Jornal Em Foco - SC

  • View
    245

  • Download
    17

Embed Size (px)

DESCRIPTION

jornal com notcias da cidade de Itapo e Garuva. Poltica, Educao, Esportes e notcias em geral.

Transcript

  • Ano 7 - N 91 - 2 Quinzena de Setembro de 2012 R$ 1,00 Itapo, Garuva e Regio

    www.jornalemfocosc.com.brELAINE CRISTINA ALVES

    ADVOCACIA EMPRESARIAL

    3443-03923443-0392 Av. Brasil, 2989 - Itapo - SC

    MCPisos e Acabamentos

    A $ $ de FBRICA

    Materiais para Acabamento + Hidrulicos

    Eltricos + Pintura + Ferramentas + Antenas

    Pg. 22

    Pg. 4

    ITAPOACITA promove entrevista com candidatos Prefeitura

    Pg. 14

    ITAPOConfira o Oramento de Itapo conforme a LOA 2013

    Pg. 19

    ITAPOAssociao de Ucranianos de Itapo d os primeiros passos

    Pg. 2

    ITAPOGachos acendem a Chama Crioula na Semana Farroupilha

    Pg. 8

    ITAPOCandidatos apresentaro suas propostas ao Porto

    Pg. 30

    GARUVANorte de SC ter nova estao agrometeorolgica

    ESTOFADOR

    AGUINEL 47 8853-4047

    CRISTIANO 47 8406-9501

    Rua Walter Crisanto, 197

    Itapema do Norte | Itapo | SC

    Vandalismo na Semana da Ptria

    Patriotismo, sentimento de amor e devoo Ptria, deixado de lado em pleno Feriado da Independncia

  • ITAPOSetembro 20122

    www.jornalemfocosc.com.br

    Eles so pees, prendas, jovens ou maduros, e que ressur-gem a cada ano, mon-tados em seus cavalos, com uma fora que faz qualquer cidado de outros estados e pases entender os reais moti-vos que fazem do Rio Grande do Sul um es-tado recheado de vigor.

    Atentos ao chamado da tradio, basta che-gar o ms de setembro para que os tradiciona-listas tomem um banho com os ideais libert-rios. Em Itapo, a cada ano que passa, aumen-ta o nmero de adeptos que revelam o senti-mento do amor que tm por essa tradio.

    Para marcar essa

    data, no dia 16 de setem-bro se deu o incio das festividades da Semana Farroupilha em Itapo. O acendimento da Chama Crioula, principal sm-bolo Farroupilha, foi na Vila da Glria, no Ran-cho Roque, propriedade de Celso Gomes, uma das figuras mais tradi-cionalistas de Itapo. O

    Fogo representa a vida, a Chama ilumina e acende coraes, foi com esse sentimento que todos os presentes apreciaram a solenidade.

    A Chama saiu da Vila da Glria e foi le-vada para a Chcara do Seu Roger, que ofere-ceu um delicioso jantar e boa musica aos cava-

    lheiros e convidados.A semana toda ser

    de grandes atividades e comemoraes farra-pas. O coordenador do evento este ano, Ricar-do Ribas do Valle, con-vida a toda a gauchada para participarem das comemoraes, que re-verenciam o 20 de se-tembro, Dia do Gacho.

    Advogado | OAB/SC 24.535Carlos Eduardo

    CNPJ: 14.265.035/0001-67 Itapo/SC 89249-000Avenida Brasil, n 2666 | Itapo Centro FONE: 3443-6673 Rua 1970, n 352 | Bal. Palmeiras FONE: 3443-6238DiretoriaMrcia Tavares - Diretora Geral(47) 9984-4999 | marciatavares@jornalemfocosc.com.brAline Jantara Diretora Comercial(47) 9926-4368 | alinejantara@jornalemfocosc.com.brRoberto Bicudo Editor GrficoJosaf dos Santos (5875 DRT-PR) - Jornalistajosafaitapoa@gmail.com Thiago Gusso (6562 DRT-PR) - Jornalista Responsvel thiagusso@gmail.comImpresso Editora Estado do Paran

    O Jornal Em Foco no se responsabiliza por contedos contidos em propagandas, bem como pelos artigos assinados, cujos autores

    respondem integralmente pelas idias ali expressadas.

    EXPEDIENTEJornal Em Foco Ltda ME

    MRCIa TavaRES

    Em Clima de Reta FinalCONTRIBUIO SINDICAl

    E CoNTRIBuIo aSSoCIaTIva E SuaS oBRIGaToRIEDaDES 2 Parte

    Frases da Edio

    MENEZES & MENEZES aSSESSoRIa JuRDICa av. Brasil, 2782 lojas 1,2 e 3 Centro Itapo/SC - 47 3443-6208

    O recolhimento da contribuio sindical efetuado fora do prazo previsto na lei, de acordo com o artigo 600 da CLT, ser acrescido de multa de 10% (dez por cento), nos 30 (trinta) primeiros dias, com o adicional de 2% (dois por cento) por ms subseqente de atraso, alm de juros de mora de 1% (um por cento) ao ms e correo monetria.Em caso de falta de pagamento da contribuio sindical, cabe s entidades promover a respectiva cobrana judicial perante a Justia do Trabalho, de acordo com o previsto na nova redao do artigo 114, inciso III da Constituio Federal, dada pela Emenda Constitucional 45/2004, que dispe ser da competncia da justia do trabalho lides que envolvam a cobrana de contribuies devidas s entida-des sindicais, contribuio confederativa (art. 8, IV da CF/88), contribuio sindical (art. 8, IV da CF/88, arts. 548, 578 e seguintes da CLT) ou contribuio associativa (art. 548, b da CLT)

    Constribuio Sindical do EmpregadorA Contribuio Sindical prevista constitucionalmente no art. 149 da Constituio Federal/88:Art. 149 Compete exclusivamente Unio instituir contribuies sociais, de interveno no domnio econ-mico e de interesse das categorias profissionais ou econ-micas, como instrumento de sua atuao nas respectivas reas, observado o disposto nos arts. 146, III e 150, I e III, e sem prejuzo do previsto no art. 195, 6, relativamente s contribuies a que alude o dispositivo.

