Revista Comércio & Cia - 5ª Edição

  • Published on
    06-Mar-2016

  • View
    226

  • Download
    7

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Revista Comrcio & CIa, do Sistema Fecomrcio MS - textos Infinito Comunicao Empresarial.

Transcript

  • 1COMRCIO & CIA NOVEMBRO/DEZEMBRO 2011

    Comrcio nos bairros

    P U B L I C A O B I M E S T R A L D O S I S T E M A F E C O M R C I O M A T O G R O S S O D O S U L | A N O 1 | E D I O N 5 | N O V E M B R O / D E Z E M B R O 2 0 1 1

    CidadesNova Alvorada do Sul aproveita o bom

    momento da economia e promove o desenvolvimento do municpio

    Conectividade SocialEmpresas tm at o fim do ano para se adequarem aonovo sistema

    Crescimento da cidade expande o comrcio nos bairros e empresrios fazem a diferena

    Nosso Ambiente & Cidadania

    Assdio moral pode reduzir produtividade e fazer empresas

    responderem por aes indenizatrias

    ParceriasEstudo sobre a competitividade

    do setor sucroenergtico em Dourados e grande regio

    DEVOLUOGARANTIDA

    CORREIOS

  • 2 COMRCIO & CIA NOVEMBRO/DEZEMBRO 2011

    Campos Carand. Clientes Sempre Felizes.

    Rua Antonio Teodorowick, 10 Carand Bosque 1 Campo Grande MS Tel.: (67) 3213-1065

    O Carlos escolhe o Campos Carand porque adora a adega de vinhos nacionais e importados.

    A Aninha ama sushi. E no Campos Carand

    eles so feitos na hora. Do jeito que ela pede.

    Para o Jnior, frutas, verduras e legumes frescos todos os dias.

    A Carol sabe que castanhas e gros fazem

    parte de uma dieta saudvel e s compra no

    emprio do Campos Carand.

    Calcula-se que, no mundo, consumido 1 milho de sacos de plsticos por minuto, o que constitui problema ambiental em escalas preocupantes.

    No vamos deixar que o plstico sufoque o Planeta: use sacolas de papel ou retornveis.A natureza agradece!

    Utilize as sacolas de papel reciclvel que custam R$ 0,09.

    Ca1 mmiam

    NsufouA n

    Utqu

    Aceitamos todos os cartes e tickets alimentao.

    SACOLA DESCARTVEL CAMPOSPARTICIPE VOC TAMBM!

