Jornal Quilombo - 19ª edição

  • Published on
    22-Feb-2016

  • View
    224

  • Download
    8

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Jornal Quilombo - 19 edio

Transcript

<ul><li><p>A IMPORTNCIA DA SELEO FOCANDO A </p><p>HABILIDADE MATERNA</p><p>ww</p><p>w.q</p><p>uil</p><p>om</p><p>bo</p><p>.co</p><p>m.b</p><p>r</p><p>ANO 3 - N 19 / 2010</p><p>P E R D I Z E SQuilomboJ O R N A L</p><p>GENTICA </p><p>Foto</p><p>s: N</p><p>aur B</p><p>arbo</p><p>sa</p><p>Est chegando a hora. Anote a: 24 de julho.</p><p>PERMETRO ESCROTAL: Quanto maior mais produo.</p><p>Provado Quilombo...8 Leilo</p></li><li><p>QuilomboJ O R N A L02 QuilomboJ O R N A L 03</p><p>Trabalhando para melhorar a HABILIDADE MATERNA</p><p>O efeito materno est relacionado s diferenas na taxa de ganho do nascimento at o desmame, causadas pelas diferenas no ambiente materno fornecido pelas vacas no perodo que compreende a gestao e amamentao. Os efeitos maternos so considerados como efeitos ambientais que influenciam a prole e so determinados por fatores genticos e ambientais. A seleo para habilidade materna exige que se conhea influncia da vaca na expresso de caractersticas pr-desmama de seus filhos, pois estas sero utilizadas como critrios de seleo.</p><p>Caracterizao dos efeitos maternosObservando a formao do gentipo de um indivduo, </p><p>temse que a contribuio metade dos genes do pai e da me. Entretanto, a contribuio da me para o fentipo do seu filho se d no apenas pela transmisso de efeitos genticos, mas tambm por meio da expresso dos efeitos maternos, ou seja, fentipo da me para habilidade materna.</p><p>Enquanto, para a cria, a habilidade materna um efeito ambiental, para a me, um efeito gentico herdado dos pais, de maneira que a superioridade gentica de uma vaca para habilidade materna fruto de genes herdados de seus progenitores, pois ambos contriburam com 50% do seu valor gentico.A influncia materna fruto do gentipo da me e da ao ambiental que potencializa ou inibe a expresso deste gentipo. Outro aspecto dos efeitos maternos a expresso destes com uma gerao de intervalo entre a expresso da vaca e da prole e com duas geraes de intervalo entre o reprodutor e a filha. Tal fato dificulta o entendimento e mensurao dos efeitos maternos com vistas ao melhoramento gentico.</p><p>Os efeitos genticos diretos referem-se ao efeito gentico envolvido na expresso da caracterstica que est sendo medida (por exemplo, peso ao desmame), que oriunda do pai e da me em partes iguais.Os efeitos maternos genticos podem ser descritos como o efeito gentico relacionado com a expresso da habilidade materna, envolvendo o desenvolvimento pr e ps-parto e aspectos comportamentais, adaptao ao ambiente e de produo de leite.</p><p>A habilidade materna est relacionada com a produo de leite e com o cuidado da me com a cria. Ao selecionar-se para habilidade materna, se deseja identificar vacas que apresentem maior cuidado com a cria e que produzam maior quantidade de leite.Na maior parte das situaes, a habilidade materna medida, de forma indireta, ou seja, a partir do desempenho das crias no perodo pr-desmame, atravs do peso ao desmame, do ganho de peso do nascimento ao desmame, etc... Essa prtica pode tornar-se uma grande fonte de erros quando no se </p><p>entende que as medidas de caractersticas do perodo pr-desmame contm a expresso do potencial gentico do bezerro para ganhar peso e a expresso do potencial gentico da vaca para cuidar da cria e produzir leite. Considerando o exposto e as dificuldades de estabelecimento de uma caracterstica que trate exclusivamente da habilidade materna em bovinos, estabeleceu-se como critrios de seleo para habilidade materna, caracterstica de desempenho pr-desmame ou ndices de seleo que ponderem estas caractersticas. Ao observar as caractersticas de desempenho pr-desmame, teremos a expresso de 2 gentipos, o primeiro, do bezerro, chamado efeito gentico direto, representando o potencial gentico de crescimento do prprio animal e o segundo, da