O Correio - ed 898

  • Published on
    10-Mar-2016

  • View
    225

  • Download
    9

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Um jornal de verdade

Transcript

  • LAGUNA/SC - ANO XVIII - EDIO 898 - LAGUNA/SC 17/11/2012 - R$ 2,00 - JORNAL BISSEMANAL O Senhor meu pastor, nada me faltar

    Laguna: 3646-5123 / 9926-6333Brao do Norte: 3658-2446 / 9627-3120

    Fone: 3646-2488Fone: 3646-2488

    Dr. Mauro Srgio Fernandes da Silva CRM 8789 - Pediatra

    Rua. Voluntrio Fermiano. 60 Laguna SC

    A sade de sua criana merece a ateno de um especialistaDiretor TcnicoMauro Srgio Fernandes da Silva

    CRM 8789 - PediatraRQE 4329

    Agora em novo endereo px. a Colnia de Pescadores

    Temos sala de Vacinas

    CURSO DE FORMAO DE ESCRITORES

    2 Etapa: 24 e 25/11 sbado e domingo Hora: 8h30 s 12h e das 13h30 s 17h30

    Local: Unidade de Laguna - GratuitoInscries: Central de Atendimento SESC Laguna.Objetivo: O Curso funciona como um laboratrio de autoria, onde atravs de

    oficinas com durao de 30h/aula os alunos realizam exerccios de escrita literria em diversos gneros, bem como podem produzir seus textos com acompanhamento crtico dos assessores contratados. Assessora: Rozi Oesterreich. 16 Vagas A seleo: os interessados devem enviar um texto curto a unidade para ser encaminhado ao assessor, que seleciona os alunos. Com certificao.

    Maiores Informaes na Central de Atendimento SESC Laguna: 48-36440152.

    Dia Nacional da Conscincia Negra Dia Nacional da Conscincia Negra, ser celebrado em 20 de novembro, dedicado reflexo sobre a insero do negro na sociedade brasileira. (Pgina 12)

    Associao de Moradores do Mar Grosso participa de

    reunio sobre carnaval Na ltima semana, Eduardo Duarte e Bernadete Prudncio, da diretoria da Associao de Moradores do Mar Grosso, par-ticiparam de uma reunio com o futuro secretrio de Turismo, Jos Carlos. Juntamente com representantes do Corpo de Bom-beiros, Polcia Civil, Militar, Samu, Marinha e blocos para discutir o carnaval de 2013. A mudana do carnaval para a avenida Beira-Mar foi um ponto favorvel. A liberao das aveni-das Senador Galotti e Joo Pinho para o trnsito tambm foi salien-tada. O uso abusivo do carro de som ser mais combatido. Nas prximas semanas, novas reunies iro acontecer para de-bater estratgias e infraestrutura para o carnaval 2013.

    Mudanas no carnaval de Lagunan No Mar Grosso blocos mudam de lugarn Uso abusivo do carro de som ser combatido

    Leia e assine 3644-3959

    Novos secretrios s sero anunciados na prxima semana

    (Pgina 02)

  • O CORREIO P. 02

    O PODER DA PALAVRA

    Advocacia & AssessoriaDr. Victor Baio Pereira

    OAB/SC 15.896

    Atanazio Lameira atanaziolameira@brturbo.com.br

    EXPEDIENTEFundado em 29.07.1995

    Direo Geral: PAULO SRGIO SILVAJORNAL O CORREIO. LTDA. ME.

    C.G.C. 03.002.178/0001-60 Insc. Mun. 54.0375

    Redao e Administrao:Rua Voluntrio Fermiano, 52 - Centro Fone: (48) 3644-3959 - Laguna/SC

    Nmero Avulso: R$ 2,00 Assinatura Semestral (Bissemanal) R$ 100,00

    Tiragem: 1.000 exemplaresOs artigos assinados so de

    responsabilidade de seus autores. Circulao quartas e aos sbados :

    Laguna, Capivari de Baixo, Tubaro, Garopaba, Imbituba, Paulo Lopes, Imaru e Jaguaruna.

    E-mail: ocorreio@ocorreio.net hp:http://www.ocorreio.net

    Este jornal filiado:

    Visite o meu: Blog: athanaziolameira.blogspot.com

    LAGUNA/SC 17/11/2012

    Hora do cafezinho

    Paulo Srgio Silva

    Reinventando o Profissional

    artigo

    Mello Jr - www.gmtreinamentos.com.br - mello@gmtreinamentos.com.br

    Causas cveis: aes possessrias, indenizatrias e de famlia.

    Rua Raulino Horn - Centro - Fone 3644-6882 LAGUNA/SC

    A camuflagem do poderVivemos numa sociedade excludente. E sob gide da ca-muflagem do assistencialismo, paternalismo, entre outras formas de dominao. Estabeleceu-se um fosso, entre o povo e classe poltica, que se distancia cada vez mais no tendo mais legitimidade para representar a von-tade da maioria, os quais so tratados como verdadeiros reis embolsando fortunas a custa de uma populao empobrecida.

    A utopia e a essncia Talvez sejamos utpicos em razo de desejarmos muito numa sociedade que nos oferece pouco. Quando se fala em utopia logo vem quela mxima de algo inatingvel ou quase impossvel de ser realizado. O nosso sonho jamais morrer posto que est atrelado a essncia do ser humano.

