Monografia Vanicleide Pedagogia 2010

  • Published on
    06-Jun-2015

  • View
    2.331

  • Download
    5

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Pedagogia 2010

Transcript

<ul><li> 1. UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIADEPARTAMENTO DE EDUCAO CAMPUS VII SENHOR DO BONFIMVANICLEIDE RIBEIRO SALES MACHADOA LITERATURA INFANTIL COMO MEDIAO DO LETRAMENTO EM CLASES DE EDUCAO INFANTILSENHOR DO BONFIM2010</li></ul><p> 2. VANICLEIDE RIBEIRO SALES MACHADOA LITERATURA INFANTIL COMO MEDIAO DO LETRAMENTO EM CLASES DE EDUCAO INFANTILTrabalho de concluso de curso apresentado aoDepartamento de Educao Campus VII daUNEB Universidade do Estado da Bahia, comoexigncia da disciplina Monografia, Componentecurricular do curso de Pedagogia com habilitaoem Docncia e Gesto de Processos Educativos.Orientador: Prof. Pascoal Eron dos Santos Souza SENHOR DO BONFIM-BA2010 3. VANICLEIDE RIBEIRO SALES MACHADO A LITERATURA INFANTIL COMO MEDIAO DO LETRAMENTO EM CLASES DE EDUCAO INFANTILAprovada em ________ de __________________ de 2010Orientador: ______________________________________________ Prof. Pascoal Eron dos Santos de SouzaAvaliador(a): _____________________________________________Avaliador(a): _____________________________________________ 4. Dedico este trabalho aos meus trs amores:minha me Rita, meu filho Jnior e meu esposoCarlos Csar. A vocs que no decorrer destecurso me deram foras pra lutar e conquistaresta vitria. Este ttulo de vocs tambm!Obrigada pelo apoio, carinho, dedicao, ecertamente a pacincia que tiveram comigo. 5. AGRADECIMENTOSA Deus pela Sua misericrdia, graa e luz. A Ele seja toda honra, glria e louvor,Sua promessa se cumpriu em minha vida. Deus fiel!A mulher mais determinada, guerreira, bondosa e generosa que j conheci, minhaquerida me, que tudo fez pra que esse momento chegasse, chorou, sorriu, sepreocupou e, finalmente vibrou com esta conquista. Voc sempre ser minhainspirao.Ao meu filho Jnior, pelo apoio, pela compreenso da minha ausncia, e pelasnoites em que me esperava voltar da UNEB. Este ttulo tambm seu filho.Ao meu esposo, pela pacincia, pelas palavras de incentivo nos momentos difceis,negona eu confio em seu potencial, vai dar tudo certo, e por ter que tolerar asaudade por conta da distncia; Salvador/Filadlfia.Aos meus familiares (irmos/irms) que muito se orgulharam quando recebi oresultado do vestibular, em especial a Leck, Wagner e Valdivnia.A Amiga/irm Poliana, minha companheira, jamais esquecerei tudo o quepassamos juntas, oraes, lgrimas, alegrias, medos, conselhos, broncas. Enfim,voc me ensinou muita coisa. Obrigada por sua amizade.Aos professores do Campus VII, em especial ao Pascoal por me orientar e SuzzanaAlice que muito se empenhou pelos Adventistas do 7 Dia durante o curso.Ao amigo Pr. Erivaldo que colaborou na construo deste trabalho. Valeu!Aos funcionrios da biblioteca, especialmente a Maria, vou sentir saudades.A todos que me ajudaram direta e indiretamente, meu muito obrigada!!! 6. RESUMOO presente trabalho discute o uso da Literatura Infantil como elemento mediador doprocesso de ensino-aprendizagem no contexto da Educao Infantil, refletindosobretudo na importncia dessa mediao no letramento dos educandos. Os relatostem base em pesquisa de natureza qualitativa realizada com professoras da CrecheMe Ded na cidade de Filadlfia. Foram utilizados como instrumentos de coleta:questionrios fechados e entrevistas semi-estruturadas cujos dados foramanalisados aps selecionados e agrupados. a discusso terica d-se com base emdiversos autores, entre eles: Soares (2003, 2004), Abramovich (1997), Coelho(2000), Aries (1978), kramer (2002), Bettelheim(2002) Zilberman (1993), KuhlmannJr. (1998), Kishimoto (2002) e Fazenda (1991). Os principais resultados encontradosso: o reconhecimento da Literatura Infantil como excelente instrumento mediadorda aprendizagem, Tornando-se fundamental para produzir elementos simblicoscapazes de serem compreendidos e assimilados na dimenso cognitiva infantil; avariedade de formas de utilizao da literatura infantil na sala de aula que podem serconjugadas com outros elementos como a dramatizao, a musicalidade e,principalmente a ludicidade, bem como a propriedade dos sujeitos em refletir ediscutir a respeito da Literatura infantil.Palavras chave: Educao Infantil. Literatura Infantil. Letramento. Funo doProfessor. 7. LISTA DE FIGURASFigura 1 Idade dos Sujeitos ............................................................................... 35Figura 2 Distribuio por turmas ....................................................................... 36Figura 3 Nvel de formao dos sujeitos ............................................................ 38Figura 4 Tempo de experincia na Educao Infantil ........................................ 39Figura 5 Jornada de trabalho ............................................................................. 40Figura 6 Razo para atuar na Educao Infantil ................................................ 