  • 3COMRCIO & CIA NOVEMBRO/DEZEMBRO 2011

    EDISON FERREIRA DE ARAJOPresidente do Sistema Fecomrcio

    de Mato Grosso do Sul

    Maisumanoque sefinda. Para alguns, pocade repensar e aprender comoquepassou. Para outros, o momento para desbravar novos caminhos, agregar outrasperspectivas.Independentementedequalforasuaopinio,ns-dosetortercirio-de-vemoscontinuaratentosaocenrioeconmicomundialporquenestemundoglobalizadoqualquermovimentopodeatingirnossosnegcios,positivaounegativamente.Devemosestarpreparadosparasabercomoagiremelhoraraprestaodeservioseprodutos. Omercadoamplo,rotativoeofereceoportunidadesdiversas.Bastaocomerciantesa-berfocar,planejareterprofissionalismonoquesepropeafazer.MatoGrossodoSulestemfrancodesenvolvimento.Paracontinuarcomaboafase,bastaentenderoqueosno-vosconsumidoresquerememcontrapartida.Sim,novosconsumidores.Falamosdaquelesqueestoatentosstecnologiasevoscomprasatrsdequalidadeebompreo.Podesernalojadaesquinaouemlocaisdistantes,mascujasferramentasdainternetpossibi-litamacesso,proximidadeeagilidadenuncaantesvistosnarelaocomercialdahistriadahumanidade.Tambmestamosfalandodaquelesconsumidoresque,segundodadosdoGovernoFederal,mudaramdefaixasalarial.AestatsticadaPresidnciadaRepblicamostraque,emdezanos,quase500milsul-mato-grossensesingressaramnaclassemdia.Eoutros140mil jestocomrendasuperioraR$4mil,pertencendoclassealta.Umamigraode15%nosextratosderendadapopulaoestadual. Nossodesafioconhecerquaisosdesejosenecessidadesdessaclientela,comoaten-d-ladeformaacontinuaracontribuircomofomentodocomrcio.Umadasaesofortalecimentodos setoresprodutivosque reivindicama recriaodaSudecoparaqueconsigamosmelhorarainfraestrutura,qualificaraindamaisamodeobraefazerpartedeumprogramadeinclusonaqualmulheresreceberocursosnasreasmaistradicionaisdocomrcioedosservioscomotambmemoutrossetorescujaparticipaofemininaaindamnima.TalinteressenessepblicoadvmdeumestudoondefoiapontadoquearefernciaeconmicanasclassesDeEsoasmulheres. Enfim,preparamosumaediodefimdeanoespecialquemostraadinmicadosetornosbairrosdeCampoGrande,tendncianasgrandescidadesdoEstado.Tambmfomossabermais sobrenovasoportunidadesdenegcios,demercadoprofissionalequaisasperspectivasparaocomrcionoperodonatalino.Descobrimosnovashabilidadesprofis-sionaisqueestosendodemandadaspelocenrioquesevislumbraeprojetosvoltadosaauxiliarempresriosemseusnegcios.TambmvamosconhecerumaempresriaquebuscaasustentabilidadeambientalemseusempreendimentoseapostaemumtemaquepodeserbemutilizadoemMS. OSistemaFecomrcioMScontinuaraprezarpelosbonsserviosoferecidospormeiodoSESC,SENAC,InstitutoFecomrcioepelaprpriaFederao.Onovoanochegarcompropostasinovadorasparanossaclientela,comaseriedadeepro-fissionalismoquenos soexigidoseque j fazempartedonosso fazer.Con-tinuaremosa investirem inovaotecnolgica,conhecimentoaoalcancedetodos.Vamoschegarondeprecisoparamelhoraraqualidadedevidaeaprofissionalizaodosnossostrabalhadores.anossacontribuioparacomosempresriosqueaqui apostamsuasmaiores riquezas: a criatividade,oespritoempreendedoreavontadedecrescercomoEstadoefazerpartedanossahistria.

    Palavra do Presidente

  • 4 COMRCIO & CIA NOVEMBRO/DEZEMBRO 2011

    SumrioP U B L I C A O B I M E S T R A L D O S I S T E M A F E C O M R C I O M A T O G R O S S O D O S U L | A N O 1 | E D I O N 5 | N O V E M B R O / D E Z E M B R O 2 0 1 1

    Uma parceria que est dando certo: empresrios abrem investimentos nos bairros de Campo Grande, atraem clientela e moradores aprovam produto, preo e proximidade.

    A pouco mais de cem km de Campo Grande, um municpio de apenas 20 anos atrai investidores: Nova Alvorada do Sul.

    Governador Andr Puccinelli fala sobre poltica fiscal, impostos e como est conduzindo o desenvolvimento de MS.

    06 14 18Capa

    10. Economia MS Em uma dcada, a classe mdia ganhou 498.000 sul-mato-grossenses e 15% j esto na classe alta. E o efeito cascata desse movimento j visvel no setor tercirio.

    24. Comrcio & Servios Pesquisas querem detectar o perfil do consumidor dos shopping centers e levar informaes para auxiliar e orientar empreendedores.

    26. Estratgia Tendncias da moda e, principalmente, da economia brasileira vo nortear empresrios para se prepararem para o fim de ano. A expectativa de vendas positiva.

