Ointegração Lavoura Pecuária

  • Published on
    30-Sep-2015

  • View
    216

  • Download
    2

Embed Size (px)

DESCRIPTION

teste.

Transcript

<ul><li><p>Integrao lavoura </p><p>pecuria ILP</p><p>Milho com capim braquiria</p></li><li><p>INTEGRAO LAVOURA PECURIA ILPMILHO COM CAPIM BRAQUIRIA1 - INTEGRAO LAVOURA PECURIA ILP</p><p> uma proposta tecnolgica de produo sustentvel, que integra ati-vidade agrcola e pecuria, realizadas na mesma rea em cultivo consorciado, em sucesso e ou rotacionado, para produo de gros, carne e leite. O plantio de milho e braquiria na mesma rea e no mesmo perodo (outubro a abril) consrcio um dos sistemas mais simples e prticos como proposta de Integrao Lavoura Pecuria ILP, que faz parte da proposta de se fazer uma agricultura de baixa emisso de gases de efeito estufa, pelo Plano ABC (Agricultura de Baixo Carbono).</p><p>2 - MANEJO DE PLANTAS DANINHAS</p><p>Uma das etapas mais importan-tes o controle de plantas daninhas. Considerando-se a presena da praga e seu estdio de desenvolvimento, reco-menda-se aplicar herbicida no seletivo para realizar a chamada dessecao. conveniente esperar de 20 a 30 dias </p><p>aps as primeiras chuvas, para que haja a rebrota das plantas daninhas, pois a absoro e translocao do herbicida melhoram no interior destas plantas.</p><p>3 - PRTICAS RECOMENDADAS</p><p>As recomendaes no consrcio so as mesmas para os plantios realiza-dos separadamente. Inicialmente cole-tar amostras de solo para anlise, a fim de se conhecerem a fertilidade e a exi-gncia ou no de calagem e ou aduba-o. Quando se usar o sistema de plan-tio direto, e o resultado da anlise do solo indicar a necessidade de calagem, o calcrio aplicado sobre a superfcie do terreno, portanto sem a necessidade de arao e gradagem para a incorpo-rao. Nessa situao a quantidade de calcrio a aplicar menor (1/3 a 1/2) que a calculada, pois, no havendo a incorporao, inicialmente, o efeito se restringe camada superficial do solo. No plantio do milho, utilizar cultivares de alta produtividade. As recomenda-es de poca de semeio, adubao e densidade de plantas so as mesmas </p></li><li><p>para o cultivo do milho no plantio sol-teiro. A semente do capim deve ser de boa qualidade, com valor cultural aci-ma de 35%, e a quantidade a ser plan-tada deve ser em torno de 400 pontos do Valor Cultural - VC por hectare. </p><p>Ex.: sementes com 40% de VC, a quantidade de sementes a ser utilizada por hectare ser 400:40 = 10 kg /ha.</p><p>4 - ARRANJOS DE SEMEADURA</p><p>Diferentes formas de semeadu-ra de braquiria em consrcio com o milho tm sido utilizadas. No entan-to o cultivo de duas linhas nas entre-linhas do milho tem-se mostrado mais apropriado, com maior produo de biomassa da forrageira por ocasio da colheita do milho, sem influenciar na produtividade da cultura. A populao de plantas resultado do espaamento entre as fileiras e plantas deve seguir a </p><p>recomendao para a cultivar utilizada.</p><p>De acordo com as condies do produtor, o plantio pode ser feito de vrias formas:</p><p>a) Com plantadeira tradicio-nal de plantio convencional</p><p>Misturar a semente do capim com o adubo de plantio e regular a profun-didade (para o adubo) para 6 a 8 cm, com o plantio da braquiria na mesma linha do milho. Logo em seguida, fa-zer mais um plantio com a semente de capim, desta vez nas entrelinhas do mi-lho, para que o espaamento do capim fique em torno de 40 cm.