Orca Novembro 15 - ?· - PORK MICROCERVEJARIA LTDA-ME - POLLETO COMÉRCIO DE GAS-ME cia de contribuir,…

  • Published on
    21-Jan-2019

  • View
    212

  • Download
    0

Embed Size (px)

Transcript

  • Novembro de 2015 - ANO IXN 90 | CRC PR n 004346/0-7

    No mercado cada vez mais com-petitivo a conquista da sede prpria, alm de representar um sonho, uma necessidade.Pensando nisso, o Orca Contabi-lidade inaugura sua sede dia 21 de novembro de 2015.Ato inaugural s 10h, aps ser servido coquetel com visita e apresentao do escritrio.Um momento que ficar ainda mais especial com sua visita;Venha e sinta-se em casa!

    CONVITECONVITE

    Rua Ledono Jos Biavatti1606, Vila Industrial

    Toledo - Paran

  • BEM VINDOS- PANKE & BRAGA AUTOMAO LTDA- SERGIO ANTONIO BENKE INSTALADORA-ME- PORK MICROCERVEJARIA LTDA-ME- POLLETO COMRCIO DE GAS-ME

    A Campanha Legal 2015 Pacto pela Criana, foi lanada na tera-feira (21), no auditrio da Associao Comercial e Empresarial de Toledo. O encontro reuniu representantes do Conselho Municipal dos direitos da Criana e do Adolescente (CMDCA), Secretaria Municipal de Assistn-cia Social, Acit, Associao dos Contabilis-tas, Cmara de Vereadores, Sescap, Sicoob Oeste, Uniprime, das entidades assistenci-ais, entre outras lideranas. A campanha consiste na destinao de at 6% do Imposto de Renda (IR) das pessoas fsicas e 1% de pessoas jurdicas para entidades no governamentais do municpio, as quais desenvolvem atividades de assistncia social. Em 2014 o valor total repassado s entidades foi de R$ 865.482,55, provenientes das contribuies dos cidados e empresas, alm de valores de multas determinadas pela Vara da Infncia e Juventude, mais recursos destinados pela Fundao Ita Social.De acordo com a presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Criana e do Adolescente (CMDCA), Elis Francini Souza Coelho, os recursos da Campanha Legal fazem grande diferena para as entidades. Esse dinheiro pode ser aplicado nas melhorias de infraeestrutura, equipamentos e outros investimentos, j que os repasses de convnios governamentais so emprega-dos nas despesas de manuteno. O recurso da campanha possibilitam que as entidades faam algo a mais na estrutura fsica, porque no conseguem ter sobras para esses investimentos. Assim, elas conseguem investir na aquisio de novos materiais, equipamentos, enfim, podem incrementar as atividades desenvolvidas, ressalta.

    PotencialSegundo o presidente da Acit, Danilo Gass, a perspectiva de arrecadao da campanha muito boa, levando em conta o expressivo crescimento nos ltimos cinco anos. A questo principal fazer com que as pessoas se sensibilizem quanto importn-

    Campanha Legal lanada

    cia de contribuir, antecipando o valor que dever ser pago em imposto. Precisamos quebrar um paradigma, muitas pessoas ainda tm resistncia em fazer essa colaborao, que na verdade uma transferncia de recursos, antecipar um imposto que iria para o governo federal e possibilitar que ele fique na cidade, seja investido em entidades que fazem impor-tante trabalho para a sociedade, explica.Danilo ressalta que as entidades assistenci-ais beneficiadas com esse dinheiro realizam melhorias significativas na estrutura, o que gera benefcios comunidade atendida. impressionante o que as entidades tm feito, porque os recursos que recebem do governo so para a manuteno, o dia a dia, mas a parte de investimento em estrutura vem dessas doaes. As pessoas podem visitar as entidades, conhecer os avanos, no sentido de dar conforto, melhorar o atendimento e levar ao crescimento. Por isso, fazemos um apelo aos contribuintes para que tambm participem da campanha, frisa.Conforme destacou o presidente da Associao dos Contabilistas de Toledo, Rodirlei Oliveira, o trabalho realizado no municpio referncia, pelas parcerias que envolve, valores arrecadados e aplicao das entidades. Pretendemos ampliar nosso trabalho no sentido de sensibilizar nossos clientes quanto a importncia da campanha e da destinao antecipada do imposto devido. O resultado alcanado bastante expressivo, no entanto, podemos dobrar ou at triplicar esse valor, porque temos potencial de chegar a aproximadamente R$ 2 milhes, salienta.