    30. Carreira & Mercado Concorrncia para atrair consumidores faz empresrios buscarem por experts em identidade visual, os profissionais em visual merchan.

    34. Tecnologia & Inovao O prazo para as empresas aderirem ao programa Conectividade Social ICP termina no dia 31 de dezembro de 2011. As empresas tm de saber o que isso e como o programa vai agilizar processos.

    38. Ponto de Vista Secretrio da Receita Federal, Csar Estoduto, aborda a importncia da Nota Fiscal Eletrnica e as vantagens e facilidades para empresrios e Fisco.

    40. Empresria do Ms Preparar-se para o amanh com solues existentes hoje. A responsabilidade ambiental e a preocupao com a sade so base dos empreendimentos da empresria Beatriz Rauber Zamecki.

    Cidades Entrevista

  • 5COMRCIO & CIA NOVEMBRO/DEZEMBRO 2011

    PRESIDENTE DA FECOMRCIO/MSEdison Ferreira de Arajo

    DIRETORIA

    1 VICE-PRESIDENTEDenire Carvalho

    2 VICE-PRESIDENTEJos Alcides dos Santos

    1 SECRETRIOHilrio Pistori

    2 SECRETRIOManoel Ribeiro Bezerra

    1 TESOUREIROSebastio Jos da Silva

    2 TESOUREIRORoberto Rech

    SUPLENTES DA DIRETORIARicardo Massaharu Kuninari; Valdir Jair da

    Silva; Carlos Roberto Bellin; Benjamin Chaia; lvaro Jos Fialho; Cludio Barros Lopes;

    SINDICATOS REPRESENTADOS PELA FECOMRCIO/MS

    Sind. do Com. Atacadista e Varejista de Dourados; Sind. do Com. Varejista de Amambai; Sind. do Com. Varejista de

    Aquidauana e Anastcio; Sind. do Com. Varejista de Campo Grande; Sind. do

    Com. Varejista de Corumb; Sind. do Com. Varejista de Gneros Alimentcios de Campo Grande; Sind. do Com. Atacadista e Varejista

    de Materiais de Construo de Campo Grande; Sind. do Com. Varejista de Navira; Sind. do Com. Varejista de Paranaba; Sind. do Com. Varejista de Trs Lagoas; Sind. do Com. Varejista de Ponta Por; Sind. do Com.

    Varejista de Produtos Farmacuticos de MS; Sind. dos Despachantes Comerciais do

    Estado de Mato Grosso do Sul;Sind. dos Representantes Comerciais do Estado de Mato Grosso do Sul; Sind. dos Centros de Formao de Condutores de

    Veculos do MS; Sind. dos Revendedores de Veculos Automotores de C. Grande

    DIRETORA REGIONAL DO SENACRegina Ferro

    DIRETOR REGIONAL DO SESCArnaldo Aracaqui (interino)

    DIRETOR SUPERINTENDENTE IFMSThales de Souza Campos

    COORDENAO DE COMUNICAONbia Cunha

    Encontro entre Institutos de Pesquisa das Federaes do Comrcio de Bens, Servios e Turismo promove as boas prticas e o intercmbio de experincias.

    Em Dourados, Instituto Fecomrcio de MS e Prefeitura Municipal vo levantar as demandas do setor sucroenergtico para ajudar na melhoria do processo e dos produtos das usinas.

    32 Fecomrcio MS

    44. SENAC MS Atento demanda do mercado e s novas tecnologias, o SENAC MS lana cursos de desenvolvimento de games e uma nova grade para a formao profissional de TI.

    46. Legislao Empresrios, contadores, administradores. Todos que esto envolvidos com gesto devem se atentar para as chamadas obrigaes acessrias para no terem prejuzos.

    50. SESC MS O SESC desenvolve trabalho de turismo social ao alcance de todos. A programao variada e contempla todos os gostos.

    54. Nosso Ambiente & Cidadania Um assunto que merece ateno e desperta polmica: o assdio moral. Como ele deve ser combatido nas empresas e quais os prejuzos para empresrios e trabalhadores.