</p><p>b) Com plantadeira prpria de plantio direto</p><p>Plantio simultneo que exige uma plantadeira prpria e que distribui as sementes do milho e braquiria e faz a adubao. A linha de milho semeada </p><p>Biomassa seca de Brachiaria brizantha no momento da colheita e produo de gros de milho em funo dos arranjos de semeadura, em kg/ha</p><p>Arranjo de semeadura*Braquiria - kg/ha </p><p>Milho kg/ha</p><p>Duas linhas de braquiria nas entrelinhas do milho 2.664,2 5.030,2</p><p>Uma linha de braquiria nas entrelinhas do milho 1.154,5 5.771,1</p><p>Uma linha de braquiria na linha do milho 714,7 5.549,6</p><p>A lano 450,5 5.772,4</p><p>Milho solteiro** - 5.911,9</p><p>*Espaamento do milho de 1,0 m entre as fileiras.**Espaamento de 0,5 m entre as fileiras.</p></li><li><p>no espaamento convencionado com a semente de braquiria misturada com o adubo. Esta plantadeira, prpria para o plantio direto, vai fazer tambm duas linhas de capim nas entrelinhas do mi-lho, alm do capim semeado na linha do milho.</p><p>c) Plantio convencional e adu-badeira</p><p>Fazer o plantio no espaamento convencionado e, em seguida, com a adubadeira de cobertura, plantar a se-mente de capim misturada com uma parte do adubo fosfatado (ou adubo de cobertura).</p><p>Observao:Para a agricultura familiar existem </p><p>vrios tipos de equipamentos manuais e de trao animal que permitem fa-zer desde a dessecao do capim at o plantio direto do milho com a braqui-ria, com a mesma eficincia da trao mecnica.</p><p>5 - MANEJO DE PLANTAS DANINHAS DURANTE A IMPLANTAO DO CONSRCIO</p><p>Durante a fase do consrcio do milho com a braquiria, importante favorecer o desenvolvimento do milho, mas, evidentemente, sem que ocorra a morte da braquiria, e, sim, um atraso no seu desenvolvimento, consequncia </p><p>do uso de doses reduzidas de herbici-das. O milho muito sensvel compe-tio inicial com as plantas daninhas, e as perdas ocasionadas em funo desta interferncia (gua, nutrientes e luz) podem chegar a 85%. Outros efeitos negativos podem ser diretos, como a alelopatia e a interferncia na colheita, e indiretos, como os provocados por in-setos ou doenas. Algumas prticas po-dem ser adotadas, entre elas citam-se a adubao mais concentrada de nitrog-nio no incio do ciclo, para favorecer o crescimento inicial do milho, em relao s plantas daninhas e prpria braqui-ria, e a reduo do espaamento entre as plantas da lavoura. So dois os mo-mentos mais importantes no controle das plantas daninhas. O primeiro antes do plantio (dessecao) e o segundo du-rante o perodo crtico, quando as plan-tas tm de quatro a seis folhas. Neste segundo momento, a competio pode causar danos irreversveis cultura. Aps este perodo, as plantas daninhas que se desenvolverem no iro prejudi-car a produo, e o produtor no preci-sa se preocupar com o desenvolvimento da braquiria. No entanto algumas es-pcies podem prejudicar a colheita, tan-to manual quanto mecanizada, como o caso da infestao da dormideira, que pode provocar ferimentos nas mos dos trabalhadores, e da corda-de-viola, que pode inviabilizar a colheita mecanizada.</p></li><li><p>5.1 - Controle qumicoA escolha do herbicida e o estabe-</p><p>lecimento da dosagem no so tarefas simples. Devem ser feitos sempre com critrio rigoroso, pois o uso de forma errnea, alm de causar prejuzo ao agricultor, pode contaminar o solo, a gua e o ar. Se forem aplicadas doses muito altas de herbicida, a braquiria morre, e, com doses muito pequenas, no haver controle eficiente. Os her-bicidas devem ser aplicados em ps--emergncia das culturas e plantas da-ninhas. Este tipo de herbicida apresenta ao residual variada, bem tolerado pelas plantas de milho e tem uma ao rpida sobre as plantas daninhas. Para o controle das diferentes plantas dani-nhas so utilizados dois tipos de herbi-cidas: </p><p>a) Atrazine: para controle de fo-lhas largas.