Novo convertido

  • Published on
    05-Jul-2015

  • View
    386

  • Download
    2

Embed Size (px)

Transcript

<ul><li> 1. A UM NOVO CONVERTIDOA UM NOVO CONVERTIDO EDWARD DENNETT </li></ul><p> 2. 1- PAZ COM DEUS Voc se queixa de no ter uma "paz firme" e que por isso est fazendo pouco progresso na verdade ou no conhecimento do Senhor. Sua reclamao, sinto admitir, no algo incomum, mas brota de um conhecimento imperfeito do evangelho e por voc confundir duas coisas que so diferentes. Portanto espero, com a bno do Senhor, ser capaz de ajud-lo, isto se voc estiver disposto a considerar cuidadosamente o que estou para escrever. Seu caso me faz lembrar de outra pessoa com quem me deparei recentemente. "Voc tem paz com Deus?", perguntei. Sua resposta foi: "Nem sempre...". Assim como no seu caso, confunde-se a paz estabelecida com o desfrutar dessa paz. Quero dizer, quando voc est alegre no Senhor, diz: "Agora sim, eu tenho paz"; mas quando fica deprimido por causa de algum fracasso ou tribulao acha que sua paz foi-se embora. Para prover uma soluo para um sentimento assim, quero que considere atentamente quais so os fundamentos da paz com Deus. A alma tem muito a ganhar quando percebe com clareza que estes fundamentos no se encontram dentro, mas fora. Ento poder tambm enxergar que nossas experincias nada tm a ver com a questo. Leia comigo Romanos 5.1. Ali vemos que, "sendo, pois, justificados pela f, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo", e se examinarmos a ligao desta passagem com o contexto, aprenderemos, de uma vez por todas, qual a origem da paz a que ela se refere. este o contexto: Depois de haver explicado a maneira pela qual Abrao foi justificado diante de Deus, o apstolo Paulo continua: "Ora no s por causa dele est escrito, que lhe fosse tomado em conta, mas tambm por ns, a quem ser tomado em conta; os que cremos nAquele que dos mortos ressuscitou a Jesus nosso Senhor; O qual por nossos pecados foi entregue, e ressuscitou para nossa justificao. Sendo pois justificados pela f, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo" (Romanos 4.23-25; 5.1). Doze Cartas a um Novo Convertido Pgina: 2 3. Esta passagem deixa bem claro que o nico fundamento de paz com Deus est na obra de Cristo. Na realidade, aps o fundamento haver sido assim colocado, Deus declara que todo aquele que cr em Seu testemunho a esse respeito, cr que Ele intercedeu em graa para providenciar tudo o que era necessrio para a salvao do pecador. E declara ainda que aquele que assim cr em Deus est justificado e, por estar justificado, j tem a paz que foi feita pela morte de Cristo - j entra na posse dela. Mas, deve ser observado que est escrito que Cristo foi entregue por nossas ofensas, e que "ressuscitou para nossa justificao" (Romanos 4.25). Ou seja, a ressurreio de Cristo a prova final que demonstrou como foi completa a Sua obra; a evidncia de que os pecados pelos quais Ele morreu, e sob os quais desceu at morte, foram-se para sempre. A ressurreio de Cristo o testemunho de que todas as exigncias de Deus que recaam sobre ns foram plenamente atendidas e satisfeitas. Pois se Ele foi entregue por nossas ofensas, e deixou o tmulo, tendo sido ressuscitado da morte, as "ofensas" sob as quais Ele padeceu a morte foram-se para sempre, caso contrrio Ele continuaria na sepultura. Portanto, a ressurreio de Cristo a expresso clara e enftica da satisfao de Deus com a expiao que foi feita na cruz. Fica assim mais que evidente, como j foi dito, que o nico fundamento de paz com Deus est na morte de Cristo. Isto repetido muitas e muitas vezes nas Escrituras. Em Romanos 5.9 lemos que somos "justificados pelo Seu sangue"; e em Colossenses 1.20 diz que "havendo por Ele feito a paz pelo sangue da Sua cruz". Portanto, Cristo (e no ns) Quem