REDES SOCIAS: O TWITTER NA SALA DE ?· REDES SOCIAS: O TWITTER NA SALA DE AULA SCARABOTTO, Suelen do…

  • Published on
    08-Nov-2018

  • View
    212

  • Download
    0

Embed Size (px)

Transcript

  • REDES SOCIAS: O TWITTER NA SALA DE AULA

    SCARABOTTO, Suelen do Carmo dos Anjos PUC PR

    suu.anjos@gmail.com

    TOSATTO, Carla PUCPR ctosatto@positivo.com.br

    RUARO, Laurete Maria UNICENTRO

    lauretemaria@yahoo.com.br

    TORRES, Patrcia Lupion PUCPR patorres@terra.com.br

    Eixo Temtico: Comunicao e Tecnologia

    Agncia Financiadora: no contou com financiamento

    Resumo O presente trabalho tem como objetivo discutir a experincia pedaggica a partir da utilizao didtica das redes sociais desenvolvida no primeiro semestre de 2011 na disciplina de Teoria e Prtica na Educao a Distncia do programa de ps-graduao strictu sensu da Pontifcia Universidade Catlica do Paran. Considerando que a internet um veculo de comunicao que dissemina grande parte das informaes no cenrio atual, faz-se importante discutir as possibilidades de utilizao educacional de alguns sites que so bastante populares, dentre elas, as redes sociais como o Twitter, Facebook, Orkut, MySpace e Youtube. Sob a luz de contribuies de autores como Moran (2007); Recuero (2005); Torres (2007), buscou-se teorizar a ao desenvolvida nessas redes sociais vislumbrando analisar o seu possvel potencial para envolver estudantes e docentes em um processo mais dinmico, interativo e significativo de aprendizagem em que h possibilidade tanto de democratizao e produo de conhecimento como de desmitificao da banalizao desses espaos virtuais. Entendeu-se que, a princpio, necessrio conhecer todos os suportes textuais e comunicacionais que permeiam o universo de nossos alunos para, ento, aproximar-se e usufruir dos canais de que eles dispem favorecendo maior dialogicidade e subsidiando instrumentos para que esses veculos de comunicao dos quais eles se alimentam e disseminam mensagens no se tornem lineares e mesmo distanciados de interpretao crtica. As possibilidades didticas para as redes sociais podem ser intencionalmente organizadas de modo a privilegiar a criatividade, a colaborao e a superao do senso comum sem perder de vista, entretanto, suas limitaes uma vez que sua natureza privilegia o entretenimento e que nem todos os espaos virtuais contribuem para organizao efetiva de processo educativo sistematizado. Palavras-chave: Redes sociais. Ensino e aprendizagem. Didtica.

  • 8041

    Introduo

    Junto a reorganizao social frente ao advento das tecnologias, percebe-se que as

    estratgias utilizadas para comunicao vem sendo transformadas significativamente. Com

    maior acesso rede mundial de computadores, observa-se que, no obstante a incluso digital

    como parte da incluso social ainda seja utpica em um pas continental e com distribuio de

    renda desigual como o Brasil, cada vez mais jovens, crianas e adultos de diversas condies

    sociais, culturais e econmicas acessam informaes, assim como disseminam sua cultura em

    espaos virtuais na internet.

    Nesse contexto, no Brasil, h crescente procura pela utilizao de sites de

    relacionamento como ferramenta principal de comunicao. Conforme matria publicada pela

    Folha Online em 2008,

    [...] o brasileiro fica, em mdia, cinco horas por ms em sites relacionados a comunidades. Nos outros pases, esse valor no passa das duas horas, com exceo dos internautas do Reino Unido, que gastam duas horas e meia nesses portais. A empresa inclui na categoria "comunidades" as pginas de redes Orkut e MySpace, blogs, microblogs, bate-papos, fruns, grupos de discusso, mundos virtuais e outros sites semelhantes que renem grupos de interesse e de relacionamento. (FOLHA, 2008)

    O interesse do brasileiro pela leitura e produo de contedos na internet pode ser uma

    grande possibilidade de constituir formas mais significativas de organizao da didtica

    escolar. As redes sociais podem ser consideradas como elemento ldico para potencializar o

    prazer pela produo dos contedos referentes ao currculo assim como aproximar a escola da

    realidade concreta dos alunos.

    Conforme Moran (2007, p. 100) se os alunos fizerem pontes entre o que aprendem

    intelectualmente e as situaes reais, experimentais, profissionais ligadas a seus estudos, a

    aprendizagem ser mais significativa, viva, enriquecedora, os espaos virtuais j habitados

    pelos alunos pode ser caracterizada como veculo para essa aproximao.

    Considerando essa condio, discutiu-se na disciplina de Teoria e Prtica na Educao

    a Distncia do programa de ps-graduao strictu sensu da Pontifcia Universidade Catlica

    do Paran, ministrada pela professora Patricia Lupion Torres, a presena das redes sociais no

    contexto contemporneo a fim de estudar estratgias didtico-pedaggicas para explorao

    educacional desse recurso.

