Newsletter Ação Pólis - Fevereiro 2015

  • Published on
    07-Apr-2016

  • View
    213

  • Download
    1

Embed Size (px)

DESCRIPTION

 

Transcript

<ul><li><p>NEWSLETTER N 2/2015 </p><p>FEVEREIRO 2015 </p><p>O que fizemos: </p><p> V Noites na Plis </p><p> Workshop Introduo cozi-</p><p>nha Vegana </p><p> Inaugurao Flash me </p><p>+ Plis </p><p> Comeou a maior feira de frutas e legumes do Mundo, </p><p>em Berlime Portugal o </p><p>pas parceiro convidado </p><p> Governo incentiva instala-</p><p>o de empresas no interior </p><p> Agricultores com seguros de colheiras tero prioridade </p><p>nos apoios do PDR 2020 </p><p> Linhas de Financiamento </p><p>Abertas </p><p>Em breve na Ao Plis... </p><p> Cursos de Formao Certifica-</p><p>da </p><p>ndice </p><p>O que fizemos 2 </p><p>+ Plis 5 </p><p>Em breve 11 </p><p>Nota CEO Ao Plis </p><p>Caros/as seguidores/as, </p><p> Fevereiro comeou com boas notcias. A equipa da Ao Plis ser reforada, em breve, com uma jovem </p><p>mulher com formao em Secretariado. Este o nosso con-</p><p>tributo para o emprego jovem no concelho do interior o n d e t e m o s s e d e - M a n g u a l d e . </p><p> A nossa aposta na capacitao e empoderamento </p><p>da nossa comunidade foi potenciada com uma nova parce-</p><p>ria. Em conjunto com o Gabinete ABC - Traduo, Forma-</p><p>o e Eventos, uma slida e experiente empresa de Viseu, </p><p>propomos s/aos nossas/os seguidoras/es cursos de for-</p><p>mao certificada pela DGERT em Comunicao Empresa-</p><p>rial e Lnguas. Com preos atrativos e formadoras/es de </p><p>qualidade, esperamos poder contribuir para que todas/os </p><p>possam ter acesso a novas oportunidades de formao e </p><p>aprendizagem ao longo da vida. Consulte nes-</p><p>ta newsletter as datas e condies de participao. </p><p> Continuamos atentas ao desenvolvimento do Portu-</p><p>gal 2020 e a responder s solicitaes de clientes e inte-ressadas/os em oportunidades de financiamento, quer no </p><p>mbito deste programa quer de outros financiamentos </p><p>nacionais e internacionais. O rigor, a honestidade e a ade-</p><p>quao dos projetos capacidade da organizao candi-</p><p>data faz de ns uma empresa responsvel no mercado na </p><p>prestao de servios de consultoria a empresas, organi-</p><p>zaes no governamentais/IPSS e ao sector pblico/</p><p>Poder Local. Conhea nesta newsletter que linhas esto </p><p>abertas e quem e at quando se pode candidatar. </p><p> Fevereiro isto - mais um ms de Ao Plis, a </p><p>manter presente e cada vez mais visvel esta jovem </p><p>empresa do interior que pretende agir na comunidade. </p><p>Obrigada por nos continuar a seguir, </p><p> Silvia Vermelho (CEO Ao Plis) </p></li><li><p>Frederico Lucas, autor do projeto Novos Povoa-dores, foi o convidado da 5 Tertlia Noites na Plis que se realizou no passado dia 17 de Janeiro, pelas 21h30, em Mangualde, na Pape-laria Livraria Adrio, parceiro de organizao da promotora Ao Plis. Contamos assim com o apoio de todos/as para que o meio local no fique esquecido sendo que a Ao Plis conti-nua e continuar a agir na comunidade, nomea-damente a local. </p><p>V Noites na Plis Repovoamento de Territrios </p><p>Rurais </p><p>Pgina 2 O que fizemos ... </p><p>NEWSLETTER N 2/2015 </p><p> FEVEREIRO 2015 </p><p>Sob o tema Repovoamento de Territ-rios Rurais, Frederico