Informativo Connected Smart Cities

  • Published on
    08-Apr-2016

  • View
    216

  • Download
    4

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Material que traz detalhes sobre o evento, alm de depoimentos exclusivos de grandes empresas interessadas na melhoria da qualidade de vida nas cidades brasileiras.

Transcript

  • Desafios das cidades inteligentes no Brasil

    Cidades do futuro no BrasilSMARTCITIES

    Connected

    www.connectedsmartcities.com.br

    Conhea soluespara o desenvolvimentourbano do Pas

  • RankingConhea o resultado do 1 ranking de cidades inteligentes no Brasil

    ExpoPatrocine Visite gratuitamente

    FrumPatrocineInscreva-seEnvie seu paper

    Rodadas de negciosPatrocineParticipe como comprador ou vendedor

    PrmioPatrocineInscreva-se e concorra

    Agosto

    a

    So PauloBrasil

    03 05 2015

    SMARTCITIES

    Connected

    03 a 05 de agosto: das 13:00 s 20:00

    Centro de Eventos Pro MagnoAvenida Professora Ida Kolb, 513 Casa Verde. So Paulo

    www.connectedsmartcities.com.br ou com nossa equipe comercial connectedsmartcities@sators.com.br (11) 3032-5633

    04 e 05 de agosto:das 9:00 s 18:00

    Expo

    Frum

    Local

    Mais detalhes Cidades

    do futuro no Brasil

    SMARTCITIES

    Connected

    Realizao:

  • 3O que Connected Smart Cities?

    A Sator

    Expediente

    As grandes e modernas cidades so, talvez, as mais

    importantes realizaes do homem, por serem res-

    ponsveis, inclusive, por grande parte do desen-

    volvimento humano.

    Estamos atualmente no meio de um processo de

    urbanizao mundial, no qual as cidades enfrentam

    novos desafios, como, por exemplo, o aumento dos

    nveis de consumo, necessidades maiores de mobi-

    lidade, alm do crescente aumento populacional.

    Um exemplo deste crescimento o fato de que exis-

    tem mais de 300 cidades com mais de um milho

    de habitantes no mundo, e dados de 2011 apontam

    que 13 destas esto no Brasil. Alm disso, em 2025,

    85% da populao latino-americana viver em

    cidades (hoje so 79%), perdendo apenas para a

    Amrica do Norte que ter 86%.

    O crescimento e modernizao das cidades, porm,

    no se restringe ao seu tamanho, mas sim a uma

    srie de fatores que determinam o quanto a cidade

    inteligente e o quanto os cidados so conecta-

    dos com ela.

    Acreditamos que uma smart city aquela que

    cresce de forma planejada atravs de anlises do

    desenvolvimento de alguns indicadores bsicos,

    como economia, mobilidade, governo, meio ambi-

    ente, urbanismo e qualidade de vida. Essa anlise

    permite que tanto o governo quanto os cidados e

    empresas possam ter uma viso mais clara, assim,

    possibilitando uma minimizao do impacto dos

    problemas, proporcionando uma cidade com mais

    qualidade de vida, mais moderna e, consequente-

    mente, mais inteligente.

    O Connected Smart Cities envolver empresas, enti-

    dades e governos em um evento que tem por misso

    encontrar o DNA de inovao e melhorias para ci-

    dades mais inteligentes e conectadas umas com as

    outras, sejam elas pequenas ou megacidades.

    Para atingir este objetivo, unimos empresas de

    servios e tecnologia de ponta, especialistas, pre-

    feituras e pessoas engajadas com a otimizao das

    cidades do Brasil, buscando inspirao em solues

    implantadas nas mais inteligentes cidades do mun-

    do e trazendo novas ideias.

    Temos como misso promover a discusso, a troca

    de informaes e a difuso de ideias entre governo

    e empresas focando atender as necessidades do ci-

    dado consciente, visando que as cidades brasileiras

    possam tornar-se mais inteligentes e conectadas.

    Nossa viso promover o desenvolvimento das ci-

    dades de forma que nos prximos 10 anos as cidades

    brasileiras possam subir um degrau ou mais na esca-

    la de desenvolvimento, se aproximando dos ndices

    dos modelos das cidades inteligentes do mundo.