vaca, representando a habilidade materna, chamado de efeito gentico materno.O impacto dos efeitos genticos maternos sobre o peso ao desmame da cria, pode ser negativo ou positivo, pois, a habilidade materna, para o bezerro, um efeito ambiental que pode inibir ou permitir a expresso total do potencial de crescimento do animal no perodo pr-desmame. Filhos de vacas com habilidade materna superior tm maiores chances de apresentarem desempenho superior at o desmame, desde que tenham potencial gentico de crescimento. Dessa forma, se torna impossvel desassociar a seleo para habilidade materna da seleo para desempenho pr-desmame. Isto implica que estas caractersticas possuam associao gentica positiva, ou nula. Contudo encontram-se referncias a valores negativos para a correlao gentica entre os efeitos diretos e maternos em caractersticas pr-desmame. Um fator complicador a diferena de uma gerao na expresso dos efeitos diretos e maternos, pois o potencial para crescimento pr-desmame de um animal est confundido </p><p>com a habilidade materna de sua me, e no caso de fmeas a expresso da sua habilidade materna est vinculada expresso do potencial de crescimento de sua prole no perodo pr-desmame. Para a separao adequada dos efeitos genticos em diretos e maternos e dos efeitos maternos em gentico e ambiental, necessrio, um conjunto de dados contendo informaes de desempenho no perodo pr-desmame das mes, o maior nmero de informaes de filhos por vaca, e a maior quantidade de informaes a respeito do parentesco das fmeas em reproduo.</p><p>Estas informaes permitem a diferenciao das matrizes de relacionamentos dos efeitos genticos diretos, genticos maternos, permanentes de ambiente materno. </p><p>Selecionando a habilidade materna e suas implicaes</p><p>Em sistemas intensivos de produo de carne em que os animais so abatidos muito precocemente, o peso do animal ao desmame uma caracterstica de extrema importncia, em funo da participao relativa desta medida no peso final dos animais. Dessa forma, ao selecionar os reprodutores que geraro animais que sero submetidos a este sistema importante considerar os efeitos maternos, que influenciaro diretamente o desempenho pr-desmame e indiretamente no desempenho final dos animais.</p><p>Nas situaes em que o produto de comercializao o bezerro e que a remunerao diferenciada em funo da qualidade do produto, o ambiente materno apresenta importncia relativa elevada, pois est fortemente associado com o desempenho pr-desmame fator determinante na viabilidade e qualidade do bezerro. Nestas situaes os critrios de seleo devem conter caracteres relacionados com habilidade materna e desempenho pr-desmame.</p><p>Em sistemas de produo em que o perodo pr-desmame muito inferior ao perodo ps-desmame os efeitos maternos apresentam pequena influncia sobre o peso final, uma vez que o desempenho ps-desmame fracamente influenciado pelo ambiente materno. Nestas situaes entende-se que caractersticas relacionadas com desempenho ps-desmame tenham maior ponderao nos ndices de seleo, o que diminui a importncia dos efeitos maternos.</p><p>Considerando que a seleo para habilidade materna acarreta aumento do potencial gentico para produo de leite. muito provvel que haja incremento das exigncias nutricionais das vacas, o que implica no melhoramento das condies de alimentao destes animais, para que estas expressem a totalidade do seu potencial gentico.Considerando que o sistema de produo de bezerros de corte no Brasil predominante realizado em pastagens cultivadas ou nativas, necessrio que o processo de seleo considere esta realidade. Deve-se entender que a seleo para habilidade materna no est relacionada com altos nveis de produo de leite, mas com o suprimento das exigncias nutricionais do bezerro e a conseqente promoo de um ambiente que permita a expresso de todo o potencial gentico para crescimento, ou seja, no adianta focar o melhoramento desta caracterstica </p><p>se no fornecermos um ambiente em que as vacas tenham oportunidade de expressar sua qualidade gentica.