Revista Acadêmica GUETO - 1ª edição

  • Published on
    09-Mar-2016

  • View
    219

  • Download
    4

Embed Size (px)

DESCRIPTION

 

Transcript

  • Centro de Formao de Professores/UFRB - Av. Nestor de Melo Pita, n. 535, Centro, Amargosa/BA, Brasil. CEP: 45.300-000

    Contato: revistagueto@gmail.com jeanadriano@ufrb.edu.br

    1 Edio

    UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECNCAVO DA BAHIA

    JANEIRO - 2014

    A frica na Escola

  • Centro de Formao de Professores/UFRB - Av. Nestor de Melo Pita, n. 535, Centro, Amargosa/BA, Brasil. CEP: 45.300-000

    Contato: revistagueto@gmail.com jeanadriano@ufrb.edu.br

    SUMRIO

    Crianas: dilogos com a capoeira na formao humana. Autor: Jean Adriano Barros da Silva ___________________________________________1

    A roda de capoeira: sua histrica formao e dimenses constitutivas. Autores: Carolina Gusmo Magalhes e Anlia de Jesus Moreira ____________ 13

    As concepes de corpo na contemporaneidade e as relaes tnico-raciais. Autores: Esdras Oliveira de Souza e Manoel Alves de Araujo Neto ___________ 31

    Capoeira no centro de ateno psicossocial de Amargosa: Limites e possibilidades. Autores: Ana Paula Vieira Dias e Jean Adriano Barros da Silva _____________ 38

    A lei 10.639/03 e a cultura corporal: subsdios para implementao da lei na rea da educao fsica na educao bsica. Autores: Anlia de Jesus Moreira e Maria Ceclia de Paula Silva _____________53

  • 1

    CRIANAS: DILOGOS COM A CAPOEIRA NA FORMAO HUMANA.

    Por: Jean Adriano Barros da Silva1

    RESUMO

    O presente artigo se articula com a temtica que envolve o dialogo sobre praticas culturais e Educao, focando em particular os limites e possibilidades da capoeira na formao de crianas. Este tema tem como objetivo geral proposio de analisar as perspectivas da ao pedaggica no campo da cultura corporal em Educao Infantil. Neste sentido, buscaremos dialogar com alguns autores, apresentando alternativas a partir da pratica da capoeira, enfocando seus movimentos, sua musicalidade e o ritual da roda, como fontes para o desenvolvimento humano e conseqentemente das estratgias e mtodos que permeiam as instituies formais para o referido pblico em questo.

    PALAVRAS CHAVE Educao, Capoeira e Crianas

    ABSTRACT

    This article was linked to the theme that involves a dialogue about cultural practices and education, focusing in particular on the limits and possibilities of capoeira training of children. This theme has as main objective to propose to analyze the prospects for pedagogical action in the field of physical culture in early childhood education. In this sense, we try to talk to some authors, presenting alternatives from the practice of capoeira, focusing on their movements, their musicality and "ritual" of the wheel, as sources for human development and therefore the strategies and methods that underlie formal institutions for public that the public concerned.

    KEYWORDS - Education, Capoeira and Children

    1 Professor Assistente do curso de Educao Fsica do Centro de Formao de Professores - UFRB / Mestre

    de Capoeira / Mestre em Educao FACED-UFBA, Doutorando Instituto de Educao UMINHO, Coordenador do Projeto de Extenso Balaio de Gato CFP/UFRB, Coordenador do Grupo de Pesquisa GUETO CFP/UFRB.

  • 2

    O presente estudo tem como intuito principal discutir as bases histricas e ideolgicas que fundamentam a capoeira na Educao de crianas, a partir da analise do processo de insero da mesma no contexto escolar, suas modificaes adaptativas e suas possibilidades enquanto instrumento revolucionrio ou conformador para edificao de uma pedagogia social. Faremos esta abordagem estabelecendo uma analise do processo histrico de introduo da capoeira na Educao Infantil, seguido de uma discusso sobre a potencialidade pedaggica da capoeira, considerando o dilogo com alguns autores e culminando em consideraes que propem uma reflexo sobre ensino-aprendizagem para construo de uma sociedade mais justa, com indivduos mais crticos, criativos e autnomos. A capoeira, esta arte de origem controversa e que ainda desperta muita polmica, emergiu no bojo das camadas populares e adentra as instituies pblicas e privadas de forma arrebatadora e efusiva, sendo capaz de em pouco mais de quatrocentos anos de trajetria estar presente na maior parte das escolas, clubes, universidades, academias, dentre outros, se firmando com fora em vrios pases do mundo, fora esta, que ora estamos precisando verificar, os interesses ideolgicos que esto sendo defendidos nas entrelinhas de sua expanso pelo mundo e, em particular, no campo da Educao. Segundo dados da Confederao Brasileira de Capoeira (CBC), a capoeira hoje praticada oficialmente em cento e trinta e dois pases, tendo como instituies para administrar a modalidade atualmente, no Brasil, oitenta e quatro Ligas Regionais e Municipais, vinte e quatro Federaes Estaduais, uma Confederao Brasileira, uma Associao Brasileira de rbitros, uma Associao Brasileira de Capoeira para Portadores de Necessidades Especiais. No mbito internacional existe a Federao Internacional de Capoeira (FICA), que coordena trabalhos das Federaes Nacionais de Capoeira existentes no Canad, Portugal, Argentina, Frana, dentre outros pases. importante lembrar que este fenmeno, chamado capoeira, no surgiu de forma instantnea, ou seja, ao longo de sua histria inmeras barreiras foram rompidas para que a mesma se transformasse de luta marginal, em uma alternativa educacional, e justamente sobre o processo de insero da capoeira nas instituies de ensino, em particular nas de Educao Infantil, que discutiremos neste artigo. Analisando as possibilidades da capoeira enquanto ferramenta metodolgica na construo de uma pedagogia social, ou sua utilizao como instrumento alienador para manuteno da lgica capitalista.

