ISOIETAS ANUAIS DO - ainfo. ?· ISOIETAS ANUAIS DO ESTADO DOPIAuí ... Maranhão, Ceará, Pernambuco…

  • Published on
    26-Nov-2018

  • View
    212

  • Download
    0

Embed Size (px)

Transcript

  • SECRETARIA DE AGRICULTU~~"

    /ISOIETAS ANUAIS DO

    ESTADO DO PIAu

    EVARISTO EDUARDO DE MIRANDAJOS ADAUTO OllMPIO LUIZ EDUARDO MANTOVANI-

    Eng Agr , Doutor em Ecologia - Pesquisador do CPATSA I E M BRAPA Eng Agr e Economista - Tc. em Planej. Agrcola da C E P A - P I Gelogo - Pesquisador do CPATSA IEMBRAPA

  • Introduo

    A atividade agrcola do Pi,;, como de todo o Nordeste, apresenta uma estreita relao de riependncia dos fatores c l i rna t Lc o s , dos quais o baixo nvel das p r e c i p i f a-oes e sua variabilidade no tempo e no espao sao apont~

    dos entre as principais causas das secas.O mapa de isoietas do Piau na escala de 1/1.000.000

    constituiu-se uma necessria aproximao com bases cientficas da variabilidade espacial das precipitaes. Ostrabalhos desenvolvidos anteriormente neste sentido,alm de no utilizarem a totalidade da rede p l uv lo me t r lca do Estado, trabalharam com dados de base no homoge-neizados, em escalas pequenas (1/2.000.000 ou mais). Nareal idade os mapas de isoietas disponveis tratam-se ap~nas de mapas de iso I inhas, po is nao 1 evaram em cons iderao a influncia do relevo e da hipsometria sobre as pr~cipitaes.

    Portanto, o mapa de isoietas, elaborado pela FundaoCEPA-PI com a orientao metodolgica do CPATSA/EMBRAPAde Petrolina-PE, por solicitao da Secretaria de Agr..!.cultura, representa o esforo do Governo em dotar o Estado do Piaui de documentos de base, de qualidade, com vistas a apoiar e orientar o planejamento de seu desenvolvimento.

  • I I Principais Etapas Metodolgicas

    Os dados que serviram de base para confeco do mapaforam originrios de 204 postos pluviomtricos do Piaue de 201 postos perifricos local izados nos estados doMaranho, Cear, Pernambuco e Bahia, todos controladospela Superintendncia de Desenvolvimento do NordesteSUDENE.

    A aplicao do Mtodo do Vetor Regional para homogeneizao dos dados, atravs de simulao de 65 anos, pe~mitiu a estimao das normais pluviomtricas para todosos 405 postos utilizados com um desvio percentual mnimoem relao aos dados observados. O processo de homog~neizao dos dados encontra-se descrito no documento elaborado pela Fundao CEPA-PI: "Dados Plvio-Anuais doEstado do Piaui - Mtodos e Resultados".

    As normais pluviomtricas foram plotadas em um mapada rede pluviomtrica na escala 1/1.000.000 para em segu ida, serem determ inadas as iso 1 inhas de 100 em 100 mm,pelo processo de triangulao.

    O mapa de isoietas de 100 em 100 mm, na escala de1/1.000.000, resultou da interao do mapa de isolinhascom os de hipsometria e relevo, atravs de sobreposio.Maso traado final das isoietas foi ajustado, tambm,pelos modelos matemticos obtidos para caracterizar o p~dro espacial da distribuio das precipitaes (MIRANDAet ai, 1982).

    O documento final apresentado em anexo.

    111 Algumas reflexes sobre o resultado obtido

    O mapa de isoietas mostra a repartio espacial dasprecipitaes durante o ano no Estado do Piaui.

    A observao deste mapa permi te, apesar da incertezaflj

  • que possa pairar sobre algum posto, inferir alguns pa-dres I igados aos processos de formao de chuvas:

    - A presena de um gradiente pluviomtrico orientadode leste para oeste particularmente ntida. Verifica-se um aumento gradativo das chuvas medida que nos afastamos da zona de influncia dos alseos a leste, e nosdirigimos rumo a oeste onde a presena da massa equato-ri21 continental amaznica se faz notvel.

    Um pouco menos marcado aparece um gradiente de direo sul-norte provavelmente associada a precipitaescausadas pelas ingresses da convergncia inter tropical(CIT) mais frequentes no setor septentrional. A prese~a combinada destes dois gradientes produz como resultan, -te um gradiente pluviomtrico positivo direcionado de SEpara NW.

    Alm d~stes gradientes regionais algumas zonas deco~centrao de chuvas ou de aridez mais acentuada se fazem presentes no Estado. Entre as primeiras podemos citar regies de Porto com pluviometria superior a 1800 mmanuais, Matias 01 impio, Altos e os chapades do extremosul p lau i e n s e ,

    As zonas de aridez mais acentuadas sao verificadas 50bretudo na regio sudeste do Estado aonde o maior decrscimo ocorre a oeste da Chapada do Araripe que se en

    contra em posio de sotavento. Outros setores secos ocorrem ao longo de vales e nas regies de so Joo do Piaui e Simplicio Mendes.

    Igualmente o mapa pluviomtrico do Piau indica a pr~sena de algumas zonas de comportamento anmalo em relao aos padres regionais e mesmo aos que ocorrem em toda a regio do Nordeste brasileiro. Estas anomalias tomam a forma de digitaes ou altos pluviomtricos que p~n e t r a m n o in t e r io r d o E s t a d o a p a r t i r dos e t o r o e s t e. A s

    ;13

  • digitaes notadas ocorrem prximo a Ribeiro Gonalves,Jerumenha e na prpria regio de Porto. Ainda que a fragil idade, da rede pluviomtrica 1 imite uma m~ior extenso de inferincias, estas oscilaes anmalas da pluvi~metria parecem associadasjustamente ao setor de contactoentre as massas de ar tropical atlntica representada p~los aliseos de sudeste e a equatorial continental amazonica. Esta fronteira pode aparecer marcada por zonas deinterferincias positivas e negativas e de penetrao pr~ferencial das massas de ar.

    Finalmente, atravs deste estudo, a ;nfluincia do relevo sobre as precipitaes aparece um pouco menos marcada do que em estudos do Nordeste, sendo no entanto maisacentuada no sul do Estado. Isto provavelmente devidoa um enfraquecimento da circulao rpida dos aI seos aoalcanar os prprios 1 imites de ao da massa tropicalatlntica.

    4

  • , ,SERIE ZONEAMENTO AGROECOLOGICO

    DOCUMENTOS PUBLICADOS:

    - Dados Ptvio Anuais do Estado do Piau - Mtodos Resultados;- Mapa de Isoie tas Anuais do Piau;- Distribuio Espacial dos Precipita'es Anuais no Piau;- Caracterizao dos Isoi.tas Anuais do Piau .

    NO PRELO:

    - Distribuio Espacial das Precipitaes Mensais no Piau.

Recommended

View more >