Lucas refletiu sobre a motivao dos autores na fun-dao do projeto que pretende apoiar famlias metropolitanas a estabelece-rem-se em territrios rurais. So os membros destas famlias os Novos Povoadores do projeto de Frederico Lucas, ele mesmo um novo povoa-dor, tendo mudado a sua residncia de Grande Lisboa para Trancoso. </p></li><li><p> A Ao Plis aproveitou a poca festiva </p><p>para sair rua e, nos ltimos dias de </p><p>Dezembro, saiu rua nas cidades de </p><p>Mangualde e Viseu, recolhendo suges-</p><p>tes de temas para as prximas Noites na </p><p>Plis para 2015, mantendo, assim, o </p><p>carcter participativo da organizao des-</p><p>te projeto que realizado ao abrigo da Responsabilidade Social das Empresas. </p><p>A prxima tertlia realizar-se- em Maro e a data e o tema sero divulgados aqui, no site oficial da Ao Plis. </p><p>V Noites na Plis Repovoamento de Territrios Rurais </p><p>Pgina 3 O que fizemos ... </p><p>NEWSLETTER N 2/2015 </p><p> FEVEREIRO 2015 </p><p>Foi assim o regresso do pro-jeto Noites na Plis, em 2015, depois de, em Novembro, este evento no se ter realizado devido realizao do Seminrio Empoderar comunidades, desenvolver regies Viseu Do Lafes na Europa, tambm promovido pela Ao Plis. </p></li><li><p>NEWSLETTER N 2/2015 </p><p> FEVEREIRO 2015 </p><p>Pgina 4 O que fizemos ... </p><p> Decorreu, no passado dia 24 de Janeiro, o Workshop "Introduo Cozinha Vega-na", facilitado por Nuno Pinto Almeida. A sesso, de duas horas, contou com uma componente terica e uma componente prtica. A primeira consistiu numa exposio sobre os conceitos de vegetarianismo, veganis-mo e especismo, relacionando este ltimo com os fundamentos ticos da cozinha Vegana. Na parte prtica, a preparao simples de algumas iguarias foi demonstrada in loco e outras foram dadas a provar s participantes. Depois de terem aprendido a fazer leite de amndoa, deliciado com humus caseiro e aquecido com um ch de gengibre, o facilitador deu por encerrado o workshop com a prova de uma tarte de baunilha vegana, que fez as delcias das participantes. </p><p>Workshop Introduo Cozinha Vegana </p></li><li><p>NEWSLETTER N 2/2015 </p><p> FEVEREIRO 2015 </p><p>Pgina 5 O que fizemos ... </p><p>A Ao Plis esteve presente na Inaugurao do estabeleci-mento da empresa Flash meImagem em Cena, no passado dia 24 de Janeiro, pelas 15h. </p><p> com orgulho que vemos nascer este projeto empreendedor de duas jovens profissionais de Mangualde, prestando servios de produo fotogrfica e cine-matogrfica. </p><p>Cliente e parceira da Ao Plis, a Flash Me j colaborou connosco previamente. Veja o fruto do seu trabalho na cobertura do evento "Empoderar comunidades, desenvolver regies - Viseu Do Lafes na Europa", no passado dia 15 de Novembro, em Mangualde: Facebook, Flickr e Youtube. </p><p>Fonte (fotografias): Facebook Flash Me </p><p>Inaugurao Flash Me </p></li><li><p> A Portugal Fresh, associa-o nacional para a promo-o das frutas, legumes e flores, de Portugal, respon-svel pela participao por-tuguesa, colocou em mar-c h a u m p l a n o </p><p>de marketing desde o passado dia 29 de Janeiro at ao prximo dia 7 de fevereiro, a fim de Portu-gal conseguir a notoriedade necessria que permita alavancar as exportaes portuguesas. </p><p>Entre 2010 e 2013 as exporta-es de frutas, legumes e flores cresceram 28%. Em 