Revista Comércio & Cia - 4ª Edição

  • Published on
    13-Mar-2016

  • View
    220

  • Download
    6

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Quarta Edio da Revista Comrcio & Cia, do Sistema Fecomrcio MS

Transcript

<ul><li><p>1 COMRCIO &amp; CIA MAIO/JUNHO 2011</p><p>LegislaoCidades</p><p>Crianas x Consumo</p><p>P U B L I C A O B I M E S T R A L D O S I S T E M A F E C O M R C I O M A T O G R O S S O D O S U L | A N O 1 | E D I O N 4 | S E T E M B R O / O U T U B R O 2 0 1 1</p><p>Cobrana do ICMS do e-commerce divide opinio de advogados tributaristas. Para a </p><p>CNC, a situao gera a bitributao e no pode penalizar o consumidor</p><p>Dourados desponta no setor agrcola, mas h necessidade de mais investimentos para fomentar a gesto comercial e empresarial do municpio</p><p>Uma relao de sutileza e sagacidade no mundo dos negcios</p><p>AniversrioCom 34 anos , MS comemora </p><p>a chegada de novos empreendimentos que apostam </p><p>em um futuro promissor</p><p>Comrcio &amp; Servios</p><p>Turismo de Eventos e Negcios fomenta o comrcio em MS </p><p>e levanta a discusso sobre o planejamento da infraestrutura</p></li><li><p>2 COMRCIO &amp; CIA MAIO/JUNHO 2011</p><p>Campos Carand. Clientes Sempre Felizes.</p><p>Rua Antonio Teodorowick, 10 Carand Bosque 1 Campo Grande MS Tel.: (67) 3213-1065</p><p>O Carlos escolhe o Campos Carand porque adora a adega de vinhos nacionais e importados.</p><p>A Aninha ama sushi. E no Campos Carand </p><p>eles so feitos na hora. Do jeito que ela pede.</p><p>Para o Jnior, frutas, verduras e legumes frescos todos os dias. </p><p>A Carol sabe que castanhas e gros fazem </p><p>parte de uma dieta saudvel e s compra no </p><p>emprio do Campos Carand. </p><p>Calcula-se que, no mundo, consumido 1 milho de sacos de plsticos por minuto, o que constitui problema ambiental em escalas preocupantes. </p><p>No vamos deixar que o plstico sufoque o Planeta: use sacolas de papel ou retornveis.A natureza agradece!</p><p>Utilize as sacolas de papel reciclvel que custam R$ 0,09. </p><p>Ca1 mmiam</p><p>NsufouA n</p><p>Utqu</p><p>Aceitamos todos os cartes e tickets alimentao.</p><p>SACOLA DESCARTVEL CAMPOSPARTICIPE VOC TAMBM!</p></li><li><p>3COMRCIO &amp; CIA MAIO/JUNHO 2011</p><p>EDISON FERREIRA DE ARAJOPresidente do Sistema Fecomrcio </p><p>de Mato Grosso do Sul</p><p>Nos ltimos meses, a regio Centro-Oeste notcia nas mdias nacionais por razes, at </p><p>h pouco tempo, no to comuns aos brasileiros. Mato Grosso do Sul, em especial, est se </p><p>tornando um celeiro de talentos profissionais, de novas opes de mercado de trabalho </p><p>e, acima de tudo, desperta a ateno de grandes empreendedores do Pas pelos nmeros </p><p>positivos que a economia do Estado tem gerado. Em Campo Grande, de acordo com o </p><p>ndice de Consumo das Famlias (ICF), divulgado em julho pela CNC, entre as famlias que </p><p>moram na capital aumentou em 5% a inteno de ir s compras em relao a junho/2011. </p><p> importante esclarecer que, dentre os indicadores que compem esse ndice, o que </p><p>tem tido reao mais importante o da avaliao do emprego atual. Dados do Cadas-</p><p>tro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) reforam a informao. Este ano, o </p><p>segmento econmico do Estado que mais aumentou o nmero de empregos formais foi o </p><p>de servios de alojamento, alimentao, reparao e manuteno, com gerao de3.574 </p><p>empregos, ou seja, 20 novas vagas por dia. Em junho, o nmero de vagas geradas em MS </p><p>bateu recorde: foi o maior em dez anos, com mais de 3,5 mil novos postos de trabalho com </p><p>carteira registrada.</p><p>Otimismo tambm est em alta em MS: pesquisa da CNC apontou que 64,5% das famlias </p><p>campo-grandenses esperam melhorias profissionais at o final do ano. Dos entrevistados, </p><p>59,3% afirmaram que a renda familiar est melhor do que o mesmo perodo do ano passa-</p><p>do, e, 39,2% contam que esto consumindo mais. A Revista Voc S/A divulgou que Campo </p><p>Grande a 48 melhor cidade do Brasil para se construir uma carreira profissional.