    60. Gesto & Finanas A recriao da Sudeco tema entre as lideranas produtivas do Estado e a perspectiva que o Centro-Oeste consiga mais crdito para o fomento dos setores.

    62. Sindical Sindicato dos Despachantes de MS oferece facilidades para seus filiados e busca a excelncia dos seus produtos.

    58 Parcerias

    EDIO: Infinito Comunicao Empresarialinfinitocomunica@gmail.com

    EDITORA-CHEFE: Neusa Pavo MTB/MS 035

    REPORTAGEM: Neusa Pavo, Fernanda Mathias MTB/MS 041, Marineiva Rodrigues MTB/MS 114, Diogo Rondon, Michele Abreu

    REVISO: Vanderlei Verdoim, Lcia Helena Paula do Canto

    FOTOS: Mrio Bueno MTB/MS 166; Edson Ribeiro MTB 050

    PROJETO GRFICO E DIAGRAMAO: Estdio i7 LTDA-ME

    COMERCIALIZAO: Departamento de Relaes com o Mercado - FECOMRCIO/MS

    GESTORA DE RELAES COM O MERCADO: Ionise Catarina Piazzi Tavares

    CONSULTORA DE RELAES COM O MERCADO: Ctia de Almeidacomercial@fecomercio-ms.com.br

    Rua Almirante Barroso, 52, Bairro Amamba, CEP: 79008-300, Campo Grande/MS Fone: (67) 3321-6292 / Fax: (67) 3321-6310

  • 6 COMRCIO & CIA NOVEMBRO/DEZEMBRO 2011

    Eles contribuem de forma incisiva para o desenvolvimento das regies, gerando e distribuindo renda. Os comrcios nos bairros das grandes cidades crescem na velocidade em que o chamado permetro ur-bano aumenta, mudam o perfil das comunidades e facilitam a vida de quem mora distante do centro comercial. Em todo o Estado, a estimativa que haja mais de 60 mil empresas do setor tercirio, 37% delas instaladas na Capital. Destas, praticamente a metade est fora da regio central do municpio.

    Comrcios crescem com os bairros e fidelizam clientela

    Capa

    FACILIDADE DE ACESSO, VARIEDADE DE PRODUTOS E PREOS FOMENTAM O COMRCIO NOS BAIRROS

  • 7COMRCIO & CIA NOVEMBRO/DEZEMBRO 2011

    CLIENTE FIEL

    HseisanosproprietriadesalodebelezanoAero Rancho, LucieneOrtiz conta que a dinmicadobairrodiferentedequemtrabalhanocentro.Aqui no agendo horrio. Atendo conforme ocliente chega porque, muitas vezes, ele aproveitaomomentode folgaenoconsegueagendaran-tes.Paraela,oclientedobairromaisfielporquecriaumvnculocomaspessoasqueoatendem.Afreguesiafixa.umqueindicaparaooutroouapessoapassanafrente,ficacuriosa,resolveentrareacabaretornando. FranqueadadamarcadesorvetesJeitoFrio,Ju-liene Arajo Ruiz, que tambm est instalada noAeroRancho,explicaqueoshbitosdosmoradoresde bairros ajudam o comerciante a se programar.Aosdomingossempretemosasfamliasquevmtomarsorvete,entopodemosnosprogramarpor-quecertamentevamosvenderaquelaquantidade.Poroutrolado,elaobservaqueprecisomelhorarasegurana.

