Revista Vitrine Edição 32 Maio 2012

  • Published on
    11-Mar-2016

  • View
    217

  • Download
    2

DESCRIPTION

Edio 32 - Maio 2012

Transcript

2 [MAIO 2012] [MAIO 2012] 3Eucria Birro EditoraeditorialExpediente04 ................................. Meio Ambiente05 ................................. Na Vitrine08 ................................. Cidade10 ................................. Para Pensar 11 ................................. Profisses12 ................................. Culturarte14 ................................. Tome Nota15 ............................... Antenado16 ............................... Palavra Amiga17 ................................. Capa20 ................................. Sade21 ................................. Conexo22 ................................. Radar Poltico24 ................................. Sade26 ................................. Paladar27 ................................. Especial 15 Anos28 ................................. Tecnologia29 ................................. Fatos e Fotos34 ............................... Para PensarConselho Diretor Aluisio Gomes (Li) Eucria Birro RedaoEucria Birro - kkneiva3@hotmail.comJoo Paulo Marques - joaomarquesptu2@hotmail.comDepto Comercial e AdministrativoAlusio Gomes (Li) - (38) 9904-9327Joaquim Birro - (38) 9893-9673Ronaldo Nunes - (38) 3672-1432Colaboradores ColunistasIgor SantosIsabela AlbernazRubem SiqueiraRosana Borges de Souza SouzaRonaldo Nunes de Siqueira CamposFrancisco liberato PvoaMarise Nancy de AlencarRanulfo Caldas PereiraFotosColor MaisJornal DinmicoImpressoGrfica e Editora Morro do Ouro Ltda(38) 3671-6311 | Fax: 3671-6398DiagramaoRVSITES (38) 3672-1432Endereo para correspondnciaRua Rio Grande do Sul, 1000 Cj 01 - Cen-troCep: 38600-000 Paracatu MGE-mail: revistavitrineptu@hotmail.com A Revista no se responsabiliza pela autenticidade dos anncios publicados.ndiceEscreva para a Revista Vitrine. D sua opinio sobre os artigos, matrias e envie a sua sugesto: Em ano de disputa eleitoral h quem queira inserir em seu plano de governo inmeros problemas sociais, que depois com o passar do tempo, e, claro, depois de vencidas as elei-es, muitos nem no papel so encontrados. Entretanto, h quem muito antes de se candidatar se sente na obrigao de lutar contra as desigualdades sociais e as mais diversas mazelas da sociedade que no se limitam apenas s classes menos favorecidas. O problema das drogas o maior exemplo de todos e o pior tambm, porque querendo fazer algo para ajudar no combate muitos se veem refns dentro de seus lares como se condenados estivessem a se sujeitar aos desman-dos de pequenos e grandes traficantes do narcotrfico. de um problema inteiramente nosso a principal mat-ria de capa das ltimas edies de VITRINE. Alm de poltico um jovem missionrio no somente abraou a causa como tem sido referncia de seriedade e compromisso no trato com uma situa-o que domina pases, estados, cidades, bairros e at a rua de nossas casas. O combate s drogas uma guerra desleal, porque a sen-sao que se tem de lutar com o invisvel. H muito dinheiro, grandes bares da cocana, do crack e de tantos outros entor-pecentes capazes de apagar da maneira mais covarde e cruel, at mesmo para servir de exemplo, quem se atrever a cruzar o caminho deles. Entretanto, lutar por aquelas famlias que pedem socor-ro, para si mesmas e para seus dependentes qumicos precisa falar mais alto em nossos coraes, primeiro por sermos todos irmos perante Deus e depois por sermos todos vitimas desse mal. Mais dia menos dia em sua porta que esses discpulos do crack podero bater e saber como agir o primeiro passo para vencermos essa batalha por ns, por nossos irmos, por nosso povo.Boa leitura [MAIO 2012] 4o dos lenis subterrneos de gua. importante que a populao seja conscientizada dos males causados pela poluio do meio ambiente, assim como de polticas que revertam tal situao.E cada um pode cumprir com o seu papel de cidado, no jogando lixo nas ruas, usando menos produtos descartveis e evitando sair de carro todos os dias. Se cada um fizer a sua parte, o mundo ser transformado e as geraes futuras vivero sem riscos.Por Jussara de BarrosGraduada em PedagogiaCesso do site www.brasilescola.com Projeto Movermeio ambientemeio ambiente A criao da data foi em 1972, em virtude de um encontro promovido pela ONU (Organizao das Naes Unidas), a fim de tra-tar de assuntos ambientais, que en-globam o planeta, mais conhecido como conferncia das Naes Unidas.A conferncia reuniu 113 pases, alm de 250 organizaes no governamentais, em que a pau-ta principal abordava a degradao que o homem tem causado ao meio ambiente e os riscos para sua sobre-vivncia, de tal modo que a diversi-dade biolgica deveria ser preserva-da acima de qualquer possibilidade.Nessa reunio, criaram-se v-rios documentos relacionados s ques-tes ambientais, bem como um plano para traar as aes da humanidade e dos governantes diante do problema.A importncia da data est re-lacionada s discusses que se abrem sobre a poluio do ar, do solo e da gua; desmatamento; diminuio da biodiversidade e da gua potvel ao consumo humano, destruio da ca-mada de oznio, destruio das es-pcies vegetais e das florestas, ex-tino de animais, dentre outros.A partir de 1974, o Brasil iniciou um trabalho de pre-servao ambien-tal, atravs da Se-cretaria Especial do Meio Ambiente, para levar populao informaes acerca das responsabili-dades de cada um diante da natureza.Mas em face da vida moderna, os prejuzos ainda esto maiores. Uma enorme quantidade de lixos descar-tada todos os dias, como sacos, copos e garrafas de plstico, latas de alum-nio, vidros em geral, papis e papeles, causando a destruio da natureza e a morte de vrias espcies de animais.A poltica de reaproveita-mento do lixo ainda muito fraca, em vrias localidades ainda no h coleta seletiva; o que au-menta a poluio, pois vrios tipos de lixos txicos, como pilhas e baterias so descartados de qualquer forma, le-vando a absoro dos mesmos pelo solo e a contamina-Por que se comemora o dia do meio ambiente em 5 de junho?E ESTE ANO?O QUE VOC EST FAZENDO PELO SEU MEIO AMBIENTE? [MAIO 2012] 55na vitrinecoopervap realiza quarta edio do repasse anual de novilhas O Brasil , mundialmente, um dos pases mais fortes na pecuria. Em termos de quantidade de cabeas de gado, nosso pas encontra-se na liderana. Somos tambm um dos maiores exportadores de carne de boi e frango, sendo que os pases asiticos e europeus so os principais importado-res da carne brasileira. Com relao ao leite, os estados de Minas Gerais e So Paulo destacam-se na produo nacional. A pecuria lei-teira um dos pilares da Economia do municpio de Paraca-tu. O leite e seus derivados atravessaram fronteiras e so reconhecidos em nvel nacional. S que essa realidade no se deve apenas aos grandes criadores de gado, mas tambm dos pequenos criadores. Exemplo disso o projeto que vem sendo desenvolvido pela Coopervap com o Re-passe Anual de Novilhas que este ano chegou a sua quarta edio. O repasse anual de novilhas deste ano reu-niu criadores cooperados da Coopervap no parque de expo-sies. O grande diferencial o sorteio no lugar do tradicio-nal lance nos leiles. Foram sorteadas cento e cinquenta novilhas pre-nhas vindas das maiores bacias leiteiras da regio. A finalidade do evento incentivar o pequeno cria-dor e melhorar o rebanho e quantidade de leite. Por aqui o lance d lugar ao sorteio. O objetivo do projeto dar mais oportunidade aos nossos em ter um ani-mal de gentica, um animal de alta qualidade afirma Ed-mundo de S, Presidente da Coopervap. De alguns anos para c, novilhas de alta gentica esto sendo implantadas em alguns rebanhos de pequenos criadores visando melhorar a criao e aumentar a quanti-dade de leite. Neste ano foram investidos R$ 350.000,00 (tre-zentos e cinquenta mil reais) na aquisio das novilhas. Cada cooperado tem direito de ser sorteado duas vezes. As novilhas so repassadas a preo de custo e o pa-gamento feito em doze parcelas e descontado na conta leite. Para o Diretor de Negcios da Coopervap Leandro Botelho, a grande jogada do projeto est na forma como as novilhas so pagas pelos produtores. Este ano ns buscamos animais em Ira de Minas, Ubera-ba e alguns animais vieram aqui da regio. O nosso grande diferencial a questo do pagamento que feito em doze vezes sem nenhum juro e descontado na conta leite dos nossos cooperados. Uma oportunidade de ouro para os criadores como Elza Moreira do P. A. Santa Rosa. Ela afir-mou a equipe da Revista Vitrine que depois que passou a utilizar novilhas de alta qualidade adquiridas pelo Repasse Anual de Novilhas da Coopervap, a produo de leite dela aumentou mais de 100% (cem por cento), passando de oito para vinte litros por dia. A gente que no tem uma renda significativa, ele (o projeto) ajudou demais, princi-palmente a forma de pagamento. Esse subsdio da coope-rativa e de suma importncia. O Repasse anual de Novi-lhas considerado uma iniciativa em que todos acabam ganhando.O objetivo do projeto dar mais oportu-nidade aos nossos em ter um animal de gentica, um animal de alta qualidade Edmundo de S, Presidente da Coopervap. 