  • 8042

    Para alm das discusses tericas a partir de fundamentao de autores estudiosos da

    temtica, as aulas permitiram organizao de laboratrios de aprendizagem que tiveram como

    suporte as redes sociais Twitter, Facebook, Orkut, MySpace e Youtube. Cada grupo de alunos

    produziu situaes de aprendizagem, as props e as dinamizou nesses espaos virtuais

    coordenando o processo de construo coletiva do conhecimento a partir dos recursos e

    limitaes de cada rede.

    Essa situao provocou na turma de alunos uma nova condio de pensar o

    planejamento educacional impulsionando a deslocar a centralidade do processo da sala de

    aula para o mundo virtual. Nem sempre fcil transpor os limites tradicionais da educao e

    redimensionar formas de comunicao j cristalizadas, principalmente quando h necessidade

    de maior pesquisa e cuidado na organizao e mediao das aes de ensino.

    O presente texto discutir essa experincia sob o enfoque da utilizao pedaggica do

    Twitter, rede social na qual esse grupo aprofundou a pesquisa e organizao de atividades

    pedaggicas. Sero apresentadas as caractersticas positivas e limitadoras da rede, assim como

    as possveis estratgias para, a partir dessa interface, desenvolver movimento de comunicao

    menos linear com os estudantes e incentiv-los a refletir sobre esse suporte e os contedos

    veiculados nele.

    Redes sociais e educao

    O uso das redes sociais faz parte da vida dos alunos e de muitos professores, pois,

    trata-se de uma linguagem que vem sendo amplamente inserida nos novos modos de

    produo, comunicao e interao social e cultural. No h, por conseguinte, como ignorar

    as transformaes advindas com o uso das redes sociais, que imprimem na vida de todos ns,

    novas possibilidades de dilogo e interao com os outros e com o mundo.

    Interao, dilogo, comunicao so palavras que vem sendo amplamente utilizadas

    para pensar a educao em uma perspectiva inovadora, comprometida com a produo do

    conhecimento, com a compreenso, a criao, a transformao e, com um novo olhar para os

    alunos, mais ativos, participativos, coautores e produtores de conhecimento e cultura.

    Conforme Rangel (2007), as redes sociais numa perspectiva ecossistmica so o

    suporte para a convivncia humana uma vez que, a partir delas, h comunicao e

    estabelecimento de vnculos dos mais variados gneros e nveis. A autora menciona que

  • 8043

    As redes sociais esto estabelecidas tambm enquanto interaes entre seus membros. Estas interaes se caracterizam, alm dos vnculos, da comunicao e das relaes, pela organizao ao redor do fazer, de estruturar o tempo e o modo como este se utiliza. Assim, as relaes sociais permitem dar sentido s vidas das pessoas que nelas participam, favorecendo a construo de suas identidades, propiciando a sensao de que esto ali para algum, que tem os recursos necessrios para dar conta de diversas tarefas e dar suporte social. Desta forma, promovem o sentido a suas aes e prticas de cuidado social e autocuidado. (RANGEL, 2007, 27)

    Nesse sentido de pertencimento, construo de identidade e busca de um lugar em que

    se tenha espao para falar e ser ouvido, Rangel (2007) menciona que podem ser definidas

    como funes das redes: companhia social, apoio emocional, guia cognitivo, regulao social,

    ajuda material e de servios, acesso a novos contatos.

    Esses mesmos conceitos podem ser utilizados quando pensamos em redes sociais

    virtuais; devido a facilidade de acesso rede mundial de computadores, observa-se que alguns

    modelos de organizao social migram para o ciberespao e so fortalecidas pela aceitao

    que essa opo tem na contemporaneidade. Conforme Rheingold (citado por RECUERO,

    2005, p.13) as comunidades virtuais so agregados sociais que surgem da Rede [Internet],

    quando uma quantidade suficiente de gente leva adiante essas discusses pblicas durante um

    tempo suficiente, com suficientes sentimentos humanos, para formar redes de relaes

    pessoais no espao ciberntico.

    Inserir as redes sociais em propostas pedaggicas a serem desenvolvidas na escola

    importante devido s novas formas de organizao cultural assim como por ampliar as

    possibilidades de desenvolvimento dos alunos, ou seja, eles tero a oportunidade de transitar,

    conhecer e produzir diferentes gneros textuais, com diferentes intenes sociocomunicativas,

    desenvolvendo sua competncia leitora e escritora. Sabemos que o trabalho com a linguagem

    oral e escrita na escola deve estar pautado no trabalho com os diferentes gneros textuais

    inseridos em prticas sociais de uso da leitura e da escrita. Isso est vinculado com a ideia de

    que usar a linguagem uma forma de agir socialmente, de interagir com os outros e de que

    essas aes somente acontecem em textos, ou seja, falamos ou escrevemos sempre em textos

    que circulam em diferentes suportes, entre eles a web.

    Portanto, a lngua deve entrar na escola da mesma forma que exi