41Figura 7 Formao continuada ..........................................................................43Figura 8 Freqncia do uso da literatura infantil ............................................... 45 8. SUMRIOINTRODUO ......................................................................................................... 09CAPTULO I ............................................................................................................. 11 1. A EDUCAO INFANTIL .............................................................................. 111.1.A Literatura Infantil na Educao Infantil ........................................... 14CAPTULO II .............................................................................................................18FUNDAMENTAO TERICA ................................................................................18 2.1. A Educao Infantil ............................................................................ 18 2.2. A Funo do/a professor/a da Educao Infantil ................................ 212.3.Literatura Infantil ................................................................................. 25 2.4. O Processo de Letramento.................................................................. 28CAPTULO III ........................................................................................................... 303. PROCEDIMENTOS METODOLGICOS .......................................................... 30 3.1. Lcus....................................................................................................31 3.2. Sujeitos da pesquisa............................................................................ 32 3.3. Instrumentos de coleta de dados:........................................................ 333.3.1. Questionrio.............................................................................. 33 3.3.2. Entrevista semi-estruturada....................................................... 33 3.4.Anlise dos dados................................................................................ 33CAPTULO IV ........................................................................................................... 354. INTERPRETAO DOS RESULTADOS .......................................................... 35 4.1. O perfil dos sujeitos ............................................................................. 35 4.2. Formao dos docentes ...................................................................... 38 4.3. Jornada de trabalho ............................................................................ 394.4. Afinidade com a Funo ..................................................................... 41 4.5. Concepo dos sujeitos ...................................................................... 43 4.6. Literatura e Letramento ....................................................................... 444.7. 4.3. A experincia dos sujeitos com o uso da literatura infantil ......... 46CONSIDERAES FINAIS .................................................................................... 49REFERNCIAS ........................................................................................................ 51 9. APNDICESINTRODUOMuitas tm sido as mudanas ocorridas na educao brasileira nesses ltimostempos: mudanas na legislao, na nomenclatura das modalidades educacionais,nas concepes tericas relacionadas a diversas reas e aspectos da educao,mudanas nas formas de financiamento, nos processos de gesto, nas formas ecritrios de avaliao.Certamente tantas mudanas visam a melhoria na qualidade do ensino, objetivam asuperao de deficincias e problemas que se constituem entraves no processoeducacional. Entretanto, em muitos aspectos ainda perceptvel a necessidade desuperao. Um deles no que diz respeito s metodologias.Busca-se alternativas metodolgicas que tornem o processo educativo, ao mesmotempo, eficiente e prazeroso. Que no negue o direto do educando, sobretudo doeducando infantil, de aprender e ainda assim vivenciar a sua infncia. nessecenrio que a Literatura Infantil se apresenta e precisa ser reconhecida peloseducadores, e sua utilidade vem se constituir em resposta alternativa aos anseios demudana sentidos por docentes e discentes e que, talvez por falta de reflexo no atm percebido.A proposta deste trabalho discutir o uso da Literatura Infantil no processo deletramento de crianas da primeira fase da educao formal a partir de reflexes queaqui se apresentam na seguinte ordem:Captulo I, problematizao do tema, abordando a importncia de a docncia dasclasses de Educao Infantil utilizarem a Literatura Infantil como ferramenta na 10. mediao do processo de ensino/aprendizagem, compreendendo o efeito que estaatividade pode trazer para a formao dos indivduos.Captulo II, abordagem terica dos conceitos chave que fundamentam esta temtica,com base em diversos trabalhos e autores que permitiram o aprofundamento dasreflexes sobre a Literatura Infantil, o letramento e a Educao Infantil.Captulo III, conceitos terico metodolgicos que serviram de base fundamental paraa realizao pesquisa, sobretudo em sua fase de captao e anlise de dados.Captulo IV, anlise dos resultados obtidos na pesquisa de campo articulada com osconceitos tericos estudados.O trabalho concludo com as consideraes tecidas em trono doas observaesresultantes tanto das reflexes tericas como da realidade constatada na pesquisade campo. 