6 [MAIO 2012]enfermeiros nota 10 Dia doze de maio foi o dia dedicado aos enfermeiros, profissionais de extrema importncia para a sociedade. Diversas atividades marcaram as comemoraes do dia em todo pas. Em Paracatu um grupo de alunos do curso tcnico de enfermagem da cidade dedicou uma manh inteira para cuidar da sade das pessoas que passaram pela Praa Firmina Santana. A iniciativa contou com a participao de trs turmas de alunos do curso tcnico de enfermagem. Alm de aferir a presso e conferir como est a glicose, as pessoas que passaram pelo stand receberam orientaes, as crianas se divertiram no pula pula e com pintura de rosto. Os professores ressaltaram a importncia desse trabalho com a comunidade para o desenvolvimento do futuro profissional. E se bom para quem faz, melhor ainda para quem recebe.Dia comemorado com a realizao de exames na Praa Firmina Santanaquarta edio da femap sucesso no municipioA quarta edio da Feira Municipal de Artesanato de Paracatu realizada todos os anos com o intuito de valorizao do artesanato Paracatuense. O evento aconteceu no dia 11 de maio no Largo do Rosrio e contou com a presena de vrios associados da Casa do Arteso. Uma noite propcia para a realizao de bons negcios.na vitrine7 [MAIO 2012]na vitrinea renovao do restaurante fornalha Sob nova direo, o Fornalha se atualiza, muda o visual, a variedade de bebidas, o cardpio e a j deliciosa comida, antes preparada pelo afvel casal Sr. Carlos e D. Olga. Empresrios experientes, tendo sido proprietrios do famoso Le tabela de Unai, Raimundo e sua esposa se mudaram, com os tres filhos, para Paracatu e esto adorando a cidade, que os recebeu com tanta ateno e carinho. A repaginada no visual tem agradado aos clientes. A casa ganhou mais espao para as mesas, uma sala de espera com mveis confortveis, toldo para proteger as mesas no passeio, cobertura na rea dos fundos, ao lado da rea de brinquedos para a crianada e um balco com lugar para se tomar um chopp enquanto espera sua turma. Todos os dias teis acontece, de 18 s 20 horas, happy hour com chopp em dobro. Beba dois e pague um.mes paracatuenses so homenageadas em noite cultural O largo da Jaqueira se transformou no pal-co da noite cultural para homenagear as mes do Municpio em 13 de maio, dia das mes. A atrao da festa foi a presena do cantor Luiz Mar-tins de Macei. Alm do msico, o show cultural teve as presenas dos Corais Vivace e Estela Mares de Paracatu. A realizao foi da Prefeitura de Para-catu por meio da Fundao Casa de Cultura. 8 [MAIO 2012]cidade Paracatu possui uma rica his-tria. Seus casares, becos e tradi-es contemplam um passado mar-cante, bem retratado por Joo Duarte Campos, autor do hino oficial do mu-nicpio. Mas na prtica, ser que o Paracatuense realmente conhece a histria da cidade? Por exemplo, que o Jquei Clube j funcionou no prdio que hoje pertence Cmara Munici-pal? Ou que a Escola Afonso Arinos a Escola mais antiga da cidade. Os mais antigos respondero essas perguntas com tranquilidade. Ser que nossas crianas responde-ro? Para no deixar a histria da cidade cair no esquecimento, o mu-nicpio est desenvolvendo a tercei-ra fase do projeto Descubra o Patri-mnio Paracatuense que j atendeu mais de seis mil alunos do municpio. Sero investidos R$ 150.000,00 que foram disponibiliza-dos pelo seminrio de parcerias da Kinross. Nos outros anos a Asso-ciao de Condutores de Turismo de Paracatu ACONTUP conduzia os alunos, contando a histria da cidade pelo patrimnio de Para-catu. O grande diferencial des-te ano ser a realizao de uma pesquisa cientfica com os alu-nos para fazer um resgate tanto da culinria quanto da Caretada. Os alunos iro pesquisar e aprender como so confeccio-nadas as roupas da Caretada, como se dana, de onde ela veio e quem so as pessoas que praticam a Caretada em Paraca-tu. A culinria ser pes-quisada. Cada prato tpico do Municpio, as pessoas que fa-zem, como so feitos e aprendero a fazer os pratos. Ns temos um Patrimnio Ma-terial que so os ca-sares. Eles j foram trabalhados na questo da valorizao desse Patrimnio Histrico para que as crianas do Mu-nicpio quando se tornarem homens e mulheres e se tornarem nossos gestores pblicos tambm cuidem desse Patrimnio. Agora iremos traba-lhar o Patrimnio Imaterial, que uma dana tpica nos-sa e a culinria que esto se perdendo com o tempo. descubra paracatuPROJETO FAZ RESGATE DA CULTURA DO MUNICPIO As pessoas no conhecem as danas e hoje no se encontra quase que nenhum prato tpico nosso nos supermercados para serem compra-dos afirmou Eloisa Cunha coordena-dora do Projeto. No final do projeto sero con-feccionadas dez mil cartilhas que se-ro distribudas para as escolas que participarem do projeto e algumas pessoas do municpio. A realizao do projeto da Pre-feitura de Paracatu, ADESP, ACON-TUPE em parceria com a Kinross.Por Joo Paulo Marques [MAIO 2012] 9loves in the airParacatu inaugura mais uma loja especializada em qualidade e beleza. Carmem Moda ntima chega com o que h de mais encantador em lingeries. Tudo feito para garantir o conforto e a beleza em todos os momentos.Com detalhes inovadores e inusitados, procuramos trazer as melhores e irresistveis peas que esto espera de mulheres e homens que pretendem ficar ainda mais belos e desejados, afirma a jovem empresria Rejane Almeida (Foto)Vale a pena conferir toda a linha ntima da sua mais nova opo em Paracatu. Carmem Moda ntima feita para todos. Aposte nessa ideia e esquente-se neste inverno. [MAIO 2012] 10 Todos ns precisamos de algo em que acreditar e por isso buscamos os dolos. Essas pessoas de qualidades caras aos nossos olhos nos motivam atravs do exemplo, tornando-nos melhores ou piores. O fato que, boa ou m, a influenciao dos jovens por figuras pblicas uma constante. Num passado no muito dis-tante, os grupos que faziam a cabea da juventude eram RPM, Ultraje a Ri-gor, Tits, Legio Urbana, Baro Ver-melho, Kid Abelha, Ira! entre outros. Todos carregados pelas impresses de um mundo recm sado da Guerra Fria, com fortes influncias norteame-ricanas e focados na poltica nacional e nos movimentos estudantis. As letras produzidas se eterni-zaram por sua presena de esprito ao relatar eventos sociais de forma clara e engajada. Hoje, porm, o que se v so grupos sem grandes temas, alheios aos fatos de seu tempo e sem maiores pretenses. No tem essncia e so prefabricados em conformidade com o estilo dominante. So literalmente feitos para o sucesso, mas no para a histria e seus fs apenas reproduzem essa triste realida-de. Quando ana-lisamos a letra de Ideologia, no di-fcil perceber a ava-lanche de sentimen-tos que vo desde a avidez por mu-danas at o pseu-d o c o n f o r m i s m o com a estagnao. Isso porque Cazuza nasceu na elite que sempre desprezou e que agora o recebia novamente em seus crculos sociais. Num pas em que os partidos de esquerda prometiam inovaes utpicas, a realidade de corrupo e jogos de influncia incomodava. Assim, com seus sonhos que-brados frente a fatos que no poderia mudar, ele mergulha num pessimismo amargo e spero relembrando seus heris, entre eles Jim Morrison, Janis Joplin e Jimi Hendrix,que perderam a vida para as drogas. Cazuza se rebelava contra a poltica suja que via e claramente bus-cava algo em que acreditar. Essa revol-ta interna que transbordava em pala-vras secas ecoou no s na memria dos que viveram nesse perodo, mas tambm nas vozes de tantos outros que ainda hoje se sentem tocados por esse hino de guerra ao sistema. A verdade que a nova gera-o no tem nada efetivamente pro-dutivo para passar adiante. Enquanto no mundo o clima de revoltas em massa, nosso pas segue na mais perfeita paz: a paz dos que se sujeitam aos mais severos des-mandos de polticos sem demonstrar a devida indignao. preciso questionar, se fazer ouvir, ir s ruas, lutar! essa inrcia desmedida que gera nosso atraso e no as falhas do governo, como se diz por a. Todos dizem que o povo tem o governo que merece, mas quem o povo? Na hora de reclamar, todos ns, mas na hora de fazer, nin-gum.Quem o povo?para pensarpor: Isabela Albernaz preciso questionar, se fazer ouvir, ir s ruas, lutar! essa inrcia desmedida que gera nos-so atraso e no as falhas do governo. [MAIO 2012] 11profisseslecendo-se em 1989. Ela at hoje mantm, com sede propria na Av. Honorio