    Pargrafo nico Os Estados, o Distrito Federal e os Mu-nicpios podero instituir contribuio, cobrada de seus servidores, para o custeio, em benefcio destes, de siste-mas de previdncia e assistncia social.

    Editais - Publicao pela entidade sindicalO art. 605 da CLT dispe que:

    As entidades sindicais so obrigadas a promover a publica-o de editais concernentes ao recolhimento da contribuio sindical, durante trs dias, nos jornais de maior circulao local e at dez dias da data fixada para depsito bancrio.

    Portanto, para clculo e recolhimento da contribuio sin-dical, necessrio consulta respectiva entidade sindical.

    Prazo de recolhimentoA Contribuio Sindical deve ser recolhida no ms de ja-neiro de cada ano (de uma s vez), aos respectivos sindi-catos de classe

    ConclusoPrimeiramente temos de nos recordar que vale diferenciar (1) associao a sindicato, (2) registro em Conselho de Classe e (3) pagamento de Contribuio Sindical. Na (1) Associao o profissional preenche ficha associati-va para usufruir de todos os benefcios de convnios que o Sindicato dispe, pagando, para tanto, uma mensalidade ou anuidade diretamente ao Sindicato. No (2) Registro em Conselho de Classe, por sua vez, gera o pagamento de anuidade e habilita o profissional a exer-cer sua profisso, pois o Conselho o rgo fiscalizador da habilitao profissional. A (3) Contribuio Sindical aquela devida por todo pro-fissional que esteja no exerccio de sua profisso na forma do art. 579 da CLT. Assim basta que o profissional esteja ou no no exerccio de sua atividade profissional para estar obrigado ao pagamento da Contribuio Sindical. Aqui esta a diferena: no h obrigatoriedade de paga-mento de taxa associativa ao Sindicato, e esta somente ser devida quando o profissional manifestar interesse em associar-se ao sindicato para gozar dos benefcios que a entidade Sindical dispe.

    Portanto, no devemos confundir taxa de associao e contribuio sindical, pois esta ultima e devida obrigato-riamente ao sindicato devidamente registrado por ser um tipo de tributo e aquela devida em decorrncia do con-sentimento do profissional associado.

    EDIToRIal

    Somente a cidadania plena conduz democracia. No h outra forma de ser cidado que no seja

    atravs da educao ideolgica e poltica.Pragmatismo Poltico

    Nunca perca a f na humanidade, pois ela como um oceano. S porque existem algumas gotas de gua suja nele, no quer dizer que ele esteja sujo por completo.

    Ghandi

    A poltica em si no suja, so os maus polticos que a maculam ao se desviarem dos fins a que ela se prope,

    para em proveito prprio, se corromperem e corromperem a sociedade.Sebastio Barros Travassos

    Os nmeros no mentem, mas os mentirosos fabricam nmeros.

    Itamar Franco

    A exatos dezesseis dias do fim da corrida eleitoral, os candidatos aos cargos de prefeito e vereador da cidade de Itapo devero traar suas ltimas estratgias para angariar votos e conven-cer os eleitores indecisos a fim de chegarem ao objetivo principal, vencer a eleio e garantir uma vaga no poder Executivo e Legislativo.

    Com um cenrio nunca visto no municpio, iniciou o perodo eleitoral com quatro postulan-tes cadeira do Executivo, alm de 101 candi-datos (nmero registrado pelo TSE) disputando apenas nove vagas no Poder Legislativo. Esse nmero, descrito por algumas pessoas como demasiado, fez com que grande parte do elei-torado presenciasse at o momento um grande volume de propaganda e informaes.

    Devido a essa gama de opes, o que se per-cebe ao conversar com diversos eleitores Itapo-aenses que o sentimento, mesmo a menos de um ms do dia D, ainda o de indeciso. At aqueles eleitores que j se decidiram, veem nes-te ano um pleito diferente de todos os outros.

    Outro grande fator que torna a dvida dos eleitores ainda muito latente o fato de que desde o perodo pr-eleitoral at o presente mo-mento, somente uma pesquisa eleitoral por este meio de comunicao foi registrada.

    Nossa reportagem teve acesso a algumas pesquisas internas feitas por partidos, contudo,

    de acordo com a lei eleitoral vigente, somente podemos divulgar as pesquisas registradas jun-to ao TSE.

    A unio de todos esses fatos fez com que todos os candidatos do pleito ganhassem espe-ranas perante o eleitorado e, assim, tornassem a briga pela vitria, uma disputa cada vez mais acirrada.

    Muitos crticos polticos da cidade avaliam essa eleio como uma das mais incertas de toda a histria, pois acreditam que qualquer um dos candidatos pode conquistar o voto do elei-tor indeciso.

    Para os partidrios e fiis declarados, a elei-o est sendo disputada somente por um dos quatro candidatos, acreditando que o seu per-centual de votos lhe garante a vitria.

    Para apimentar ainda mais o pleito elei-toral deste ano, essa reta final guarda muitas surpresas a todos os candidatos, pois segundo tem constatado os eleitores, alguns candidatos a prefeit