Relações Interpessoais na infância e adolescência e o ... ?· Relações Interpessoais na infância…

  • Published on
    10-Nov-2018

  • View
    215

  • Download
    0

Embed Size (px)

Transcript

<ul><li><p>Relaes Interpessoais na infncia e adolescncia e o cyberbullyingadolescncia e o cyberbullying</p><p>Prof. Josiane Lieberknecht Wathier AbaidPsicloga</p><p>Mestre e doutoranda em Psicologia (UFRGS)Docente do Curso de Psicologia (UNIFRA)</p></li><li><p>A histria da R Numa manh ensolarada, uma grande r </p><p>decidiu engolir toda gua que havia na Terra. Sentou-se orgulhosa, saciada. De to pesada, nem conseguia se mexer. (...) O que vamos fazer?, gritaram todos os seres vivos. Vamos fazer?, gritaram todos os seres vivos. Vamos morrer se ela no devolver os rios, crregos e oceanos. Passaram trs dias rezando e implorando para que a r soltasse as guas. Mas a r nem se mexia (...) Era preciso fazer alguma coisa ( Beaudoin &amp; Taylor, 2006)</p></li><li><p>O que voc faria?</p></li><li><p> Trailer Cyberbully</p><p> http://www.youtube.com/watch?v=i1oF5pXq2bc</p></li><li><p>Contribuies para compreender a violncia virtual</p><p> Desenvolvimento das habilidades sociais</p><p> Desenvolvimento Moral e da empatia</p><p> Problemas decorrentes</p></li><li><p>O que est acontecendo nestas cenas?</p></li><li><p>Desempenho, habilidade e competncia social</p><p> DESEMPENHO SOCIAL: Qualquer comportamento emitido na relao com outras pessoas</p><p> HABILIDADE SOCIAL: comportamentos sociais HABILIDADE SOCIAL: comportamentos sociais que contribuem para a competncia social</p><p> COMPETNCIA SOCIAL: capacidade de articular pensamentos, sentimentos e aes em funo de objetivos pessoais e amplos que trazem consequncias positivas.</p></li><li><p>O julgamento do comportamento social por pais,professores e colegas considerado como umimportante indicador da funcionalidade dosdesempenhos sociais da criana</p></li><li><p>Ento, habilidade social aprendida?</p></li><li><p>Aprendizagens dos comportamentos e normas sociais:</p><p> Famlia</p><p> Vizinhana</p><p> Creche</p><p> Pr-escola</p><p> Estabelecimento de regras</p><p> Observao dos outros sua volta</p><p> Pr-escola</p><p> Escola</p><p> Ambientes do adulto</p><p> sua volta</p><p> Consequncia do comportamemto</p></li><li><p>Entrada na escola (colegas)</p><p> Aquisio e desenvolvimento de novas habilidades sociais</p><p> O desempenho social e a qualidade dos relacionamentos na escola tm, como base, os recursos os recursos comportamentais previamente adquiridos pela criana no contexto familiar</p></li><li><p>Interao entre colegas</p><p> O resultado disso depender, em grande parte, de esforos entre todos os profissionais que lidam </p><p> A escola pode ser mais ativa no desenvolvimento dessas habilidades promovendo um profissionais que lidam </p><p>com as crianas e adolescentes, incluindo pais e cuidadores</p><p>promovendo um treinamento de habilidades sociais.</p></li><li><p>RELAO CIRCULAR</p><p>Dificuldades</p><p>escolares</p><p>Baixa</p><p>Competn</p><p>cia social</p><p>(Marturano, Linhares &amp; Loureiro, 2004)</p><p>Efeito:</p><p>Problemas </p><p>externalizantes</p><p>e </p><p>internalizantes</p><p>Dificultam </p><p>rendimento escolar</p></li><li><p>Desenvolvimento Moral e capacidade de assumir papis</p><p> Ana uma menina de 8 anos que gosta de subir em rvores. Ela a pessoa no bairro que melhor sobe em rvores. Um dia, enquanto descia de uma rvore alta, ela cai do galho descia de uma rvore alta, ela cai do galho mais baixo, mas no se machuca. Seu pai a v cair. Ele fica preocupado e pede que ela prometa que no vai mais subir(...). Um dia, o gatinho de Amanda fica preso em uma rvore (...)