11. 11CAPTULO I 1. A EDUCAO INFANTILA educao um processo que comea com o contato entre indivduos da prpriafamlia assistematicamente, e como processo formal, toma diferentes dimenses deacordo com o momento poltico e histrico em que os sujeitos situam-se. Issotambm ocorre no processo de alfabetizao infantil medida em que os cenriosscio-polticos e econmicos tomam novas dimenses so necessrias mudanas eum novo olhar geralmente congruentes com o momento histrico no qual seencontra.Ao analisarmos a histria da Educao Infantil percebemos que ela recente,surgindo com a sociedade capitalista a partir do processo de industrializao, sendodesenvolvida na dcada de 1930, com a funo de guarda da criana, enquanto ospais trabalhavam para garantir uma subsistncia, com a viso meramenteassistencialista e sanitria, sem se preocupar com a funo pedaggica.Contrapondo essa concepo, Fazenda (1991, p.16) afirma que a funo daEducao Infantil caminhar com a criana, respeitando suas limitaes eexplorando seu potencial. Para tanto, h necessidade de conhecer por ondecaminhar e qual o ponto que se pretende chegar.Percebe-se ento que a postura do professor imprescindvel para que hajamudanas neste sentido. De acordo com os Parmetros Curriculares Nacionais Brasil (1997), o papel do professor e da escola formar alunos crticos habituadoscom a leitura, isso atravs do incentivo leitura diria e de um contato com todos ostipos de textos.Nas dcadas de 30 e 40 Decroly e Montessori tinham propostas1 que objetivavam o________________________________1. Estas propostas tiveram origem com o objetivo de atender s crianas de camadas ou gruposdesprivilegiados como: rfo de guerras e crianas com deficincia. 12. 12atendimento pedaggico para crianas advindas das camadas mais empobrecidas,no entanto, foram aperfeioadas e adequadas por profissionais que trabalhavamcom crianas da classe rica, deixando para as crianas de famlias pobres apenasum atendimento assistencialista, permitindo que as mes pudessem trabalhar fora,suprindo dessa maneira a necessidade do mercado de trabalho. Assim, as crianasadvindas da classe dominante obtinham um atendimento diferenciado, voltado paraum tipo de educao que contemplasse domnios cognitivos e afetivos. Oliveira(2001) confirma esta informao supracitada dizendo:Assim, enquanto os filhos das camadas mdias e dominantes eram vistoscomo necessitando de um atendimento estimulador de seu desenvolvimentoafetivo e cognitivo, s crianas mais pobres era proposto um cuidado maisvoltado para a satisfao de necessidades de guarda e higiene. (p.17).Nesse contexto, percebe-se a necessidade de oferecer uma educao para crianasde 0 a 6 anos que v alm do simples ato de cuidar visando somente o higienizare alimentar como uma funo maternal e, busque uma prtica pedaggica quebeneficie o desenvolvimento dessas crianas e a aquisio de conhecimento para avida em sociedade. Sobre esse aspecto Kramer (2002) afirma:Afim de que essa funo se efetive na prtica, o trabalho pedaggicoprecisa se orientar por uma viso das crianas como seres sociais,indivduos que vivem em sociedade, cidads e cidados. Isso exige quelevemos em considerao suas diferentes caractersticas, no s em termosde histrias de vida ou de regio geogrfica, mas tambm de classe social,etnia e sexo. (p.19).Para atender ao seu objetivo, a Educao Infantil deve ser oferecida emcomplementao a ao da famlia, proporcionando condies adequadas dedesenvolvimento fsico, emocional, cognitivo e social da criana e promovendo aampliao de suas experincias e conhecimentos, estimulando seu interesse peloprocesso de transformao da natureza e pela convivncia em sociedade. A respeitodeste contexto, Hoffman (2002) afirma que: 13. 13 Isso pode ocorrer nas instituies de Educao Infantil que se constituem, por excelncia, em espao de socializao, pois propiciam o contato e o confronto com os adultos e crianas de vrias origens socioculturais, de diferentes religies, etnias, costumes, hbitos e valores, fazendo dessa diversidade um campo privilegiado da experincia educativa. (p.16-17).Portanto, no espao da Educao Infantil, a escola deve oportunizar-lhe umambiente fsico e social onde se sinta acolhida e segura para enfrentar desafios; medida que tais desafios se ampliam, possibilitam-lhe aumentar o conhecimento desi mesma, dos outros e do meio em que vive ao mesmo tempo em que contribuempara o desenvolvimento de habilidades essenciais, como: autonomia, criatividade,expressividade e solidariedade.No processo de ensino-aprendizagem da Educao Infantil o professor defundamental importncia. Pois, cabe-lhe a responsabilidade de apropriar-se de umpreparo pedaggico que atenda s necessidades dessa modalidade educativa. Eleprocura desenvolver uma atitude reflexiva sobre a sua prtica de modo que esta sejacontextualizada e a...</p>