: Mapa escolar do IBGE e Diagnstico dos Principais problemas ambientais do Estado do Maranho, 1991. 13. CLASSIFICAO DO RELEVO MARANHENSE: Feitosa, 1983Plancies: Plancie Costeira ou Litornea: Costa de Rias; Costa de Dunas; Plancie Flvio-Marinha; Plancie Sublitornea.Fonte: Feitosa, 1983 14. CLASSIFICAES DO RELEVO MARANHENSE AbSaber, 1960; Barbosa e Pinto, 1973 (Projeto Radam Brasil); Feitosa, 1983; IBGE, 1984; IBGE, 1989; Feitosa e Trovo, 2006; IBGE, 2011. 15. CLASSIFICAO DO RELEVO MARANHENSE: IBGE, 1984 Chapades, Chapadas e Cuestas; Superfcie Maranhense com Testemunhos; Golfo Maranhense; Lenis Maranhenses; Litoral de Rias.Fonte: Geplan, 2002 16. CLASSIFICAO DO RELEVO MARANHENSE: IBGE, 1984 Chapades, Chapadas e Cuestas: rea dos remanescentes da superfcie sulamericana, que perdem lentamente altitude em direo ao norte. Superfcie Maranhense com Testemunhos: rea aplainada com testemunhos tabularesFonte: Geplan, 2002 17. CLASSIFICAO DO RELEVO MARANHENSE: IBGE, 1984 Golfo Maranhense Resultante do intenso trabalho de eroso fluvial do Quaternrio antigo, posteriormente colmatada, com plancies aluviais, ilhas, lagoas e rios divagantes. Principal coletor do sistema hidrogrfico maranhense.Fonte: Geplan, 2002 18. CLASSIFICAO DO RELEVO MARANHENSE: IBGE, 1984 Lenis Maranhenses Corresponde s faixas litornea e sublitornea da poro oriental, constitudas por restingas, campos de deflao e dunas. Litoral de Rias Poro ocidental em que rias afogadas foram convertidas em plancies aluviais e so emolduradas por pontes lodosos e ilhas que se formaram pela ao das mars. 19. CLASSIFICAES DO RELEVO MARANHENSE AbSaber, 1960; Barbosa e Pinto, 1973 (Projeto Radam Brasil); Feitosa, 1983; IBGE, 1984; IBGE, 1989; Feitosa e Trovo, 2006; IBGE, 2011. 20. CLASSIFICAO DO RELEVO MARANHENSE: IBGE, 1989Fonte: IBGE, 1998 Plancies e tabuleiro na regio das Formaes Pioneiras; Superfcies e tabuleiros na regio da Floresta Ombrfila; Planaltos na regio das Florestas Estacional e Ombrfila; Chapada, tabuleiro e depresso na rea de tenso ecolgica da Savana/Floresta Estacional; Chapadas, tabuleiros e depresses na regio da Savana. 21. CLASSIFICAO DO RELEVO MARANHENSE: IBGE, 19891. Plancies e tabuleiro na regio das Formaes Pioneiras: - Plancies litorneas; - Tabuleiro dos Lenis Maranhenses; - Baixada Maranhense. Posicionada na parte norte do Estado, nas proximidades do litoral, esta regio est inserida no domnio das Formaes Pioneiras submetidas a um clima mido. Corresponde s reas planas em cotas altimtricas que variam de 0 a 50m, talhadas sobre os depsitos sedimentares inconsolidados quaternrios. Abrange trs sistemas naturais. Fonte: IBGE, 1998 22. CLASSIFICAO DO RELEVO MARANHENSE: IBGE, 19892. Superfcies e tabuleiros na regio da Floresta Ombrfila: - Superfcie sublitornea de Bacabal; - Superfcie do Gurupi; - Superfcie do baixo Gurupi; - Colinas e cristas do Gurupi; - Tabuleiros costeiros maranhenses.Floresta ombrfila densa uma mata pereniflia, ou seja: sempre verde com dossel de at 50 m, com rvores emergentes de at 40 m de altura Fonte: IBGE, 1998 23. CLASSIFICAO DO RELEVO MARANHENSE: IBGE, 1989 2. Superfcies e tabuleiros na regio da Floresta Ombrfila: - Poro noroeste do Estado, correspondendo s superfcies dissecadas em baixas colinas que ocorrem na bacia do Gurupi e aquela que contorna a Baixada Maranhense, alm dos tabuleiros costeiros. - A Floresta Ombrfila que caracteriza a regio prpria de clima mido com chuvas distribudas durante o ano e com temperaturas acima de 25 C, o que determina uma situao onde as rvores no perdem suas folhas. Fonte: IBGE, 1998 24. CLASSIFICAO DO RELEVO MARANHENSE: IBGE, 19893. Planaltos na regio das Florestas Estacional e Ombrfila: - Planalto dissecado do Pindar/Graja; - Planalto dissecado do Itapecuru.Floresta estacional condicionada em funo da variabilidade de tempo mido e seco. Fonte: IBGE, 1998 25. CLASSIFICAO DO RELEVO MARANHENSE: IBGE, 19893. Planaltos na regio das Florestas Estacional e Ombrfila: - Planalto dissecado do Pindar/Graja; - Planalto dissecado do Itapecuru. Na parte central do Estado do Maranho ocorrem dois planaltos dissecados, numa rea de variao climtica que vai do mido na poro norte, ao submido a semi-rido no sul. Essa variao gerou o aparecimento de duas feies florestais na rea: a da Floresta Ombrfila e a da Floresta Estacional, onde as rvores perdem parte de suas folhas durante o perodo da estiagem. Fonte: IBGE, 1998 26. CLASSIFICAO DO RELEVO MARANHENSE: IBGE, 19894. Chapada, tabuleiro e depresso na rea de tenso ecolgica da Savana/Floresta Estacional: - Chapada de Barra do Corda; - Chapada de Imperatriz; - Tabuleiros sublitorneos; - Patamar de Caxias; - Tabuleiros do Parnaba; - Tabuleiros do Mdio Itapecuru.Fonte: IBGE, 1998 27. CLASSIFICAO DO RELEVO MARANHENSE: IBGE, 1989 4. Chapada, tabuleiro e depresso na rea de tenso ecolgica da Savana/Floresta Estacional: - Chapada de Barra do Corda; - Chapada de Imperatriz; - Tabuleiros sublitorneos; - Patamar de Caxias; - Tabuleiros do Parnaba; - Tabuleiros do Mdio Itapecuru. Posicionada na parte centro-leste da rea estudada, esta regio marca a transio dos climas midos para os semiridos, com a dominncia do tipo climtico submido a semi-rido. Essa transio tambm marcada pela rea de Tenso Ecolgica da Savana com a Floresta Estacional.Fonte: IBGE, 1998 28. CLASSIFICAO DO RELEVO MARANHENSE: IBGE, 1989 5. Chapadas, tabuleiros e depresses na regio da Savana: - Patamar das cabeceiras do Mearim; - Patamar de Porto Franco/Fortaleza dos Nogueiras; - Planos arenosos de Riach

Recommended

View more >