</p><p>As especificidades dos efeitos maternos genticos e ambientais tornam a seleo para habilidade materna uma atividade que necessita de uma estrutura organizacional, que permita a coleta minuciosa das informaes de desempenho, dos efeitos ambientais e da genealogia dos indivduos.Para que a seleo para habilidade materna, baseada em caractersticas de desempenho no perodo pr-desmame, seja eficiente, necessrio a utilizao de ferramentas que calculem adequadamente os valores genticos maternos, bem como, os efeitos ambientais envolvidos na expresso destas caractersticas.</p><p>Para separao adequada dos efeitos maternos herdveis e no herdveis e a distino dos efeitos genticos diretos e maternos, necessrio que os arquivos de dados contenham informaes das caractersticas de desempenho pr-desmame medidas nas mes e filhos, seus parentes e respectivas prognies, alm do maior nmero possvel de vacas com mais de um filho, vacas que tenham netos e touros com filhas e netas avaliadas, o que permitir a utilizao de dados dos animais aparentados, a partir da estrutura criada pelos laos genticos existentes entre os parentes, aumentando a preciso das DEPs obtidas.</p><p>O sucesso da seleo de vacas com maior habilidade materna resulta na escolha de animais com elevado potencial para produo de leite, e possivelmente, mais exigentes quanto ao manejo nutricional e sanitrio, portanto temos que nos preocupar com o ambiente em que estamos selecionando nossos animais para que estes no tenham seu desempenho subutilizado ou at mesmo comprometido quando a forma de manejar os animais no so consideradas.</p><p>G E N T I C A</p></li><li><p>Convite</p><p>17 de Julho de 2010 - Sbado</p><p>A partir das 8 h - Fazenda Pe</p><p>rdizes</p><p>A Tortuga tem o prazer em c</p><p>onvid-los para o Dia de Cam</p><p>po na Fazenda </p><p>Perdizes. Esse encontro ser</p><p> a oportunidade para os pecu</p><p>aristas conhecerem </p><p>novas tcnicas e orientaes </p><p>de manejo, alm de estreitar</p><p>em o relacionamento.</p><p>8h - Recepo e caf da man</p><p>h </p><p>9h - Boas Vindas</p><p>Temas abordados nas palest</p><p>ras:</p><p>Desafios da Fazenda Per</p><p>dizes na intensificao de</p><p> manejo de gado de corte</p><p> para </p><p>obteno de ganhos de p</p><p>rodutividade </p><p>Ayrton Bnder e Lessandro de A</p><p>ndrade Dossi Tortuga</p><p>Sistema de melhoramento ge</p><p>ntico Quilombo, um exemp</p><p>lo de </p><p>eficincia e simplicidade</p><p>Luis Otvio Campos Embrap</p><p>a Gado de Corte Campo Gran</p><p>de</p><p>Estratgias para otimizar ga</p><p>nhos de produtividade utiliz</p><p>ando o </p><p>melhoramento gentico Quil</p><p>ombo </p><p>Frederico Martins Moreno F</p><p>azenda Quilombo/ Perdizes </p><p>Mostra dos animais do 8</p><p> Leilo Peso Provado Qu</p><p>ilombo - 24/07/10</p><p>12h - Almoo e encerramen</p><p>to</p><p>Esperamos por voc! - Co</p><p>nfirme sua presena: Gut</p><p>o (67) 9288-8800</p><p>Como chegar: saindo de Camp</p><p>o Grande sentido Trs Lagoas</p><p>+/- 23 km na linha do trem, vi</p><p>rar esquerda + 12 km -&gt; Faz</p><p>enda Perdizes.</p><p>Dia de Campo Fazenda</p><p> Perdizes</p><p>05QuilomboJ O R N A LQuilomboJ O R N A L04</p><p>Transmisso</p><p>(67) 3320-6161</p><p>Seleo para PERMETRO ESCROTAL resulta em ganhos de produtividade</p><p>Baixo desempenho reprodutivo o principal limitante de eficincia produtiva em rebanhos de bovinos de corte e, por isso, o foco em caractersticas reprodutivas nos objetivos de seleo so indispensveis para a otimizao da eficincia econmica do rebanho. </p><p>O Permetro Escrotal (PE) vem sendo utilizado como critrio de seleo, por ter correlaes genticas favorveis com caractersticas de smen, com idade puberdade em machos e fmeas. Alguns trabalhos cientficos sugeriram que os fatores hormonais responsveis pelo desenvolvimento testicular inicial nos machos so os mesmos que promovem o desenvolvimento ovariano inicial nas fmeas. BOURDON e BRINKS (1986) relacionaram as medidas de PE com a fertilidade inerente da fmea (genes para fertilidade). Vrios resultados da literatura, mostram que o PE apresenta alta herdabilidade (em mdia, 50%).