  • 3

    1 A ESCOLA E A CAPOEIRA

    Partindo dos princpios de que a capoeira, ao longo de sua histria, passou por uma srie de transformaes para firmar seu espao no ambiente escolar e que a escola funciona, na maioria das vezes, como um aparelho ideolgico do estado, que por sua vez estar sujeito aos ditames do capital, tentaremos aqui traar um painel desta dialtica relao entre a capoeira e a escola.

    Para compreender os conflitos desta relao, precisamos lembrar que o surgimento da escola teve suas bases associadas a uma estratgia de manuteno da diferena entre a classe operria e a classe burguesa, sendo esta ltima beneficiada pela manuteno ideolgica garantida pela escola, pois ali estariam garantidos os princpios de construo da separao entre ``fazer e pensar``, ``corpo e mente`` e etc..., princpios estes que resistem at os dias atuais. Segundo Dangeville (1978):

    Todo sistema de ensino da sociedade capitalista assenta no racionalismo burgus, ou seja um idealismo ou iluminismo que esclarece os espritos, a massa e a matria. Neste sentido, o princpio de revelao esta no seio das escolas burguesas tanto laicas como religiosas. Toda a sociedade dividida em duas classes necessariamente idealista: a elite esclarecida dita as normas, e a massa bruta deve segui-las sem discusso. (p.35)

    A partir da anlise deste contexto acima, fica fcil compreender o tamanho do ``desafio`` e das transformaes, que foram ``necessrias`` para enquadrar a capoeira na lgica escolar, pois a capoeiragem historicamente foi tambm smbolo de contestao da lgica vigente e sua fundamentao filosfica, centra-se em uma simbologia que extrapola o conceito de educao escolar, ratificando o verdadeiro conceito de educao, que no estabelecem fronteiras, nem limites para as relaes de ensino-aprendizagem. Segundo Brando (1981):

    Quando a escola a aldeia, a educao existe onde no h escola e por toda parte pode haver redes e estruturas sociais, de transferncia de saber de uma gerao a outra, onde ainda no foi sequer criada a sombra de um modelo de ensino formal e centralizado. Porque a educao aprende com o homem a continuar o trabalho da vida. vida que transporta de uma espcie para outra, dentro de historia da natureza, e de uma gerao a outra de viventes, dentro da historia da espcie, os princpios atravs dos quais a prpria vida aprende a ensinar a sobreviver e a evoluir em cada tipo de ser. (p.13)

  • 4

    Deste conceito mais amplo de educao surgem s bases filosficas dos ensinamentos da simbologia da capoeiragem. Assim fica fcil compreender o tamanho do abismo entre a matriz norteadora da capoeira e a forma na qual ela se apresenta hoje nas escolas de Educao Infantil, ou seja, algumas das adaptaes que permearam estes anos de transformaes da capoeira pela sobrevivncia, esterilizaram a possibilidade revolucionria de construo de uma pedagogia social que est impregnada em algumas sociedades do continente africano que acabaram por influenciar a estruturao e reelaborao de prticas em territrio brasileiro, tais como a prpria capoeira. Nesta perspectiva tentaremos, a partir de um dilogo com os tericos e reflexes sobre a filosofia da capoeira transmitida oralmente pelos grandes mestres desta arte, organizar um breve levantamento histrico da capoeira e analisar algumas possibilidades de interveno da capoeira para uma pedagogia social na Educao Infantil. Sobre a idia de pedagogia social, queremos dialogar com o pensamento de Pistrak, que nos traz

    ua lgica ue apota paa a costuo de ua escola educadoa do povo, ue tasfoe a vida escolar numa extenso dinmica da problematizaro das questes sociais, vinculando no s seus

    contedos, mas principalmente o mtodo de ensino a servio de uma transformao social que

    iiize as ijustias sociais e ateda os iteesses dos excludos e menos favorecidos, a partir do estimulo da auto-organizaao dos estudantes, organizao do ensino em complexos temticos e das

    relaes entre escola e trabalho.

    1.1 DA LUTA MARGINAL A UMA ALTERNATIVA EDU