</p><p>Informaes que nos orgulham e mostram a responsabilidade que temos, mas que no </p><p>nos surpreendem nem mesmo causam receios. O Sistema Fecomrcio MS (SESC, SENAC e </p><p>Instituto) refora o compromisso de trabalhar sempre com profissionalismo, competncia </p><p>e excelncia, seja nas aes e nos servios ou no oferecimento das melhores oportunida-</p><p>des para nossos parceiros nos assuntos relacionados ao nosso fazer.</p><p>Nesta edio, mostramos como empresrios j esto se preparando para atender uma </p><p>clientela exigente, sabedora do que quer e muito observadora: as crianas e os adoles-</p><p>centes, que sero homenageados em outubro. Tambm vimos otimismo daqueles que </p><p>trabalham nos setores de turismo de eventos e, ainda, as boas novas sobre os investimen-</p><p>tos nos aeroportos, inclusive, de municpios que tambm tm alta expectativa de </p><p>crescimento econmico. </p><p>Por tudo o que est ocorrendo e pelo otimismo que o setor do comrcio de </p><p>bens, de servios e de turismo tem pela frente, que Mato Grosso do Sul </p><p>tem muito a comemorar nesses 34 anos de vida. </p><p>Parabns Mato Grosso do Sul!</p><p>Parabns a todos ns que fazemos a vida acontecer todos os dias!</p><p>Palavra do Presidente</p></li><li><p> 4 COMRCIO &amp; CIA MAIO/JUNHO 2011</p><p>SumrioP U B L I C A O B I M E S T R A L D O S I S T E M A F E C O M R C I O M A T O G R O S S O D O S U L | A N O 1 | E D I O N 4 | S E T E M B R O / O U T U B R O 2 0 1 1</p><p>Crianas e jovens so responsveis por um aumento de 15% nas vendas de 2011. De olho neste mercado, empresrios, pais e psiclogos adotam estratgias para enfrentar esse novo perfil de consumidor</p><p>Dourados a segunda maior cidade do Estado. Com uma populao miscigenada, como todo o restante do Pas, ainda recebe influncia dos povos paraguaios e indgenas</p><p>O presidente da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroporturia (INFRAERO), Gustavo do Vale, comenta a estrutura em MS</p><p>06 20 24Capa</p><p>12. Economia MS O aumento da inflao no primeiro semestre despertou o questionamento: seria resultado do crescimento econmico do Estado ou mera questo pontual? Especialistas falam sobre o assunto.</p><p>16. Homenagem Mato Grosso do Sul completa mais de trs dcadas de existncia. Estudiosos, cientistas, historiadores e admiradores falam sobre o cenrio econmico e social deste Estado.</p><p>28. Comrcio &amp; Servios Turismo de Negcios e Eventos responsvel por 30% do movimento no setor e pressiona empreendedores para investir em infraestrutura e qualificao.</p><p>32. Estratgia Pesquisa de ps-venda e de opinio so ferramentas usadas pelas empresas para conhecer melhor os interesses dos consumidores e aprimorar o atendimento.</p><p>34. Carreira &amp; Mercado Uma profisso que ganhou glamour e hoje considerada uma das mais promissoras no setor gastronmico. O chef j um dos profissionais mais requisitados pelo segmento.</p><p>37. Sindical A partir desta edio, entidades da base sindical da FECOMRCIO MS abordam questes histricas, falam sobre desafios e perspectivas para o setor. </p><p>40. Tecnologia &amp; Inovao Empresrios que no utilizam informao tecnolgica como ferramenta de gesto esto h duas dcadas atrasados. Informao a alma do negcio.</p><p>Cidades Entrevista</p></li><li><p>COMRCIO &amp; CIA MARO/ABRIL 2011</p><p>PRESIDENTE DA FECOMRCIO/MSEdison Ferreira de Arajo</p><p>DIRETORIA</p><p>1 VICE-PRESIDENTEDenire Carvalho</p><p>2 VICE-PRESIDENTEJos Alcides dos Santos</p><p>1 SECRETRIOHilrio Pistori</p><p>2 SECRETRIOManoel Ribeiro Bezerra</p><p>1 TESOUREIROSebastio Jos da Silva</p><p>2 TESOUREIRORoberto Rech</p><p>SUPLENTES DA DIRETORIARicardo Massaharu Kuninari; Valdir Jair da </p><p>Silva; Carlos Roberto Bellin; Benjamin Chaia; lvaro Jos Fialho; Cludio Barros Lopes; </p><p>Wilson Dalbem</p><p>CONSELHO FISCALOswaldo Fernandes; Jonas Chaves Junior; </p><p>Leila Denise Kemp</p><p>SUPLENTES DO CONSELHO