2014, at Novembro, comparando com o perodo homlogo do ano ante-rior as exportaes cresceram mais de 10% e j passaram os 1.000 milhes de euros. Participam neste evento, debai-xo da marca Portugal Fresh, 44 empresas portuguesas, num stand que ocupa cerca de 600m2 num dos principais pavilhes da MESSE Berlim. no Hall 5.2 que Portugal mos-trar ao mundo a excelncia e diferenciao dos produtos por-tugueses. Estima-se a visita de mais de 65.000 visitantes profissionais de 140 pases e h 2.600 exposito-res de 84 pases. </p><p>Comeou a maior feira de frutas e legumes do </p><p>Mundoe Portugal o Pas parceiro convidado! </p><p>Pgina 6 </p><p>NEWSLETTER N 2/2015 </p><p> FEVEREIRO 2015 </p><p> + Plis </p><p>Portugal lutar pelo ttulo mundial da diferenciao conferida pela cor, sabor e aroma dos seus produtos. Esta diferena est bem espelhada na frase descritiva da campanha em que o sabor da brisa Atlntica (Atlantic Breeze Taste) posiciona como quere-mos ser distinguidos e percecionados. O plano estratgico de promoo, ini-ciado em Berlim, tem o objetivo de ajudar as exportaes portuguesas a atingirem os 2.000 milhes de euros em 2020. </p><p>O Governo de Portugal, que se envolveu desde o incio da candidatu-ra a pas par-ceiro, e habitual presena na Fruit Logistica, estar representado, ao mais alto nvel, pelo Vice-Primeiro Ministro, Paulo Portas, a Minis-tra da Agricultura e do Mar, Assuno Cristas, o Secretrio de Estado da Alimentao e Investigao Agroalimentar, Nuno Vieira Bri-to, e o Embaixador de Portugal na Alemanha, Lus de Almeida Sampaio. </p><p>Fonte: http://goo.gl/6AZreq </p></li><li><p>Programa Portugal 2020 vai </p><p>permitir bonificar empresas </p><p>que se instalem nas regies </p><p>mais pobres do pas, revelou o </p><p>secretrio de Estado do Desen-</p><p>volvimento Regional. O secre-</p><p>trio de Estado do Desenvolvi-</p><p>mento Regional anunciou, em </p><p>Chaves, incentivos para a insta-</p><p>lao de empresas no interior, </p><p>que passam por uma majora-</p><p>o de 10% para quem aposta </p><p>nos territrios mais pobres. </p><p>"Vai ser possvel, no mbito do programa Portugal 2020, boni-</p><p>ficar as empresas que se instalam nas regies mais pobres do </p><p>pas. Estamos justamente na regulamentao dos fundos euro-</p><p>peus a incluir um critrio que vai majorar em 10% as candida-</p><p>turas das empresas que se instalem nas regies mais pobres </p><p>das regies mais pobres", afirmou Manuel Castro Almeida. O </p><p>governante falava aos jornalistas margem da conferncia </p><p>"Lies do Novo Norte" e a aplicao dos fundos no ciclo 2014-</p><p>2020, que decorreu em Vidago, concelho de Chaves, e foi pro-</p><p>movida pela Comisso de Coordenao e Desenvolvimento </p><p>Regional do Norte (CCDR-N). </p><p>Governo anuncia incentivos instalao de </p><p>empresas no interior </p><p>Pgina 7 </p><p>NEWSLETTER N 2/2015 </p><p> FEVEREIRO 2015 </p><p> + Plis </p><p>Como que a Ao Plis a/o pode ajudar? </p><p>A Ao Plis tem tcnicas/os capa-zes de o ajudar a desenvolver can-didaturas a financiamentos e/ou projetos financiados. Contacte-nos: geral@acaopolis.pt | 232 611 </p><p>Castro Almeida reafirmou que a "esmagadora parce-la dos fundos europeus vai ser utilizada nas regies pobres". "Mais de 90% dos fundos vo ser utilizados nas regies do Norte, Centro, Alentejo e dos