faz a paz com Deus, e Ele j a fez por meio de Sua morte como sacrifcio - a morte que cumpriu todas as exigncias que Deus fazia ao pecador, e que satisfez tudo aquilo que Ele com justia poderia requerer do homem, glorificando ainda a Deus em cada atributo de Seu carter. por isso que Deus agora pode rogar ao pecador que se reconcilie com a Sua Pessoa. "Rogamos-vos pois da parte de Cristo que vos reconcilieis com Deus" (2 Corntios 5.20). Doze Cartas a um Novo Convertido Pgina: 3 4. Depois de haver explicado tudo isso, necessrio fazer alma uma importante pergunta: Voc cr no testemunho de Deus a respeito do Seu Filho e da obra que Ele consumou? Se houver qualquer dificuldade para responder a esta pergunta, ento nenhum progresso poder ser feito. Todavia um teste simples ajudar a elucidar a verdade. Mais uma pergunta, e tenho certeza de que voc perceber claramente a verdade: Em que voc se baseia para pensar que Deus o aceita? Ser que em si prprio, em suas obras, seus mritos ou no que merece? Se assim for, ento voc no est descansando na obra de Cristo. Porm, se voc reconhece que, por natureza, um pecador perdido e arruinado, e confessa que no pe a sua esperana em coisa alguma alm de Cristo e naquilo que Ele fez, ento voc pode humildemente dizer: "Pela graa de Deus eu creio no Senhor Jesus Cristo". Supondo, ento, que voc possa falar dessa maneira, esteja certo de que a questo de sua paz com Deus est resolvida para sempre e nada poder priv-lo dela - nenhuma mudana, nenhuma experincia diversa; pois ela sua imutvel e inalienvel possesso. As Escrituras dizem que, "sendo pois justificados pela f" (e voc diz que cr), "temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo" (Romanos 5.1). Todo crente - no exato momento em que cr - justificado, libertado de toda forma de culpa, e feito justia de Deus em Cristo. "quele que no conheceu pecado, (Deus) O fez pecado por ns; para que nEle fssemos feitos justia de Deus" (2 Corntios 5.21). E, sendo justificado, o crente tem paz - no paz em si mesmo, importante ressaltar, mas paz por meio de nosso Senhor Jesus Cristo. Isto , a paz que agora pertence ao crente aquela paz com Deus que Cristo fez por meio de Seu sacrifcio expiatrio. E, uma vez que essa a paz que Ele fez, o que ocorreu fora de ns, ela nunca poder variar ou ser alterada; ela to estvel e duradoura quanto o trono de Deus; pois, como j vimos, uma paz que Cristo fez pela Sua cruz; e o que Ele fez no poder nunca ser desfeito, e , portanto, uma paz eterna. E esta paz, permanente, firme e eterna, que pertence a cada crente no Senhor Jesus. Doze Cartas a um Novo Convertido Pgina: 4 5. Quando voc se queixa de que no tem uma paz firme, na verdade deveria dizer que no est desfrutando de uma paz firme, e que seus sentimentos so instveis. Por isso pode ser bom perguntar como que o crente pode desfrutar de uma paz constante em sua alma. Pela f. Se eu creio no testemunho de Deus de que a paz me pertence pela f no Senhor Jesus, devo ento entrar no gozo dessa paz. Isto pode ficar mais simples por meio de um exemplo. Suponha que algum lhe traga a notcia de que um parente seu lhe deixou uma herana milionria. O efeito que isso produzir em sua mente ir depender totalmente de voc acreditar ou no naquilo que est ouvindo. Se voc duvidar da veracidade daquela notcia, no haver nenhuma reao a ela; mas se, por outro lado, ficar totalmente comprovado ser verdade, e voc a receber de fato, ento dir imediatamente, "A herana minha". Se voc cr no testemunho de Deus de que foi feita paz pelo sangue de Cristo, nenhum sentimento de depresso, nenhum pensamento de ser indigno disso, nenhuma circunstncia, qualquer que seja, poder perturbar sua segurana a esse respeito, pois voc ver que ela depende inteiramente daquilo que outro fez por voc. Portanto, necessrio