Indústria de Ração a partir do Bagaço de Laranja Industry as of ?· 2013-08-19 · 4.2 Rendimentos…

  • Published on
    18-Jan-2019

  • View
    212

  • Download
    0

Embed Size (px)

Transcript

Indstria de Rao a partir do Bagao de Laranja

Industry as of insignificance of citrus pulp from the berry

from the amber

Rafael Jefferson Borges

RESUMO

O presente trabalho trata da realizao do Projeto de Criao de Empresas. O negcio escolhido foi uma indstria de farelo de polpa ctrica, com o diferencial da assistncia nutricional aos pecuaristas da regio de Londrina. Na primeira fase do projeto foi analisada a viabilidade mercadolgica do empreendimento, onde alm da fundamentao terica do trabalho, foram estudados temas pertinentes ao empreendedorismo. Foram realizadas pesquisas de campo para verificar o perfil do consumidor, aceitao do produto na regio e as necessidades e preferncias do mercado. A segunda fase do trabalho composta pelos estudos das viabilidades tcnica e financeira, alm da realizao do plano organizacional da indstria. Os resultados obtidos com a realizao dos estudos na primeira fase do projeto, comprova a viabilidade mercadolgica perante as necessidades e preferncias dos consumidores, e na segunda fase, comprova-se tambm a viabilidade tcnica, pois h disponibilidade de recursos materiais, tecnolgicos, humanos e liberao ambiental para instal-la, porm a viabilidade financeira ficou comprometida devido aos altos custos para a instalao e manuteno da indstria, acarretando um retorno do investimento menor que a taxa de atratividade.

Palavras-chave: Indstria; Bagao, Rao; Projeto.

ABSTRACT

The present paper treated about the realization of the Project of Creation of Companies. The business choice was an industry of insignificance of pulp citric, with the differential of the assistance nutritional to farmers from region of Londrina. On the first phase of the project was analyzed the viability commercial of the enterprise, that beyond theoretical foundation of the paper were studied themes pertinent to entrepreneurship. They were realized research of field to verify the profile of the consumer, acceptability of the product on the region and the necessities and preferences of the market. The second stage of the paper is composed by studies of the viability technique and financial, beyond realization of organizational plan of the industry. The results obtained with the realization of the studies on the first phase of the project verify the viability commercial according to the necessities and preferences of the consumers, and on the second phase, verify also the viability technique, because there is availability of resources materials, technological, human and liberation environmental to install it, however the viability financial was compromised on account of high costs of installation and conservation of the industry causing a return of the investment lesser than the rate of attractivity.

Keywords: Industry ; Crushed sugarcane , insignificance of citrus pulp; Project.

Introduo

oportuno nesta poca, aproveitar do momento bom que vive a agricultura no Paran - Diante do momento favorvel pelo qual passa a citricultura, a procura por parte de produtores interessados em ampliar seus pomares ou iniciar a atividade tem sido bem maior do que a expectativa conforme est noticiado em matria da revista rural de nmero 105 Ano 2006.

Hoje h um desequilbrio entre a oferta e a demanda de alimentos que se d em funo do crescimento explosivo nos consumos nos pases em desenvolvimento e da consequente diminuio dos estoques por conta da queda da oferta. A demanda aumentou porque os pases asiticos, Latino- americanos e at os africanos, que eram emergentes e com renda per capta muito baixa, registraram crescimento importante de renda nos ltimos dois anos, passaram a comer mais e aumentaram o consumo de origem agrcola, como alimento, fibras, energia, entre outros.

A oferta no acompanhou a demanda por questes diversas, inclusive pela seca no Brasil ocorrida em 2007 segundo notcias no globo.com. Tambm, o preo dos fertilizantes duplicou nos ltimos dez meses e triplicou nos ltimos trs anos; o petrleo tambm subiu muito e isso reflete no preo final, porque ningum vai produzir abaixo do custo. A especulao financeira tambm fez sua parte. Especuladores do mundo inteiro migraram para alimentos na certeza de que haveria ganhos imediatos e isso fez com que os preos subissem ainda mais.

Outro fator que corrobora o fortalecimento da agricultura que o Brasil o nico pas do mundo que tem

uma rea gigantesca para explorar agrcolamente, com 72 milhes de hectares agricultveis e perto de 180 milhes de hectares de pastagem, sendo que, destes, 71 milhes esto aptos para agricultura, ou seja, tem - se a chance de dobrar a rea agricultvel do pas. Esse fato chama ateno do mundo inteiro que vem investir no Brasil, por isso as perspectivas so muito boas, porque h um mercado demandador e ofertante de produtos agrcolas, segundo Flvio Viegas Presidente da Associtrus na p. 3 do Informativo de Julho 2008 dessa mesma associao.

1. Objetivo Geral

Realizar a anlise de Viabilidade Tcnica, Mercadolgica e Econmico Financeira da Instalao de uma Indstria de Rao a partir do Bagao de Laranja.