Souza Mundim, 230 no Bairro Bela Vista a empresa VAS-CO DESPACHANTE. Mas Eni empreendedora e est sempre a procura de novos empreendimentos. Logo perce-beu a oportunidade de adequar os servios de despachante ao ramo de aprendizagem. Foi ento que ela adquiriu a AUTO ESCOLA LIDER. A empresa estava quase desativada, com instalaes pre-crias e muito desacreditada pelo publico. Foi preciso um grande trabalho de reestruturao. Contando com a colabora-o de uma boa equipe de profis-sionais, com o investimento em uma frota de veculos novos, to-dos com direo hidrulica e ar condicionado, novas motos e um caminho trator para formar pro-fissionais na categoria E, com a reforma do prdio, com a monta-gem de confortveis instalaes para os alunos super bem equi-padas com di-versos compu-tadores, sala de multimdia com ar condiciona-do, professores reciclados, ma-teriais didti-cos atualizados, higienizao e conforto para os candidatos habilitao, ad-diretor de ensinoquiriu a confiana dos clientes e pode ver a sua empresa crescer . Com uma equipe sempre bem treinada passou a oferecer confiabilidade, segurana e exce-lncia na formao de conduto-res, visando sempre um transito seguro para toda a populao e comeou a ver o ndice de apro-vao aumentar, fazendo de sua auto escola a preferida e a mais conceituada da regio. A Lider, aproveitando a demanda, contratou profissionais especializados em pontuao na CNH, Processos Administrativos e recursos de multas de transito prestando um excelente servio de assessoria comunidade. Os interessados, ou no, em habilitar-se para a obteno de sua CNH esto convidados a co-nhecer a empresa que se destaca em nossa cidade por sua compe-tncia, credibilidade e excelncia nos servios prestados. A profisso que focamos nesta edio a de Diretor de En-sino em um Centro de Formao de Condutores. Este o profissio-nal responsvel pelo acompanha-mento do desenvolvimento dos alunos e dos instrutores do CFC, pelo contedo programtico, pela metodologia e o correto cumpri-mento da carga-horria.Como exemplo de uma pessoa que tem a arte de gostar do que faz apresenta-mos Eni Duarte, pro-prietria do Centro de Formao de Con-dutores Lder Auto Escola. Eni natural de Para de Minas-MG, vindo para Paracatu para trabalhar em uma empresa prestadora de servios. Durante a prestao dos servios para empreiteiras na cidade des-cobriu novas oportunidades de negcios e mudou para o ramo de despachante veicular estabe- [MAIO 2012] 12Dicas de Cultura e ArteculturarteLivro: Os Segredos da Mente Milionria - Aprenda a En-riquecer Mudando seus Conceitos Sobre o Dinheiro ...Autor: Eker, T. HarvEditora: Sextante / Gmt Categoria: Administrao / Adm. Financeira e Mat. Finan.Se as suas finanas andam na cor-da bamba, talvez esteja na hora de voc refletir sobre o que T. Harv Eker chama de o seu modelo de dinheiro. Neste livro voc aprende-r a estabelecer sua remunerao pelos resultados que apresenta e no pelas horas que trabalha. Alm disso, saber como aumentar o seu patrimnio lquido - a verdadeira medida da riqueza.Msica: Black IceUm dos mais novos lanamentos do momento o CD Black Ice, do grupo australiano AC/DC que tem mais de trinta anos de carreira. Esse novo CD j vendeu mais de um milho de cpias. Esse lanamento vem com o intuito de resgatar o gosto dos fs pela banda que se decepcionaram com seus lbuns anteriores Ballbraker de 1995 e Stiff Upper Lip de 2000, que chegaram at pensar que jamais voltariam a ouvir msicas decentes do AC/DC. Para quem f da banda ou outros cantores, vale pena conferir os lanamentos em CD.Livro: Pai Rico Pai PobreAutor: Kiyosaki, Robert T.Editora: Campus Categoria: Administrao / Adm. Financeira e Mat. Finan.O objetivo de Pai Rico, Pai Pobre instruir os leitores a despertar o g-nio financeiro em seus filhos, nesta poca conturbada economicamente onde as regras mudaram e no existe mais emprego certo para ningum.Filme: para ver entre amigos!Sinopse: A irm de William, um ga-roto de 15 anos, resolve sair de casa para fugir do protecionismo de sua me e deixa sua coleo de discos para ele, fazendo com que todas as suas atenes voltem-se para a msica. Escrevendo matrias sobre msica para um jornal de bairro, ele resolve enviar um de seus ar-tigos para o editor da revista Cre-am, Lester Bangs (Phillip Seymour Hoffman), que acaba se tornando seu amigo. Ao receber um convite inesperado da revista Rolling Stone e tendo Lester como seu mentor, William parte em sua misso de cobrir a turn da banda Stillwater e descobre todos os segredos dos basti-dores, inclusive as fs. William acaba se apaixonando por Penny Lane (Kate Hudson), uma das fs e namorada do lder da banda (Billy Crudup). Apesar das dificuldades e de ser tido como o inimigo, esta viagem ir mostrar o valor das amizades em uma verdadeira lio de vida. [MAIO 2012] 13Inverno 2012 - Donna FlorUma coleo inspirada no universo feminino, que buscou a liberdade e o direito de ser mulher, uma mu-lher que sabe o que quer, que prioriza o conforto, o bom gosto e o diferencial.A Donna Flor traz um mix de tendncias e mate-riais deste inverno, como Franjas, Couro Fake, Metaliza-dos, Paets, Fendas, Bordados, Peas Mullet, e Peles.Em sua cartela de cores uma variedade de tons terrosos, Borgonha, Mostarda, Tons de verde e o clssi-co Preto e Branco.As estampas vo dos Florais ao Animal Print. As formas do um toque de leveza e movimento.Os acessrios compe look moderno e inspirador.O resultado uma mulher forte, moderna e que desperta admiraoonde quer que ela v.Roupas e Acessrioswww.donnaflorblog.wordpress.comPraa Getlio Vargas, n 323 - centroParacatu - MG(38) 3672-699014 [MAIO 2012]tome notaLeia estas e outras notcias na ntegra: http://www.agenciaminas.mg.gov.brPIB de Minas cresce 2,1% no primeiro trimestre, acima da mdia nacionalResultado mostra destaque para o setor de servios no Estado, com crescimento de 2,8%. No trimestre, PIB bra-sileiro cresceu 0,8%No primeiro trimestre de 2012 a economia de Minas Gerais cresceu 2,1% em comparao ao primeiro trimestre de 2011. No mesmo perodo, a economia brasileira cresceu 0,8%. Embora em ritmo lento, este foi o segundo trimestre consecutivo com indcios de reverso da desacelerao do crescimento em Minas Gerais. As informaes so parte do Informativo CEI Produto Interno Bruto de Minas Gerais Resultados do 1 trimestre de 2012, produzido pelo Centro de Estatstica e Informaes da Fundao Joo Pinheiro e j disponvel no stio da instituio.Sade libera R$ 1,6 milho para HemominasA Secretaria de Estado de Sade de Minas Gerais (SES/MG) repassou R$ 1,6 milho para a Fundao Centro de Hematologia e Hemoterapia de Minas Gerais (Hemominas) no ms de maio. O repasse foi realizado atravs de um conv-nio firmado entre as duas instituies. O investimento, proveniente do Tesouro Estadual, destinado aquisio de 161 equipamentos e materiais permanentes que iro complementar e ampliar as atividades desenvolvidas pela Hemominas garantindo um atendimento estruturado e seguro a populao de Minas.Atualmente, a Hemominas responsvel por 91% do sangue transfundido no estado, mensalmente a instituio atende cerca de 29 mil candidatos doao de sangue, produz cerca de 103 mil hemocomponentes (concentrado de he-mcias, plasma fresco congelado, concentrado de plaquetas e crioprecipitado), realiza 5,7 mil consultas mdicas e 187 mil exames sorolgicos.Governo de Minas assina convnio para aes do Travessia Social em 71 municpios mineirosIniciativa visa combater as privaes sociais indicadas pelo diagnstico do Porta a Porta, que visitou cerca de 200 mil domicliosO Travessia Social vai dar incio s aes nos 71 municpios que foram visitados pelo Projeto Porta a Porta entre maro e abril deste ano. Para isso, o secretrio de Estado de Desenvolvimento Social, Cssio Soares, assinou, no dia 11 de junho, convnios com os prefeitos das respectivas cidades. A iniciativa visa combater as privaes sociais indicadas pelo diagnstico do Porta a Porta, que visitou cerca de 200 mil domiclios. Entre as aes previstas esto a construo e reforma de mdulos sanitrios, melhorias habitacionais, reformas de equipamentos pblicos e a construo de poos artesianos. O projeto desenvolvido a fim de promover a travessia da populao para uma situao de incluso social. [MAIO 2012] 15antenadocausos e violas das geraisParacatu recebe mais uma vez o projeto Causos e Violas das Gerais5 de Junho. Dia do Meio Ambiente.INVESTIR EM EDUCAO AMBIENTAL PLANTAR BONS FRUTOS PARA O FUTURO.KI-015-12H -Kinross- AD Revista-Vitrine_210x140-DiaMeioAmbiente.indd 1 5/28/12 5:56 PM O evento reuniu excelente p-blico no ncleo histrico do municpio. Essa foi a segunda vez que o municpio recebeu o projeto. Alm da autntica msica raiz, o evento contou com a participao especial do contador de