repousar com inabalvel confiana na Palavra de Deus para poder desfrutar de uma paz firme. A causa de tanta incerteza a respeito deste assunto advm principalmente de se olhar para dentro ao invs de olhar para fora, para Cristo - de olharmos para dentro em busca de algo que nos d confiana de que esteja ocorrendo uma obra verdadeira de graa na alma, ao invs de olharmos para fora para percebermos que o nico fundamento sobre o qual uma alma pode descansar diante de Deus o precioso sangue de Cristo. A consequncia que, ao perceber a corrupo, este mal da carne, a alma comea a ter dvidas e a cogitar se porventura no foi enganada. Satans comea, dessa forma, a enredar o nosso corao e a seme-lo com dvidas e temores, na esperana de fazer com que duvidemos de Deus; isso quando no nos lana em total desespero. O modo eficaz de frustrarmos seus ataques neste sentido apelando para a Doze Cartas a um Novo Convertido Pgina: 5 6. Palavra escrita de Deus. Em resposta a qualquer sugesto maligna devemos fazer como nosso bendito Senhor quando foi tentado: "Est escrito" (Mateus 4.4). Ento, logo descobriremos que nada pode impedir que desfrutemos daquela paz com Deus que foi feita pelo precioso sangue de Cristo. Estando resolvida a questo do fundamento, e deixando de ocupar-se consigo mesmo, voc encontrar descanso para sua mente e para sua alma - descanso suficiente para meditar sobre a verdade conforme revelada nas Escrituras. "Desejai afetuosamente, como meninos novamente nascidos, o leite racional, no falsificado, para que por ele vades crescendo" (1 Pedro 2.2). Quero dizer ainda que se voc estudar a Palavra na presena do Senhor, ser guiado por ela a uma intimidade de comunho cada vez maior com Ele, e medida que for descobrindo a infinita glria e perfeio de Cristo que nos so reveladas, e por ns assimiladas, por meio do Esprito de Deus, suas afeies sero atradas em um sempre crescente fervor, e seu corao, agora satisfeito, ir transbordar em adorao aos ps dAquele que morreu por voc. Deste modo o seu lamento se transformar em um hino de louvor. 2- NOSSO LUGAR PERANTE DEUS Estou um pouco preocupado em pensar que voc, que agora sabe que tem paz com Deus, e que deveria estar contente, venha a se acomodar, achando que essa bno tudo o que Deus proveu para voc em Cristo. Muitos caem neste engano, e por conseguinte nunca compreendem a posio na qual foram introduzidos. Permita-me, ento, lembr-lo de que, apesar da grandiosidade dessa bno, a qual voc dever estar desfrutando agora, os pensamentos e desejos de Deus a seu respeito vo infinitamente alm disso. Posso tornar isto mais simples chamando a sua ateno mais uma vez para o fundamento. A base de tudo encontra-se na cruz de Cristo, pois foi ali que Ele pde satisfazer, em nosso favor, tanto os requisitos exigidos pela santidade de Deus, como tambm Doze Cartas a um Novo Convertido Pgina: 6 7. glorific-Lo em cada atributo de Seu carter. a isto que o Senhor Jesus Se referia quando disse: "Eu glorifiquei-Te na Terra, tendo consumado a obra que Me deste a fazer" (Joo 17.4). E foi com base nisso, como j tendo resolvido uma demanda de Deus, que Ele orou: "E agora glorifica-Me Tu, Pai, junto de Ti mesmo, com aquela glria que tinha Contigo antes que o mundo existisse" (Joo 17.5). Portanto, como voc poder perceber, Deus mostra a importncia que deu obra consumada na cruz, pelo fato de haver feito Cristo assentar Sua direita. Podemos dizer ainda que nada menos do que isso poderia ter sido considerada uma resposta adequada exigncia de Deus que Cristo cumpriu atravs de Sua obra consumada. E certamente nada menos poderia ter satisfeito o corao de Deus; pois quem poder jamais imaginar o Seu gozo ao intervir levantando Cristo de entre os mortos, colocando-O Sua direita, e dando-Lhe, ainda, "um Nome que