Ao-res", sustentou. No entanto, frisou que, dentro des-sas regies mais pobres, h sub-regies mais pobres ainda, as quais vo ser tratadas de forma diferencia-da tambm. </p><p>Fonte: http://goo.gl/b88jnc </p></li><li><p> Os agricultores que faam Seguros de Colheitas tero prioridade e majoraes nos apoios ao investimento do PDR 2020 - Programa de Desenvolvimento Rural 201 4-2 02 0, segund o a Portaria n.18/2015, do </p><p>Ministrio da Agricultura e do Mar, publicada em Dirio da Repblica, dia 2 de fevereiro. </p><p>A portaria que possibilita o finan-ciamento do novo seguro com </p><p>fundos europeus, prev apoios que variam entre 65% do pr-mio para seguros coletivos, beneficirios que tenham aderi-do a um seguro agrcola no ano anterior e seguros de jovens agri-cultores e 62% do prmio para segurados que no tenham ade-rido a um seguro agrcola no ano anterior. </p><p>O novo Seguro de Colheitas para 2015 ser financiado, atravs da medida 6 Gesto do Risco e Restabelecimento do Potencial Produtivo do PDR 2020, estan-do tambm j assegurado o financiamento relativo a 2014. </p><p>Agricultores com seguros de colheiras tero </p><p>prioridades nos apoios do PDR 2020 </p><p>Pgina 8 </p><p>NEWSLETTER N 2/2015 </p><p> FEVEREIRO 2015 </p><p> + Plis </p><p>O seguro de colheitas est aberto a pessoas singulares ou coletivas, incluindo agrupamentos de produtores, cooperati-vas agrcolas, sociedades comerciais que efetuem a transfor-mao ou comercializao da produo segura e associaes de agricultores. Este Seguro de Colheitas est assente em 3 princpios funda-mentais: </p><p>1. Financiamento Comunitrio, pois opera no PDR 2020 e portanto financiado por fundos europeus; </p><p>2. Mais atrativo para os agricultores, pois composto por uma aplice horizontal que abrange todas as culturas no territrio continental e por aplices especficas mais adaptadas s culturas e regies; </p><p>3. Mais universal, pois conjugado com o Programa de Desen-volvimento Rural 2014-2020, isto , os agricultores que faam </p><p>seguros tero prioridade e majoraes nos apoios s medidas </p><p>de investimento do PDR 2020. </p><p>Fonte: http://goo.gl/R0zMlY </p><p>Como que a Ao Plis a/o pode ajudar? </p><p>A Ao Plis tem tcnicas/os capa-zes de o ajudar a desenvolver can-didaturas a financiamentos e/ou projetos financiados. Para alm disso, a Ao Plis estabeleceu parcerias com entidades e consul-tores/as idneas que permite uma candidatura slida. </p><p>Contacte-nos: geral@acaopolis.pt | 232 611 170 </p></li><li><p>O Programa Operacional da Competitividade e Internacio-nalizao tem previsto no seu Eixo II o reforo da competiti-vidade das PME. O desenvolvi-mento e reforo das capacida-des internas das PME no dom-nio da internacionalizao constitui uma das prioridades de investimento desse eixo, na qual se inscreve o objetivo especfico de promover o desenvolvimento de processos de qualificao, permitindo potenciar o aumento da base e da capacidade exportadora e da visibilidade internacional das PME. </p><p>Desta forma, os projetos can-</p><p>didatos ao presente AAC </p><p>devem visar a promoo da </p><p>competiti-</p><p>vidade das empresas, atravs do desenvolvimento de um pro-</p><p>grama estruturado de interveno num conjunto de PME. Esse </p><p>programa deve apresentar solues comuns e coerentes face </p><p>a problemas ou oportunidades