FISCALVicente Domingos Alves de Arruda; Elenice Alves Perez; Domingos Sergio Barreto da </p><p>Silva</p><p>DELEGAO FEDERATIVAEdison Ferreira de Arajo; Jos Alcides dos </p><p>Santos</p><p>SUPLENTES DA DELEGAO FEDERATIVA</p><p>Denire Carvalho; Sebastio Jos da Silva</p><p>IFMSThales de Souza Campos; Diogo Rondon; </p><p>Regiane Dede</p><p>SINDICATOS REPRESENTADOS PELA FECOMRCIO/MS</p><p>Sind. do Com. Atacadista e Varejista de Dourados; Sind. do Com. Varejista de Amambai; Sind. do Com. Varejista de </p><p>Aquidauana e Anastcio; Sind. do Com. Varejista de Campo Grande; Sind. do </p><p>Com. Varejista de Corumb; Sind. do Com. Varejista de Gneros Alimentcios de Campo Grande; Sind. do Com. Atacadista e Varejista </p><p>de Materiais de Construo de Campo Grande; Sind. do Com. Varejista de Navira; Sind. do Com. Varejista de Paranaba; Sind. do Com. Varejista de Trs Lagoas; Sind. do Com. Varejista de Ponta Por; Sind. do Com. </p><p>Varejista de Produtos Farmacuticos de MS; Sind. dos Despachantes Comerciais do </p><p>Estado de Mato Grosso do Sul;Sind. dos Representantes Comerciais do Estado de Mato Grosso do Sul; Sind. dos Centros de Formao de Condutores de </p><p>Veculos do MS; Sind. dos Revendedores de Veculos Automotores de C. Grande</p><p>DIRETORA REGIONAL DO SENACRegina Ferro</p><p>DIRETORA REGIONAL DO SESCIrene Maria Buainain</p><p>Federao investe em palestras, workshops e seminrios para incentivar ainda mais o empreendedorismo entre empresrios e trabalhadores das vendas do varejo</p><p>Carto Empresarial, da ASSETUR, oferece benefcios e vantagens para usurios do transporte coletivo e tambm para empresrios</p><p>38 Fecomrcio MS</p><p>44. Ponto de Vista Reeleito presidente da Federao das Indstrias de MS, Srgio Longen defende o planejamento das aes para a ampliao das polticas de desenvolvimento industrial. </p><p>46. Empresrio do Ms Ariclenes Bento Vicentim, dono da Rede ABV Supermercados, conta a trajetria de sucesso e de desafios em um segmento competitivo.</p><p>50. SENAC MS Com aes pautadas nos princpios da incluso social e educacional, o SENAC MS oferece igualdade de condies, acessibilidade, estrutura e tcnicos capacitados nos cursos profissionalizantes.</p><p>52. Legislao Especialistas garantem que no h base legal para a partilha da cobrana do ICMS como foi implantada, embora sob o ponto de vista de justia fiscal ainda h controvrsias.</p><p>56. SESC MS Escola de Ensino Mdio, a ESEM, com quatro anos de existncia, j excelncia no ensino e uma das mais disputadas de todo o Pas.</p><p>58. Nosso Ambiente &amp; Cidadania Piso ttil gera surpresa e indignao aos empresrios e usurios afirmam que faltam orientao e alinhamento de aes.</p><p>64. Gesto &amp; Finanas Lderes do setor produtivo de MS e da regio Centro-Oeste se renem para reivindicar mais benefcios e garantir competitividade para os Estados.</p><p>62 Parcerias</p><p>EDIO: Infinito Comunicao Empresarialinfinitocomunica@gmail.com</p><p>EDITORA-CHEFE: Neusa Pavo MTB/MS 035</p><p>REPORTAGEM: Neusa Pavo, Fernanda Mathias MTB/MS 041, Marineiva Rodrigues MTB/MS 114, Rosana Siqueira MTB/MS 08, Marta Ferreira MTB/MS 097, Diogo Rondon</p><p>REVISO: Vanderlei Verdoim, Lcia Helena Paula do Canto</p><p>FOTOS: Mrio Bueno MTB/MS 166; Edson Ribeiro MTB/MS 50</p><p>PROJETO GRFICO E DIAGRAMAO: Estdio i7 LTDA-ME</p><p>COMERCIALIZAO: Departamento de Relaes com o Mercado - FECOMRCIO/MS</p><p>GESTORA DE RELAES COM O MERCADO: Ionise Catarina Piazzi Tavares</p><p>CONSULTORA DE RELAES COM O MERCADO: Ctia de Almeidacomercial@fecomercio-ms.com.br</p><p>Rua Almirante Barroso, 52, Bairro Amamba, CEP: 79008-300, Campo Grande/MS Fone: (67) 3321-6292 / Fax: (67) 3321-6310</p></li><li><p>Comerciantes se preparam para melhorar o faturamento; consumidores so exigentes e atentos s novidades do mercado</p><p> 6 COMRCIO &amp; CIA MAIO/JUNHO 2011</p><p>J uma realidade. Cada vez mais, o consumismo est presente na vida de crian-as e adolescentes. Mais vulnerveis e ainda com o esprito crtico em formao, eles so