O Correio - Ed 838

  • Published on
    19-Jul-2015

  • View
    73

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Um jornal de verdade

Transcript

A sade de sua criana merece a ateno de um especialistaDiretor Tcnico Mauro Srgio Fernandes da Silva CRM 8789 - Pediatra RQE 4329

Dr. Mauro Srgio Fernandes da SilvaCRM 8789 - Pediatra

Agora em novo endereo px. a Colnia de Pescadores Sala de Vacinas

Proteja-se: J recebemos vacina contra a gripe

Fone: 3646-2488Rua. Voluntrio Fermiano. 60 Laguna SC

O Senhor meu pastor, nada me faltar

LAGUNA/SC - ANO XVII - EDIO 838 - LAGUNA/SC 21/04/2012 - R$ 2,00 - JORNAL BISSEMANAL

Santa Catarina cumpre a Lei do Piso eSecretrio lamenta a paralisao dos professoresApenas 2,5 mil professores participaram da Assembleia Geral da categoria o que um nmero baixo, j que Santa Catarina tem 65 mil profissionais da educao. SC cumpre a Lei do Piso, j que nenhum professor estadual ganha hoje menos que R$1.451 como salrio base. A lei no prev o reajuste salarial para toda a categoria, como cobrado pelo sindicato. O Secretrio de Estado da Educao, Eduardo Deschamps, lamentou a deciso do magistrio catarinense que deliberou pela paralisao da categoria. O governo negociou exaustivamente desde fevereiro e fez tudo o que podia para dar reajuste salarial a todos os professores. Em um ano os professores com menor salrio tiveram ganho salarial de mais de 100%. Em dois anos, todos os professores tero seu salrio dobrado de valor. O governo no vai negociar com os professores fora da sala de aula, por isso a partir de segunda-feira no tem mais negociao. A expectativa era fechar essa etapa da negociao e, com tempo, buscar novos recursos em Braslia. As negociaes iriam continuar sobre outras reivindicaes do SINTE. Porm agora, o secretrio tem que ficar em Santa Catarina fazendo gesto de crise. Para cumprir a proposta j apresentada ao SINTE, a SED prev a reorganizao de despesas prprias da Educao, como, por exemplo, dos recursos previstos para manuteno das escolas e investimentos e do remanejamento de recursos de reservas emergenciais e investimentos de outras contas do Governo. Os alunos tm direito de terem aula e estarem na escola, por isso os diretores tem a responsabilidade de manter as escolas em funcionamento. Se os pais encontrarem dificuldades ou escolas fechadas, por exemplo, eles podem avisar as Gereds, observou Deschamps. A direo das 1.112 unidades escolares recebero orientaes para que mantenham as escolas em funcionamento e registrem falta dos profissionais que no esti-

Obras da rea de sade so vistoriadas para inauguraoTrs das principais obras realizadas pelo Governo Municipal na rea da Sade foram vistoriadas na tarde de quinta-feira (19) pela secretria da pasta, Tanara Cidade de Souza. A construo da Unidade Bsica de Sade Bentos, a reforma do Laboratrio Municipal de Anlises Clnicas, na Unidade Central da Sade (Posto da Carioca), e a construo do novo almoxarifado da Secretaria de Sade devem ser inauguradas nas prximas semanas. (Pgina 08)

Conveno do Lions Clubeverem trabalhando. A proposta do Governo a possvel neste momento e, portanto, no cabe uma paralisao da categoria que s trar prejuzos para pais e alunos. Poderamos continuar negociando e focar nossos esforos para conseguir verba federal, mas agora teremos que fazer a gesto da crise, finaliza o Secretrio Eduardo. Magistrio em SC: 65,8 mil professores Professores efetivos - 22 mil Professores ACTs - 19,8 mil Inativos - 24 mil Nmero de escolas: 1.112 Nmero de alunos: 640 mil

neste final de semanaComeou nesta sexta-feira, e segue at domingo a 13 Conveno do Lions, envolvendo grupos de diversas regies do estado. O evento acontece no Laguna Tourist Hotel. A promoo do Lions Clube de Laguna e o Distrito LD-9, este ltimo uma das divises mundiais do Lions Clube Internacional e envolve os clubes de Lions da rea entre Florianpolis, Lages e Passo de Torres. Durante a congresso tambm ocorrer o 1 Simpsio de Mulheres. O vice-governador Eduardo Pinho Moreira, mdico cardiologista, ir proferir palestra sobre o tema corao.

3646-5123 / 9129-5395

LAGUNA/SC 21/04/2012

O CORREIO P. 02

O PODER DA PALAVRA

artigo

Reinventando o Profissional

Qualidade do atendimento, continuao....Atanazio Lameiraatanaziolameira@brturbo.com.br