    Como fazerCada cidado ou empresa pode destinar parte do imposto que devido ao governo federal ao Fundo Municipal dos Direitos da Criana e do Adolescente (FIA), para serem distribudos entre entidades que desen-volvem aes de assistncia e proteo a crianas e jovens.A destinao de pode ser feita at dia 30 de

    dezembro, de modo que haja tempo hbil para o escritrio de contabilidade emitir documentos. A pessoa fsica pode destinar at 6% do Imposto de Renda devido e de 1% no caso das empresas que se enquadram no regime de lucro real. Se o contribuinte pessoa fsica perder o prazo em dezembro, a legislao possibilita fazer a destinao de janeiro a abril, contudo, o percentual cai para at 3%.Rodirlei salienta ainda o ideal que as pessoas procurem a orientao do contador de confiana para que ele faa os clculos dos valores corretamente. A destinao no s sobre o valor devido, mas sim sobre a base de clculo do IR. Caso o contribuinte tiver restituio, pode contribuir da mesma forma. Se por exemplo tiver direito de R$ 100,00 de restituio e contribuir com esse mesmo valor, ter R$ 200,00 de restituio, exemplifica o contabilista.

    BeneficiadosAs instituies beneficiados so as que possuem registro regularizado junto ao Conselho Municipal dos Direitos da Criana e do Adolescente. So elas a Associao de Pais e Amigos dos Deficientes Auditivos (APADA), Associao de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE), Aldeia Infantil Betes-da, Ao So Vicente de Paulo, Casa de Maria, Entidade Dorcas, Ledi Mass Lions e o Circo da Alegria, por meio da Associao de Pais, Mestres e Funcionrios (APMF) da Escola Municipal Anita Garibaldi. No evento de lanamento cada entidade pode apresentar um breve relato das aes e aquisies com os recursos da campanha.A Campanha Legal realizada pelo Conselho Municipal dos Direitos da Criana e do Adolescente (CMDCA) e tem o apoio da Prefeitura de Toledo, Associao dos Contabilistas de Toledo, Sindicato das Empresas de Servios Contbeis e das Empresas de Assessoramento, Percias, Informaes e Pesquisas no Estado do Paran (SESCAP-PR), Conselho Regional de Contabilidade (CRC), Associao Comercial e Empresarial de Toledo (ACIT), Associao Toledana de Imprensa (ATI), Sicoob Oeste e Uniprime. (Fonte: ACIT)