</p><p>b) Nicosulfuron ou Foramsul-furon + Iodosulfuron methyl-so-dium: para o controle de gramneas. </p><p>No caso de ocorrncia de plantas de folhas largas, o controle no oferece problemas, pois a aplicao de Atrazi-ne no compromete o crescimento do milho nem da braquiria. Por outro lado, um dos maiores problemas na im-plantao do milho consorciado com a braquiria quando a rea apresenta infestao de gramneas de crescimen-</p><p>to rpido. Nestes casos recomenda-se usar 1/5 da dose de Nicosulfuron ou Foramsulfuron + Iodosulfuron methyl--sodium, de forma a controlar as plan-tas daninhas e gramneas e apenas retardar o crescimento da braquiria. Para o Nicosulfuron, a dose recomen-dada de 50 a 300 g/ha, e para o Foramsulfuron + Iodosulfuron methyl--sodium, a dose de 30 a 50 g/ha. As dosagens dependem da concentrao do princpio ativo existente em cada um dos produtos comerciais. A dosa-gem depende tambm do estdio de crescimento da braquiria e das plantas daninhas, ou seja, quanto mais desen-volvida a braquiria, maior poder ser a dosagem do herbicida. Para conseguir um controle mais efetivo e sem muitas injrias braquiria, deve-se evitar a pulverizao em dias chuvosos. No en-tanto a umidade do solo muito impor-tante para a ao dos herbicidas. Evitar a aplicao nas horas mais quentes do dia ou quando a umidade relativa do ar estiver menor que 60%, para minimi-zar a perda do herbicida. A escolha dos bicos dos pulverizadores deve ser feita de forma a reduzir ao mximo a deriva, sendo a regulagem realizada de acor-do com as especificaes do fabricante para a presso de trabalho. A altura da barra de pulverizao deve permanecer em torno de 0,5 m de distncia do alvo para melhor distribuio da calda her-bicida.</p></li><li><p>Srie Cincias AgrriasTema Agriculturarea Culturas</p><p>Eng. Agr. Jos Alberto vila PiresEng. Agr. Wilson Jos RosaDepartamento Tcnico da EmaterMGProf. Lino Roberto FerreiraUniversidade Federal de Viosa UFVFoto da capa: Jos Alberto vila PiresAgosto de 2012</p><p>6 - COLHEITA DO MILHO</p><p>O milho pode ser utilizado tanto para silagem quanto para gros. No entanto a braquiria precisa passar por um perodo de recuperao at o pon-to de a rea ser pastejada. Isso normal-mente coincide com o final do perodo das guas, tornando o pasto uma reser-va para o incio do perodo seco do ano. Quando colhido para gros, deve-se ter o cuidado de no atrasar a colheita, pois, medida que o milho vai secan-do, abre-se espao para entrada de luz, e a braquiria tende a se desenvolver muito, dificultando a colheita do cereal.</p><p>7 - MANEJO DA BRAQUIRIA</p><p>Com a colheita do milho, a prio-ridade dar condies braquiria de se desenvolver e produzir o mximo de forragem. Recomenda-se a aplicao de 50 kg/ha de nitrognio para acele-rar o crescimento e, assim, aumentar a produo de forragem. Realizar um pastejo para cortar a braquiria e indu-zi-la brotao. Neste primeiro paste-jo, a forrageira no aceita uma presso igual de uma pastagem implantada solteira. Se possvel, entrar com gado mais leves.</p><p>8 - CONSIDERAES FINAIS</p><p>O plantio de milho em consrcio com a braquiria uma excelente opo, uma vez que o milho, alm de custear todo o processo de implantao, garante o manejo da fertilidade do solo, de for-ma que a braquiria encontre boas con-dies para a sua instalao e manuten-o. Ficar atento a pontos importantes: utilizar sempre tecnologia de produo de milho para altas produtividades; an-tes dos plantios do milho e da braquiria, controlar efetivamente as plantas dani-nhas; para o controle da competio da braquiria e de outras gramneas com o milho, utilizar uma subdosagem de her-bicida (1/5 da dosagem recomendada), quando o milho apresentar de quatro a seis folhas; realizar a colheita do milho o mais cedo possvel; realizar um paste-jo inicial com baixa taxa de lotao, de forma a induzir a brotao da braquiria.</p></li></ul>

Recommended

View more >