    A Sator nasceu em 2005 como uma empresa de

    produo de eventos, passou a oferecer servios

    de comercializao e comunicao para os eventos

    que organizava e, mais recentemente, descobriu-se

    como uma organizao desenvolvedora de plata-

    formas de negcios, o que consiste em identificar,

    planejar e desenvolver oportunidades por meio de

    encontros presenciais como seminrios, feiras, ro-

    dadas de negcios, mdia online e impressa.

    Temos como misso estabelecer a conexo e o in-

    tercmbio entre pessoas, grupos e organizaes

    entendendo e fomentando os mercados, desen-

    volvendo plataforma de negcios e contedo com

    uma abordagem inovadora e inteligente. Criamos o

    Connected Smart Cities porque acreditamos que

    um passo importante para aquecer a discusso e o

    desenvolvimento de cidades. Esperamos que voc

    faa parte deste momento.

    Paula Faria, Diretora da Sator e idealizadora do Connected Smart Cities.

    Diretora Paula Faria

    Comercial Cludia Delfino e Luiz Fernando Machado

    Assistente comercial

    Tayn Novaes

    Jornalista

    Nathanna Raissa

    Marketing

    Louise Marie Jaillette

    Operacional

    Thais Kalaes e Victoria Farina

    Gesto de mailing

    Gabriela Nantes e Cristina Torres

    Administrativo e Financeiro

    Alessandra Galhardi

    Diagramao e Projeto Grfico

    Fernando Adams

    Impresso

    HRosa

  • Urban Systems e CTE ajudam a desenhar o futuro das cidades do Brasil

    AliadosEstratgicos

    Empresas se juntam ao Connected Smart Cities como parceiros estratgicos e falam sobre como pretendem fazer parte do desenvolvimento dos centros urbanos no Pas

    O desafio das cidades inteligentes est muito alm do que cada um pode fazer individualmente. Para

    chegar ao nvel de crescimento que o Brasil precisa, so necessrias parcerias e transparncia no desen-

    volvimento de iniciativas que possam iniciar a mudana que buscamos para o Pas.

    neste esprito que a Urban Systems se tornou um parceiro estratgico no Connected Smart Cities.

    A empresa, que se dedica a estudos de lgica urbana, inteligncia estratgica e anlise de risco de in-

    vestimentos, usar sua expertise para criar o primeiro ranking de cidades inteligentes do Brasil, que

    segundo o fundador e presidente da empresa, Thomaz Assumpo, tem o intuito de apontar as cidades

    que j apresentam uma preocupao com a questo da inteligncia em seus processos administrativos,

    econmicos e de desenvolvimento.

    A questo da gesto das cidades uma das principais pautas em nossa dcada, principalmente se pen-

    sarmos na reduo de custos, na reduo dos prazos e na eficincia na utilizao dos recursos das ci-

    dades, destaca o executivo. Mais do que apontar as cidades exemplo, ou modelos a serem seguidos,

    importante que apontemos tambm as deficincias que sero contempladas no ranking, servindo de

    norteador para os investimentos pblicos e privados em cada uma delas.

    O Ranking Connected Smart Cities ser apresentado durante o evento, e vai abordar os principais indi-

    cadores de cidades inteligentes: mobilidade, urbanismo, meio ambiente, energia, sade, segurana, edu-

    cao, empreendedorismo, tecnologia e inovao. Estes temas, porm, no podem ser tratados discrimi-

    nadamente, j que so indicadores de inteligncia que esto normalmente permeando mais de um setor

    dentre aqueles j selecionados para a pesquisa e construo do ranking.

    A Urban Systems pretende considerar a correlao de setores no peso de cada indicador, j que, como

    conta Thomaz, elementos que impactam em mais de um setor ou grupo de indicadores, e dessa forma

    possuem maior impacto no nvel de inteligncia da cidade, tero peso superior aos indicadores que se

    relacionam apenas com um tema no resultado final do ranking.

    Como a cidade inteligente ainda um conceito relativamente novo no Pas so vrias as dvidas ao redor

    do tema. A ideia que o ranking possa trazer um pouco mais de clareza com relao aos dados e infor-

    maes consolidadas sobre o assunto.

    Pretendemos apresentar um direcionador para o

    desenvolvimento das cidades, com o apontamento

    dos setores que determinadas cidades necessitam

    investir para melhorar sua eficincia e consequen-

    temente, reduzir custos, aponta Thomaz. Muitas

    cidades pelo mundo j so consideradas inteligen-

    tes, e o Brasil, por ter mais custo de infraestrutura

    e tecnologia, est atrasado nesses quesitos, apesar

    de possuir algumas cidades com destaques em de-

    terminadas reas.

