Manual Escort Xr3

  • Published on
    08-Jul-2015

  • View
    1.206

  • Download
    0

Embed Size (px)

Transcript

CHTMOTOR

ApresentaoA presente apostila um complemento ao curso de motores a gasolina e lcool, e tem por finalidade auxiliar no estudo da matria referente aos motores CHT, e proporcionar ao mecnico uma fonte de consultas para a soluo de problemas que venham a surgir no desempenho de sua especialidade. Foi elaborada com base na sequncia do programa de Treinamento de Servio, e os assuntos aqui tratados foram redigidos visando uma perfeita assimilao da matria. Desta forma, sua redao simples, a fim de possibilitar uma rpida compreenso e posterior aplicao prtica. Os (Associao termos tcnicos de Normas usados so e os aprovados pela ABNT os

Brasileira

Tcnicas)

objetivam

familiarizar

mecnicos nomenclatura oficial.

Nota: As especificaes contidas na presente publicao esto sujeitas a alterao, sem prvio aviso; Para efeito de ervio, devem ser consultadas as especificaes

constantes no respectivo Manual de Servio e/ou Boletins de Servio.

Depto. De Treinamento e Publicaes

Edio 08/87 Revisado em 09/2009 (Antonio M. Rodrigues)

PrlogoEste pequeno trabalho de redigitao e reviso dedicado a todos os fs, usurios e proprietrios de veculos equipados com motores CHT, que tem no manual original uma fonte de consulta para os momentos de necessidade. Algumas corrigidas, e das ilustraes trocadas foram por melhoradas, de outras foram

algumas

foram

imagens

melhor

resoluo,

atualizadas e coloridas. Com o decorre do tempo, mais informaes sero includas e este material tornar-se- uma referncia ainda mais completa para os aficionados por carro. Em meu pouco conhecimento em portugus, busquei melhorar e

atualizar as colocaes dos autores, trazendo para os dias atuais, algumas frases e expresses comuns da dcada de 80. Boa leitura a todos.

Antonio M. Rodrigues Nick EscortClube: antoniomr-mt Escort L, 1994 Motor CHT 1.6 lcool Vermelho Windsor

Sumrio1. 2. 3.3.1. 3.2. 3.3. 3.4.

Descrio Localizao de Falhas Verificaes e AjustesNvel do leo Presso do leo Presso de Compresso Vazamentos dos Cilindros 3.4.1. 3.4.2. 3.4.3. 3.5. 3.6. 3.7. 3.8. 3.9. 3.10. 3.11. 3.12. 3.13. 3.14. 3.15. Preparao do Motor Calibragem do Analisador Procedimento de Anlise

01 03 0808 08 08 10 11 11 12 13 14 14 14 15 16 17 17 18 19 20 20 21 21 22

Alamento do Tucho Presso da Mola das Vlvulas Excentricidade dos Assentos das Vlvulas Largura dos Assentos das Vlvulas Empenamento do Cabeote Altura das Camisas em Relao ao Bloco Folga Longitudinal da rvore do Comando de Vlvulas Desvio Lateral da Face do Volante rvore de Manivelas Folga Longitudinal da rvore de Manivelas Folga dos Casquilhos Principais Motor no Banco de Servio Motor no Chassi Casquilhos dos Munhes (Mancais Principais) Seleo dos Casquilhos dos Moentes

3.15.1. 3.15.2. 3.15.3. 3.15.4.

4.4.1.

Remoo e InstalaoMotor e Transmisso 4.1.1. 4.1.2. 4.2. Remoo Instalao

2323 23 27 30 30 31 31 31 32

Vedador Dianteiro da rvore de Manivelas 4.2.1. 4.2.2. Remoo Instalao

4.3.

Coxim dos Suportes Dianteiro e Traseiro do Conjunto Motor/Transmisso 4.3.1. 4.3.2. Remoo Instalao

5.5.1.

Desmontagem e MontagemMotor 5.1.1. 5.2. Desmontagem

3333 33 38 38 38 39 42 42

Cabeote 5.2.1. 5.2.2. 5.2.3. 5.2.4. Identificao Desmontagem Substituio de uma Guia de Vlvula Montagem

5.3.

Bomba de leo

5.3.1. 5.3.2. 5.4.

Desmontagem Montagem

42 43 43 44 45 47 47

Conjunto Camisa-mbolo-Biela 5.4.1. 5.4.2. Desmontagem Montagem

5.5.

Motor 5.5.1. Montagem

6.6.1. 6.2.

Sistema de ArrefecimentoDescrio Localizao de Falhas 6.2.1. Testes Presso do Sistema de Arrefecimento Vlvula Termosttica

5858 60 60 60 61 62 62 63 64 64 64 64 65 66 66 67 68 68 69 69 69 70 71 71 72

6.2.1.1. 6.2.1.2. 6.3.

Verificao e Ajustes 6.3.1. 6.3.2. 6.3.3. Drenagem do Sistema Reabastecimento do Sistema Limpeza do Sistema

6.4.

Remoo e Instalao 6.4.1. Motor do Ventilador Remoo Instalao

6.4.1.1. 6.4.1.2. 6.4.2.

Radiador Remoo Instalao

6.4.2.1. 6.4.2.2. 6.4.3.

Reservatrio de Expanso Remoo Instalao

6.4.3.1. 6.4.3.2. 6.4.4.

Bomba D'gua Remoo Instalao

6.4.4.1. 6.4.4.2. 6.4.5.

Vlvula Termosttica Remoo Instalao

6.4.5.1. 6.4.5.2.