Causos Tadeu Martins escritor de dez livros e oitenta e quatro folhetos de cordis. Com o carisma mineiro, Ta-deu arrancou aplausos do pblico com seus causos bem humorados. E para deixar o clima ainda mais regional, a casa do arteso mon-tou barracas oferecendo comidas t-picas e o artesanato da regio. Quem participou, foi embora para casa apro-vando o espetculo.16 [MAIO 2012]Palavra Amiga - O chique ser moderno. J diria o homem repleto de conceitos ps-modernos que ser moderno faz bem para alma, ser moderno enalte-ce o ego e nos enche de ns mesmos. Ser moderno, bem sucedido, intelec-tual, culto e livre, virou sinnimo de ser cada vez mais pago no ponto de vista bblico do paganismo. Ser pago biblicamente falando negar a Deus junto com os seus conceitos e valores revelados nas escrituras Sagradas (B-blia). Portanto, biblicamente falando, todo aquele que nega a palavra de Deus em sua essncia, considerado pago, pois cultiva em suas vidas va-lores e conceitos pagos. No mundo de hoje, o rela-tivismo condio imperativa para uma pessoa ser considerada e/ou aceito em grupos sociais, se voc de-fende valores absolutos, voc est por fora! pois o normal respeitar a opinio e os valores do outro, mesmo que estes valores e essas opinies, deturpem os seus valores. Como se cada um tivesse a sua verdade e pu-desse basear sua vida nessa verdade sem incomodar ou interferir na vida do outro. Certa vez perguntei a uma pessoa com pensamentos ps-mo-dernos o que ela achava daquelas tribos indgenas que matam crianas gmeas logo aps o nascimento, ale-gando que so amaldioadas. Ela deu um pulo para trs como que espanta-da e exclamou: - Um absurdo, isso um absurdo!Foi a ento que eu respondi mesmo achando que realmente era um ab-surdo: - relativo, isso uma prtica que faz parte daquela tribo, e para eles isso tem a ver com a cultura deles, ns de acordo com a viso ps-moderna de valores relativos, temos de aceitar isso! No temos o direito de intervir na verdade alheia, pois para eles isso a verdade! Na mesma hora aquela pessoa mudou sua expresso para uma ex-presso de constrangimento e mudou de assunto. O fato que pessoas que at mesmo se dizem crists, defen-dem essa idia ps-moderna de cada um faz o que bem entender desde que ache certo. Curioso que quando lemos as escrituras sagradas (a bblia), ve-mos que o mestre Jesus nunca ne-gociou seus princpios e valores, e se voc realmente ler, voc ver que o fato de Jesus defender verdades ab-solutas foi o que o levou para a cruz do calvrio para pagar pelos pecados daqueles que se voltam em arrepen-dimento para ele. Eis a uma misso, a crucificao de Cristo foi uma mis-so, ele no foi morto para tirar onda de heri (como disse o artista), ele no foi morto porque judas o traiu (como diz um ctico), ele no foi morto porque foi sentenciado por Pi-latos (como diria um racionalista), e no foram os pregos que o pregaram naquela cruz mais o amor de Deus que o entregou em uma misso. Per-doar nossos pecados para termos novamente comunho com Deus. Agora os valores pregados por Jesus eram, e continuam sendo, opostos aos valores pregados pelo mundo. isso mesmo, Jesus era e a contramo do mundo. Seus valores podem ser considerados como o ve-culo que o levou at a cruz, pois foi atravs da mensagem pregada por Jesus que ele incorporou e incorpo-ra valores aos convertidos, valores esses que mudam nossa cosmovi-so (viso do mundo), e descortina o nosso entendimento das escrituras sagradas fazendo-nos entrar em con-tato direto com a verdade, revelando todo engano causado pela cegueira espiritual na qual vivamos. Atravs da sua palavra que Jesus incomo-dou os partidos poltico- religiosos de sua poca, culminando com o cumprimento de sua misso na cruz do calvrio. O mestre Jesus defendia e defende valores absolutos e nunca admitiu que esses fossem adultera-dos. curioso e paradoxal, pensar que a busca pela felicidade fica cada vez mais distante quando defendemos essa prtica ps-moderna de que no existem verdades absolutas, o simples fato de dizer: Cada um tem a sua verdade e feliz como quer ser, vivendo da ma-neira que melhor lhe aprouver. Faz um contraste radical com a verdadei-ra receita para a felicidade que glo-rificar a Deus e goza-lo para sempre. Isso quer dizer que a receita da felici-dade e a felicidade plena esto anco-radas em verdades absolutas que so reveladas na palavra (bblia) desse Deus maravilhoso e que quando bus-camos, como diria o salmista Davi an-siosamente a presena desse Deus, a sim, nossa alma se deleita em nosso criador. O grande problema que pessoas frequentemente precisam perder seus sonhos, projetos e at mesmo suas famlias, pelo fato de de-fenderem o que elas mesmas alimen-tam como sendo sbio e chique, mas no fundo como se colocar dentro de um buraco e ir aos poucos se enter-rando dentro dele! Que Deus seja louvado pelo descortinar das mentes salvas pelo evangelho absoluto de Jesus Cristo. Jesus, obrigado pelos seus valores absolutos, porque eles me fazem des-cansar e ser feliz de dentro para fora atravs da felicidade incircunstancial!a felicidade que te afasta de ser felizpor: Pr. Marcelo de Paula NetoIgreja Presbiteriana do Prado17 [MAIO 2012]tados, apenas sete no tm ligao com o trfico de drogas. Dr. Ama-rantino Neto Delegado Para o crime no existe fronteira. Portanto, a polcia tam-bm no deve fronteira ter para combater s drogas. A busca de efi-cincia passa pelo crivo do controle da sociedade. Comandante do 45 Batalho de Polcia Militar de Para-catu Quem dependente e quem co-dependente tem mui-ta histria triste para contar, mas aprendendo a viver um dia de cada vez, viver o presente e buscando a paz interior, muitos esto reco-meando suas vidas. Sinal de que h uma luz, mesmo que no fim do tnel, ela est l. Chegar at essa luz pode no ser fcil, mas o ca-minho est aberto para qualquer um. Por Eucria Birrocapa No dia 3 de maio a Comis-so de Administrao, Servios P-blicos e Cidadania da Cmara Mu-nicipal de Paracatu realizou uma audincia pblica no plenrio da casa legisladora, onde autoridades e representantes de rgos ligados ao combate s drogas e ao trata-mento de pessoas vtimas da depen-dncia tiveram a oportunidade de explicar os mais variados pontos de vista acerca do assunto e discutir as polticas pblicas que podem ser ampliadas contra a disseminao do uso de drogas, alm de buscar todas as ferramentas possveis vi-sando a preveno e entrada dos entorpecentes em Paracatu. Cida-de que por fazer parte da BR 040 tem sido, de certa forma, ponto de apoio aos traficantes que vem de toda parte do pas, em especial os que vo sentido Braslia/Belo Hori-zonte. A audincia pblica reuniu autoridades e representantes da comunidade que puderam compar-tilhar de informaes relevantes acerca do problema envolvendo o trfico e uso de drogas no mu-nicpio de Paracatu. Abaixo voc acompanha trechos de questes relevantes que foram apresenta-das com firmeza por alguns dos que se fizeram presentes durante a reunio: O mundo est perdendo a guerra para as drogas. Estamos no caminho in-verso dos EUA. Enquanto l eles trabalharam a tolerncia zero, no Brasil estamos sendo cada vez mais tolerantes com o traficante. Paulo Campos, Promotor de Justia. Aquele que cai nas drogas est margem da sociedade pro-dutiva. Marginalizado, facilmente ele entra no mundo do crime. Para se ter ideia, dos 37 homicdios ten-A recuperao de uma pessoa passa pelo reencontro dela com a vontade de viver.Eros Biondini - Deputado FederalAs famlias sofrem e muitas vezes por desconhecer o que realmente signifi-ca o problema para o usurio. E so as mes que desespe-radas batem minha porta em busca de ajuda, pedindo socor-ro para salvarem seus filhos e como me sinto na pele a dor que essas mes tm sentido e quero ajud-las sempre.Graa Jales Vereadorao mundo est perdendo a guerra para as drogas [MAIO 2012] 18graas ao trabalho de pessoas vo-cacionadas, hoje eu estou aqui tra-balhando para que outras pessoas no passem pelo que eu passei e aquelas que j caram sejam recu-peradas, disse Eros Biondini. E todo pblico presente concordou que preciso investir em projetos sociais, na educao, nas escolas de tempo integral, para mostrar um sentido de vida antes que crianas e adolescentes experimentem um caminho que certamente os levar a dor. Eros Biondini ressaltou que as opes de tratamento no pas so poucas, ainda mais para quem no pode pagar os tratamentos disponveis. A burocracia s vezes to grande que quando a ajuda chega, no d mais tempo. No adianta perdermos as esperanas e s criticar o sistema, temos que criar aes concretas que mobilizem as autoridades e a sociedade. Temos que trabalhar para que acontea a recuperao destes milhes de brasileiros que vivem nas drogas. Por tantos tes-temunhos