C

A perfeio no existe Admire os poetas, os filsofos, mas crie sua prpria identidade. Com defeitos, erros e virtudes. No h perfeio. Quando conhecemos a pessoa a fundo percebemos que tambm falha, sofre de depresso e dor de barriga. No diferente como imaginamos. Um ser humano. No estando prximo no havendo convivncia camos na armadilha de idealizarmos tais criaturas achando-as o mximo. Mudanas nas crises Todos ns j passamos por perodos difceis em nossas vidas. Ningum vive em calmaria constante, mas isto no ruim. Muito pelo contrrio as crises movimentam os seres humanos, para que no fiquem dormindo em bero esplndido. Servem para a mudana de hbitos atitudes. Nada que acontece conosco se materializa por acaso. A arte de conviver H que se ter habilidade na arte de conviver com as pessoas. Nem tudo deve ser dito. H momentos ntimos que devem ser preservados. A grandeza daquele momento no seria entendida fora do contexto. No se trata aqui, de autenticidade e, nem do direito sagrado de expresso. Podemos at nos socorrer da regra bsica da convivncia, que para mim, a educao. A filosofia do tempo No se comova por qualquer conversa. Analise. Pense. Reflita. Investigue a origem daquele fato, daquela notcia. Saiba quem est espalhando aos quatro ventos. O que est por trs daquela manchete to intrigante. No acredite facilmente em tudo. Pode ser um engodo. Algum querendo se aproveitar de sua fragilidade, de uma possvel perda. D um tempo para qualquer resposta, seja positiva ou negativa. Exorcizar nossos fantasmas Estamos cheios de fantasmas a nos assombrar. Se permitirmos seremos eternos escravos. Precisamos encarar o mundo de uma forma alegre. No devemos achar que existe sempre um inimigo a nos espreitar. Se no houver alegria a vida passa a ser um fardo que dificilmente conseguimos carregar. Estar vivo uma beno e como tal devemos aproveitar, com esperana e f.Visite o meu: Blog: athanaziolameira.blogspot.com

aros leitores, ainda sobre a pesquisa realizada nos estados do Paran, Santa Catarina e Rio Grande do Sul continuarei citando mais alguns casos em que as coisas funcionaram e outras que a qualidade simplesmente foi assassinada, porm, antes, quero fazer um comentrio sobre a necessidade do entendimento sobre complemento, mix de produtos, lojas complementares, sobretudo em shopping center. Estabelecimentos com estas caractersticas, normalmente em seus projetos, procuram contratar lojas complementares, formando mix de produto onde uma completa a outra, isso tambm diminui a concorrncia interna evitando alguns segmentos em demasia e falta de outros. Exemplo: uma loja especializada em Jeans, outra em acessrios, outra camisetas, etc. Isso muito legal e o conceito est perfeito, no entanto o problema ver estas lojas/lojistas achando que no atender bem no fere o resultado da outra. Que se o cliente procura algo que a loja no vende no precisa indicar outra dentro do shopping; que a praa de alimentao ou cinema nada tem a ver com confeces, brinquedos, eletro, telefonia mvel. Em resumo, deve ser avaliado o MIX de produtos aliado ao MIX de atendimento. Est na hora das administraes de shopping tratar do atendimento como prioridade, claro que a responsabilidade do lojista, mas a MARCA do shopping est em jogo, por isso, citarei exemplos de atendimento em shopping: 1. Na praa de alimentao: o cliente solicitou um chope gelado e batatas fritas. O chope veio dentro do tempo aceitvel, porm, quente. O atendente justificou que o movimento estava bombando e no deu alternativa. O cliente insistiu, queria a bebida gelada e foi praticamente

convidado a procurar outra opo fora. Claro que o cliente saiu frustrado, levou esposa, filhos e ali acabou o programa de sbado. Ser que somente a praa da alimentao perdeu? Com certeza falou para muitas pessoas. 2. Fui numa loja ncora, famosa em todo pas para comprar um home theater, mas a caixa estava aberta, chamei a ateno do caixa, pedi para verificar se estava tudo em ordem, no solicitei para ligar e testar. Ao montar o equipamento em casa o mesmo no ligava; voltei loja informei a situao e rapidamente chamaram o gerente, confirmaram o meu relato, testaram um novo, desta vez em sua totalidade, trocaram e ainda fiz uma compra adicional. Isso muito bom, se fosse sempre assim! 3. Para finalizar presenciei um atendimento simplesmente equivocado: uma loja de bolsas e acessrios estava com promoes expostas na vitrine como iscas para atrair a ateno do cliente. Quando o cliente entrou na loja e solicitou o produto divulgado a vendedora simplesmente ignorou a promoo, somente mostrando produtos que estavam sendo lanados (coleo nova). Mesmo com a insistncia do mesmo a vendedora foi objetiva: - Moo, a vitrine para fazer o cliente entrar a partir da a orientao mostrar e vender o novo. Que acham?

Mais uma vez insisto: qual o tipo de atendimento est sendo colocado disposio dos consumidores? Qual a qualidade do atendimento desejvel? O que fazer para que de vez os profissionais / lojistas entendam que o cliente no tem mais pacincia, tempo e sinceramente sangue de barata para aceitar os equvocos do atendimento?

Mello Jr - www.gmtreinamentos.com.br - mello@gmtreinamentos.com.br

Cmara Municipal de Laguna - resumo da sesso de 16.04.2012A Cmara Municipal de Laguna realizou na ltima segunda-feira, mais uma sesso ordinria sob a presidncia do vereador Everaldo dos Santos (PMDB). Confira o resumo do Grande Expediente da sesso:O Vereador Jos Paulo Ramos usando a tribuna falou que consultou a assessoria jurdica desta casa legislativa para ver se ele prprio podia exercer o mandato de vereador e o cargo no porto pesqueiro de Laguna, como a Vereadora Jussalva da Silva Matos tambm fazia. Comentou que a resposta no foi a que ele e