os responsveis pelo crescimento constante das vendas de brinquedos no Brasil. Os meios de comunicao e as indstrias, sem legislao especfica para esse assunto, a todo momento oferecem novidades que despertam o interesse desses pequenos consumidores - principalmente quando o assunto brinquedo. </p><p>Dia das Crianas</p><p>Capa</p><p>AMBIENTES INTERATIVOS NA RIHAPPY MOTIVAM A EXPERIMENTAO E, POR CONSEQUNCIA, A COMPRA PELO PRODUTO</p></li><li><p> NMEROS </p><p> Segundo o levantamento da Associao Brasileira dos Fabricantes de Brinquedos (ABRINQ), a indstria brasileira do setor faturou R$ 3,1 bilhes em 2010, um avano de 11% sobre o exerccio anterior. A meta para este ano, com investimento de R$ 200 milhes em lanamentos de produtos e na modernizao das fbricas, crescer mais 15%. O perodo de aumento nas vendas quando se aproxima o Dia das Crianas. Em 2010, as vendas realizadas na semana de 5 a 11 de outubro cresceram 12% na comparao com a mesma semana de 2009, segundo o Indicador Serasa Experian de Atividade do Comrcio - Dia das Crianas, superando a expectativa dos empresrios brasileiros, que previam um cresci-mento de 10,3%.</p><p>7COMRCIO &amp; CIA MAIO/JUNHO 2011</p><p> De acordo com o estudo, o Dia das Crianas foi a melhor data nacional para o setor em 2010. Em MS, o terceiro melhor perodo de vendas no va-rejo, perdendo apenas em volume para o Natal e o Dia das Mes. Responsvel por 0,6% do Produto In-terno Bruto (PIB), soma das riquezas produzidas no pas, o setor de brinquedos tem boas perspectivas para este ano, principalmente pelo surgimento de </p><p>novos fabricantes. Em Mato Grosso do Sul, segundo dados divulga-dos pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatstica (IBGE) na Pesquisa Mensal de Comrcio, referentes ao ms de outubro de 2010, o crescimento foi de 9,2% nas vendas em comparao com o mesmo pe-rodo do ano anterior, superando a mdia nacional </p><p>que registrou alta de 8,8%.</p><p> PERSPECTIVA </p><p> Para este ano, os lojistas esto cautelosos. A perspectiva sempre de boas vendas, mas o setor est em alerta. A avaliao do empresrio Jaime Egdio Ferreira, proprietrio de duas lojas de brin-quedos em Campo Grande, a Mega Toys. Segundo Ferreira, nos primeiros seis meses deste ano as ven-das caram cerca de 30%, quando comparadas com o mesmo perodo do ano passado. Todos esses meses, as vendas esto menores quando comparadas com o mesmo ms no ano passado, que para ns foi um ano muito positivo. Sobre as perspectivas para o Dia das Crianas, o </p><p>empresrio cauteloso na hora de fazer as proje-es. Acredito que no v superar as vendas </p><p>do ano passado, quando alcanamos um crescimento de 20%. Mas se chegar </p><p>prximo disso, est timo.</p><p>BRINQUEDOS QUE ESTIMULAM A IMAGINAO E A INTERATIVIDADE SO IMPORTANTES PARA O DESENVOLVIMENTO INFANTIL</p></li><li><p> 8 COMRCIO &amp; CIA MAIO/JUNHO 2011</p><p> Para tentar reverter a situao, Jaime Ferreira aposta na campanha publicitria para atrair os olha-</p><p>res dos pequenos consumidores e, com eles, os pais. Estamos preparando um material especfico para o Dia das Crianas, mostrar as novidades do mercado, as tendncias e, assim, incentivar as vendas. Vamos apostar na divulgao. Uma das maiores redes de brinquedos no Brasil, a RiHappy, que atua em quase todos os Estados com mais de 80 lojas, mais otimista. Segundo o diretor de Marketing Mario Honorato, a expectativa de um aumento de 10% nas vendas aqui na capital, em re-lao ao ano passado. O diretor explica que o ritmo de consumo em 2011 no est sendo o mesmo de 2010, mas que ainda assim os nmeros so positivos. Quando o assunto concorrncia, principalmente </p><p>com a indstria chinesa, Honorato explica que o pro-blema do Brasil chama-se impostos. Com uma alta tributao, vrios projetos tornam-se inviveis. Hoje temos que entender que vivemos em um mundo glo-balizado, buscando todas as alternativas existentes. A estratgia para atrair os clientes est na variedade dos produtos, alm de oferecer s...</p></li></ul>