</p></li><li><p>Desenvolvimento tpico</p><p> Menos de 5 anos- viso egocntrica</p><p> Entre 5 e 8- tomada social e informacional de papis</p><p> Entre 8 e 10- Auto-reflexo (viso de uma Entre 8 e 10- Auto-reflexo (viso de uma pode influenciar a outra)</p><p> Entre 10-12- Podem considerar pontos de vistas divergentes simultaneamente</p><p> DE 12-15 at idade adulta- Social e conveno de papis</p></li><li><p>Enfoque de Kohlberg</p><p> Heinz, um homem cuja esposa est morrendo, no tem dinheiro suficiente para comprar um remdio e o farmacutico se recusa a baixar o preo, de forma que o primeiro assalta a loja.preo, de forma que o primeiro assalta a loja.</p><p> Certo ou errado, o mais importante era saber quais as razes para este julgamento </p></li><li><p>Os trs nveis de julgamento moral</p><p> Pr-convencional </p><p> Estgio 1(obedecer regras para evitar punio)</p><p> Estgio 2 (reciprocidade- uma mo lava a outra)</p><p> Convencional (Valores sociais precedem interesses Convencional (Valores sociais precedem interesses individuais)</p><p> Estgio 3 (ser bom e admirado pelo social correto)</p><p> Estgio 4 (Cumprir com os deveres com os quais se concordou)</p><p> Ps-convencional ou de princpios (contrato social e princpios ticos universais)</p></li><li><p>E quanto as relaes virtuais?</p><p> Hipercomunicao</p><p> horizontalidade das comunicaes, que</p><p> ocorrem sem a presena de figuras de autoridade autoridade </p><p> Contato controlado e protegido?</p><p> http://www.youtube.com/watch?v=ZoRBIdIWfuc (Nickelodeon)</p></li><li><p> Baixa empatia afetiva e cognitiva aumentam escores de cyberbullying</p><p> Origens: outros tipos de violncia vivenciados</p></li><li><p>Tipo de violncia Famlia</p><p>%</p><p>Acolhimento</p><p>%</p><p>Medidas S-E</p><p>%</p><p>Ameaa ou humilhao 20,2 34,9 16,7</p><p>Soco ou surra 24,5 51,4 50,4</p><p>Violncia Intrafamiliar</p><p>Agresso com objetos 20,8 51,4 36</p><p>Algum ter mexido no </p><p>corpo contra a vontade</p><p>2 22,2 4,4</p><p>Relao sexual forada 0,7 16,2 1,5</p><p>20</p></li><li><p> O grupo de adolescentes que esto sob proteo em instituies de acolhimento institucional foi o mais exposto violncia intrafamiliar.</p><p> eficcia dos rgos responsveis em identificar e eficcia dos rgos responsveis em identificar e atuar contra situaes de abuso, negligncia, maus-tratos e violncia em geral contra crianas e adolescentes como prev o Estatuto da Criana e do Adolescente </p><p>(ECA, 1990).</p></li><li><p>Atividades em tempo livre- mais citadas</p><p>Moram com a famlia Moram em instituio</p><p> assistir TV (83,2%);</p><p> navegar na internet (78,3%) </p><p> assistir TV (93,7%);</p><p> ouvir ou tocar msica navegar na internet (78,3%) </p><p> ouvir ou tocar msica (76,5%).</p><p> ouvir ou tocar msica (76,6%) </p><p> passear (69,4%).</p></li><li><p>Moram com a famlia</p><p>Moram em instituio- mais </p><p>signif*</p><p> navegar na internet * jogar e/ou brincar </p><p>(58,6%) </p><p> passear </p><p> assistir TV </p><p> desenhar, pintar e/ou fazer desenhar, pintar e/ou fazer artesanato (47,7%) </p><p> ler livros, revistas e/ou quadrinhos (63,1%); </p></li><li><p> algumas atividades so de caractersticas tpicas da adolescncia por serem igualmente comuns aos dois grupos </p><p>(sem diferena estatstica)(sem diferena estatstica)</p><p> o adolescente temporariamente acolhido em instituio parece focar em diversas atividades para seu tempo livre, o que est de acordo com os preceitos do ECA</p><p> Necessidade de Incluso digital?</p></li><li><p>Mas, ateno!</p><p> Definio questionvel (relao binria)</p><p> Tomar a situao de cima para baixo gera um estreitamento das relaes- aumenta a violnciaviolncia</p><p> Judicializao dos processos da vida????</p></li><li><p>O que se pode fazer?</p><p> Oferecer lugar e tempo para se expressar necessidades e desejos das crianas e adolescentes</p><p> Levar em considerao a complexidade do Levar em considerao a complexidade do fenmeno</p><p> Trabalho integrado escola-psiclogo- famlia-comunidade</p><p> Evitar terrorismo sobre o assunto</p></li><li><p>Prof Ms. Josiane L. W. Abaidjosianelieb@unifra.br</p></li></ul>