Especificaes

74

1 DescrioOs motores 1.6 e 1.3 l so de cilindros dispostos em linha, de camisas unidas removveis e rvore de manivelas apoiada em mancais lubrificados a presso atravs de uma bomba de engrenagens, o que assegura um funcionamento silencioso e livre de vibraes, forando a lubrificao atravs de um filtro de fluxo total para as galerias do sistema de lubrificao. O sistema de camisas removveis proporciona extrema facilidade de reparo, garantindo vida praticamente ilimitada ao bloco, que no est sujeito a desgastes. O contato direto com o lquido de arrefecimento, torna a a refrigerao dos cilindros altamente eficiente. O cabeote de liga especial de alumnio, extremamente leve e resistente, incorpora vlvulas e respectivo mecanismo de acionamento (eixo dos balancins e hastes do comando de vlvulas).

Corte Vertical Lado do Volante Figura 01 Motor CHT

Frente Lado da Distribuio

A rvore do comando de vlvulas, alojada no bloco, acionada por corrente, provida de esticador hidrulico. A fixao do conjunto motor/transmisso feita por um suporte, ligado a a saia do para-lama direito, e fixado ao bloco do motor por parafusos, e por dois suporte ligados um parte dianteira e outro traseira da transmisso, fixados ao monobloco por meio de parafusos. A fixao do suporte do motor saia do para-lama direito feita por um 1

prisioneiro e porca, que fixa a uma aba existente na saia do para-lama. Os motores a lcool possuem algumas peculiaridades em relao ao motor a gasolina, a fim de adequ-los ao tipo de combustvel usado. Seus mbolos, de Alguns de desenho especial, componente aumentam a taxa de compresso do para motor. a seus possuem tratamento especial aumentar

resistncia a corroso. Os veculos XR3 so equipados como motor 1.6 l a lcool, de alto desempenho, o qual passar a ser identificado pela palavra Frmula.

2

2 Localizao de FalhasO funcionamento irregular de um motor pode ser atribudo a necessidade de uma regulagem completa, desgaste normal das peas componentes, ou, uma falha repentina em alguma dessas peas. Um diagnstico completo indicar a necessidade de uma regulagem completa do motor, ajustes individuais, substituio, ou reparo de peas e partes, ou se um recondicionamento completo do motor se faz necessrio. As cinco etapas para a obteno de um bom funcionamento do motor so: Certificar-se de que a falha apontada realmente existe. Determinar, se possvel, se foi efetuado, recentemente, algum reparo que possa ter ocasionado a falha; Investigar a prprio motor; Isolar a causa no sistema; Corrigir a falha; Antes de concluir que a falha fora corrigida, deve-se testar o causa da falha, at localiz-la em um dos sistemas seguintes: ignio, alimentao, arrefecimento, escapamento, ou no

veculo na estrada. As declaraes relativas ao funcionamento do motor, geralmente, correspondem a alguns dos seguinte itens: o motor no gira ao ser acionada a partida; o motor gira normalmente, mas, no funciona; o motor funciona, mas, para; o motor funciona, mas falha; marcha lenta irregular; acelerao deficiente; o motor no desenvolve toda a sua potncia, ou seu funcionamento em alta rotao deficiente; consumo excessivo de combustvel; o motor superaquece; o motor no atinge a temperatura normal de funcionamento. 3

Tabela de Localizao de Falhas Falha Causa Provvel

O motor no gira Geralmente, a causa desta falha se encontra no sistema durante a partida. de partida: se o mesmo no estiver defeituoso, verificar se entrada de gua nos cilindros, ou se o motor est travado. Tirar as velas e, em seguida, tentar fazer girar o motor, com o motor de partida. Caso gire, sinal de penetrao de gua nos cilindros. Retirar o cabeote e inspecionar a junta e o cabeote quanto a trincas; verificar, tambm, o bloco do motor quanto a trincas. O motor gira Examinar o abastecimento de combustvel do sistema de normalmente, mas, partida a frio (somente motor a lcool). Havendo no funciona. combustvel suficiente, a causa da falha, provavelmente, se encontra no sistema de ignio, ou no de alimentao. Para isolar a causa, tirar o cabo de uma vela e inserir, no isolador do cabo, um prolongamento de tamanho adequado, de maneira que este sobressaia do isolador. Com a chave de ignio ligada e o motor de partida fazendo girar o motor, manter o extremo do prolongamento aproximadamente a 5 mm do bloco. Nos sistemas com ignio transistorizada indispensvel que as verificaes sejam efetuadas com bastante cuidado, e de acordo com os procedimentos recomendados, a fim de evitar o risco de descargas violentas e danificao do sistema. No havendo fasca, ou se a fasca estiver fraca, a causa da falha encontra-se no sistema de ignio. Se a fasca for boa, examinar as velas: se as mesmas no estiverem defeituosas, examinar o sistema de alimentao. Se o sistema de alimentao no estiver defeituoso, examinar a regulagem das vlvulas. O motor funciona, Se o motor funciona alguns segundos, e em seguida para, mas para. examinar: sistema de alimentao; sistema de ignio; velas. O motor funciona, Determinar primeiramente se a falha constante, ou mas falha. peridica, e a que rotao ocorre, fazendo o motor funcionar, sob carga, a diversas rotaes. Falha constante em Isolar a falha fazendo o motor funcionar, e desligar um todas as fotaes. cabo de vela por vez, at que hajam sido examinados todos os cilindros. Ligar o cabo da vela que se desligou, a massa: se a rotao do motor variar, ao ser feito curto-circuito, este cilindro est sem problemas; se no houve