a explorar, claramente identifi-</p><p>cadas e justificadas, no quadro das empresas a envolver. </p><p>Os beneficirios so empresas PME de qualquer natureza e sob qualquer forma jurdica, integrados em projetos conjuntos pro-movidos por entidades pblicas ou privadas sem fins lucrati-vos, de natureza associativa e com competncias especficas dirigidas s PME, nomeadamente associaes empresariais, cmaras de comrcio e indstria, agncias regionais de promo-o turstica, assim como outras entidades no empresariais do Sistema Nacional de I&amp;I. </p><p>Financiamentos Abertos </p><p>1) Incentivo qualificao e internacionalizao das PME </p><p>Pgina 9 </p><p>NEWSLETTER N 2/2015 </p><p> FEVEREIRO 2015 </p><p> + Plis </p><p>Os apoios a conceder no mbito deste AAC reves-tem a forma de incentivo no reembolsvel, apli-cando-se os seguintes limites: </p><p>a) 7.500.000 por projeto conjunto; </p><p>b) 100.000 por empresa participante no projeto conjunto. </p><p>Data de incio:30-12-2014 </p><p>Data de encerramento: 13-02-2015 </p><p>Fonte: http://goo.gl/4YgQFE </p><p>Como que a Ao Plis a/o pode ajudar? </p><p>A Ao Plis tem tcnicas/os capa-zes de o ajudar a desenvolver can-didaturas a financiamentos e/ou projetos financiados. Contacte-nos: geral@acaopolis.pt | 232 611 </p></li><li><p>O Programa Operacional da </p><p>Competitividade e Internacio-</p><p>nalizao tem previsto no seu </p><p>Eixo II o reforo da competitivi-</p><p>dade das PME. O alargamento </p><p>de capacidades avanadas de </p><p>desenvolvimento de produtos </p><p>e servios constitui uma das </p><p>prioridades de investimento </p><p>desse eixo, na qual se inscreve </p><p>o objetivo especfico de pro-</p><p>mover o desenvolvimento de </p><p>processos de qualificao das </p><p>PME e das suas estratgias de </p><p>negcio, contribuindo para o </p><p>reforo das suas condies </p><p>imateriais de competitividade. </p><p>Desta forma, os projetos candi-</p><p>datos ao presente AAC devem </p><p>visar a promoo da competitividade das empresas, atravs do </p><p>desenvolvimento de um programa estruturado de interveno </p><p>num conjunto de PME. Esse programa deve apresentar solu-</p><p>es comuns e coerentes face a problemas ou oportunidades a </p><p>explorar, claramente identificadas e justificadas, no quadro das </p><p>empresas a envolver. </p><p>So suscetveis de apoio os projetos que visem aes conjun-</p><p>tas de qualificao de PME em domnios imateriais, direciona-</p><p>das para o aumento da competitividade, da flexibilidade e </p><p>capacidade de resposta no mercado global, nas seguintes </p><p>reas de interveno: a) Inovao organizacional e gesto; b) </p><p>Economia digital e tecnologias de informao e comunicao </p><p>(TIC) c) Criao de marcas e design d) Desenvolvimento e </p><p>engenharia de produtos, servios e processos e) Proteo de </p><p>invenes e criaes f) Qualidade g) Transferncia de conhe-</p><p>cimento h) Distribuio e logstica i) Eco-inovao. </p><p>Financiamentos Abertos </p><p>2) Projetos conjuntosQualificao das PME </p><p>Pgina 10 </p><p>NEWSLETTER N 2/2015 </p><p> FEVEREIRO 2015 </p><p> + Plis </p><p>Os apoios a conceder no mbito deste AAC revestem a forma de incentivo no reembolsvel, aplicando-se os seguintes limites: </p><p>a) 3.000.000 por projeto conjunto; </p><p>b) 50.000 por empresa...</p></li></ul>