O Correio - Ed 999

  • Published on
    12-Feb-2016

  • View
    215

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Um jornal de verdade

Transcript

  • LAGUNA/SC - ANO IXX - EDIO 999 - LAGUNA/SC 06/11/2013 - R$ 2,00 - JORNAL BISSEMANAL O Senhor meu pastor, nada me faltar

    Laguna: 3646-5123 / 9926-6333Brao do Norte: 3658-2446 / 9627-3120

    Fone: 3646-2488Fone: 3646-2488

    Dr. Mauro Srgio Fernandes da Silva CRM 8789 - Pediatra

    Rua. Voluntrio Fermiano. 60 Laguna SC

    A sade de sua criana merece a ateno de um especialistaDiretor TcnicoMauro Srgio Fernandes da Silva

    CRM 8789 - PediatraRQE 4329

    Prximo a Colnia de Pescadores

    Temos sala de VacinasVisite o site: http://clinicavidalaguna.wix.com/vida

    Informa abertura de processo seletivo

    rea/ Requisito Cidade Inscries e informaes

    PROFESSOR DE EDUCAO INFANTIL: Formao Superior completa em Pedagogia (Habilitao em Educao Infantil).

    LAGUNA

    Por meio do site at

    20/11/2013

    CONTRATAES PARA 2014

    PROFESSOR DE ENSINO FUNDAMENTAL (Projeto Habilidades de Estudos): Formao Superior completa em Pedagogia (Habilitao em Ensino Fundamental).

    Acompanhe os processos seletivos do SESC/SC atravs do site www.sesc-sc.com.br- cone Trabalhe Conosco

    Praias de Laguna esto prprias para banho

    C O N V I T EA Cmara Municipal de Laguna tem a honra de convidar a populao em geral, para participar Audincia Pblica a ser realizada nos dias 07 - Plano Diretor (assuntos de interesse do Municpio em geral) e 08 Plano Diretor (assuntos relativos ao Bairro Mar Grosso), do ms de novembro, s 15:00h, no Plenrio deste Poder. Na expectativa de sua participao, agradecemos antecipadamente.ROBERTO CARLOS ALVESPresidente

    Vem chegando o vero! O relatrio de balneabilidade divul-gado pela Fatma (Fundao do Meio Ambiente), que monitora a qualidade da gua do mar para banho humano, aponta que as praias de Laguna esto prprias para banho.Em Laguna, so analisados sete pontos: Mar Grosso, Prainha do Farol, Cardoso, Praia do Gi, Itapirub, Lagoa de Cabeu-das e Praia da Teresa.So necessrias cinco semanas consec-utivas de coleta para se obter um resul-tado confivel. A partir de novembro, as coletas comeam a ser realizadas semanalmente. Saiba mais:A Pesquisa de Balneabilidade analisa as guas de cada balnerio e determina se esto Prprias ou Imprprias para o banho. Isto , se esto contaminadas ou no por esgotos domsticos. A existn-

    cia de esgoto verificada atravs da contagem da bactria Escherichia coli (E.c.) presente nas fezes de animais de sangue quente, que podem colocar em risco a sade dos turistas e da popu-lao local. A gua considerada: Prpria: quando em 80% ou mais de um conjunto de amostras coletadas nas ltimas 5 semanas anteriores, no mesmo local, houver no mximo 800 Escherichia coli por 100 mililitros.Imprpria: quando em mais de 20% de um conjunto de amostras coletadas nas ltimas 5 semanas anteriores, no mesmo local, for superior que 800 Escherichia coli por 100 mililitros ou quando, na ltima coleta, o resultado for superior a 2000 Escherichia coli por 100 mililitros.PM LAGUNA RECEBE VIATURASNesta quarta-feira, dia 06, s 11h na sede da Guarnio Especial de Polcia Militar de Laguna, localizada na Rua Saul Ulyssa, n 200 no bairro Mar Grosso, o Comandante-Geral da Polcia Militar de Santa Catarina, Coronel Nazareno Marcineiro far entrega de viaturas esta unidade militar.

    Cmara homenageou

    atos de bravura e conquistas esportivas

  • O CORREIO P. 02NOSSAS UTOPIAS

    Advocacia & Assessoria

    Dr. Victor Baio PereiraOAB/SC 15.896

    Atanazio Lameira lameira00@hotmail.com

    EXPEDIENTEFundado em 29.07.1995

    Direo Geral: PAULO SRGIO SILVAJORNAL O CORREIO. LTDA. ME.

    C.G.C. 03.002.178/0001-60 Insc. Mun. 54.0375

    Redao e Administrao:Rua Voluntrio Fermiano, 52 - Centro Fone: (48) 3644-3959 - Laguna/SC

    Nmero Avulso: R$ 2,00 Assinatura Semestral (Bissemanal) R$ 100,00

    Tiragem: 1.000 exemplaresOs artigos assinados so de

    responsabilidade de seus autores. Circulao quartas-feiras e aos sbados :

    Laguna, Pescaria Brava, Garopaba, Imbituba, Paulo Lopes e Imaru.

    E-mail: ocorreio@ocorreio.net hp:http://www.ocorreio.net

    Este jornal filiado:

    Visite o meu: Blog: athanaziolameira.blogspot.com

    LAGUNA/SC 06/11/2013

    Causas cveis: aes possessrias, indenizatrias e de famlia.