    Destinao de parte do imposto de renda em Toledo vai at 30 de dezembro

    - DUTRA & LIMBERGER LTDA - ME

    - ALBERTI & SILVEIRA PIZZARIA E PETISCARIA LTDA-ME

    - JCM - CLNICA ODONTOLOGICA LTDA-ME

    - PANKE & BRAGA AUTOMAO LTDA

    - CENTRO ACADMICO DE ENGENHARIA AMBIENTAL

    DA PONTIFCIA CATLICA DO PARAN

  • ,

    Braslia - Defesas veementes e recheadas de nmeros deram o tom da 191 Sesso do Senado Federal que, na tera-feira (27), debateu o Simples Nacional. O encontro foi organizado pelo gabinete da senadora Marta Suplicy (PMDB-SP), relatora do projeto de lei que altera a Lei Geral da Micro e Pequenas Empresa, e convocado pelo presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL).A defesa do projeto ficou a cargo do ex-ministro da Secretaria da Micro e Pequena Empresa, Guilherme Afif Domingos; do gerente de Polticas Pblicas do Sebrae, Bruno Quick; dos deputados Jorginho Mello (PR-SC) e Joo Arruda (PMDB-PR); e de Carlos Bittencourt, diretor do Departamento de Micro, Mdias e Pequenas Indstrias da Federao das Indstrias do Estado de So Paulo (Fiesp). Os senadores Jos Pimentel (PT-CE); Paulo Bauer (PSDB-SC); Ronaldo Caiado (DEM-GO) e Ana Amlia (PP-RS) tambm discursaram a favor do projeto de lei.O ex-ministro Afif foi enftico em sua defesa do projeto, a que chama Crescer sem Medo. Outros pases no tm o manicmio tributrio que existe no Brasil. O Simples uma capa protetora, enquanto no fazemos a necessria reforma tributria. Hoje, criamos obstculos para o crescimento com aumentos sbitos de carga tributria. A correo da tabela para que todos os pequenos negcios atuem na formalidade, ponderou.Bruno Quick, por sua vez, lembrou que 93% dos novos postos de trabalho no Brasil na ltima dcada surgiram nas micro e pequenas empresas. E citou como caso de sucesso a participao de 37% de pequenos negcios nas compras pblicas do governo federal, bem como a atuao junto a prefeituras para que elas aumentem suas aquisies de empreendedores locais. A pequena empresa faz a diferena na realidade brasileira, enfatizou.

    Simples Nacional tema de debate no Senado

    Dono de uma pequena indstria de materiais esportivos em So Paulo, Carlos Bittencourt relatou a dificuldade que teve para no demitir neste ano e que v como uma misso empreender no Brasil. preciso ter uma legislao que ajude a crescer, em vez de obrigar o empreendedor a passar a maior parte do tempo tentando manter a empresa de p. Pensem naqueles que produzem e que geram empregos. Ns, pequenos empreendedores, agradecemos. O Brasil agradece, concluiu. (Fonte: Agencia Sebrae)

    Paran lidera exportaes das cooperativas O Paran respondeu por 36% das exportaes das cooperativas brasileiras de janeiro a setembro deste ano. As cooperativas do Estado somaram US$ 1,49 bilho de um total de US$ 4,13 bilhes vendidos no Exterior pelo sistema no Pas.O Estado ficou frente de So Paulo (US$ 812,7 milhes), Minas Gerais (658,4 milhes) e Santa Catarina (US$ 503,7 milhes), de acordo com dados do Ministrio do Desenvolvimento, Indstria e Comrcio (MDIC). O resultado puxado pelas exportaes de gros e de frango. Das seis cooperativas brasileiras com exportaes acima de US$ 100 milhes, trs so do Paran: Coamo Agroindustrial, de Campo Mouro, que tambm a maior exportadora do Pas; a C.Vale, de Palotina; e a Copacol, de Cafelndia. A lista de exportadoras conta ao todo com 19 cooperativas, que respond-eram, no perodo, por 18% das exportaes totais do Paran no perodo. China e Unio Europeia so os principais mercados. As cooperativas sempre tiveram papel relevante no Paran e

    contriburam para o desenvolvimento do Interior, com forte gerao de emprego, agregao de valor, pesquisa e inovao, diz Francisco Jos Gouveia de Castro, diretor do centro estadual de estatstica do Ipardes (Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econmico Social). De acordo com Castro, elas contriburam para que algumas regies, como o Oeste e do Sudoeste, tivessem um desenvolvimento acima da mdia do Estado nos ltimos anos. Atualmente 3,3 milhes de pessoas esto ligadas direta ou indiretamente ao setor no Paran. A combinao de safras recordes de gros, aliadas a pesados investimentos em tecnologia e profissionalizao, colocaram o Paran no topo do setor. Entre 2010 e 2014, as cooperativas ampliaram exportaes em 46%, para US$ 2,4 bilhes. (ANPr)