2. Caracterizao da empresa a ser

criada

Ser uma Indstria de rao parceira de duas indstrias de suco de laranja para aproveitamento do Subproduto Bagao, que se destaca como necessidade aparente de aproveitamento e no desperdcio do mesmo, a fazer uso consciente de toda a Matria - Prima Laranja.

3. Definio e conceito do negcio

Promover o crescimento econmico e social na regio, da prestao de servios com qualidade, agregando valor produo e atuando de forma socialmente responsvel.

O conceito do negcio deve claramente identificar grupo de clientes que se pretender atender e suas necessidades, com um produto ou servio no qual os clientes esto dispostos a comprar (DEGEN, 1989, p. 54).

4. Subprodutos

Da laranja processada sobram leos volteis que so retirados da casca das frutas ctricas. Durante o processo de extrao do suco, as bolsas de leo da casca se rompem, liberando o produto, que ento removido por meio de jatos de gua. Em seguida ele separado por meio de centrifugao e depois resfriado.

Para outros fins, esses leos tm maior aplicao nas indstrias alimentcia e farmacutica e tambm podem ser usados diretamente para dar o sabor em bebidas, sorvetes e outros alimentos, e na fabricao de medicamentos e cosmticos, como sabonetes e perfumes.

O farelo de polpa ctrica peletizado ou farelo de casca de laranja obtido por meio do tratamento de resduos slidos e lquidos remanescentes da extrao do suco. Entre esses resduos esto cascas, sementes e polpas de laranjas. Este material equivale a 50% do peso de cada fruta e tem uma umidade de

aproximadamente 82%. Aps passar pelo processo de industrializao onde a polpa triturada e seca at chegar a 12% de umidade, o produto peletizado

permanecendo rica em pectina, um carboidrato altamente degradvel no rmen.

O farelo de polpa ctrica peletizado usado principalmente como complemento para a rao animal, principalmente na pecuria. Tem boa aceitao como insumo na rao de rebanhos bovinos (leite e corte). Sua utilizao deve restringir-se a no mximo 30% da matria seca para cada animal adulto.

No entanto indispensvel que o pecuarista consulte um veterinrio, agrnomo ou zootecnista especializado para adaptar a polpa ctrica dieta de cada tipo de rebanho.

Por tratar-se de um produto que absorve a umidade, muito importante que o farelo seja transportado e armazenado em locais muito secos, ventilados e totalmente cobertos. Do contrrio podem surgir microorganismos causadores de fermentao e bolor. Neste caso o produto no poder ser utilizado na composio da rao. Recomenda-se no armazenar este produto por mais de 60 dias.

4.1 Caractersticas do Farelo de Polpa

Ctrica

De acordo com Menezes Jr. et al (2000) Apud Pinto (2006, p. 19) a polpa ctrica peletizada (PCP) rica em pectina, um carboidrato altamente degradvel no rmen, que em comparao ao amido, promove um padro de fermentao ruminal com maior relao acetato:

propionato e reduzida produo de cido ltico, portanto, o fornecimento de PCP que possui fibra de elevada digestibilidade, provavelmente ocasionou maior digestibilidade desse nutriente nas dietas mistas.

Em consequncia disso como caracteriza Schalch et al (2001) Apud Pinto (2006, p. 20) o uso de polpa ctrica resulta em menor risco de acidose do que os alimentos com alto teor de amido, que induzem o animal a acidose porque favorecem a produo de cido propinico no rmen.

A rpida fermentao e posterior degradao do bagao, ou polpa mida de laranja, cujo efluente um dos piores poluentes ambientais Ashbell (1992) apud Pinto (2006, p.20), gerou a necessidade de se desenvolver alternativas de utilizao deste subproduto. A polpa ctrica fresca de difcil manejo e distribuio, alm de ser onerosa devido ao transporte e ser um srio disseminador de moscas na propriedade, apodrecendo rapidamente exemplifica Gohl, (1973) apud Pinto (2006, p.20).

Veja no quadro as caractersticas que o farelo deve ter aps totalmente processado:

Quadro 1 Caractersticas do farelo de polpa ctrica peletizada

Fonte: ABECITRUS - Associao Brasileira dos Exportadores de Ctricos

O bagao de laranja costuma ser peletizado antes de ser comercializado, entretanto, a indstria de sucos ainda gera um volume muito grande de bagao de laranja in natura com alto teor de umidade segundo corrobora Cruz et al (1998) apud Pinto (2006, p.20).

Todavia, o custo de secagem elevado, fazendo com esta tecnologia se torne antieconmica, despertando o interesse das empresas em desenvolver mercados para o bagao de laranja in natura.

Propriedades Valor

Umidade (mximo) 12,0%

Protena Bruta (mnimo) 5,0%

Extrato Etreo (mnimo) 1,5%

Fibra Bruta (mximo) 14,0%

Matria Mineral (mximo) 8,0%

Dioxinas/Furanos (mximo) Expresso em Grau de

Deteco Mnimo-Upperbound

500 pg/kg I -

TEQ

Aflatoxinas (mximo) 20 ppb

4.2 Rendimentos Industriais

A seguir figura demonstra detalhadamente todos os rendimentos tericos de produtos e subprodutos da laranja a partir de 100 kg:

Figura 1 Rendimento terico de produtos e subprodutos da laranja a partir de 100 kg

Fonte: (RODRIGUES; OLIVEIRA, 2006, P. 3083)

Conforme mostra a figura acima, praticamente 50% do fruto bagao que poder se tornar farelo de polpa ctrica aps industrializao.