    Outra que se junta ao time de parceiros estratgi-

    cos do Connected Smart Cities o CTE, empresa

    de consultoria e gerenciamento especializada em

    qualidade, tecnologia, gesto, sustentabilidade e

    inovao para o setor da construo, que atua no

    Brasil desde 1990.

    O Diretor-presidente da empresa, Roberto de Sou-

    za, acredita que o projeto trar um novo rumo para

    o setor, servindo como plataforma para difuso de

    ideias e experincias de sucesso que esto sendo

    implantadas nas diferentes cidades do mundo, e

    que podem ser replicadas para que nossas cidades

    possam evoluir de forma sustentvel.

    Tendo a sustentabilidade como pilar, o CTE trabalha

    com consultoria para diversos bairros, loteamentos

    e comunidades planejadas no pas, com o objetivo

    de minimizar os impactos destes empreendimen-

    tos urbanos e oferecer aos usurios uma melhor

    sade, bem-estar e qualidade de vida em nossas

    cidades. Estamos trabalhando ativamente para

    trazer estas experincias de sustentabilidade urba-

    na, que hoje so referncia, para a criao de indi-

    cadores que possibilitem uma anlise comparativa

    entre as diferentes cidades do pas.

    O executivo afirma ainda que o processo de urbani-

    zao acelerado pela qual o pas passou nas ltimas

    dcadas responsvel por problemas que hoje so

    recorrentes na maioria de nossas cidades, e que, por

    conta disso, a criao de uma cultura de smart citi-

    es necessria, j que pode possibilitar a resoluo

    destes problemas de uma forma criativa e dinmica.

  • Desenvolvimento urbano: Operaes Urbanas Consorciadas e Consrcios Pblicos

    Opinio Demarest

    Por Paulo DantasScio da Demarest Advogados

    As Operaes Urbanas Consorciadas (OUC) so in-

    tervenes pontuais cuja finalidade promover o

    desenvolvimento urbano por meio de obras de in-

    fraestrutura, como saneamento, mobilidade e ener-

    gia. So realizadas por meio de parcerias entre o

    Poder Pblico e particulares, assegurando a partici-

    pao da sociedade atravs de consultas pblicas.

    O instituto foi trazido pelo Estatuto da Cidade (Lei

    Federal n 10.257/01) como um dos instrumentos da

    poltica urbana.

    As reas de interesse para realizao de OUCs so

    definidas por cada Municpio em seu Plano Diretor

    ou lei especfica. A Prefeitura ento realiza uma Ou-

    torga Onerosa - pagamento feito pelo particular

    Prefeitura, para que lhe seja concedido o coeficiente

    de aproveitamento mximo da rea, que, neste caso,

    ser destinada a um fundo especfico da operao.

    So exemplos de OUC o projeto Porto Maravilha, no Rio

    de Janeiro, gua Espraiada e Faria Lima, em So Paulo.

    Nesse contexto de desenvolvimento urbano, h,

    ainda, a hiptese de implantao de uma asso-

    ciao pblica entre os municpios de uma determi-

    nada regio constituindo o que a Constituio Fede-

    ral em seu artigo 241 denominou como Consrcio

    Pblico, instituto este disciplinado posteriormente

    pela Lei 11.107/05. Dentre as atribuies permitidas

    pela Lei 11.107/05, destaca-se o artigo 1, 2 que

    determina que os consrcios pblicos podero

    outorgar concesso, permisso ou autorizao de

    obras ou servios pblicos mediante autorizao

    prevista no contrato de consrcio pblico, que de-

    ver indicar de forma especfica o objeto da con-

    cesso, permisso ou autorizao e as condies

    a que dever atender, observada a legislao de

    normas gerais em vigor.

    Assim, h que se considerar que a implantao

    de intervenes urbanas, sejam elas por meio de

    OUC, por Consrcio Pblico ou a combinao delas,

    pode ser realizada por meio de parcerias com a

    iniciativa privada, notadamente as Parcerias P-

    blico-Privadas (PPPs) (Lei n 11.079/04) e as Con-

    cesses (Lei n 8.987/95).