  • A Comisso de Defesa do Consumidor da Cmara dos Deputados aprovou proposta que d garantia de um ano para programas de computador e jogos eletrnicos arma-zenados em mdia digital, como DVD, CD e pen drive, adquiridos pelos consumidores.Pela proposta, o fabricante do software ser obrigado a disponibilizar um canal de atendimento para o consumidor requerer uma cpia do programa no caso de a mdia original sofrer dano durante a garantia. A empresa dever enviar um cdigo para que o cliente possa baixar o programa pelo seu site ou dever enviar uma nova mdia no prazo mximo de dez dias.O texto aprovado o substitutivo da Comisso de Cincia e Tecnologia, Comunicao e Informtica ao Projeto de Lei 2166/11, do deputado Aureo (SD-RJ). O parecer do relator, deputado Alexandre Leite (DEM-SP), foi pela aprovao do projeto na forma do substitutivo.Pelo texto original, em caso de dano da mdia, o consumidor teria acesso a uma cpia do programa por meio de um cdigo

    Comisso aprova garantia de um ano para programas de computador e jogos eletrnicos

    de barras, obrigatoriamente impresso na embalagem do produto. O texto aprovado substituiu a entrega de cdigo de barras ao consumidor pela disponibilidade de canal de atendimento que fornea cdigo para baixar contedo diretamente da internet ou, alternativamente, o reenvio da mdia fsica no prazo de 10 dias.Alm disso, o substitutivo determina que a sano pelo descumprimento da norma ser compartilhada entre o fabricante e fornecedor. Os dois respondero pelo pagamento de multa de dez vezes o valor

    de venda do produto, que ser revertida ao consumidor. O projeto original fixa multa de R$ 5 mil por unidade a ser paga pelo fornecedor.

    TramitaoO projeto tramita em carter conclusivo pelas comisses. J foi aprovado pela Comisso de Cincia e Tecnologia e Comunicao e Informtica e ser analisa-do agora pela Comisso de Constituio e Justia e de Cidadania. (Fonte: Agncia Cmara)

    Braslia - Tornar-se um microempreendedor individual (MEI) a chance que o pequeno comerciante ou prestador de servio tem de sair da informalidade. Ser formalizado oferece muitos benefcios ao micro e pequeno empresrio, como direito a aposentadoria, auxlio doena e licena-ma-ternidade, com custo inferior a R$ 50 mensais.Quem MEI pode emitir nota fiscal e conseguir crdito como pessoa jurdica. Hoje, sete em cada dez pessoas que se formalizam conseguem aumentar as vendas. Em seis anos, mais de cinco milhes de brasileiros viraram microempreendedores individuais. Para ser MEI o fatura-mento deve ser de no mximo R$ 60 mil por ano, uma mdia de R$ 5 mil reais por ms. Alm disso, o empreend-edor no pode ter participao em outras empresas como scio ou titular.(Agncia Sebrae)

    A Comisso de Defesa do Consumidor da Cmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei2123/15, do deputado Rmulo Gouveia (PSD-PB), que probe que seja cobrado qualquer valor pela elaborao de oramento de servio de reparo solicitado pelo consumidor. A proibio valer independentemente de o oramento ser feito no estabelecimento do prestador do servio ou no local solicitado pelo consumidor.O projeto inclui dispositivo no Cdigo de Defesa do Consumidor (Lei 8.078/90).O parecer do relator, deputado Fabricio Oliveira (PSB-SC), foi favorvel proposta. Segundo ele, o prestador de servio de reparo pode incluir as eventuais despesas com deslocamento ao domiclio do consumidor no preo a ser cobrado, nas situaes em que ocorre a execuo do servio. E se o servio no for autorizado pelo consumidor, o presta-dor de servio dilui esse custo na gama de outros servios que mensalmente executa, sendo o custo do servio no autorizado absorvido pela empresa prestadora de servio, acrescentou.