    Rua Raulino Horn - Centro - Fone 3644-6882

    Hora do cafezinho

    Paulo Srgio Silva

    Reinventando o Profissionalartigo

    Mello Jr - www.gmtreinamentos.com.br - mello@gmtreinamentos.com.br

    Voz ntima H uma voz ntima guiando-nos. No podem-os fugir da nossa essncia. Por mais que disfaramos. H o cdigo do imprevisto. H um chamamento natural. No h esconderijo. Tudo gira em torno desta voz. No se trata de culpa. Um cavalo veloz. No h domador. Um brilho de estrela no tem como escond-lo. Anjo do amor Tu s senhora da elegncia. Tu proclamas a paz. No h Amlia smbolo da mulher de verdade, em seus gestos carinhosos. Angeli-cal sua maneira de se portar diante da vida. Nem poder haver interpretao diversa, seno a de um anjo nascido para cultuar ad infinitum o amor.

    O amor no combinaQue o amor dure alguns segundos. Se tiver que durar. Que o amor no seja eterno. Seja o amor verdadeiro apenas. Que o amor ac-ontea por acaso. Ou seja, premeditado. Que o amor fique entre a cruz e a espada. Mas, no morra. Que o amor pule os muros do preconceito. No seja sufocado pela ambio e posio social. O poeta fariseuA casa vazia cheia de assombrao, onde mora o poeta vidente. Sombras fazem parte da decorao. Portas batem a noite. H gemidos trazido pelo vento, que entra pelas frestas. O poeta Nostradamus, do final do mundo, apocalipse. O poeta Chico Xavier, do raio de luz na janela. O poeta ateu. O poeta visionrio. O poeta narcisista. O poeta Dom Helder Cmara. O poeta mico leo dourado. O poeta que se perdeu, em meio a tanta conta a pagar.

    possvel termos uma equipe s de lderesUma das habilidades mais desejada nos ltimos dez anos, independente do segmento, a capaci-dade de liderar pessoas e processos. Alguns espe-cialistas afirmam que aquele que conseguir for-mar uma equipe de lderes - todos os profissionais da equipe com habilidade de liderana obter o pleno sucesso e sua manuteno. No vou dizer que quase impossvel que isso acontea, mas por enquanto questiono, pois esta habilidade encontrada em poucos profissionais e uma mesma empresa ter uma equipe inteira deles!Acredito que a cultura e a falta de entendimento e adaptao dos profissionais em relao ao con-ceito de liderana atual so os principais motivos destas dificuldades. Explico: somos criados e educados para competir, nossa cultura estimula este comportamento e mudanas culturais so bastante difceis, ou seja, os lderes so educados para serem melhor que os outros e exercerem o poder sobre os demais; e a maioria dos trabalha-dores so treinados para obedecerem as ordens do lder / chefes; se acomodam e alguns casos aceitam a relao de poder manda quem pode e obedece quem tem juzo para manterem-se empregados.O lder no aquele que tem o ttulo, nem o dono da empresa, mas aquele que consegue formar no-vos lderes, que agregam valor equipe, que tem

    iniciativa, que buscam resultados coletivos abrindo mo dos prprios interesses pessoais para o bem comum, para o que ser melhor para a empresa e equipe. Assim, acredito que a melhor forma de im-plantar a formao de novas lideranas e diminuir a competio interna pelo poder a liderana por projetos, que pode ser, por exemplo, um projeto com aes para diminuir a inadimplncia e neste assunto a pessoa que mais entende o Z que caixa e faz a cobrana. Nesta equipe de trabalho o Z coordena e o gerente geral da empresa que o Paulo far parte da equipe e auxiliar o processo. Dessa forma voc dar autonomia ao Z e todos devero respeit-lo como lder trabalhando numa relao de troca - dar e receber. Em outro projeto quando o Paulo for o coordenador, com certeza o Z vai auxiliar e muito para que as coisas funcionem, acabando com as vaidades do cargo.Liderana a habilidade da vez de qualquer profis-so, deve ser encarada como uma especializao e o profissional que for especialista em liderana ter realmente um grande diferencial em sua car-reira. Dessa forma, poder uma empresa ter sucesso tendo uma equipe de vendedores e banindo outras especializaes? Um banco feito s de gerentes? Uma editora feita s de redatores? , a coisa no assim to fcil. Vamos combinar: quem conseguir primeiro avisa o outro, vamos trocar experincias.

    Com intuito de reduzir as diferenas e gerar opor-tunidades de crescimento para as regies menos desenvolvidas do pas, o Ministrio da Integrao Nacional apresenta as novas diretrizes de execuo para a Poltica Nacional de Desenvolvimento Regional (PNDR). O texto da PNDR II, lanado na ltima sexta-feira (1), est aberto para contribuies de segmentos da sociedade civil, de esferas do governo e de entidades ligadas ao tema. Aps aportes, o documento deve ser encaminhado Cmara Interministerial de Gesto Integrada de Polticas Regionais, onde a proposta ser definida como decreto ou projeto de lei.De acordo com o secretrio Nacional de Desenvolvi-mento Regional do ministrio, Srgio Castro, apesar dos avanos recentes, o Brasil ainda um pas desigual e que precisa de uma ateno especial em suas polticas de desenvolvimento.

    O Superior Tribunal de Justia (STJ) aprovou, na segunda-feira, a Smula 500 (com poder de criar ju-risprudncia), que reconhece a corrupo de meno-res como crime formal. O deputado federal Jorginho Mello (PR-SC) considera de extrema relevncia o posicionamento da Corte, que fortalece proposta de sua autoria, o Projeto de Lei 5645/2013. A matria, se aprovada, tipificar os crimes de corrupo de menores como hediondos, tornando as punies bem mais severas com penas de recluso que podero variar de 3 a 8 anos de cadeia aos condenados. O PL j esta pronto para pauta do plenrio, aguardando sua incluso na ordem do dia, pois tramita em regime de priorid