</p><p> necessrio salientar que a maioria dos estudos no Brasil considera o PE medido aos 18 meses, enquanto em trabalhos estrangeiros a medida geralmente feita aos 12 meses (o Bos Taurus alcanaria a maturidade sexual antes que o Bos indicus), por isto devemos focar nossa seleo no permetro escrotal </p><p>aos 365 dias, buscando um alto desafio no melhoramento gentico do nelore. A facilidade da medida, alta herdabilidade e correlao gentica favorvel com as caractersticas reprodutivas da fmea aumentam a utilizao desta caracterstica em programas de seleo, visando o melhoramento da fertilidade do rebanho. Com relao s fmeas, h maior dificuldade de se determinarem caractersticas facilmente mensurveis que sejam geneticamente relacionadas com a fertilidade.Algumas caractersticas geralmente utilizadas so idade ao primeiro parto (IPP), intervalo de partos (IP), nmero de dias para o parto (DPP) e durao da gestao (DG). Fazendo o bsico para seleo de fertilidade se consegue resultados expressivos de ganho de produtividade. Com uma estao de monta rigorosa, aonde as fmeas que no conseguem seu objetivo principal, que ficar gestante, e se preocupando com a utilizao de touros que sejam realmente positivos para permetro escrotal, teremos grandes respostas a ganhos de produtividade. Buscar muitos tipos de caractersticas para seleo de fertilidade pode ser um erro de estratgia e reduzir os ganhos genticos na seleo de seu rebanho.</p></li><li><p>24 de julho de 2010Sbado - 12 horas</p><p>Horrio de Bras l ia</p><p>Recinto da Acrissul - Campo Grande - MS</p><p>8 Leilo</p><p>Transmisso</p><p>(67) 3320-6161</p><p>Catlogo disponvel no site:www.quilombo.com.br</p><p>150 Touros ProvadosTodos com DEPs Positivas</p><p>Apoio:Assessoria e informaes:</p><p> (67) 9288 8800</p><p>Leiloeira</p><p>(67) 3384 9077</p><p>Patrocnio:</p><p>07QuilomboJ O R N A LQuilomboJ O R N A L06</p><p>PR-CATLOGO - 8 LEILO PESO PROVADO QUILOMBOLOTE NOME RGN NASC. PAI ME PESO CE MGT - TOP MGT</p><p>1 DAIMON QUIL QUI 5669 03/04/2007 HELACO DA JAVA BABALU 18 TE QUIL 697 35 12,71 - 2%</p><p>2 DENDI TE QUIL QUI 5685 01/05/2007 HELACO DA JAVA ALCNFORA TE QUIL 823 37 12,65 - 2%</p><p>3 DEMOCRATA TE QUIL QUI 5689 01/05/2007 HELACO DA JAVA BILARA 21 PO DA NI 799 36 10,88 - 5%</p><p>4 DESCANTO TE QUIL QUI 5691 01/05/2007 BITELO DA SS VEREDA TE DE NAV 755 33 7,10 - 20%</p><p>5 DEPSITO TE QUIL QUI 5695 01/05/2007 BITELO DA SS VEREDA TE DE NAV 855 41 7,10 - 20%</p><p>6 DEMARCADOR TE QUIL QUI 5732 14/05/2007 BITELO DA SS SADAULA TE POI DO BR 759 36 7,00 - 20%</p><p>7 DESENHISTA TE QUIL QUI 5743 17/05/2007 1646 DA MN ZANDA DO BJ TE 715 34 11,50 - 4%</p><p>8 DESFILE TE QUIL QUI 5750 20/05/2007 HELACO DA JAVA BILARA 21 PO DA NI 763 36 10,88 - 5%</p><p>9 DEZEMBRO TE QUIL QUI 5760 21/05/2007 BASCO DA SM VHERA AL PAUL 809 32 3,81 - 40%</p><p>10 DIAMANTINO TE QUIL QUI 5762 21/05/2007 HELACO DA JAVA BILARA 21 PO DA NI 749 36 10,88 - 5%</p><p>11 DECORADO TE QUIL QUI 5769 27/05/2007 HELACO DA JAVA ZANDA DO BJ TE 801 42 13,14 - 2%</p><p>12 DECIFRADOR TE QUIL QUI 5783 01/06/2007 FAJARDO DA GB BRITNICA 1 TE QUIL 743 31 7,47 - 20%</p><p>13 DAIQUIRI TE QUIL QUI 5787 01/06/2007 BASCO DA SM VHERA AL PAUL 693 34 3,81 - 40%</p><p>14 DELATO TE QUIL QUI 5796 05/06/2007 BASCO DA SM ABERTA DA SJ 767 33 8,27 - 15%</p><p>15 DINNO TE QUIL QUI 5800 05/06/2007 TMA DE NAV MENSAGEIRA DA JAVA 761 33 7,79 - 15%</p><p>16 DEDUZIDO TE QUIL QUI 5814 10/06/2007 TMA DE NAV MENSAGEIRA DA JAVA 773 32 7,79 - 15%</p><p>17 DEFRONTE QUIL QUI 5815 10/06/2007 OTON TE DA QUIL OMAGRA 1 TE QUILOMBO 755 34 2,32 - 60%</p><p>18 DADO TE QUIL QUI 5817 11/06/2007 TMA DE NAV BILARA 21 PO DA NI 741 31 5,90 - 25%</p><p>19 DECTOR TE QUIL QUI 5818 11/06/2007 HELACO DA JAVA EXPRESSO DE RAZES 771 38 11,35 - 4%</p><p>20 DATILO TE QUIL QUI 5819 13/06/2007 HELACO DA JAVA JIA TERRA BOA 785 34 1...</p></li></ul>