que vejo, acredito em alternativas como as APACs, que do oportunidades de pessoas que se envolveram em crimes, se re-dimirem e encontrarem um novo caminho e assim serem novos ho-mens e novas mulheres, confirmou Eros Biondini. Para a idealizadora da au-dincia pblica Graa Jales, que recebeu os cumprimentos de to-dos pela corajosa iniciativa, uma semente foi lanada e no que de-pender dela no vai morrer. Para Graa, Paracatu pode ser refern-cia no que diz respeito s polticas pblicas e estratgias que possam combater o trfico de entorpecen-tes, mas para isso o debate precisa dar frutos. Sensibilizada com a situa-o de muitas famlias paracatuen-ses a vereadora lanou o desafio de criar um comit antidrogas e a partir dele planejar as aes e ela-borar um documento que tenha fora suficiente para mobilizar a u t o r i d a d e s tanto na As-sembleia Legis-lativa de Minas Gerais quanto na Cmara dos deputados em Braslia. Com o apoio do Deputado Eros Biondini, os membros da comisso r e s p o n s v e l pela realizao da audincia pbli-ca esperam que todas as questes abordadas durante a reunio que durou mais de quatro horas ganhem fora na esfe-ra federal.Eros, que pro-pe o fortalecimento das entidades tera-puticas disse duran-te sua explanao que h hoje por volta de 1200 vi-ciados nas ruas de Paracatu e v-rios agravantes que preocupam e muito e colocam em risco a segu-rana e o futuro da comunidade. O deputado presenciou em Paracatu a venda de be-bidas alcolicas a jovens de maneira indiscrimina-da, o que ele entende ser o primeiro passo para um problema maior a enfren-tar, entretanto ele afirmou que possvel evitar se todos fizerem a sua par-te, mas sempre unidos na mesma causa. Eu acredito na recu-perao. H 20 anos tive minha experincia com as drogas, mas fui acolhido e Eu acredito na recuperao. H 20 anos tive minha experincia com as drogas, mas fui acolhido e graas ao trabalho de pessoas vocacionadas, hoje eu estou aqui trabalhando para que outras pes-soas no passem pelo que eu passei e aquelas que j caram sejam recupera-das. Deputado Federal Eros BiondiniCapa [MAIO 2012] 19 Paracatu precisa de uma delegacia de polcia federal. Es-tamos numa regio que facilita a entrada de drogas na cidade.Esta foi uma das observa-es feitas na audincia pblica e uma das que mais chamaram a ateno dos presentes. Afinal como viabilizar a instalao dessa delegacia na cidade? O que fazer? O caminho tambm foi apontado, uma vez que so nas esferas polti-cas Federal e Estadual a busca pelo entendimento e posterior unio de foras para que no somente essa delegacia especializada no trfico de drogas possa vir para o munic-pio, como tambm seja viabilizado o aumento no efetivo de policiais civis e militares, outra carncia de Paracatu, que se tornou alvo pre-ferido dos traficantes de entor-pecentes fazendo a cada minuto um novo refm do crime organizado. Caminhamos em momentos difceis e a sociedade no pode se curvar diante dessa triste realidade. preciso investir para valer em Educao. O promotor de justia Paulo Campos ressaltou capaEros Bionidini (foto) abraou a causa por um mun-do sem drogas. Com ele Frei Hans, um dos maiores missionrios no trabalho de recuperao de depen-dentes qumicos. Patrcia Guimares um exemplo de recuperao. Hoje ela trabalha no Projeto MUNDO NOVO SEM DROGASdurante seu depoimento que o pior erro o da omisso. Paracatu ganhou um im-portante aliado no combate s drogas e na recuperao daqueles que cairam no mundo das drogas e lutam para mudar suas vidasCrack, possvel vencer! Como presidente da Frente Parlamentar em Defesa das Comu-nidades Teraputicas,no Congresso Nacional, o deputado Eros Bion-dini participou da cerimnia de lanamento do programa e foi citado pela presidente em seu discurso de agradecimento s autoridades que lutam contra as drogas. Dilma afirmou a importncia das comunidades teraputicas na recuperao dos dependentes e pontuou o avano do pas na luta contra as drogas. O Brasil acredita na competncia das comunidades especializadas no tratamento da dependncia qumica e as compreende como uma alternativa para resolver este mal de sade pblica, disse a presidente. Para o deputado este programa mais uma vitria a favor das comunidades teraputicas e um verdadeiro avano no financiamento das muitas fazendas de recuperao espalhadas pelo Brasil. Como representante das comunidades de recuperao levo as reivindicaes e os tantos testemunhos de nova vida aos colegas parlamentares. Hoje, com o apoio do governo federal, avanamos, ainda que muito tenha que ser feito. Eu acredito na recuperao e luto por esta causa, ressaltou Eros Biondini. Desde a realizao da pri-meira audincia pblica de com-bate s drogas em Paracatu, um comit anti-drogas foi criado com pessoas da prpria comunidade eleitas aps a reunio. De l para os primeiros passos rumo concretizao das aes apresentadas na audincia j foram dados e em breve o povo de Paracatu, as famlias paraca-tuenses e aquelas que aqui vivem vo poder se unir a esse grupo para mudar de vez essa dura rea-lidade. Virar esse jogo e salvar mi-lhares de vidas. Quem Nunca erra quem nunca fazDr. Paulo Campos - Promotor de justiaO Brasil acredita na com-petncia das comunida-des especializadas no tra-tamento de dependencia qumica e a compreende como uma alterna-tiva para resolver este mal de sade pblica Dilma Roussef - Presidente da Repblica20 [MAIO 2012]sadealimentao como base para uma vida saudvel A alimentao saudvel deve fazer parte do nosso dia-a--dia como fator importantssimo de longevidade e melhor disposio. A imagem abaixo apresen-ta a classificao dos melhores ali-mentos que devemos ingerir. Os di-versos grupos de alimentos foram organizados em uma pirmide ali-mentar. Comeando pela base da pirmide, encontramos os alimen-tos que nos do energia, ricos em carboidratos como o arroz, batata e pes. Logo acima vm os alimen-tos reguladores tais como frutas, verduras e legumes. No meio da pirmide te-mos trs subdivises que so os alimentos construtores, ricos em clcio, fibras e ferro, tais como peixe, carne vermelha, ovos, etc. Finalmente, no topo da pi-rmide, temos os acares e leos. Por meio dessa pirmide alimentar, possvel manter uma dieta mais saudvel e equilibra-da tendo como base os alimentos mais importantes e evitando os ali-mentos que so menos saudveis e que devem ser consumidos com parcimnia. Adotar hbitos saudveis, com uma dieta balanceada e com acompanhamento nutricional, alia-da prtica de exerccios fsicos, a regra para ter uma vida saudvel, com mais disposio, permitindo a melhoria do sono, a diminuio do estresse e o desempenho sexual. [MAIO 2012] 21Conexoarroz com frango vira atrao na tv Bom gosto aliado ao que mais simples na cozinha mineira. O tradicional arroz branco misturado ao mais saboroso frango feito no fogo lenha. Assim foi elaborada a primeira galinhada, famoso prato tpico das fes-tas juninas, novidade exibida pela TV Minas Brasil, no Programa Canta Ser-to. O novo quadro Sabores da Terra promete no s levar boas re-ceitas ao telespectador como tambm promover encontros inesquecveis entre amigos e proporcionando con-sequentemente maior interatividade entre a TV e a comunidade. Idealizado pela produtora executiva Raquel Ribeiro, o Sabores da Terra ser uma atrao a mais do pro-grama de msica da TV Minas Brasil. O novo quadro ter apresen-tao de pessoas da prpria comuni-dade e do comunicador e talentoso Cheff Sandro Moreira, que tanto d um show dentro e fora da telinha. O prato em questo foi feito no fogo lenha da propriedade do senhor Antnio e de D. Ftima na re-gio de So Sebastio e a equipe VI-TRINE passou bem fazendo essa ma-tria, no apenas pelo saboroso prato servido, como tambm pela calorosa recepo que teve por parte de toda a famlia.22 [MAIO 2012]Radar Polticovisita paulo abi ackelO Deputado Federal Paulo Abi Ackel, fez uma visita de cortesia ao diretrio municipal do PSDB em Paracatu. No evento ele se encontrou com lideranas do partido e do municpio como o empresrio Olavo Cond.23 [MAIO 2012]05VEREADOR ROSIVAL ARAUJO GARANTE BARREIRAS ELETRNICAS NA BR 040 NO PERMETRO URBANO DE PARACATU.Em dezembro de 2011 o Vereador Rosival Araujo, preocupado com os altos ndices de acidentes que vem ocorrendo na BR 040, no permetro urbano de Paracatu, conseguiu com uma empresa privada a instalao de 07 redutores de velocidade(quebra-molas) na rodovia. Da comeou a gesto junto ao Departamento Nacional de Infra-estrutura de Transportes DNIT para sensibilizar o rgo para instalao dos mesmos. Foram vrias reunies em Paracatu, no DNIT local e em Belo-Horizonte no DNIT/MG.Aps anlise o DNIT/MG abriu o processo administrativo n 50606.000567/2012-87 e resolveu substituir os redutores de velocidade pelas barreiras eletrnicas. A