integridade estrutural de equipamentos nov - ntt.com.br ?· equipamentos: API 580, API 581, API 579-1/ASME…

  • Published on
    29-Aug-2018

  • View
    214

  • Download
    1

Embed Size (px)

Transcript

<ul><li><p> IInntteeggrriiddaaddee EEssttrruuttuurraall ddee EEqquuiippaammeennttooss De 28/11/2011 a 02/12/2011 </p><p>Local: Hotel a definir RJ </p><p>Carga Horria: 40 horas </p><p>Horrio: 8h30min s 17h30min </p><p> Objetivo: Apresentar critrios de avaliao de integridade e principais documentos utilizados para a definio de limites operacionais de equipamentos estticos e dutos com danos acumulados. </p><p> Pblico alvo: Profissionais envolvidos com as tarefas de integridade estrutural e extenso de vida til de equipamentos. </p><p>Instrutores: </p><p>Guilherme Victor Peixoto Donato - Engenheiro Mecnico. MSc.em Engenharia Metalrgica e dos Materiais. Trabalha na PETROBRAS nas tarefas de Avaliao de Integridade. Jos Luiz da Frana Freire - Engenheiro Mecnico.MSc e Doutor.Professor universitrio, pesquisador e consultor nas reas de Avaliao de Integridade Estrutural, Anlise de Falhas e Anlise Experimental de Tenses. </p><p>ISO 9001 : 2008 </p></li><li><p> Tito Luiz da Silveira - Engenheiro Mecnico. MSc e Doutor pela COPPE UFRJ. Consultor com nfase em atividades de avaliao e gesto de integridade, anlise e preveno de falha e projetos mecnicos. Professor universitrio com diversos trabalhos tcnicos apresentados e publicados em anais de congressos revistas especializadas. </p><p>PPrrooggrraammaa ddoo CCuurrssoo 1 - FUNDAMENTOS </p><p> 1.1 - Conceitos de avaliao de integridade 1.1.1 - Definies 1.1.2 - Conceituao 1.1.3 - Etapas e informaes de uma Avaliao de Integridade 1.1.4 - Organizao e contedo do API 579-1 / ASME FFS-1 (Junho de 2007) 1.1.5 - Vida residual 1.2 - Fundamentos do projeto mecnico 1.2.1 - Cdigos de projeto (e.g.: ASME VIII, ASME B31.3, B31.4, B31.8,...) 1.2.2 - Fatores de segurana 1.2.3 - Mecanismos de falha previstos pelos cdigos 1.2.4 - Dimensionamento mecnico de componentes 1.3 - Mecanismos de acumulao de dano 1.3.1 - Guias de deteriorao de equipamentos (e.g.: API-571) 1.3.2 - Anlise de falha: procedimento geral, tcnicas experimentais 1.3.3 - Corroso com perda de massa 1.3.4 - Corroso-fadiga 1.3.5 - Corroso sob tenso 1.3.6 - Fadiga trmica e choque trmico 1.3.7 - Envelhecimento em aos ao carbono: grafitizao e esferoidizao 1.3.8 - Danos por hidrognio 1.3.9 - Fluncia 1.3.10 - Danos em juntas soldadas </p><p> 1.4 - Principais documentos e critrios de avaliao de integridade 1.4.1 - Relao de documentos para avaliao de integridade e identificao dos mais importantes para um sistema de gerenciamento da integridade de equipamentos: API 580, API 581, API 579-1/ASME FFS-1, BS 7910, API 1160, ASME B31.8G 1.4.2 - Confiabilidade x probabilidade de falha 1.4.3 Probabilidade de conseqncia de falha em equipamentos risco 1.4.4 - Critrios de falha por escoamento 1.4.5 - Fator de resistncia remanescente 1.4.6 - Diagrama de falhas de defeitos planares (diagrama FAD) </p><p> 1.5 - Equipamentos sujeitos a altas temperaturas 1.5.1 - Projeto em regime de fluncia: vasos de presso e tubos de fornos 1.5.2 - Base de dados para o projeto 1.5.3 - Vida residual em fluncia 1.6 - Tratamento aplicado a redues de espessuras 1.6.1 - Perda metlica de espessura causada por corroso, eroso ou usinagem 1.6.2 - Perda uniforme 1.6.3 - Perda localizada 1.6.4 - Perda pitiforme 1.6.5 - Noes de reparos permanentes e no permanentes </p></li><li><p>1.7 - Defeitos do tipo mossa (amassamentos) em equipamentos 1.7.1 - Danos mecnicos em equipamentos causados por montagem, recalques, operaes de correo de defeitos e impacto de ferramentas: distores geomtricas, mossas e enrugamentos - critrios de aceitao preliminares 1.7.2 - Critrios de aceitao de mossas sob carregamento esttico 1.7.3 - Critrios de aceitao de mossas sob carregamento cclico - fadiga </p><p> 1.8 - Tratamento aplicado a descontinuidades planares e propagao subcrtica em operao </p><p> 1.8.1 - Conceitos sobre fratura de materiais 1.8.2 - Modos de falha associados a presena de trincas 1.8.3 - Comportamento do material na regio da trinca 1.8.4 - Ensaios de tenacidade 1.8.5 - Critrios de avaliao (noes) 1.8.6 - Propagao subcrtica de descontinuidades 1.9 - Fratura frgil de equipamentos 1.9.1 - Estabelecimento de condies que favorecem a fratura frgil de equipamentos 1.9.2 - Avaliao do material e projeto para as condies operacionais em baixas temperaturas 2 - ESTUDO DE CASO &amp; EXERCCIOS </p><p> 2.1 - ESFERA DE ARMAZENAMENTO: Alterao / atualizao de critrio de cdigo de projeto e a conseqncia no acompanhamento e nas condies