sobre todo o nome"? "Pelo que tambm Deus O exaltou soberanamente, e Lhe deu um Nome que sobre todo o nome; para que ao Nome de Jesus se dobre todo o joelho dos que esto nos cus, e na terra, e debaixo da terra, e toda a lngua confesse que Jesus Cristo o Senhor, para glria de Deus Pai" (Filipenses 2.9-11). Observe, ento, com muito cuidado, estas trs coisas: Primeiro, o lugar agora ocupado por Cristo na glria fruto de Sua obra redentora; segundo, Cristo ocupa esse lugar como Homem; e, por conseguinte, terceiro, Ele est ali em favor dos que so Seus. As consequncias so que Deus nos levar para o mesmo lugar; que a glria de Deus est empenhada em dar aos crentes o mesmo lugar de aceitao perante Si; e - isto mesmo! - que o Seu corao se compraz em reconhecer, tambm deste modo, a obra e o valor do Seu Filho amado. Portanto, todo crente encontra-se agora diante de Deus em virtude da eficcia da obra de Cristo, desfrutando ali de toda a aceitao que a prpria Pessoa de Cristo desfruta. Deste modo, o crente desfruta de uma posio de perfeita proximidade de Deus, e ainda objeto da perfeita bondade de Deus; pois ele Doze Cartas a um Novo Convertido Pgina: 7 8. introduzido - e efetivamente est - na presena de Deus em Cristo Jesus. Agora gostaria de levar voc a examinar algumas passagens que comprovam plenamente as afirmaes acima. O versculo que vem logo em seguida quele que ocupou nossa ateno na ltima carta encaixa-se perfeitamente aqui. "Sendo pois justificados pela f, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo"; e ento o apstolo continua: "Pelo qual tambm temos entrada pela f a esta graa, na qual estamos firmes, e nos gloriamos na esperana da glria de Deus" (Romanos 5.1,2). Dessa forma, quando cremos, no somente temos paz com Deus, mas temos tambm acesso, por meio de Cristo, a esta graa na qual estamos firmes. Isto , somos introduzidos no completo favor de Deus - transportados para a sempre radiante luz da Sua presena, onde podemos nos regozijar na esperana da glria de Deus - pois tudo j foi estabelecido e assegurado. Por meio da f em Cristo - e f nAquele que ressuscitou Jesus nosso Senhor de entre os mortos - somos levados a uma posio to perfeita e to segura que, apesar das tribulaes, dificuldades e perigos de nosso caminho por este deserto, podemos nos regozijar na esperana - na firme e inabalvel perspectiva - da glria de Deus. Poderemos sofrer tribulaes, como o apstolo segue dizendo em sua carta, mas, se assim ocorrer, podemos nos gloriar at nas tribulaes, "sabendo que a tribulao produz a pacincia, e a pacincia a experincia, e a experincia a esperana. E a esperana no traz confuso, porquanto o amor de Deus est derramado em nossos coraes pelo Esprito Santo que nos foi dado" (Romanos 5.3-5).Foi esse o amor que Deus demonstrou ter, e nos deu; foi nesse mesmo amor que Cristo morreu por ns, sendo ns ainda pecadores. E se, sendo ns ainda pecadores, nos reconciliou com Deus pela morte de Seu Filho, quanto mais somos levados a concluir que seremos salvos - salvos completamente, inclusive com a redeno de nosso corpo (Romanos 8.23) - por Sua vida, a vida do Salvador ressurreto e assentado direita de Deus. E no apenas isto, mas tambm nos regozijamos em Deus, por meio Doze Cartas a um Novo Convertido Pgina: 8 9. de nosso Senhor Jesus Cristo, por meio de Quem recebemos agora a reconciliao (Romanos 5.3-11). Sendo assim, temos como nossa presente poro o amor de Deus derramado em nossos coraes, nos regozijamos nEle, ocupamos perante Ele um lugar de perfeito favor e nos gloriamos na esperana da glria de Deus. Mas isso ainda no tudo. Na mesma epstola, no apenas somos ensinados que nossa culpa se foi para sempre no exato momento em que cremos em Cristo, que somos justificados, etc., mas tambm nos mostrado que somos totalm...</p>