empresa responsvel pelas instalaes das barreiras eletrnicas j esteve em Paracatu e definiu, por ordem do DNIT de Paracatu os locais onde sero instaladas as mesmas, sendo: prximo Curva da Morte, na entrada do bairro Alto da Colina, entre os bairros Bela-Vista/Bela Vista II, Posto Cruzeiro e Bairro Alvorada, prximo ao catu. A Ao do Vereador Rosival Araujo contou tambm com o apoio das Associaes de bairro dos bairro Bela Vista II, Alto da Colina e Nossa Senhora Aparecida e de alguns moradores e comerciantes do Bairro Alvorada (CATUI).Alm das instituies acima o mandato do Deputado Estadual Almir Paraca e do Deputado Federal Reginaldo Lopes tambm esto dando suporte em Belo-Horizonte para viabilizar o mais rpido possvel a concluso das instalaes das barreiras eletrnicas. Vereador Rosival Araujo e Deputado Federal Reginaldo LopesSr. Luizinho(Bela-Vista II) Vereador Rosival Araujo, Deputado Almir Paraca, Assessora do Deputado Federal Reginaldo Lopes e Sr. Sebastio Donizeti/DNIT-MGSilvana(Assessora do Deputado Federal Reginaldo Lopes), Vereador Rosival Araujo, Deputado Almir Paraca, Sr. Jose Luiz - Luizinho(Alto da Colina e Bela Vista II) e Deusdete Ferreira(Vila Mariana, frente ao DNIT em Belo-Horizonte Moradores dos bairros prximo a BR , tambm acompanharam a visita. [MAIO 2012] 24sadeRINITES Existem alguns tipos de rini-te, entre elas, a rinite medicamento-sa, a rinite vasomotora e a rinite alr-gica. A rinite medicamentosa ge-ralmente provocada pela auto--medicao, ou seja, sem orientao de um mdico, as pessoas decidem o que iro utilizar por via nasal. Este um costume de grande risco, pois muitos destes medicamentos podem complicar ainda mais os sintomas preexistentes. A rinite vasomotora acontece por diversos motivos. Pode ocorrer em consequncia de cirurgias nasais, estmulos qumicos e fsicos, stress, gravidez, medicamentos, etc. Por conta disso muito importante ten-tar identificar os motivos que desen-cadeiam a rinite, pois pode-se preve-nir os sintomas diante da reduo da exposio aos estmulos descritos. A rinite alrgica a mais cor-riqueira das rinites. Atualmente, de acordo com a iniciativa ARIA, que um projeto que avalia o impacto da rinite alrgica na asma, a doena mu-dou sua classificao. Antigamente, a rinite alrgica era classificada como sazonal e perene. Atualmente, ela foi alterada para intermitente, onde os sintomas esto presentes menos de quatro dias por semana e por menos de um ms e constante quando os sintomas permanecem por mais de quatro dias por semana e por mais de um ms. A doena ocorre, principal-mente por conta da poluio, poeira ou plen, que so os grandes viles da renite alrgica.Entendendo o que rinite alrgica A rinite alrgica pode ser de-terminada como uma reao elevada de resposta inflamatria da mucosa que reveste o nariz sempre que ela entra em contato com determina-das substncias que so conhecidas como alrgenos. Eles podem ser en-contrados nos ambientes (poeira do-mstica, por exemplo), como no meio ambiente (plen). Existem indivduos que apre-sentam rinite alrgica durante o ano todo e outros cujas manifestaes se concentram em determinadas po-cas.Os principais sinais e sintomas da do-ena incluem crises de espirros, co-ceira nasal, coriza, obstruo nasal e sintomas oculares (coceira, lacrime-jamento). Uma caracterstica diag-nstica dos indivduos que tm rinite alrgica apresentar teste cutneo positivo a um ou mais alrgenos. Neste teste cutneo, injetam-se pe-quenas quantidades de diferentes alrgenos. Aqueles aos quais se a pessoa for alrgico provocaram uma irritao na sua pele (teste positivo). Entre tanto, existem outros tipos de rinites, nos quais os sinto-mas e sinais clnicos so semelhan-tes com os da rinite alrgica. Algu-mas pessoas apresentam espirros, coriza e prurido nasal, mas no apre-sentam teste cutneo positivo: eles so classificados como tendo rinite no alrgica. H indivduos que apresen-tam de modo mais preponderante sinais de obstruo nasal e secreo ps-nasal (que drena para a parte posterior do nariz), principalmente quando acontecem mudanas de temperatura ou umidade do ar. a chamada rinite vaso-motora. Esses indivduos tambm apresentam tes-te cutneo negativo. Existe a cha-mada rinite infecciosa, que tambm provoca coriza, obstruo nasal e espirros. No entanto, o agente cau-sador no um alrgeno e sim um vrus, na maior ia das vezes e as pes-soas costumam tambm apresentar dor de garganta e estado febril. Por fim, muitas pessoas que apresentam alguma dessas rinites fazem a auto medicao de descon-gestionantes nasais para controlar a obstruo nasal, comum nos pero-dos de crise. Porm, o uso contnuo dessas medicaes a rinite medi-camentosa, caracterizada por uma obstruo nasal constante. As pessoas que tm rinite alrgica ou outras formas de rini-te podem ter seus sintomas nasais agravados se tambm apresentar alteraes anatmicas nasais, hiper-trofia de conchas nasais (aumento dos tecidos esponjosos do nariz como desvio de septo). Elas esto mais sujeitas a desenvolver sinusite e em alguns casos pode levar a ne-cessidade de uma cirurgia nasal para poder melhorar a qualidade respira-tria.Ateno! Alergia no resfriado Resfriado comum De um a trs dias depois de pegar um resfriado, podem aparecer os seguintes sintomas: Coriza Congesto Espirros Perda parcial do olfato e da gusta-o Coceira na garganta Tosse Talvez no seja possvel acabar totalmente os sintomas da rinite alr-gica, mas voc pode aprender como control-los e diminu-los. Comece com uma visita ao mdico, para que ele estude a sua condio e indique um medicamento adequado. Se isso no suavizar seus sintomas, prov-vel que seu mdico indique um espe-cialista, que poder fazer uma avalia-o mais detalhada e prescrever um tratamento adequado. Seu clnico ou alergista podero indicar um ou mais dos seguintes procedimentos: Aplicar testes cutneos para identificar a quais alrgenos voc est sensvel e desencadeiam seus sintomas. Ajudar voc a desenvolver um plano de tratamento, incluindo medicamentos e controle do seu ambiente. Prescrever medicamentos como spray nasal, anti-histam-nicos, descongestionantes ou ou-tras medicaes adequadas sua alergia. As manifestaes de rinite alrgica podem ser muito inc-modas. Assim, lembre-se de que evitar a exposio aos alrgenos de tomar a medicao de forma correta ajudam a controlar os sin-tomas de sua alergia 25 [MAIO 2012]SEMINRIO SOBRE O ABORTO DE ANENCFALOSSADEpor: Joo Paulo Marques O evento contou com a par-ticipao de acadmicos, Profissio-nais da Sade e do Juiz de Direito de Paracatu, doutor Daniel Reche. Os participantes debateram o tema relacionado aos aspectos religioso, jurdico e clnico. O inte-resse dos acadmicos pelo tema foi ressaltado de forma positiva pelos palestrantes. A anencefalia um tipo de m formao caracterizada pela perda parcial ou total do encfalo que o centro do sistema nervoso. Existem vrios graus de anencefalia. Mas no Brasil, os ca-sos em que a gravidez poderia ser interrompida so aqueles em que o beb no conseguiria respirar aps o nascimento. Desde o dia 12 de Abril quando o Supremo Tribunal Fe-deral aprovou a lei que autoriza o aborto de fetos anencfalos uma grande discusso voltou tona e dividiu opinies. Pensando nisso a Liga acadmica de Clnica Mdica da Faculdade Atenas realizou um se-minrio sobre o tema. 26 [MAIO 2012]paladarPeixada Baiana A est um prato da cozinha brasileira que no d pra rejeitar. Com os temperos quentes da Bahia o peixe fica irresistvel. Acompanhado de um ar-roz branco soltinho e regado a um bom vinho no h quem resista. E no tem jeito de no re-petir, pois no d mesmo para pa-rar de comer. Leite de cco, azeite de dend e o aafro do a tnica do sabor especial desta peixada, ou moqueca, aumentando o pra-zer de se fartar com um delicioso prato, to apreciado da culinria brasileira. Ingredientes4 postas de peixe (cao ou dourado) Suco de limo 1 pimento cortado em rodelas 2 tomates cortados em rodelas 1 cebola cortada em rodelas 1 colher (sopa) de azeite 2 colheres (sopa) de coentro (opcio-nal) 1 colher (ch) de aafro da terra (crcuma) 1 tablete de caldo de peixe xcara (ch) de leite de coco xcara (ch) de gua 8 batatas sem casca e cozidas Pimenta a gostoModo de fazer Lave o peixe e passe o suco de limo nas postas e coloque em uma frigideira de borda alta que possa ser tampada. Coloque sobre o peixe as ro-delas de pimento, o tomate, a cebola, o azeite, o coentro, o aafro e o tablete do caldo de peixe esmigalhado. Deixe descansar por uma hora para que o peixe curta o tem-pero. Adicione o leite de coco, a gua, a batata e a pimenta. Leve ao fogo por meia hora ou at o peixe ficar cozido. Sirva com arroz branco. A receita bsica da peixada baiana um clssico de combinaes muito felizes: dend, pimenta malagueta, leite