    Comisso probe cobrana por oramento para servio de reparo

    MEI - Em seis anos, mais de cinco milhes trabalhadores

  • dezembro, de modo que haja tempo hbil para o escritrio de contabilidade emitir documentos. A pessoa fsica pode destinar at 6% do Imposto de Renda devido e de 1% no caso das empresas que se enquadram no regime de lucro real. Se o contribuinte pessoa fsica perder o prazo em dezembro, a legislao possibilita fazer a destinao de janeiro a abril, contudo, o percentual cai para at 3%.Rodirlei salienta ainda o ideal que as pessoas procurem a orientao do contador de confiana para que ele faa os clculos dos valores corretamente. A destinao no s sobre o valor devido, mas sim sobre a base de clculo do IR. Caso o contribuinte tiver restituio, pode contribuir da mesma forma. Se por exemplo tiver direito de R$ 100,00 de restituio e contribuir com esse mesmo valor, ter R$ 200,00 de restituio, exemplifica o contabilista.

    BeneficiadosAs instituies beneficiados so as que possuem registro regularizado junto ao Conselho Municipal dos Direitos da Criana e do Adolescente. So elas a Associao de Pais e Amigos dos Deficientes Auditivos (APADA), Associao de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE), Aldeia Infantil Betes-da, Ao So Vicente de Paulo, Casa de Maria, Entidade Dorcas, Ledi Mass Lions e o Circo da Alegria, por meio da Associao de Pais, Mestres e Funcionrios (APMF) da Escola Municipal Anita Garibaldi. No evento de lanamento cada entidade pode apresentar um breve relato das aes e aquisies com os recursos da campanha.A Campanha Legal realizada pelo Conselho Municipal dos Direitos da Criana e do Adolescente (CMDCA) e tem o apoio da Prefeitura de Toledo, Associao dos Contabilistas de Toledo, Sindicato das Empresas de Servios Contbeis e das Empresas de Assessoramento, Percias, Informaes e Pesquisas no Estado do Paran (SESCAP-PR), Conselho Regional de Contabilidade (CRC), Associao Comercial e Empresarial de Toledo (ACIT), Associao Toledana de Imprensa (ATI), Sicoob Oeste e Uniprime. (Fonte: ACIT)

    0,21 0,37 0,69 0,30 1,62 1,22 0,70 1,10 0,62 0,47 0,82 0,56 0,66 8,07 9,54

    0,02 0,59 1,14 0,38 0,67 0,53 1,21 0,92 0,40 0,68 0,58 0,40 1,42 7,01 9,28

    0,20 0,28 0,98 0,62 0,76 0,27 0,98 1,17 0,65 0,67 0,69 0,28 0,95 6,34 8,35

    0,57 0,42 0,51 0,78 1,24 1,22 1,32 1,32 1,32 0,79 0,62 0,22 0,54 7,64 9,49

    0,49 0,38 0,53 0,62 1,48 1,16 1,51 0,71 0,99 0,77 0,58 0,25 0,51 8,23 9,90

    0,86 0,89 0,88 0,94 0,89 0,89 1,01 0,99 1,06 1,02 1,10 1,13 1,10 14,25 9,72

    SET OUT NOV DEZ JAN FEV MAR ABRIL MAIO JUN JUL AGO SET NO ANO U. 12 M.

    SALRIO MNIMO DE 1994 A 2014

    01.01.13

    2014 01.01.14 724,00

    FONTE

    IPC/FIPE

    IGP/DI

    IGP/M

    IPCA

    INPC/IBGE

    TAXA SELIC

    FAIXA DE AT TAXA DESCONTO

    1 0,00 1.787,73 0,00% 0,00

    2 1.787,74 2.679,29 7,50% 134,08

    3 2.679,30 3.572,43 15,00% 335,03

    4 3.572,44 4.463,81 22,50% 602,96

    5 4.463,82 999.999,99 27,50% 826,15

    DESCONTO POR DEPENDENTE R$ 179,71

    FAIXAS DE AT TAXA

    1 0,00 1.317,07 8,00%

    2 1.317,08 2.195,12 9,00%

    3 2.195,13 4.390,24 11,00%

    at R$ 682,51 = R$ 35,00de R$ 682,51 a R$ 1.025,81 = R$ 24,66

    2015 01.01.15 788,00