PRAGAS GRÃOS ARMAZENADOS Douglas Junior Bertoncelli Kelly Pazolini Letícia Reis Pollyana H. Almeida Rafaele Cristina Negri

  • Published on
    22-Apr-2015

  • View
    104

  • Download
    1

Embed Size (px)

Transcript

  • Slide 1
  • PRAGAS GROS ARMAZENADOS Douglas Junior Bertoncelli Kelly Pazolini Letcia Reis Pollyana H. Almeida Rafaele Cristina Negri
  • Slide 2
  • Introduo As perdas mdias brasileiras de gros, estimadas pelo Ministrio da Agricultura, Pecuria e Abastecimento e pela FAO, indicam valores de, aproximadamente, 10% do total produzido anualmente Isso representa cerca de 10 milhes de toneladas de gros/ano
  • Slide 3
  • Segundo Brooker et al. (1992), so muitos os fatores que contribuem para a perda de qualidade e quantidade dos alimentos e, dentre eles, destacam-se : Caractersticas da espcie e da variedade Condies ambientais durante o desenvolvimento poca e procedimento de colheita Mtodo de secagem e prticas de armazenagem
  • Slide 4
  • Tipos de danos Qualitativo perda do poder germinativo depreciao do gro para o consumo perda do valor nutricional perda do valor comercial Quantitativo perda de peso
  • Slide 5
  • Tipos de praga Primrias: so capazes de romperem os gros intactos Primrias internas: rompem os gros e se alimentam do seu contedo interno Primria externa: rompem os gros e se alimentam da parte externa
  • Slide 6
  • Secundrias : incapazes de romper os gros intactos (gros danificado). Associadas: esto presentes nos gros mas no os atacam. Alimentam-se de detritos e fungos e podem alterar a qualidade do produto. Ocasionais: raramente atacam os produtos armazenados
  • Slide 7
  • Soja At pouco tempo atrs,no sofria ataques de pragas na ps-colheita, durante a armazenagem de gros ou sementes. Pela falta de cuidado dos armazenadores e pelo contato direto com sementes de outras culturas como milho, trigo e arroz, as pragas comearam a se alimentar tambm da soja.
  • Slide 8
  • J existem cinco pragas preocupantes na ps-colheita da soja: duas delas so traas (Ephestia elutella e a Ephestia cautella) trs no tm nome popular, so a Lasioderma serricorne, Oryzaephilus surinamensis e Cryptolestes ferrugineus. Elas causam furos e ranhuras na soja e chegam a inviabilizar as sementes para plantio.
  • Slide 9
  • Traa Os adultos so mariposas de colorao parda, com 20 mm de envergadura Traa das Farinhas Pequena mariposa com cerca de 10 mm de comprimento e colorao acinzentada Ephestia elutella Ephestia cautella
  • Slide 10
  • Lasioderma serricorne Oryzaephilus surinamensis Cryptolestes ferrugineus
  • Slide 11
  • Milho Gorgulho ou caruncho do milho (Sitophilus zeamais ) 2,5 a 4 mm de comprimento colorao castanho escuro cabea prolongada formando uma tromba um pouco recurvada, onde se inserem as peas bucais. A tromba do macho mais curta e rugosa.
  • Slide 12
  • Slide 13
  • Traa dos cereais ( Sitotroga cerearella) O inseto adulto uma mariposa, mede de 11 a 16 mm. colorao amarelo palha
  • Slide 14
  • Caruncho do arroz (Sitophilus oryzae )
  • Slide 15
  • Milho Prostephanus truncatus Os adultos broqueiam os produtos formando um furo redondo. medida que broqueiam o gro deixam, em abundncia, o p que serve para detectar sua presena. uma praga primria de grande capacidade destrutiva do milho em climas quentes. H registros de perdas de at 40% em milho em espiga armazenado durante seis meses. Os gros so atacados antes e depois da colheita.
  • Slide 16
  • Trigo; Arroz; Gorgulho do arroz (Sitophilus oryzae) 2-3mm de comprimento Preto acastanhado No voa
  • Slide 17
  • Feijo Gorgulho do feijo (Bruchus quadrimaculatus)
  • Slide 18
  • MIP Conhecer a unidade armazenadora de gros Limpeza e higienizao da unidade armazenadora Identificao de pragas
  • Slide 19
  • Potencial de destruio de cada espcie-praga Proteo do gro com inseticidas Tratamento curativo Monitoramento da massa de gros
  • Slide 20
  • Obrigado(a)! rafaelenegri@hotmail.com