5. Vantagens competitivas

As principais vantagens advindas desta proposta so a reduo do impacto ambiental causado pelo descarte de material in natura no ambiente e a agregao de valor s atividades agropecurias.

Cada empresa que compete em uma indstria possui uma estratgia

competitiva, seja ela explcita ou implcita. Esta estratgia tanto pode ter se desenvolvido explicitamente por meio de um processo de planejamento como ter evoludo implicitamente atravs das atividades dos vrios departamentos funcionais da empresa (PORTER, 1986, p. 13).

6. Consumidor Principal

So os produtores de leite ao optarem pela polpa ctrica peletizada como alimento energtico na dieta de rebanhos leiteiros.

7. Diferenciais

Este mercado pouco explorado

na regio, a demanda de mercado

grande por rao deste tipo que se mostra

concorrente ao farelo de milho hoje

(alimentao mais comum para vacas

leiteiras) num estado agropecuarista

como o Paran, no qual h diversas

cooperativas de leite, que em

contrapartida so dependentes de

pecuaristas que precisam em grandes

quantidades de farelo de polpa ctrica,

onde se fecha um ciclo de necessidades

atendidas, no qual o consumidor final

ser o maior beneficiado.

O milho gro pode ser substitudo

em 100% por polpa ctrica peletizada em

raes concentradas, para vacas

produzindo, em mdia, 20 kg de leite,

sem alterar a digestibilidade aparente dos

nutrientes, como tambm, a substituio

do milho pela polpa ctrica no afetou os

parmetros ruminais, pH e concentrao

de amnia.

O perodo de coleta de fezes para

estimativa da digestibilidade aparente

pode ser diminudo para dois dias sem

afetar a confiabilidade dos resultados,

assim confirma a Sociedade Brasileira de

Zootecnia Universidade Federal de

Viosa / Departamento de Zootecnia.

8. A importncia do setor agrcola na

ocupao da populao brasileira

A agricultura uma das principais ocupaes de mo-de-obra dentre todos os setores de atividade da economia. De acordo com dados do Instituto de Pesquisa Econmica Aplicada (IPEA), somente a agricultura e a pesca correspondem a mais de 20% da populao ocupada no Brasil. Estima-se que o agronegcio, envolvendo todas as atividades correlatas s agrcolas, responde por cerca de 40% dos empregos existentes no Brasil.

Alm da grande quantidade de empregos gerados, cabe ressaltar que o custo de gerao de empregos na agricultura bem mais baixo que em outros setores. Os custos mdios de gerao de um emprego na agricultura

so, a grosso modo, metade dos custos de gerao de um emprego na indstria.

8.1 As principais caractersticas do

agronegcio brasileiro e paranaense

O Brasil uma potncia agrcola mundial, sendo um dos pases que possui maior disponibilidade de terras para aumento da rea plantada, sobretudo na regio centro-norte, onde existe grande potencial para o crescimento do setor agrcola.

Estima-se que 103,1 milhes de hectares ou 12,1% do territrio brasileiro so compostos por reas agricultveis inexploradas, o que reafirma a capacidade do pas em aumentar a sua produo agrcola sem avanar sobre reas protegidas ou sobre a floresta amaznica.

O Brasil destaca-se como o maior produtor mundial de suco de laranja, acar, caf, lcool e tabaco, o segundo maior no complexo soja e carne bovina, o terceiro maior em carne de frango, milho e frutas e o quarto em sunos.

Conforme pode ser visto no quadro abaixo o Brasil ocupa papel de destaque na exportao de diversos produtos.

Quadro 2 Posio do Brasil no ranking mundial de produo agrcola e

principais produtos da pauta de exportao brasileira.

Fonte: Elaborada a partir de dados da Companhia Nacional de abastecimento

(CONAB) do ministrio da Agricultura, Pecuria e abastecimento (MAPA), da Organizao das Naes Unidas para Agricultura e Alimentao (FAO) e do United states Department of Agriculture

(USDA).

8.2 Distribuio Territorial de

Lavouras Permanentes

Abaixo localizao espacial de plantaes de laranjas distribudas pelo Brasil, por estados e regies perifricas:

Figura 2: Localizao espacial de plantaes de laranjas

Fonte: IBGE (2007)

Nitidamente, a regio detentora da produo de laranja o estado de So Paulo, mas denota-se uma descentralizao deste plantio indo do sudeste para a regio mais prxima onde se localiza o norte do Paran, regio especfica do estudo de setor citrcola em questo, e em alguns territrios estanques como estados do Rio Grande do Sul e Par.

8.3 PR: Expanso da rea de laranja

na regio norte

A laranj...