    Esperana e f Ele foi seguido por grandes multides. Todos queriam ou-vir suas palavras. Fazendo o bem a todos, aquele homem seguia. Ele representava esperana e f. Alguns queriam a cura para as suas enfermidades. Outros queriam alimentar suas almas. Ele curou os doentes e em sua simplicidade soube consolar todos aqueles sofredores. Soube perdoar os pecadores. Crescendo assim sua sabedoria e aumen-tando tambm seus seguidores. Ele foi Nosso maior exemplo, de amor, dignidade, de justia e de f.

    Cada passo um mistrio Todas as vezes que errei, valeu para me conduzir pelos caminhos do acerto. Todas as vezes que estava inseguro, as portas acabaram se abrindo justamente para aquilo que no estava preparado. Quando achamos que tudo vai bem, sempre acontece algo que nos coloca no lado oposto. Talvez seja isso o grande segredo da nossa existncia aqui na terra. Nunca sabemos o que acontecer amanh. Tudo mistrio. Em tudo na verdade h uma parcela de inse-gurana. No h certeza de nada. No sabemos nada. Por vezes achamos que sabemos. Mas vem sempre uma voz nos colocando ainda mais inseguros. Todas as incertezas da vida, angstias, medos, talvez sejam ingredientes para continuarmos vivendo.

    Comeo meio e fimPor que no somos felizes com que temos? Qual a razo de querermos sempre mais e mais? Ser que nossa vida to ruim assim? Ou ser que somos ambiciosos demais? Garimpem em seu crculo de amizade, quais amigos que so sinceros. Entre eles, qual que merea ateno, em que podemos efetivamente confiar. Produza em si algo verdadeiro, duradouro, que ultrapasse geraes. Tenha coragem de se abrir com seu filho. Desabafe acerca de suas angstias. Diga-lhe que no super homem e pode e deve errar. Compartilhe com ele sua dor, mas na proporo exata de seu entendimento. Tire de si esse manto que ofusca sua felicidade, seu brilho interior. Nada de tristeza. Viva as alegrias da vida. Se acaso estiver triste, saiba viver isto com comeo meio e fim.

    Remunerar pelo lucro!As novidades no mercado profissional chegam com uma velocidade espantosa. Enquanto muitas empre-sas ainda remuneram seus vendedores pelo volume de vendas, outras remuneram pelo lucro e algumas j formataram uma forma mais atraente: lucro, valores agregados, pagamentos em dia por parte do cliente, vendas com menor prazo. Acho isso tudo muito bom, mas colocar em prtica requer estudo e compreenso e a questo conceituar o que lucro e considerar como principal todas as vendas por este quesito. Conheci algumas frmulas utilizadas por empresas principalmente do varejo que procuram dar uma premiao pela venda fsica, outra para margem de contribuio e complementa pelas vendas adicionais. Muito interessante, porm, o que gera confuso que se o vendedor bater a meta fsica e da margem de contribuio abre-se mo das outras questes por serem secundrias. Acredito que quando se esta-belece critrios de premiao devem ser cumpridos em todos os estgios tomando-se os cuidados para no desmotivar os vendedores por detalhes incom-pletos. Em resumo acredito que se deve remunerar com um foco determinado, neste caso margem de contribuio. Sendo assim a frmula acima dever ter todos os quesitos voltados para a MC. Abaixo uma sugesto de remunerao:TIPOS DE METAS OBJETIVOSMetas fsicas Volume de vendas pr-definidoMetas fsicas 2 Vendas acima da meta fsicaMargem de contribuio Indicadores de LUCRO

    Vendas de produtos com Com maior valor agregado Produtos definidos com margem melhor de contribuio (meta diferenciada)Vendas com prazo de pagamentosReduzidos Abaixo da tabela ou condies de paga-mento a prazoMenor ndice de inadimplncia No superar os indi-cadores de inadimplncias fixados como ideal

    Claro que existem vrias formas de se fazer a remu-nerao, cada caso um caso, cada segmento tm suas peculiaridades. O profissional de vendas precisa de outros desafios, vender todos sabem, vender com um novo conceito de resultados o diferencial. No estamos eliminando os desafios das vendas fsicas, estamos estimulando a vender com outros resultados. Muitos vendedores continuaro a contentar-se com os resultados tradicionais, mas outros querem novos de-safios e por conseqncia melhorar seus rendimentos.

    A dica principal para que as empresas e profissionais tracem planos de aes visando melhorar resultados. bem notria a percepo das empresas que volume de vendas nem sempre quer dizer lucro e do vendedor que vender por vender no traz a realizao profis-sional. Une-se o til ao agradvel. Para finalizar importante que empresa avalie como est hoje e onde deseja chegar e o profissional se est preparado para os novos desafios.Vamos refletir!

    Ainda no foi nesta semana o prefeito-eleito Everaldo dos Santos pode fazer o anuncio do seu secretariado. Algumas mudanas de ltima hora, conforme fontes ligadas ao futuro primeiro mandatrio impediram que na ltima quarta-feira (14) conforme estava programado, anunciasse seu primeiro escalo, o que deve acontecer somente na prxima semana. O retorno do vereador Orlando Cmara Municipal e a indefinio na secretaria da Sade contriburam para o impasse.

    Enquanto isso... Na Cmara Municipal a eleio para a presidncia da Casa faz surgir um bloco suprapartidrio para dar sustentao as candidaturas de Roberto Alves ou Valdomiro (Macho) para a conduo do legislativo lagunense. A manobra fez sucumbir o anseio de Everaldo dos Santos em conduzir Dudu Carneiro presidncia da Casa.

    Definida a data para a entrega do ttulo de cidado la-gunense com o qual orgulhosamente fui contemplado. Aproveito para parabenizar os demais contemplados e agradecer ao presidente do legislativo vereador