operacionais do equipamento 2.2 - VASOS DE PRESSO: Efeito do tipo de tenso na falha do equipamento e o atendimento ao cdigo de projeto 2.3 - DUTOS: Correlao entre dados informados pela passagem de pig instrumentado e determinados por inspees de campo. Conseqncias para a avaliao da integridade do duto 2.4 - DUTO: Anlise da probabilidade de falha de um duto de transporte contendo defeitos de corroso 2.5 - TUBULAES: Alterao de condies operacionais de verificao da adequao do material para baixas temperaturas 2.6 - TUBULAO: Avaliao de mossa em tubulao de plataforma </p><p> 2.7 - CALDEIRA: Continuidade operacional explorando a condio leak-break e </p><p> julgamento de valor sobre a segurana operacional do equipamento </p><p> 2.8 - TUBO DE FORNO: Vida residual de tubos de forno de processo na regio de radiao 2.9 - PONTE RODOVIRIA: Estudo de trincas de fadiga e anlise da soluo empregada para evitar a falha da estrutura 2.10 - TURBINA GS: Falha nas palhetas da turbina (fadiga e material) 2.11 - MQUINA PARA DESCARREGAMENTO DE NAVIOS: Garantia da integridade da mquina 2.12 - PLANTA TERMOELTRICA: Diagnstico do plano de inspeo e recomendaes para implantao de um sistema de gesto para a integridade estrutural de uma planta submetida corroso severa 2.13 - PONTE ROLANTE: Anlise de trincas na estrutura da ponte e consideraes sobre a validade temporal dos reparos realizados 2.14 - FOGUETE: Fratura frgil no teste hidrosttico de um motor de foguete </p></li><li><p>3 - MINICONSULTORIA Anlise e discusso de casos trazidos pelos participantes </p><p>Investimento </p><p>R$ 6.390,00 por participante, includos neste valor todo o material didtico, almoos e coffee-breaks durante o evento. Para condies especiais de pagamento consulte o NTT-Treinamento Avanado. </p><p>Matrculas </p><p>Para efetuar a matrcula, basta enviar fax (21) 2490-8892, ou, e-mail (cursos@ntt.com.br), indicando o(s) nome(s) do(s) participante(s), telefone para contato e dados para emisso da nota fiscal. </p><p>Recomendamos fazer a sua matrcula at o dia 18/11/11, para assegurar sua participao. </p><p>Informaes Gerais </p><p>Eventuais cancelamentos devem ser comunicados at 10 (dez) dias teis antes do primeiro dia do evento. Aps esta data, outra pessoa poder substituir o inscrito, sem qualquer custo adicional. </p><p>Os inscritos que no cancelarem sua participao de acordo com as condies acima e no comparecerem ao evento sero cobrados no valor integral da taxa de inscrio correspondente. </p><p>Todas notificaes devero ser enviadas para o e-mail cursos@ntt.com.br, com confirmao de recebimento. </p><p>Outras informaes </p><p>Favor contatar a Secretaria do NTT atravs do telefone (21) 3325-9942, ou pelo e-mail cursos@ntt.com.br. </p><p>DDeeppooiimmeennttooss ddee eexx--aalluunnooss O curso de integridade de equipamentos trs informaes importantssimas para o corpo tcnico das empresas, pois mostra com detalhes minuciosos as caractersticas que precisam ser identificadas, conhecidas e registradas que capacitem a ns engenheiros a conhecer e utilizar de forma melhor e mais otimizada os ativos da empresa, deixando como produto futuro um histrico confivel da vida e do desempenho dos nossos equipamentos. ADILSON ESTEVO DOS REIS Engenheiro Mecnico Senior VALE </p><p> O treinamento foi muito esclarecedor e nos forneceu um embasamento tcnico excelente. </p><p>VIRGINIA LUSIA REUTER PERINE MAGALHES Supervisora de Manuteno Mecnica PETROBRAS CENPES </p></li><li><p> O curso realmente superou minhas expectativas! Forneceu informaes importantes para a tomada de deciso necessria ao direcionamento de minha carreira. ISRAEL ALVES OLIVEIRA Tcnico Mecnico Gesto e Fiscalizao de Contratos SAMARCO MINERAO </p><p> O curso foi excelente, nos apresentou as normas vigentes para integridade estrutural de forma restrita, porm objetiva, isto ampliou nosso universo de conhecimento no ramo. ANTNIO CSAR SIMES Projetista Mecnico SAMARCO MINERAO </p><p> Curso com excelente qualidade e com professores altamente competentes e experientes. </p><p> ISABEL CRISTINA PARREIRA OSHIRO Engenheira SABESP </p><p> O curso excelente e recomendo sem medo, pois nos faz enxergar a integridade de equipamentos por um olhar da mecnica das fraturas e no da cincia dos materiais. Tenho certeza de que o conhecimento adquirido no curso irei aplicar nas minhas atividades profissionais para melhorar os processos de integridade de dutos e equipamentos. </p><p>LZARO DIAS MACHADO Analista de Processos Tecnolgicos </p><p> BAHIAGS </p><p>AAllgguummaass ddaass eemmpprreessaass qquuee jj ttrreeiinnaarraamm sseeuuss pprrooffiissssiioonnaaiiss nneessttee ccuurrssoo:: </p></li></ul>