    Paraquemapostaemabrironegcionobairro,asvantagens parecem evidentes, comeando pelachancemaiordeterprdioprprio,devidoaomenorvalor do imvel. Alm disso, contammuito as pers-pectivasdecrescimentonamedidaemqueosbairrossedesenvolvem.FoioqueaconteceucomaSerranaColches,queh17 anos iniciou suas atividadesnaVilaPioneiraeexpandiuparaaUniversitriaeBairroAeroRancho.Hojetambmtemfiliaisnosmunicpiosde Jaraguari, Rochedo, Terenos, Bandeirantes, guaClara, Ribas do Pardo e RioNegro e planos de abrirnovaslojasnaregiodasMoreninhasedoNovaLima,emCampoGrande. NoAeroRancho,bairromaispopulosodaCapitaledivididoemdez setores, a loja comeoumodesta,

    s uma portinha,como define a ge-rente Daniela Oli-veira e, hoje, sodoispisoscomaca-bamento refinado,portase janelasemvidro temperado.O mix tambmmu-dou.Eramvendidosapenas colches ehoje possvel en-contrar mveis em

    geral.Osegredodosucesso,ensinaagerente,apro-ximidade,quefortaleceorelacionamentoconstrudoaolongodosanoscomaclientelaequetambmpro-porcionacomodidade.Oconsumidortemafacilida-dedenoprecisar sedeslocar ato centroe, aindaassim,encontrarpreoscompatveisaosdemercado.Almdisso,aentregaemontagemsobemmaisrpi-dasporqueestamosperto.

    Na Capital, aproximadamente 50% dos

    22 mil estabelecimentos comerciais esto

    espalhados nos bairros

    DE UMA PORTINHA PARA A LOJA GRANDE, COM DOIS PISOS, A SERRANA COLCHES CRESCEU COM O AERO RANCHO, CONTA A GERENTE DANIELA OLIVEIRA

    PARA JULIENE, FRANQUEADA DA SORVETERIA JEITO FRIO, OS HBITOS DOS MORADORES DE BAIRROS AJUDAM NA PROGRAMAO DA EMPRESA

  • 8 COMRCIO & CIA NOVEMBRO/DEZEMBRO 2011

    Para a proprietria da loja de confeces La ZuliedoAougueNeveseSilva,naCoophavilla II, SheilaCostadaSilva, aproximidadecomocliente tambmajudanomomentodaanlisedecrdito.Eunoabrocredirioparaquemeunoconheoetentoestimularousodocarto,mostrandoquemaisprticoemaisseguro. Sheilamora na Coophavilla II desde 1979 econtaqueonegciocresceucomobairro.Anteseuvendia lingeriesecamisetascomoautnoma,nopr-priobairro.Elalembraque,comoosfuncionriossodaprpriacomunidade,elestambmacabamatrain-dofreguesiaparaosestabelecimentos.

    DE CARROA

    Emoutrapontadacidade,nasadaparaSoPaulo,NeumaSouzaLeiteDamaziotemduaslojasdemate-riaisdeconstruo,umanobairroMrioCovaseoutranoJardimMacabas.Elacontaqueapaisagemdehojena regiobemdiferentedequandose instalou,h15anos.Anteseratudomato,agoratemosvriosresi-denciaisecomrcios.Aregioestsedesenvolvendorpido.Obairroestcrescendo;queremoscrescerjun-toegerarempregonaprpriacomunidade. QuandoNeumaeoesposoAdenilsonAntnioDa-mzio iniciaram o comrcio, em uma rea de como-dato,osistemaerabemdiferente. Compramosduascarroasparaasentregasetrsburros.Davaumatra-balheira danada porque tinha que catar capim todofimdatardenabeiradocrregoparaalimentarosbi-chos.Osfuncionriosaprenderamamanejaracarroaefaziamasentregasdemateriais,lembraNeuma.Hojesoduaslojasquecontamcomtrsveculoscaracte-rizados;umamudanaradicalquetambmcontaumpoucodahistriadoprpriobairro.

    Logo ali O diretor-tcnico do Sebrae/MS Tito Estanqueiro observa que o desenvolvimento dos comrcios de bairro segue uma dinmica que passa pelo aumento do nvel de emprego, de renda e, por consequncia, as pessoas esto comprando...

Recommended

View more >