    As PPPs so efetivadas por meio de contrato firma-

    do entre a empresa privada e o Poder Pblico (Fede-

    ral, Estadual ou Municipal). O contrato pode ser de

    prestao de servios ou obras, com durao entre

    5 e 35 anos e valor no inferior a R$ 20 milhes. A

    lei prev dois tipos de parceria: a concesso patro-

    cinada, em que a remunerao do parceiro privado

    se d pelas tarifas cobradas dos usurios da con-

    cesso mais um complemento dado pelo Poder

    Pblico; e a concesso administrativa, na qual o

    usurio no cobrado pelo servio, sendo a remu-

    nerao paga integralmente pelo Poder Pblico.

    Na concesso comum, por outro lado, a remunera-

    o composta pelas tarifas cobradas dos usuri-

    os somadas a fontes alternativas de renda, esta-

    belecidas de acordo com a peculiaridade de cada

    caso. O objeto da concesso a transferncia da

    gesto e execuo de um servio pblico, precedi-

    da ou no de execuo obra pblica.

    Tanto a lei de PPP quanto a de concesses pblicas

    preveem a possibilidade de conduo de estudos de

    viabilidade sobre projetos que esto na agenda do

    Poder Pblico. Por meio do chamado Procedimento

    de Manifestao de Interesse (PMI), os particulares

    podem elaborar tais estudos com a autorizao do

    poder concedente e tambm podem participar da

    futura licitao. Os dispndios com os estudos de-

    vem ser especificados no Edital e sero ressarcidos

    ao autor dos estudos pelo vencedor da licitao,

    conforme previsto no art. 21 da Lei 8.987/95.

    As PMIs foram regulamentadas, em mbito federal, pelo

    Decreto n 5.977/06, mas alguns Estados e Municpios

    j tm legislao especfica a respeito do procedimen-

    to, como, por exemplo, Santa Catarina (Dec. n 962/12),

    So Paulo (Dec. n 57.289/11), Bahia (Dec. n 12.653/11),

    entre os Estados, e Poos de Caldas-MG (Dec. 11.201/14)

    e Contagem-MG (Dec. n 962/12), entre os Municpios.

    5

  • Cases Inteligentes

    guas de So Pedro: saiba como funciona a primeira cidade 100% digital do BrasilMenor municpio de So Paulo fechou parceria com a Telefni-ca e hoje serve de vitrine para o resto do Pas

    H uma cidade em So Paulo onde possvel en-

    contrar vagas de estacionamento com o celular,

    marcar consultas mdicas pela internet e usar a

    rede para conferir o desempenho das crianas na

    escola. E, por l, qualquer assinante de internet

    tm ao menos 25 MB de velocidade, porque todas

    as conexes so feitas via fibra ptica.

    Tudo isso ocorre em guas de So Pedro. O

    menor municpio do Estado est sendo usado pela

    Telefnica/Vivo como laboratrio e acabou se

    transformando no que vem sendo chamado de pri-

    meira cidade 100% digital do pas.

    A inaugurao do projeto ocorreu no comeo de

    2014 e, desde ento, a quantidade e qualidade de

    servios tecnolgicos s aumentou.

    A Clnica de Especialidades de guas, que est liga-

    da plataforma de agendamento online, conta com

    um sistema que acessa os registros dos pacientes

    atravs de um sensor biomtrico. Na escola, os

    mais de 400 alunos receberam tablets e passaram

    a contar com uma biblioteca totalmente digitaliza-

    da - sem contar que seus responsveis recebem

    informaes (como boletins) via SMS.

    Os motoristas no precisam rodar por muito tem-

    po a fim de encontrar um lugar para estacionar,

    porque as ruas so equipadas com sensores pti-

    cos que indicam, por meio de aplicativos para celu-

    lar ou tablet, onde h espaos vagos.

    Essa parceria da prefeitura com a Telefnica

    fantstica na medida em que o projeto, alm do

    estacionamento inteligente (uma inovao que

    proporciona comodidade para muncipes e turis-

    tas), privilegia setores importantes na cidade como

    educao, sade e segurana, relata o Prefeito

    Paulo Cesar Borges.

    Rio de Janeiro: cariocas j convivem com facilidades de cidades inteligentesPrefeitura tem programas que facilitam processos e favorecem os deslocamentos e as questes ambientais

    Quando se fala em cidade inteligente, um dos prin-

    cipais aspectos a se considerar...