de coco, coentro, aafro, azeite e limo. Simblica na Bahia, e Esprito Santo, a receita, da cha-mada moqueca, guarda uma questo polmica: Capixabas costumam dizer que moqueca capixaba, o resto peixada. [MAIO 2012] 27especialthaine seus 15 anos A cada dia de nossa vida aprendemos com nossos erros ou nossas vitrias e o importante sa-ber que todos os dias vivemos algo novo. Que esta nova fase que se inicia, voc possa viver intensa-mente cada momento com muita paz e esperana, pois a vida uma ddiva e cada instante uma Bn-o de Deus. Em grande estilo, no dia 11 de maio foi realizada nas depen-dncias do Restaurante Fogo de Lenha II a festa em comemorao aos 15 aninhos de Thain, filha do casal de empresrios Milva e lcio. Como manda a tradio, os convidados foram recebidos em um dia de muita alegria para a de-butante oficialmente apresentada sociedade e aproveitaram a noite ao som da equipe de Rafael Ma-chado.Foto Guimares [MAIO 2012] 28tecnologia voc sabe o que big data? Voc sabe o que vai aconte-cer com suas mensagens no twiter, orkut, MSN, facebook e e-mails? Voc sabe que as empresas esto usando estas informaes para aprovar a sua solicitao de em-prego, para saber suas prefern-cias de consumo, descobrir suas necessidades de aprendizado, aju-da humanitria, financeira, mdi-ca, espiritual e social? Uma nova tecnologia de manuseio de dados est emergin-do. Normalmente enorme quan-tidade de dados armazenada em Data Warehouses (Armazns de Dados), para uso em diversas aplicaes, sejam elas comerciais, sociais ou cientficas. Estas infor-maes so retiradas de bases de dados estruturadas, que tem suas propriedades predefinidas, como num cadastro de clientes, cadastro de produtos, de contas a pagar ou receber. Estes sistemas registram operaes efetuadas pelas empre-sas, mas no registram transaes que no foram concludas. Mas estas transaes podem estar re-fletidas nas conversas discusses sobre a empresa e seus produtos nas mensagens trocadas nas m-dias sociais. Podem ser originadas na digitalizao das conversas nos centros de atendimento (call cen-ters) das empresas e at nos v-deos gravados da movimentao nas lojas. O grande problema que estes dados no esto estrutura-dos. complexo saber, em uma mensagem, o que significa uma determinada frase e como ela se relaciona com o indivduo que a escreveu ou a recebeu. Estes da-dos so volumosos e precisam ser acessados com muita velocidade. O interessante do conceito de Big Data a integrao de da-dos de forma a gerar um volume abrangente de informaes, que permita s empresas tomarem decises baseadas em fatos e no pela intuio. Grandes empresas j tm ferramentas e tecnologias orien-tadas a tratar volumes muito grandes de dados como o Hado-op e sistemas de bancos de dados como o Cassandra, sistema usado hoje pelo Facebook e o Twitter. Se voc est procura de uma profisso com muitas opor-tunidades de emprego comece a pensar em ser um analista ou mi-nerador de dados. Diante do fluxo crescente de dados da internet e outras fontes eletrnicas, muitas empresas comearam a procurar profissionais que saibam interpre-tar os nmeros usando a chamada inteligncia empresarial. O resultado do uso do Big Data pode ser visto neste exem-plo: Voc posta uma mensagem dizendo que est querendo uma nova TV LED. Essa informao com certeza vai ser armazenada e ligada ao seu seu smartphone. Ao passar diante de uma loja de eletrnicos voc pode receber um SMS com a informao de que na loja h uma promoo de TVs de LED que podem lhe interessar. Vamos tomar cuidado com nossas mensagens nas mdias so-ciais. Se voc gosta de falar s bes-teiras corre o risco de receber uma oferta indesejvel ao passar dian-te de uma sexy shop. J pensou nisso? No? Ento pense e comece a mudar o seu comportamento virtual.Por: Ronaldo Nunes *ronaldonsc@gmail.com* Ronaldo Nunes de Siqueira Campos scio-proprietrio da RVSITES29 [MAIO 2012] Em uma noite marcante, o Departamento Feminino da Loja Manica Nova Luz Paracatuense promoveu no dia 27/04 mais uma edio do Comida de Buteco. Com um cardpio bem tpico do nome o evento reunio diversas pessoas no Salo Social da Maonaria no centro da Cidade. A animao foi dos Lascades de Patos de Minas.Fotos: Douglas Fernandescomida de buteco 2012 promove ao socialfatos e fotos30 [MAIO 2012]fatos e fotos Realizada no dia 05 de maio a feijoada da APAE de Paracatu contou com a participao de um bom pblico nas dependncias da instituio. Com um ambiente familiar, foi servida aos participantes a tradicional feijoada. A edio deste ano teve a participao da Boate DGraus com dois ambientes. Na pista a dupla Fbio e Flvio animou o pblico com um variado repertrio e em seguida Emanuele e Banda fizeram a festa na boate montada na quadra da instituio. Parabns aos Paracatuenses que abraaram esta linda causa.Fotos: Douglas Fernandesapae recebe bom pblico em mais uma feijoada31 [MAIO 2012] Amigos, leitores, colaboradores e anunciantes, a Revista VITRINE edio 32, do ms de maio de 2012, acabou de sair do forno. Foi um perodo longo desde a edio ante-rior. Isto tem uma explicao. Estvamos nos decidindo sobre lanar uma edio espe-cial em Junho ou julho, comemorando o aniversrio de cinco anos, e no lanarmos a edio de Maio. Durante este tempo fomos trabalhando a edio atual e fazendo os ajustes para o lanamento de uma edio mais moderna e atualizada. Mas nem tudo corre com a ligeireza e com o acerto planejado. O novo visual continua na prancheta de nosso de-signer. Ento decidimos lanar a edio de aniversrio no dia 10 de agosto, com a expecta-tiva de mostrarmos uma revista ainda mais atraente, dinmica, cidad e mais prxima de voc Paracatuense, que tanto prestgio nos tem dado durante estes anos, o que nos motiva a continuar. Nos ltimos meses estivemos estudando as mudanas necessrias para uma me-lhor administrao, um maior e mais preparado setor comercial e de marketing e esta-mos criando uma nova estrutura administrativa. Comeamos pela mudana de endereo, com um escritrio mais amplo em um local onde houvesse melhores condies de estacionamento e melhores condies de receber nossos clientes e colaboradores. Continuamos a mudana com a contratao de uma nova equipe de vendedores, com uma nova forma de comercializao, com novos espaos para publicidade na re-vista e maiores opes de escolha do melhor local para a divulgao dos servios e pro-dutos de nossos anunciantes. Convidamos novos colunistas contemplando um maior leque de assuntos e reas de interesse e teremos excelentes artigos para vocs, nossos leitores. Como anunciado no incio estamos fazendo a mudana do visual da revista e am-pliando o nmero de pginas de cada edio. Estamos planejando cadernos especiais, em ocasies e datas importantes da cida-de, e, tambm, eventos com maior participao da Revista Vitrine com mais interativi-dade com empresas, sociedade e associaes representativas. Neste ms de aniversrio estaremos lanando o nosso site, que est sendo desen-volvido com o mesmo cuidado e carinho que temos ao editamos a revista impressa. Concluindo, gostaramos de convidar as empresas e anunciantes a se juntarem revista Vitrine e publicarem seus anncios na edio de aniversrio. E que venham mais cinco, dez, vinte anos de VITRINE.Aniversrio da Revista Vitrine [MAIO 2012] 32 A diretoria da COOPERVAP entregou, a quarta moto da promoo COOPERVAP 49 anos. A ganhadora foi a estudante Anne Caroline Gonzaga Guimares moradora da rua do Cortume, no Paracatuzinho. Os pais da Anne Caroline so clientes COOPERVAP h muito tempo e concorreram com sessenta cupons. Compro sempre na COOPERVAP, alm de ser bem atendida, o preo tambm especial e ainda d prmios, garante a sortuda. A promoo uma das Jk. A vantagem de tudo isso que o dinheiro gastado na COOPERVAP fica na cidade para o prprio comrcio aquecendo a economia local. Comprar na Cooperativa investir em Paracatu, comenta o Diretor de Negcios, Leandro Botelho Neiva. Para participar da promoo, basta realizar compras no hipermercado da COOPERVAP. A cada R$50,00 o cliente ganha um cupom para concorrer a mais uma moto Dafra, Speed 150cc. Essa mais uma forma da COOPERVAP valorizar seus clientes e aquecer a economia do municpio. Venham todos para COOPERVAP. Aqui voc s tem a ganhar, finalizou o diretor.diretoria da coopervap entrega mais uma motoatividades do aniversrio da maior empresa genuinamente paracatuense. Voc ainda tem chances de ganhar, pois a ltima moto ser sorteada em 20 de Julho, dia em que a COOPERVAP comemora 49 anos. A ganhadora da primeira moto, sorteada no ms de maro, foi Aline Gonzaga do Bom Pastor. O segundo felizardo foi Nelson Pereira da Silva, do bairro Bela Vista, o terceiro foi Jos Vicente Ferreira do Promoo COOPERVAP 49 ANOS presenteia mais um cliente do hipermercado33 [MAIO 2012]cesso se ousar em praticar uma ges-to moderna, participativa, centrada na eficincia, no corte de gastos des-necessrios, valorizando mrito de seus funcionrios e transferindo res-ponsabilidades, principalmente para nossa juventude, investindo em pes-soas qualificadas para cada setor.E o resultado desta gesto que proponho ter como meta uma cidade melhor, extraindo da comunidade opinies e conselhos para implantarmos obras e servios que atendam a toda co-munidade de forma igualitria, sem privilgios individuais, dando priori-dade aos que mais precisam. Mais do que preparado, me sinto motivado, contando com a ajuda de homens e mulheres idealistas, comprometidos em transformar nossa cidade em um lugar prazeroso para viver e criar nossos filhos.Sobre suas metas sociais, adiantou: Nunca teremos uma sade mais humanizada e uma sociedade mais segura sem que tenhamos uma edu-cao de qualidade. A raiz de toda violncia e da falta de segurana vi-vida hoje, que tem aumentado mui-to devido proliferao das drogas, principalmente o Crack, advm da destruio da base familiar, da falta de cuidados para com nossas crian-as e jovens, da inexistncia de en-sinamentos de valores, de prticas saudveis, e isso deve acontecer nas escolas, atravs das igrejas e na rea da sade preventiva, que tenho con-vico: deve ser o meu foco principal. O PTB, pelo que parece, quer repetir o que fez no ano de 88, quan-do apostou na mudana da poltica de Paracatu e venceu com um nome novo, o jovem economista Arquime-des Borges, de 38 anos, e o resultado foi uma das melhores administraes da histria do municpio. Agora, a le-genda surpreende mais uma vez e de-finiu por unanimidade que o candida-to a ser homologado na conveno do partido ser o do mdico Humberto Costa Rabelo, Bebeto, tambm com 38 anos e possuidor de uma carreira profissional de sucesso. Filho de Paracatu iniciou seus estudos nas escolas pblicas Afonso Arinos e Antonio Carlos. Em Braslia, na UNB comeou sua trajetria na formao superior e concluiu medi-cina na cidade de Barbacena. Na ca-pital mineira especializou-se em Car-diologia e fez mestrado no Estado de So Paulo, dando nfase ao estudo da medicina social. Retornando a Pa-racatu, seu primeiro emprego foi no hospital onde nasceu, no antigo SESP, hoje Hospital Municipal. H pouco mais de dez anos, sob inspirao de seus pais e irmos, foi criado o col-gio Atenas e em seguida a Faculdade na qual ministra vrias graduaes, entre elas medicina, marco na eco-nomia de Paracatu. Bebeto, alm de ajudar na implantao e direo, atua ainda como professor universitrio. Ao justificar seu desejo em colocar seu nome para apreciao da cidade, afirma: Aconteceu prin-cipalmente devido minha vivncia como medico, quando entrei em con-tato com tantas tristezas, abandonos, descasos e ao observar que mudan-as mais significativas s acontecem quando a classe poltica sensibiliza-da, Bebeto questiona ainda Por que no ser o prprio representante da-quilo que tem de ser mudado? Minha experincia na implantao e direo da Faculdade de Medicina me permi-tiu acreditar que quando temos garra e ideais, muita coisa pode ser constru-da. Falando do estilo que preten-de implantar e de sua motivao, caso se eleja prefeito de Paracatu afirmou: Qualquer administrador s ter su- A respeito do posicio-namento poltico de seu partido, dis-se: Uma das vantagens da cidade em eleger um prefeito do PTB que fa-zemos parte da base de partidos que do sustentao aos governos esta-dual e federal, o municpio no corre-r o risco de ser penalizado do ponto de vista partidrio. Com isso, estamos abertos e sem discriminao contra ningum, todos que queiram fazer parte de um projeto novo, sem vcios, arrojado, p no cho, enxuto do pon-to de vista de desperdcios do dinhei-ro pblico, sem rancor no corao, com mente focada no bem comum, esto convidados a fazer parte da construo deste projeto, que sendo apoiado pela maioria do eleitorado, ter o nico objetivo: inaugurar um novo tempo para a nossa cidade. No sou radical em achar que tudo deve ser mudado. Aquilo que a comunida-de achar que est indo bem, preten-do dar continuidade. Porm, entendo que muita coisa deve ser revista. As-sim como admito que houve melho-rias implantadas pelo grupo do atual prefeito, eles no podem pensar que s eles tm capacidade e direito de governar o municpio. A alternncia do poder importante, por isso, de quatro em quatro anos a populao chamada s urnas para decidir os destinos da cidade. J so oito anos que a atual administrao est no po-der, muito tempo mantendo a mes-ma equipe.Percebo um certo cansa-o da populao e desmotivao do grupo que ainda est no poder. Dar oportunidade para gente com novas ideias, modificar mtodos na condu-o da coisa pblica e corrigir vcios sempre muito bom e saudvel para qualquer sociedade, finalizou Dr. Be-beto.dr. BeBetoa aposta do ptB na renovao Em relao s possibilidades do Municpio, Bebeto afirmou: Estou con-vencido que com a boa arrecadao que Paracatu hoje possui, se bem planejado o oramento, evitando o desperdcio, os desvios, as contrataes s para favore-cer interesses menores, respeitando o dinheiro pblico como algo que perten-ce comunidade, priorizando os setores que mais necessitam, d para atender s maiores necessidades da populao. um desafio, que no tarefa fcil, mas como em toda minha vida, nunca encontrei moleza e nunca tive medo de encarar dificuldades, estou me apresen-tando, e se a comunidade acreditar em mim, darei o meu melhor.34 [MAIO 2012] O mundo pode no acabar em 2012, mas o ano, por si s, e at o momento, promete deixar marcas no muito positivas. Par-tiram, de uma s vez, Bartolo-meu Campos de Queirs, Wislawa Szymborska, Whitney Houston, e, quase simultaneamente, Antonio Tabucchi e Millr Fernandes. Perdemos muito mais, mas as perdes acima citadas fo-ram marcadas por uma semelhan-a em comum: deixaram nossas vidas no s menos alegres, como, sobretudo, mais silenciosas. Vozes antes ensurdecedores calaram na calada da noite e da mdia, por uma fora maior que sobrepunha tudo aquilo pelo qual lutaram por toda vida e morreram lutando. Em suma, chamaria isso de Liberdade (em maiscula mesmo)[1].Era ela, a Liberdade, que assombrava os poemas de Szymborska, as stiras de Millr e as incansveis jornadas de Tabucchi. Recusando-se a largar o v-cio em cigarros, a poetisa polaca Wislawa Szymborska transgrediu a tambm potica fronteira em 1 de fevereiro de 2012, durante um sono tranquilo, conforme divulga-do. Nada mais justo para algum que, por quase um sculo, e no de forma passiva, mas incrivel-mente ativa, viveu pesadelos que vo desde o frio rigoroso at as crueldades do nazismo. Mesmo com menos de 250 poemas pu-blicados, sua obra poderosa a ponto de ter lhe conferido o Pr-mio Nobel de Literatura de 1996, ainda antes de nomes como Jos Saramago e Gnter Grass serem laureados. Basta-nos este exemplo da pequena dama do gelo, para que, somando-se a uma anlise superficial de todos estes cinco grandes pensadores, percebamos que a odissia terrestre de nada nos serve seno para lutar pela li-berdade, pelo direito de ser, que-rer e poder. No sculo XXI ainda mais do que em qualquer outro, concluiu logo o norte-americano Jonathan Franzen. ele o autor de dois dos mais premiados ro-mances dos ltimos anos cata-taus que tratam a cerca de ns, os grandes erros que cometemos e os avanos que alcanamos: Correes (2001) e Liberdade (2002). Especialmente em Li-berdade, que est prestes a ser adaptado para TV, Franzen esbo-a, durante mais de 600 pginas, sobre os grandes desafios da fa-mlia em seu conceito tradicional em novos e imprevisveis tempos. Como podemos manter um modelo to tradicional como este quando a busca por uma vida desregrada e cada vez mais livre torna-se diariamente prtica e menos ideolgica? questiona o americano em esmiuadas pgi-nas romanceadas. A resposta, para bem ou para mal, est l, a quem interes-sar, mas prefiro aqui deixar o pra-zer pela busca da resposta para as futuras geraes, que certamente lembraro de 2012 como um ano em que a humanidade perdeu grandes pensadores e ganhou grandes gnios, que devem certa-mente ser postos em pantees ao lado de todos aqueles que nun-ca cessaram de lutar nem se calaram fren-te s mais diversas anomalias enfrenta-das pela humanida-de. Sobre isso, as perdas, o desejo no concretizado, a pa-lavra no proferida, Jonathan Franzen faz ainda uma colocao genial, abaixo reprodu-zida, e que, com certeza, ajuda--nos a encarar toda perda como um novo comeo, seja ele doloro-so ou no. Existe, afinal de contas, cer-ta felicidade na infelicidade: basta ela ser uma infelicidade do tipo certo. (Liberdade, Companhia das Letras, 2011)quando os grandes se voPor Igor Santos [MAIO 2012] 3536 [MAIO 2012]